Matérias Mais Lidas

imagemEngenheiros do Hawaii e as tretas com Titãs, Lulu Santos, Lobão e outros

imagemA bizarra exigência de Ace Frehley para participar da última turnê do Kiss

imagemEdu Falaschi descobriu que seu primo famoso tem mais seguidores que ele no Instagram

imagemIggor Cavalera diz que reunião da formação clássica do Sepultura seria incrível, mas...

imagemDave Mustaine, eufórico, compara James LoMenzo com Cliff Burton

imagemGregório Duvivier: "Perto de Chico Buarque, Bob Dylan é uma espécie de Renato Russo!"

imagemNovo clipe do Megadeth foi filmado no litoral de São Paulo, veja fotos

imagemQuando Jimi Hendrix chamou Eric Clapton para subir no palco e afinar sua guitarra

imagemQuando Fiuk achou que iria apanhar do Chorão, do Charlie Brown Jr.

imagemJoão Gordo diz que não torce pela seleção brasileira de futebol

imagemTravis Barker, do Blink-182, é hospitalizado às pressas e filha pede orações

imagemCuecão de couro: Rob Halford posa com suas "great balls of fire" em camarim

imagemCinco nomes do heavy metal que já gravaram músicas do ABBA

imagemVeja diz que David Coverdale só passa vergonha nas redes sociais

imagemKerry King explica por que não assumiu o posto de guitarrista do Megadeth


Stamp

O pior disco de David Bowie segundo ele próprio: "Aquele álbum foi horrível"

Por André Garcia
Em 31/05/22

Fazendo justiça à alcunha de Camaleão do Rock, David Bowie foi expoente máximo do glam rock, se jogou no funk/soul/R&B, mergulhou na música experimental/eletrônica/avant-garde, e ainda embarcou na new wave — tudo isso apenas na década de 70!

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

No entanto, foi em 1983, com "Let's Dance", que ele atingiu o estrelato global, dessa vez como um astro do pop dançante. Ao conquistar as massas, ele ficou sem saber como lidar com aquilo. Isso ficou visível em seus trabalhos seguintes: "Tonight" (1984) e "Never Let Me Down" (1987) — esse segundo, de acordo com ele próprio, foi o fundo do poço.

Conforme publicado pela Far Out Magazine, em entrevista para a Rolling Stone em 1995, David Bowie refletiu sobre aquele período de sua carreira:

"[O grande público] não significava absolutamente nada para mim. Aquilo não me fazia bem. Eu me sentia insatisfeito com tudo que eu estava fazendo, e uma hora aquilo começou a ficar evidente em meu trabalho. 'Let's Dance' foi um excelente trabalho em um certo gênero, mas nos dois que vieram depois ['Tonight' e 'Never Let Me Down'] mostraram que minha falta de interesse em meu próprio trabalho estava realmente transparecendo. Meu fundo do poço foi 'Never Let Me Down'. Aquele álbum foi horrível."

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

"Eu estou numa posição agora onde não sou muito crítico comigo mesmo. Eu lanço o que eu produzo, quer seja em artes plásticas ou na música, porque eu sei que tudo que estou fazendo é sincero. [Então] mesmo se for um fracasso artístico, não me incomoda como 'Never Let Me Down' me incomoda. Eu não deveria nem ter me dado ao trabalho de ter ido ao estúdio gravar aquilo [risos]!"

Segundo a Ultimate Classic Rock, em 2008 David Bowie lançou a coletânea "iSelect", que incluiu uma versão de "Time Will Crawl" (do "Never Let me Down") radicalmente remixada, com uma sonoridade bem diferente do álbum. Compare a versão antiga e a nova abaixo:

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Satisfeito com o resultado, David Bowie chegou a planejar regravar todo o álbum, mas foi apenas dois anos após sua morte, em 2018, que seu desejo foi realizado. Coube ao produtor Mario McNulty remixar totalmente o disco e o lançar a nova versão como "Never Let me Down 2018".

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net



publicidade
Ademir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | Andre Sugaroni | André Silva Eleutério | Antonio Fernando Klinke Filho | Bruno Franca Passamani | Caetano Nunes Almeida | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Eduardo Ramos | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Cristofer Weber | César Augusto Camazzola | Dalmar Costa V. Soares | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Eric Fernando Rodrigues | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Helênio Prado | Henrique Haag Ribacki | Jesse Silva | José Patrick de Souza | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcelo H G Batista | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Ricardo Dornas Marins | Sergio Luis Anaga | Sergio Ricardo Correa dos Santos | Tales Dors Ciprandi | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Tom Paes | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva
Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp

Capas de álbuns: idosos em casa de repouso recriam artes de clássicos do rock e pop

Vegetarianismo: Nomes do Rock e do Metal que não comem carne


Sobre André Garcia

Sou redator e tradutor freelancer e escritor, autor do livro de contos Liber IMP. Ouço rock desde pequeno, leio coisas sobre bandas desde sempre e escrevo sobre ela já tem anos. Cresci como fã de Iron Maiden e paladino do rock, mas já me tratei. Hoje sou fã de nomes como Beatles, David Bowie, The Cure, Kraftwerk e Velvet Underground, e de cenas como a Londres psicodélica, a Nova Iorque proto-punk e a Manchester pós-punk. Escrevo notas e notícias rápidas para o Whiplash.Net visando compartilhar conteúdo relevante sobre música e cultura pop.

Mais matérias de André Garcia.