Venom: "Matar pessoas não é entretenimento"

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Por Thiago Guedes, Fonte: Blabbermouth, Tradução
Enviar correções  |  Comentários  | 

Em entrevista com Conrad "Cronos" Lant, realizada por Paul Travers do Suite 101, o frontman do VENOM fala, dentre outras coisas, sobre a influência sofrida pela cena Punk e a violência cometida na Noruega no início dos anos noventa, por integrantes de bandas que se diziam influenciadas pelo VENOM.

5000 acessosRock e Metal: 7 bandas/artistas que você pronuncia o nome errado5000 acessosOzzy x Sharon: conheça a mulher que supostamente causou a separação

Suite 101: O quão grande foi sobre você a influência da cena Punk que precedeu o NWOBHM?

Cronos: "O Punk foi bom para o Rock porque o Rock é para ser a música do demônio e um pouco irado e algo que seus pais não vão gostar. Esse era basicamente o novo Rock’n Roll".

Suite 101: Você estava consciente de que estava fazendo algo revolucionário na época ou isto surgiu acidentalmente?

Cronos: "Posso dizer que foram ambos. Quando as pessoas falam do VENOM criando todo aquele movimento Black Metal ou o que quer que seja, é um grande fardo a se carregar. É difícil chegar a uma conclusão pois sempre pensei que o VENOM era apenas um catalisador para o que viria a acontecer de qualquer forma. Com tantas bandas que estavam sendo cópias de todo mundo, fez muito sentido que houvesse uma p*** banda que soasse diferente. Porque eu sabia que eu não podia ser a única pessoa no planeta pensando do jeito que eu pensava. VENOM foi um catalisador para o que era inevitável e era necessário para o Rock pegar de volta toda aquela sujeira e para as pessoas falarem ‘foda-se essa enganação, a meia baixa e as presilhas, vamos ligar os amplificadores e pegar meleca e cuspir nisso’. Era difícil encontrarmos bandas quando começamos – queríamos tocar com bandas como METALLICA, SLAYER e EXODUS. Bandas que eram como a gente para cair na estrada eram muito poucas e distantes. Mas veja as coisas agora – são mega colossais. Eu acho que aquilo foi inevitável, além de ter sido uma saudável forma da música progredir”.

Suite 101: Como você se sentiu vendo as igrejas queimando e os assassinatos na Noruega no início do anos 90, por bandas que se diziam influenciadas pelo VENOM?

Cronos: “Você pode levar as coisas de todas as formas para outras áreas, porém a partir do instante em que eventos vão além da música, você está saindo do foco. Você sempre tem que ter a música como número um e sair matando pessoas não tem nada a ver com entretê-las. Você terminará numa cadeia e então não pode mais tocar. Infelizmente o que ocorreu foi uma série de eventos que saíram pela culatra, algo totalmente errado. Isso superou a música – se tornou algo que as pessoas queriam falar além da música em sí. Se você falar – do BURZUM ou do MAYHEM, fale uma de suas músicas, entendeu? Ou, além do cara que está na cadeia, fale dos outros membros da banda. Você estaria pressionando as pessoas a conhecer atualmente um pouco mais sobre eles – eles só sabem falar sobre as igrejas queimando e assassinatos”.

A entrevista completa (em inglês) está neste link.

Por que destacamos matérias antigas no Whiplash.Net?

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

Mais comentários na Fanpage do site, no link abaixo:

Post de 08 de julho de 2016

Rock e MetalRock e Metal
7 bandas/artistas que você pronuncia o nome errado

109 acessosEm 02/06/2014: Burzum lança o álbum "The Ways of Yore"0 acessosTodas as matérias e notícias sobre "Burzum"

BurzumBurzum
Varg é condenado por xenofobia e racismo na França

EuronymousEuronymous
O paradoxo do caos e da liberdade

O Diabo É O Pai Do RockO Diabo É O Pai Do Rock
A associação do gênero com o tinhoso

0 acessosTodas as matérias da seção Entrevistas0 acessosTodas as matérias sobre "Venom"0 acessosTodas as matérias sobre "Burzum"0 acessosTodas as matérias sobre "Mayhem"

Ozzy x SharonOzzy x Sharon
Conheça a mulher que supostamente causou a separação

Rachel SheherazadeRachel Sheherazade
Cantando Iron Maiden com o Ultraje A Rigor no The Noite

PanteraPantera
O surreal e constrangedor funeral de Dimebag Darrell

5000 acessosQ Magazine: As 100 Maiores Estrelas do Século XX5000 acessosPreços: quanto custa para contratar a sua banda favorita5000 acessosMônica Guedes: "seus heróis morreram de overdose, os meus morrem na estrada, trabalhando"5000 acessosFelipe Andreoli: louvado por homônimo do CQC no programa do Huck5000 acessosSepultura: Eloy mostra a que veio em drum-cam de "Propaganda"5000 acessosPantera: sem guitarras, com pianos, violinos, violoncelos

Sobre Thiago Guedes

Autor sem foto e/ou descrição cadastrados. Caso seja o autor e tenha dez ou mais matérias publicadas no Whiplash.Net, entre em contato enviando sua descrição e link de uma foto.

Mais matérias de Thiago Guedes no Whiplash.Net.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online