Amanda Somerville: "O metal não é apenas um gênero, e sim um estilo de vida!"

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Edilson Luiz Piassentini, Fonte: Rock N'Breja
Enviar correções  |  Ver Acessos

Simpática, humilde, grande compositora e instrumentista, a nossa nova entrevistada é a talentosíssima Amanda Somerville, que está sempre envolvida em vários projetos musicais.

Guns N' Roses: a família brasileira de Axl RoseGuitarristas: os sete mais influentes de todos os tempos

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Amanda ficou mais conhecida no mundo do metal através de sua participação no projeto Avantasia de Tobias Samet, porém é dona de uma carreira musical rica e bem conceituada.

Tivemos a oportunidade de conversar por e-mail com Amanda, que nos contou sobre o novo álbum de seu projeto Trillium e também sobre toda sua carreira em vários projetos que participa e participou.

Confira essa exclusiva entrevista com a simpática Amanda Somerville.

ROCK n' BREJA - Olá Amanda, antes de tudo gostaria de agradecer por essa entrevista. Sou muito fã dos seus trabalhos. Você está prestes a lançar o segundo álbum de seu projeto Trillium, que se chamará "Tectonic". O que pode nos contar sobre o álbum e quais as expectativas?

AMANDA SOMERVILLE - Olá e obrigada! No que se refere às expectativas, optei em não criá-las. Simplesmente dou o meu melhor em tudo o que faço, e deixo acontecer! O álbum acabou de sair e o retorno foi ótimo, o que é, claro, muito gratificante. Fico feliz em ouvir tanto feedback de meus próprios fãs de que eles estão amando as músicas. Sander e eu simplesmente queríamos escrever músicas boas e entregá-las com uma grande produção. Com o novo álbum, meu coração estava com energias positivas, o que resultou nesse álbum, diferente do clima melancólico apresentado em Alloy.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

ROCK N'BREJA - As faixas divulgadas "Shards" e "Time To Shine" que farão parte do álbum mostram uma linha mais melódica, com grandes arranjos de teclados e com belos refrões. Um clima diferente do que pode se ver no primeiro trabalho do Trillium, "Alloy". O álbum todo seguirá essa linha? E qual a principal diferença de "Tectonic" com o álbum anterior?

AMANDA SOMERVILLE - Você está certo. As coisas tendem a seguir essa linha. É claro que há alguns temas mais sombrios inserido em algumas partes do álbum, mas, no geral, ele tem uma imagem muito mais positiva do que Alloy, que por sua vez, tem muita agressividade e melancolia, até porque naquela época eu estava passando por uma grande reviravolta na minha vida e desde então mudei para um lugar muito melhor. "Tectonic" realmente representa isso. É também um álbum muito mais uniforme porque Sander e eu trabalhamos juntos do começo ao fim e tivemos toda a produção em nossas próprias mãos. Mesmo que as músicas sejam um pouco variadas (porque, musicalmente, sou simplesmente um pouco esquizofrênica e de múltipla personalidade), elas são muito mais uniformes e em harmonia umas com as outras.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

ROCK n' BREJA - Você é uma grande artista, e participa de inúmeros projetos, sempre com grandes performances e figurando sempre no metal ou na cena pop. Como surgiu sua paixão pela música e quais foram as suas principais influências e que gosta de acompanhar no meio musical nos dias de hoje? E como é conciliar a agenda para cada projeto que participa e qual o segredo para sempre manter um alto nível de excelência em todos?

AMANDA SOMERVILLE - Uau, essa é uma pergunta muito intensa! Vamos lá.

- Pt I: Eu nasci em uma família musicalmente talentosa e musicalmente ativa, então fazer e tocar música era realmente um estilo de vida. Meus pais foram enormes influências para mim, assim como minha avó paterna. Ela me ensinou bastante a ler música e tocar piano de maneira clássica, e não apenas tocar de ouvido, no qual eu estava fazendo muito, de qualquer maneira. Eu também tive uma professora de música maravilhosa em toda a escola chamada Sra. Pierce, que reconheceu o meu talento e fez muito para promover isso em mim. Eu escutei muitas músicas dos anos 50, 60 e 70, especialmente Motown, e também um pouco de música folclórica, porque era nisso que meu pai realmente gostava e se apresentava. Então, você vê, eu não venho de uma raiz de metal, apesar de minha mãe ser uma grande fã do Sabbath!

- Pt. II: Eu sempre busco me influenciar em grandes artistas femininas que buscam fazer muito, se não de tudo. Eu acho que Emilie Autumn é minha preferida.

- Pt. III: É frustrante às vezes você ter que voltar atrás nas coisas que está fazendo sozinho, (como meu álbum solo que estou sendo trabalhado há um bom tempo). Sempre surgem coisas novas no meu caminho e exigem uma certa mudança de prioridade. Honestamente isso é um problema de luxo rsrs. Ultimamente tenho recusado muitos pedidos porque estou muito ocupada!

- Pt. IV: Como mencionei, eu não gosto de largar as coisas no meio do caminho, então é essencial para dar tudo no que faço no certo momento; esforço, energia, emoção. Manter um alto nível de excelência não é algo que eu apenas tento, isso é essencial!

ROCK n' BREJA - Um de seus grandes trabalhos na minha opinião é o álbum "Windows" de sua carreira solo, que apresenta um lado mais pop. Pretende futuramente lançar mais trabalhos como "Windows" como carreira solo e quais as lembranças tem do processo de criação desse álbum?

AMANDA SOMERVILLE - Claro que sim. É uma coisa que estou trabalhando há anos hahaha! As pessoas que sabem que eu não comecei como uma "garota metal" tendem a pensar em algo diferente, mas isso está completamente errado. Adicionei o metal às minhas muitas facetas como músico e como pessoa. Porque, vamos lá, o metal não é apenas um gênero, e sim um estilo de vida! Eu adorei e muito criar o "Windows", por mais casual que fosse. Também foi feito em pedaços, então eu gostaria que meu novo álbum solo, que será chamado "Conformity Challenged", fosse muito mais homogêneo. O álbum se chamará "Conformity Challenged" por um bom motivo, então me desejem sorte!

ROCK n' BREJA - Outro projeto seu de grande destaque é o Kiske/Somerville, uma bela parceria sua com o grande vocalista Michael Kiske. Como surgiu a ideia do projeto que já rendeu dois ótimos álbuns, "Kiske/Somerville" (2010) e "City of Heroes" (2015). Como tem sido a repercussão por parte dos fãs e já estão trabalho em um novo álbum do projeto?

AMANDA SOMERVILLE - Nós temos alguns fãs incríveis e dedicados! Nosso último lançamento, "City Of Heroes", foi muito bem recebido. As pessoas geralmente gostaram mais do que o álbum de estreia, o que foi ótimo. Eu acho que há uma boa chance de um terceiro álbum em breve!

ROCK n' BREJA - Claro que não poderia deixar de lado um dos maiores projetos que você participa, o magnífico Avantasia de Tobias Samet. Recentemente foi anunciado por Tob que o Avantasia está gravando seu novo álbum, que se chamará Moonglow, e também uma nova turnê em 2019. O que pode nos contar de novidade sobre o Avantasia, e qual a sua contribuição na parte de composição do projeto? E como é o convívio e uma turnê com o Avantasia, principalmente por estar ao lado de grandes nomes do cenário mundial como Sascha Paeth, Oliver Hartmann, Jorn Lande, Bob Catley, Eric Martin entre outros?

AMANDA SOMERVILLE - O Avantasia é muito divertido de participar e estou muito feliz por ter tido tanto sucesso desde que começamos a turnê em 2008. Eu amo todos esses caras e é muito emocionante tocar com músicos incríveis todas as noites. Eu não posso dizer muito sobre o novo álbum: essa pergunta seria melhor respondida pelo Tobi rsrsr!

ROCK n' BREJA - Atualmente você está em turnê com o mais novo projeto, que estão chamando de super grupo feminino do metal, o Exit Eden. Como surgiu a ideia do projeto, principalmente pela escolha das vocalistas, que além de você, conta Clémentine Delauney (Visions Of Atlantis), Anna Brunner e a brasileira Marina La Torraca (Phantom Elite)?

AMANDA SOMERVILLE - Bem, na verdade não estou em nenhuma turnê no momento! O Exit Eden foi apenas uma daquelas coisas que eu amo na indústria da música: começou como um pequeno trabalho paralelo que se transformou em um projeto bastante grande e que agora é uma parte bastante significativa da minha carreira!

ROCK n' BREJA - O primeiro álbum lançado, "Rhapsodies in Black", traz uma proposta muito interessante, com covers de artistas do mundo pop, tais como Adele, Back Street Boys, Rihanna, entre outros, em versões heavy-metal. Qual foi o processo de escolha das músicas e todos os arranjos? E pretendem trabalhar, ou já estão trabalhando em algum álbum com composições próprias?

AMANDA SOMERVILLE - Já temos o segundo álbum em andamento. O processo de seleção de músicas varia, mas temos trocado muitas ideias e algumas acabaram sendo trabalhadas no momento! Desculpe, não posso dar spoilers hahaha!

ROCK n' BREJA - Como mencionado, o Exit Eden está em turnê. Podemos ter uma passagem da banda aqui pelo Brasil? E além do Exit Eden, podemos ver algum outro de seu projeto por aqui, como o próprio Trillium ou o Kiske/Somerville?

AMANDA SOMERVILLE - Haha! Bem, como eu disse, eu não estou em turnê e não há nenhuma turnê do Exit Eden atualmente! Espero ir ao Brasil com Trillium e Exit Eden em breve!

ROCK n' BREJA - Você tem uma coisa que acho essencial na carreira de um artista, e que o torna especial, que é a sua interação com os seus fãs, seja pessoalmente, ou por meio de vídeos através das redes sociais. Tanto que você mesmo nomeou seus fãs como "Somervillains". E essa sua interação ocorre de forma natural e não soa forçada. O quanto isso é importante para um artista, e acredita que essa proximidade com os fãs inspira mais ainda o artista a sempre criar grandes trabalhos?

AMANDA SOMERVILLE - Sim, acredito muito nessa interação, até porque é isso que nos torna ainda mais especial como artista: ter pessoas que realmente se importam com o nosso trabalho! Criar um relacionamento ajuda e muito em todos os lados e, como minhas músicas são muito pessoais, isso me ajuda a superar a sensação de que preciso manter as coisas sempre boas para mim, mesmo sabendo que estou levando alegria para outra pessoa.

ROCK n' BREJA - Amanda, mais uma vez agradeço pela simpatia em nos atender. Deixe um recado para os nossos seguidores e para os seus fãs aqui do Brasil. Sucesso sempre! Abraços.

AMANDA SOMERVILLE - Obrigada! Não posso esperar por voltar ao Brasil logo. Espero que seja em breve! O país e as pessoas maravilhosas, calorosas e acolhedoras.

Comente: Qual seu trabalho preferido com a Amanda?




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção EntrevistasTodas as matérias sobre "Amanda Somerville"Todas as matérias sobre "Avantasia"Todas as matérias sobre "Exit Eden"


Pra ouvir e discutir: os melhores discos lançados em 2001Pra ouvir e discutir
Os melhores discos lançados em 2001

Avantasia: Tobias Sammet se derrete por Hansi KürschAvantasia
Tobias Sammet se derrete por Hansi Kürsch


Guns N' Roses: a família brasileira de Axl RoseGuns N' Roses
A família brasileira de Axl Rose

Guitarristas: os sete mais influentes de todos os temposGuitarristas
Os sete mais influentes de todos os tempos


Sobre Edilson Luiz Piassentini

Amante do metal desde os 13 anos de idade, fã indiscutível de King Diamond e Mercyful Fate, e também um grande apreciador das cervejas estilo Weiss e um dos editores do site Rock N'Breja! Rock e Cerveja, a combinação perfeita.

Mais matérias de Edilson Luiz Piassentini no Whiplash.Net.

Goo336x280 GooAdapHor Goo336x280 Cli336x280