Tommy Bolin: Os excessos estavam acabando com aquele cara

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Por Bento Araújo
Enviar correções  |  Comentários  | 

Aquele jovem guitarrista voltava pra casa absolutamente irreconhecível. O tímido e charmoso garoto que tinha optado em abandonar a escola ao invés de ter que cortar seu cabelo estava com a saúde abalada após passar pouco menos de um ano com o Deep Purple. Sua personalidade havia mudado completamente, os excessos estavam acabando com aquele cara...

5000 acessosA morte das grandes bandas: vá a todo show grande que puder5000 acessosRush: Um Adeus Aos Reis


Após o show de Liverpool o Deep Purple finalmente encerrava suas atividades, cancelando uma tour pela Alemanha e mandando Tommy Bolin de volta pra casa. O anúncio oficial sobre o fim do grupo só seria divulgado em julho de 1976, quando Tommy já estava preparando seu segundo disco solo, "Private Eyes".

Nessa época remontou uma nova versão de sua banda, a The Tommy Bolin Band com Mark Stein (ex-Vanilla Fudge e Boomerang) nos teclados e Narada Michael Walden na batera, entre outros. Excursionou abrindo para Robin Trower e Steve Marriot e ainda arrumou tempo de gravar algumas sessões com a banda canadense Moxy.


Seus discos solo eram um perfeito retrato de seu estilo de vida intenso e sempre perigoso. Teaser mesclava peso e swing como na sexy faixa título, além de belos temas como ’Lotus’, ‘The Grind’ e na excepcional ‘Dreamer’, em que ele dividia os vocais com Glenn Hughes. ‘Wild Dogs’ e ‘Homeward Strut’ às vezes pintavam no set do Purple. Outra paixão do guitarrista eram as músicas instrumentais com tempero jazz e as baladas. "Private Eyes" seguia o mesmo caminho e trazia um repertório elegante como ‘Shake The Devil’, ‘Someday Will Bring Our Love Home’, ‘Post Toastee’ e ‘Bustin’ Out For Rosie’ trazendo sempre o vocal marcante e peculiar de Bolin.

Bolin ia fazendo shows em pequenos clubes com sua banda e entre seus planos estava formar um super grupo ao lado de Billy Cobham e Glenn Hughes, o que nunca chegou a acontecer.


No dia 03 de dezembro de 1976, Bolin estava em Miami e abriu o show de Jeff Beck no Jai Alai Fronton Hall Club. No bacsktage posou para fotos ao lado de Beck e voltou para o hotel. Chegando lá, Bolin estacionou no Bar do hotel e tomou vários drinks, como de costume. Depois por volta da 1:00 da manhã subiu para o quarto de seu guarda costas, onde se encontravam cerca de 20 pessoas. Em seguida rumou para o seu quarto com a namorada e no meio de uma ligação telefônica apagou. A moça foi ao quarto do segurança do guitarrista pedir ajuda e quando este chegou, Bolin estava desacordado. O guitarrista foi colocado sem roupa debaixo de uma ducha gelada, mas não esboçou nenhum sinal de melhora. Deitaram o guitarrista na cama, mas como ele havia consumido heroína, valium e álcool todos ficaram temerosos em chamar um médico.

Por volta das 3:00 da manhã a respiração de Bolin foi ficando cada vez mais fraca e esparsa e os roadies deixaram o guitarrista deitado somente com sua namorada no quarto. A moça, vendo que Bolin estava realmente num péssimo estado, chamou os médicos somente às 08:00 da manhã. O guitarrista havia sido sufocado por uma espécie de paralisação muscular causada pela overdose. Tarde demais. Bolin estava morto antes mesmo da ambulância chegar. O legista alegou ter achado quatro marcas recentes de agulhas e o atestado de óbito indicou overdose por heroína, morfina, lidocaína e álcool. Bolin estava com 25 anos de idade.


O enterro foi realizado em Sioux City em uma cerimônia organizada pela família para 350 convidados. Uma ex-namorada de Bolin, Karen, voou de Londres para Iowa para comparecer ao funeral e trouxe consigo um anel que foi colocado por ela no dedo do guitarrista antes do sepultamento. O anel tinha sido presente do manager do Deep Purple, Rob Cooksey, que ofertou a jóia ao guitarrista. Segundo o manager, Jimi Hendrix estava usando esse anel quando morreu e a namorada de Bolin havia guardado a peça com ela porque tinha certeza que Bolin provavelmente perderia a jóia. Histórias do mundo do rock...


Nessa edição da poeira Zine, trazemos um especial sobre uma das fases mais subestimadas do Deep Purple, o período em que eles lançaram o disco Come Taste The Band. A fase que contava com Tommy Bolin na guitarra ficou marcada pelos altos e baixos. Detalhes sobre a entrada do guitarrista na banda, o making-off do disco na Alemanha, a desastrosa tour de promoção e o final do grupo em 1976 estão presentes nesse especial, além de uma justa homenagem ao guitarrista falecido naquele mesmo ano.

Por que destacamos matérias antigas no Whiplash.Net?

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Poeira

5000 acessosGaragens dos Anos 605000 acessosPaul Kossoff - Dor transmitida através das cordas5000 acessosGrand Funk Railroad: A Maior Potência do Hard Norte-Americano5000 acessosBlack Sabbath: a passagem de Ian Gillan pela banda5000 acessosPower-Trios: o Hard é o gênero "onde o bicho mais pega"4271 acessosBlow By Blow - a baforada certeira de Beck5000 acessosIggy and the Stooges: Raw Power, a trilha sonora do fim do mundo5000 acessosIron Maiden: versões pesadas para clássicos do Rock3948 acessosResenha - Jethro Tull (Credicard Hall, São Paulo, 20/03/2004)5000 acessosMuscle of Love5000 acessosZZ Top: os sagrados primeiros álbuns alterados em estúdio5000 acessosLynyrd Skynyrd x Neil Young - Amigos ou inimigos?5000 acessosScorpions5000 acessosMountain - discografia comentada5000 acessosJerry Lee Lewis: o dia em que ele quase matou John Lennon5000 acessosThin Lizzy5000 acessosMassageie sua mente com este ácido orgasmo auditivo5000 acessosThe James Gang - A gangue encrenqueira do rock5000 acessosGeordie: A primeira banda do vocalista Brian Johnson5000 acessosDuane Allman: o auge do Derek And The Dominos5000 acessosOs 30 anos da morte de Marc Bolan5000 acessosKen Hensley: seguindo sonhos, como nos bons tempos5000 acessosLed Zeppelin no Brasil: sonho que pode se realizar3746 acessosFestivais Ao Ar Livre no Brasil que não aconteceram5000 acessosThe Who: Quinze minutos de fama no lugar de Keith Moon5000 acessosPoeira: Rockstars e as bandas que eles sonhavam fazer parte5000 acessosBon Scott, o eterno Rocker...5000 acessosBlind Faith: uma das capas mais polêmicas da história5000 acessosA jubilosa estréia do Moby Grape5000 acessosJethro Tull: a fúria de Ian Anderson pra cima do Led Zeppelin5000 acessosAC/DC: os últimos dias do vocalista Bon Scott5000 acessosBlack Sabbath: a "era 'Mob Rules'"0 acessosTodas as matérias sobre "Poeira"

0 acessosTodas as matérias da seção Matérias0 acessosTodas as matérias sobre "Poeira"0 acessosTodas as matérias sobre "Deep Purple"

A morte das grandes bandasA morte das grandes bandas
Vá a todo show grande que puder

RushRush
Um Adeus Aos Reis

MulheresMulheres
As bandas mais famosas em suas versões femininas

5000 acessosIron Maiden: versões pesadas para clássicos do Rock5000 acessosNightwish: CDs destruídos e ingressos de shows devolvidos5000 acessosMetallica: as 10 melhores músicas segundo a Loudwire5000 acessosDuff McKagan: gravadoras perderam oportunidade com Napster5000 acessosCláudia Leite: musa do Axé adora Led Zeppelin e Iron Maiden5000 acessosSepultura: Derrick fala em como foi difícil substituir Max

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

Mais comentários na Fanpage do site, no link abaixo:

Post de 14 de junho de 2015

Sobre Bento Araújo

Bento Araújo nasceu em 1976. É jornalista profissional e adora a música dos anos 60 e 70. É o editor chefe da Poeira Zine, a única publicação do país dedicada à música dos bons tempos. Lá ele escreve os textos, faz a diagramação, cuida da arte, do visual, faz 'a social' com os anunciantes, distribui, faz correio, banco, responde os e-mails e as cartas e também limpa o banheiro da redação... Além de tudo isso, o cara ainda tira uma onda tocando contra-baixo pela noite paulistana, além de vez ou outra fazer um 'bico' em alguma loja de discos em troca de raridades vinílicas... O Editor também oferece seus serviços jornalísticos e musicais a quem se interessar... (nada que uns bons dólares não possam resolver...)

Mais matérias de Bento Araújo no Whiplash.Net.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online