Matérias Mais Lidas

imagemAndreas Kisser pede doação de sangue para sua esposa Patricia

imagemCinco músicas que são covers, mas você certamente acha que são as versões originais

imagemRock in Rio 1991, Maracanã lotado, e o Guns N' Roses ameaçou não subir ao palco...

imagemRafael Bittencourt se sentiu traído e cancelado após saída de Edu Falaschi

imagemO baterista que não tinha técnica alguma e é um dos favoritos do Regis Tadeu

imagemOs únicos quatro assuntos das conversas nos EUA que enchiam saco de Fabio Lione

imagemCopa do Mundo do Rock: uma banda de cada país que vai disputar a Copa do Catar

imagemTúnel do Tempo: 25 músicas que mostram por que 1991 é um ano tão celebrado

imagemDave Mustaine diz que perdoa Ellefson, mas nunca mais fará música com o baixista

imagem"Ninguém imaginava que o Metallica seria maior que o Iron Maiden", diz Scott Ian

imagemSupla explica por que fala sempre misturando português com inglês

imagemJohn Frusciante responde qual foi o motivo de seu retorno ao Red Hot Chili Peppers

imagemNoel Gallagher sobre sua preferida do Pink Floyd: "Adoraria conhecer Roger Waters"

imagemNovo clipe do Megadeth ultrapassa meio milhão de visualizações no Youtube

imagemAC/DC: Angus Young comenta a capa de "Highway to Hell" e a morte de Bon Scott


In-Edit

Ícone do metal é alvo de críticas por tocar com músico condenado por assassinato

Por Emanuel Seagal
Em 24/05/22

Tom Dare e Matt Rushton, apresentadores do Hell Bent For Metal, um podcast LGBTQ+ realizado em parceria com o Knotfest (festival criado pela banda Slipknot), discutiram em seu 79º episódio o "problema do metal com seu apoio tácito à homofobia". Um dos alvos da discussão foi o músico norueguês Bård Guldvik Eithun, conhecido pelo pseudônimo "Faust" e sua participação entre 1992 e 1994 como baterista do Emperor, ícone do black metal, com o qual gravou o icônico álbum "In the Nightside Eclipse".

Em 1992 "Faust", aos dezoito anos, esfaqueou um homem até a morte. Segundo ele enquanto voltava de um pub foi abordado por Magne Andreassen, que o convidou para ter relações sexuais. O baterista aceitou ir com Magne em uma floresta próxima, o esfaqueou 37 vezes e o chutou diversas vezes na cabeça quando ele estava caído. A polícia não tinha suspeitos do crime por cerca de um ano, porém "Faust" contou o que fez para diversos outros músicos, como "Euronymous" (Mayhem), "Vark Vikernes" (Burzum) e Dani Filth (Cradle of Filth). Em 1993 ele foi preso, e no ano seguinte recebeu a sentença de 14 anos de prisão, solto por bom comportamento em 2003.

Atualmente "Faust" toca na banda de black metal Djevel, que ganhou o Grammy norueguês na categoria metal, e no dia 7 de maio fez uma participação com o Emperor no festival inglês Incineration, um dos tópicos discutidos no podcast.

"É um festival em Londres, majoritariamente black metal, mas com um pouco de death metal. Eu fui em diversas das primeiras edições e algumas após, pois estava trabalhando para algumas revistas. Ele aconteceu neste final de semana e teve como headliner o Emperor, o que não é problema, porém eles trouxeram o maldito 'Faust' pra tocar", comentou Tom Dare.

Após relatar os fatos referentes ao crime de ódio cometido por "Faust", o apresentador disse: "Ele nunca, até onde sabemos, e nós procuramos, fez alguma declaração pública de remorso de qualquer tipo, e o Emperor o trouxe para shows em pelo menos três shows. […] Me sinto inseguro e não me sinto bem-vindo. Minha segurança física importa menos do que a de um cara tocando bateria. Vamos ser claros, não trouxeram ele porque ninguém mais pode tocar aquelas músicas. Trouxeram ele por razões sentimentais e de marketing. Isso também manda a mensagem de que (o vocalista e guitarrista) "Ihsahn" dá mais valor para tocar com seu amigo do que a mensagem que isso manda para todos os gays na plateia de que suas vidas não importam, o que me deixa furioso. Imagino que ele não perceba isso…"

Em seguida Matt Rushton, apresentador do podcast e produtor do Knotfest, comentou: "Ihsahn falou a respeito há alguns anos dizendo que 'as pessoas têm opiniões e visões diferentes se outros podem mudar, ele cumpriu sua pena e pode recomeçar', bem não se nunca houve sequer um pedido de desculpas." Ele acrescentou: "Para ser mais específico, acho que se alguém esfaqueasse uma pessoa heterosexual 37 vezes, ele não seria tratado da mesma maneira que 'Faust'. Isso manda a mensagem de que nós importamos menos."

Matt concluiu criticando o festival Incineration por fazer o show com a participação do "Faust" e usar como atrativo, sem necessidade, pois o Emperor, uma das maiores bandas da história do black metal, venderia os mesmos ingressos sem "Faust": "Se ele tivesse assasinado outro músico do black metal ele não seria bem-vindo. Eles estão promovendo um assassino homofóbico que nunca expressou publicamente remorso, para vender ingressos, e isso em si é um ato homofóbico."

Acompanhe a discussão na íntegra clicando no player abaixo.

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Stamp

publicidade
Ademir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | Andre Sugaroni | André Silva Eleutério | Antonio Fernando Klinke Filho | Bruno Franca Passamani | Caetano Nunes Almeida | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Eduardo Ramos | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Cristofer Weber | César Augusto Camazzola | Dalmar Costa V. Soares | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Eric Fernando Rodrigues | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Helênio Prado | Henrique Haag Ribacki | Jesse Silva | José Patrick de Souza | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcelo H G Batista | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Ricardo Dornas Marins | Sergio Luis Anaga | Sergio Ricardo Correa dos Santos | Tales Dors Ciprandi | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Tom Paes | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva
Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp

Faust foi primeira pessoa a fazer contato quando ficou público que Gaahl era gay

Perdeu o Emperor no Brasil? Assista show completo do grupo no Alcatraz Festival

Ibaraki une integrantes do Trivium, Emperor e My Chemical Romance em faixa

Metal Extremo: os 25 melhores álbuns de todos os tempos

Metal: em vídeo, 10 bandas satanistas de fato

Axl Rose: "ele é um fracassado", diz mulher de Slash


Sobre Emanuel Seagal

Descobriu o metal com Iron Maiden e Black Sabbath até chegar ao metal extremo e se apaixonar pelo doom metal. Considera Empyrium e X Japan as melhores bandas do mundo, Foi um dos coordenadores do finado SkyHell Webzine, escreveu para outros veículos no Brasil e exterior, e sempre esteve envolvido com metal, seja com eventos, bandas, gravadoras ou imprensa. Escreve para o Whiplash! desde 2005 mas ainda não entendeu a birra dos leitores com as notícias do Metallica. @emanuel_seagal no Instagram.

Mais informações sobre

Mais matérias de Emanuel Seagal.