Matérias Mais Lidas

imagemFilho de Trujillo fez guitarra na "Master of Puppets" que toca em Stranger Things

imagemMetallica em "Stranger Things" deixa fãs preocupados com a "popularização" da banda

imagemA bizarra exigência de Ace Frehley para participar da última turnê do Kiss

imagemEngenheiros do Hawaii e as tretas com Titãs, Lulu Santos, Lobão e outros

imagemSummer Breeze Open Air Brasil acontece em abril de 2023 em São Paulo

imagemLady Gaga: "o Iron Maiden mudou a minha vida!"

imagemPink Floyd: Suas 10 músicas mais subvalorizadas, segundo a What Culture

imagemMax Cavalera revela como "selou a paz" com Tom Araya, vocalista do Slayer

imagemLobão explica porquê todo sertanejo gostaria, no fundo, de ser roqueiro

imagemPink Floyd: Gilmour nega alegação de Waters sobre "A Momentary Lapse of Reason"

imagemO álbum do The Who que Roger Daltrey achou "uma m*rda completa

imagem"Stranger Things" traz cena com "Master of Puppets", do Metallica

imagemO grave problema do refrão de "Eagle Fly Free", segundo Fabio Lione

imagemMorre aos 43 anos Andrew LaBarre, ex-guitarrista e vocalista da banda Impaled

imagemVital, o ex-Paralamas que virou nome de música e depois foi pro Heavy Metal


Stamp

Ritchie Blackmore revela como o impactou a chegada de Jimi Hendrix na Inglaterra

Por André Garcia
Em 21/05/22

Ritchie Blackmore se tornou mundialmente conhecido na primeira metade dos anos 70, à frente do Deep Purple. No entanto, ele foi um músico prodígio, e já era um guitarrista respeitado na Inglaterra quando ainda estava saindo da adolescência.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Um dos fatos que mais o influenciou foi a chegada de Jimi Hendrix na Inglaterra. Quando ainda era um anônimo, em seu primeiro show na terra da rainha ele já deixou de boca aberta a plateia que incluía alguns dos maiores figurões do rock inglês, como Eric Clapton, Pete Townshend e Keith Richards.

Lá também esteve presente Jeff Beck, que confessou ter ficado tão impressionado e intimidado com o que viu que voltou para casa pensando em abandonar a música. E, conforme publicado pela Guitar, foi exatamente nesse ponto da história que Ritchie Blackmore o descobriu.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

"Quando [Jimi Hendrix] veio para a Inglaterra, Jeff Beck chegou para mim e disse: 'Nós temos que fazer alguma coisa a respeito desse cara!' Eu perguntei de quem ele estava falando, e ele disse: 'Jimi Hendrix! Ele está acabando com todo mundo por aqui. Está todo mundo p*to!' E eu fiquei pensando, tipo: 'Se Jeff Beck não consegue superar ele, então ninguém mais vai conseguir', porque eu sempre via Jeff como o melhor guitarrista do rock."

"Eu virei seu fã pela forma como ele usava os riffs", prosseguiu o fundador no Deep Purple, "como construía as músicas a partir de um riff. Era um guitarrista brilhante, e ainda tinha um visual que parecia vindo da lua. Nesse quesito, ele nem precisava tocar a guitarra, porque ele parecia tão estranho, tão diferente to típico músico inglês. Mas aquilo funcionou, e eu fico feliz que ele tenha feito. Infelizmente, funcionou apenas por três anos, mas ele com certeza iluminou o mundo."

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Ritchie Blackmore lamenta jamais ter tido a oportunidade de conhecer seu ídolo. "Eu só encontrei ele uma vez. Foi no Whiskey [a Go Go], em Hollywood, [quando] eu estava indo ao banheiro e ele estava arrumando o cabelo ou algo assim. Eu sempre o imaginava como um bárbaro selvagem, e lá estava ele no espelho arrumando o cabelo. Aquela foi a única vez que o encontrei. Nós trocamos um aceno com a cabeça, e foi só, então eu jamais o conheci", concluiu.

No álbum de estreia do Deep Purple, "Shades of Deep Purple" (1968), a influência de Jimi Hendrix é clara. Principalmente na faixa "Mandrake Root", cujo riff é semelhante ao de "Foxy Lady". Confira abaixo.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Airbourne 2022


publicidade
Ademir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | Andre Sugaroni | André Silva Eleutério | Antonio Fernando Klinke Filho | Bruno Franca Passamani | Caetano Nunes Almeida | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Eduardo Ramos | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Cristofer Weber | César Augusto Camazzola | Dalmar Costa V. Soares | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Eric Fernando Rodrigues | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Helênio Prado | Henrique Haag Ribacki | Jesse Silva | José Patrick de Souza | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcelo H G Batista | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Ricardo Dornas Marins | Sergio Luis Anaga | Sergio Ricardo Correa dos Santos | Tales Dors Ciprandi | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Tom Paes | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva
Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp

Exodus: "Rick Rubin é uma verdadeira fraude", diz Gary Holt


Sobre André Garcia

Sou redator e tradutor freelancer e escritor, autor do livro de contos Liber IMP. Ouço rock desde pequeno, leio coisas sobre bandas desde sempre e escrevo sobre ela já tem anos. Cresci como fã de Iron Maiden e paladino do rock, mas já me tratei. Hoje sou fã de nomes como Beatles, David Bowie, The Cure, Kraftwerk e Velvet Underground, e de cenas como a Londres psicodélica, a Nova Iorque proto-punk e a Manchester pós-punk. Escrevo notas e notícias rápidas para o Whiplash.Net visando compartilhar conteúdo relevante sobre música e cultura pop.

Mais matérias de André Garcia.