Matérias Mais Lidas

imagemO reencontro entre Steve Harris e Paul Di'Anno na Croácia

imagemA fundamental diferença entre Paulo Ricardo e Schiavon que levou RPM ao fim

imagemA opinião de Arnaldo Antunes sobre a competição interna que havia nos Titãs

imagemO dia que Serguei fez um react do clipe de "Recomeçar", o hit do Restart

imagemAdrian Smith conta como Iron Maiden permaneceu forte e era grunge passou

imagemNicko McBrain, do Iron Maiden, mostra o seu novo (e enorme) kit de bateria

imagemRoger Daltrey revela a música "amaldiçoada" que o The Who não toca mais ao vivo

imagemSystem of a Down: por que Serj Tankian não joga mais nenhum vídeo game?

imagemDee Snider cutuca bandas com falsas aposentadorias e ingressos caros

imagemMetade das pessoas com menos de 23 anos desconhecem Pink Floyd, David Bowie e Bon Jovi

imagemEddie aparece em versão samurai no primeiro show do Iron Maiden em 2022; veja foto

imagem"Metal Tour Of The Year" chega ao fim e Megadeth agradece bandas participantes

imagemAngra: Quantos shows seguidos a voz aguenta sem restrições? Fabio Lione responde

imagemFrank Zappa disse a Steve Vai que ele soava como "um pão com mortadela elétrico"

imagemOzzy Osbourne diz que "tinha muito o que provar" com "No More Tears"


Quando o Pink Floyd quase quebrou e teve que gravar um disco para fazer dinheiro

Por Bruce William
Em 03/05/22

Estamos em 1978. O Pink Floyd já era uma das maiores bandas de todos os tempos, e seus dois últimos álbuns, "Dark Side of the Moon" e "Wish You Were Here" trouxeram fama e fortuna para seus integrantes, o primeiro um dos maiores trabalhos de todos os tempos, sempre presente em listas de "melhores" e com mais de 45 milhões de cópias vendidas ao longo dos anos, e o segundo tendo vendido mais de quinze milhões de discos.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Após o sucesso financeiro dos dois álbuns, o Pink Floyd contratou a Norton Warburg, uma empresa de contabilidade e investimentos, para fugir das altas taxas de impostos cobrados sobre fortunas no Reino Unido. Conforme descreve Franco Santos Alves da Silva na sua tese de pós-graduação intitulada "O Lado Escuro: Narrativas Distópicas Na Obra do Pink Floyd 1973-1983": "Assim, por meio de uma operação que economizaria nos impostos através do capital de risco, o Pink Floyd investiu em uma série de empresas. A desvantagem, segundo o baterista (Nick Mason), 'era de que mesmo que elas se tornassem sucesso, teríamos que nos livrar delas para evitar chamar atenção dos fiscais da receita por enriquecimento ilícito, pois era a forma como o acordo fora construído'. Naquele período, o grupo era dono de fábricas de barco a remo, hotel falido, calçados infantis, Memoquiz (precursor de jogos eletrônicos portáteis), Benji Boards, uma fábrica de skate, pizzas, e um restaurante em um barco flutuante".

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Mas a estratégia fracassou, e em setembro daquele ano a banda descobriu que estava passando por dificuldades financeiras, pois a NWG tinha investido cerca de três milhões de libras do grupo em capital de risco para reduzir as suas obrigações fiscais em negócios que não deram certo, deixando a banda com altas dívidas fiscais, que chegavam a até 83 por cento dos valores investidos. O Pink Floyd terminou seu relacionamento com a NWG, exigindo a devolução de fundos não investidos.

Com o Pink Floyd eles realizaram o sonho de garoto de ficar milionários mas perderam tudo

Os integrantes da banda foram aconselhados a deixar o Reino Unido antes de 6 de abril de 1979, por um período mínimo de um ano. Como na época quem não fosse residente não pagava impostos no Reino Unido, em cerca de um mês todos os quatro membros e suas famílias haviam deixado o país. Roger Waters se mudou para a Suíça; Nick Mason foi para a França; David Gilmour e Richard Wright optaram por se mudar para as ilhas gregas.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

"Por força da necessidade, tive que me envolver intimamente com o lado dos negócios", disse Gilmour, "porque ninguém ao nosso redor se mostrou suficientemente capaz ou honesto para lidar com isso, e vi com a Norton Warburg que a situação estava chegando de forma ameaçadora aos nossos fãs. Eles não foram os primeiros criminosos com quem nós nos aliamos de forma estúpida. Desde então, não sai um centavo sem que eu tenha checado, eu passei a assinar todos os cheques e examinar tudo".

Roger Waters comentou o assunto em uma entrevista de 1987, quando lhe perguntam sobre o problema fiscal pelo qual passou o Pink Floyd, e se aquilo o atingiu profundamente: "Ah sim, foi uma empresa chamada Norton Warburg, dirigida por um cara chamado Andrew Warburg. A ideia era pegar a receita bruta e administrá-la através de uma empresa financeira para protegê-la do pagamento imediato do imposto sob a alegação de que estava sendo usada para financiar investimento em capital de risco. Era tudo legal. Mas o que Norton Warburg fez foi transferir dinheiro de conta em conta e receber enormes taxas de administração cada vez que o movimentavam. Estávamos indo à falência. Perdemos alguns milhões de libras - quase tudo que fizemos com 'Dark Side Of The Moon'. E aí descobrimos que o governo poderia vir e nos pedir 83% de imposto sobre o dinheiro que havíamos perdido, valor que a gente não tinha. Então fomos de garotos com 14 anos de idade com guitarras guitarras e fantasias de ser rico e famoso, até a realização do sonho com o 'Dark Side Of The Moon', mas, ao sermos gananciosos e tentar proteger o dinheiro que ganhamos, acabamos por perdê-lo. Então, com base nisso, decidimos ir para fora do país para fazer o próximo disco, 'The Wall', e tentar conseguir algum dinheiro para pagar essa possível conta de imposto".

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

E conseguiram: "The Wall", com mais de 30 milhões de cópias comercializadas, é o segundo disco mais vendido da banda, perdendo somente para o "Dark Side of the Moon" com suas já citadas mais de 45 milhões de cópias vendidas ao longo dos anos.

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Stamp


publicidade
Ademir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | Andre Sugaroni | André Silva Eleutério | Antonio Fernando Klinke Filho | Bruno Franca Passamani | Caetano Nunes Almeida | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Eduardo Ramos | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Cristofer Weber | César Augusto Camazzola | Dalmar Costa V. Soares | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Eric Fernando Rodrigues | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Helênio Prado | Henrique Haag Ribacki | Jesse Silva | José Patrick de Souza | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcelo H G Batista | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Ricardo Dornas Marins | Sergio Luis Anaga | Sergio Ricardo Correa dos Santos | Tales Dors Ciprandi | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Tom Paes | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva
Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp


Sobre Bruce William

Bruce William pensava em ser um motoqueiro rebelde mas descobriu que é um Wieder Blutbad nerd apaixonado por uma Fuchsbau. Avy jorrāelan, CatW!

Mais matérias de Bruce William.