Saxon: eu vaiei e entrevistei Biff Byford

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Leonardo Daniel Tavares da Silva
Enviar correções  |  Ver Acessos

Eu já vaiei Biff Byford.

Vaiei sim.

Na primeira (e, até agora, única) apresentação do SAXON em Fortaleza, Peter Rodney Byford pegou uma bandeira do Fortaleza, um dos dois maiores times do Ceará, e a levantou. Para que?

"Entretanto, tanta cortesia não evitou que Biff fosse vaiado no início do show. Isso mesmo. Vaiado. Tentando interagir com a plateia, Biff levantou uma bandeira do Fortaleza, time cearense que hoje disputa a terceira divisão do campeonato brasileiro, e iria com ela envolver a bateria de Nigel Glockler. Alguém da produção deveria tê-lo alertado sobre a rivalidade extrema entre os torcedores de Fortaleza e Ceará, pois, nesse momento, boa parte da plateia não hesitou em vaiá-lo ou gritar o nome do grande rival até que ele soltasse a bandeira. Eu estava lá, vaiando. Ele, educado como sempre, após compreender o motivo da algazarra, levou na esportiva (com o perdão do trocadilho)".

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Foi o que eu disse em minha resenha na época (a primeira da minha carreira). Confira no link abaixo, mas só depois de ler a entrevista que conseguimos com o líder da banda que também conta com os guitarristas Paul Quinn e Doug Scarratt, o baixista Nibbs Carter e o baterista Nigel Glockler. Claro que nesta entrevista, nosso primeiro contato pessoal com Biff depois do show em 2011, relembramos o fatídico episódio (do qual eu não estou bem certo se tenho vergonha ou se me orgulho), mas também falamos e perguntamos tanto sobre diversos outros assuntos que o inglês de grossas sobrancelhas mal conseguia responder. Falamos até do Barcelos, o maior fã de SAXON do Brasil (tanto que carrega o nome da banda no apelido pelo qual é conhecido). SAXON é SAXON, ora bolas.

Saxon: Fortaleza finalmente começa a receber grandes bandasSaxon
Fortaleza finalmente começa a receber grandes bandas

Diego Câmara
Diego Câmara

Daniel Tavares: Eu costumo perguntar aos artistas o que o público pode esperar de seus shows no Brasil. Eu não vou te perguntar isso porque sabemos de antemão que, similar ao show no Tropical Butantã em 2018, estes serão um dos melhores shows do ano. Dito isto, há algo que você ainda gostaria de acrescentar sobre os shows em Porto Alegre, Rio de Janeiro e São Paulo?

Biff Byford: Estamos ansiosos para tocar nos shows. É a primeira vez que tocamos no Rio.

Nota. Este show eu também resenhei. Confira no link abaixo.

Daniel Tavares: Estando aqui pela sétima vez, é esperado que você já saiba muito sobre o Brasil e sobre nós, brasileiros. O que você mais gosta no nosso país e no nosso povo?

Biff Byford: Pessoas muito amigáveis e fãs de rock totalmente comprometidos que dão 100%

Daniel Tavares: A propósito, obrigado pela homenagem a Ayrton Senna em "Warriors of the road", do Sacrifice.

Biff Byford: A canção é definitivamente inspirada pelo Senna. Eu sou um grande fã de F1.

Daniel Tavares: Além de "Sacrifice", o SAXON lançou nos últimos anos "Battering Ram" e "Thunderbolt". Todos estes sempre alcançam as paradas e listas dos melhores álbuns de Heavy Metal dos anos em que eles saem. Como vocês mantem o ritmo e nos entregam um material tão bom em menos tempo do que outras bandas que saíram da cena da NWOBHM como você? Você acha que a pressão sobre você é menor do que, digamos, bandas como IRON MAIDEN, e isso ajuda a compor e gravar em uma menor quantidade de tempo?

Biff Byford: Não, eu sou totalmente focado em escrever e gravar música. Eu gosto da pressão.

Daniel Tavares: E como estão os planos para o sucessor de um Thunderbolt? O que você acha que você vai falar neste álbum?

Biff Byford: Nós começamos a escrever o próximo álbum este ano.

Daniel Tavares: Você, Biff Byford, também está gravando um álbum solo. O que podemos esperar desse álbum? Quais são os principais assuntos com os quais você lidará em seu álbum solo? Você terá convidados especiais ou outros membros do SAXON participando? E, finalmente, mas não menos importante, o que você acha que fará a diferença e fará uma música reconhecível como uma música do Biff Byford e não uma música do SAXON?

Biff Byford: O álbum solo será uma mistura de estilos que eu gosto: metal, rock progressivo. A maioria das letras também fala sobre assuntos próximos a mim, história, ficção científica, amor, vida.

Daniel Tavares: O SAXON tem a águia, o cruzado, o 747, mas não tem um mascote como o Eddie do IRON MAIDEN ou o Snaggletooth do MOTORHEAD. Você já pensou sobre isso? Se você tivesse um, como ele se pareceria?

Biff Byford: A águia é a mascote!!?

Daniel Tavares: Falando sobre a MOTORHEAD, você encontrou Lemmy muitas vezes na estrada, você o teve participando de "I've Got To Rock" com você, você prestou uma homenagem a ele e seus companheiros em "They Played Rock And Roll", mas ele se foi. Muitas bandas estão se despedindo, enquanto seus membros se aposentando ou morrendo. A KROKUS, que vai tocar com você na Inglaterra é outra banda que está saindo de cena este ano. Embora esperamos que a SAXON tenha algumas décadas à frente, dentre as novas bandas, qual delas você acha que vai manter o legado das bandas MOTORHEAD, KROKUS e todas as NWOBHM?

Biff Byford: Eu realmente não sei, vou dizer que é preciso mais do que um truque para durar mais de 40 anos.

Daniel Tavares: Especialmente Greta Van Fleet. Os moleques estão em alguma lista de novas bandas boas para ouvir?

Biff Byford: NAKED SIX.

N.T. O esperto Biff Byford mencionou a banda de seu filho, Seb Byford (guitarra e vocais), com Callum Witts no baixo e Tom Witts na bateria. Mas, longe de qualquer nepotismo, esses moleques fazem também um som bem consistente (e sem hype).

Spotify:
https://open.spotify.com/embed/artist/4EtnYiNLxQmnbAACVYiltu...

Daniel Tavares: E sobre o chamado NWOTHM, New Wave of Traditional Heavy Metal, bandas como SKULL FIST, CAULDRON, ENFORCER?

Biff Byford: Todas grandes bandas.

Daniel Tavares: Quando você tocou em Fortaleza (onde eu moro) em 2011, você foi vaiado por parte do público. Você levantou uma bandeira de um dos nossos dois times de futebol, Fortaleza, e os torcedores do outro time, o Ceará, vaiaram você (confesso que eu era um deles). Percebemos que, no primeiro momento, você ficou bastante surpreso com a nossa reação, mas notou que estávamos nos divertindo juntos. Já faz algum tempo, mas você ainda se lembra desse fato?

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Biff Byford: Eu gosto de usar a rivalidade de times de futebol. As vezes é muito divertido. Eu faço isso em todo o mundo.

Daniel Tavares: Você pode ter lido nos jornais que, recentemente, Roger Waters [PINK FLOYD] também foi vaiado. Mas isso não foi amigável como com você. Você acha que os artistas deveriam tentar interferir na política local onde eles tocam? Qual a sua opinião sobre isso?

Biff Byford: Aí é com eles. Eu não me envolvo em política fora do Reino Unido. Eu não tenho conhecimento suficiente dos sentimentos locais.

Daniel Tavares: Eu tenho uma pergunta de um grande fã de vocês, um cara tão viciado em sua música que o conhecemos como Barcelos Saxon. Ele pergunta por que vocês nunca lançaram oficialmente um DVD com o conteúdo do Vhs/Laser Disc SAXON Live 83, da tour Power and the Glory. Existe algum plano para lançar este material no futuro?

Biff Byford: Estamos sempre à procura de novos produtos.

Daniel Tavares: Você pode se lembrar do Barcelos Saxon também pela jaqueta com patches que você usou no ano passado em São Paulo. [Nota: em dado momento no show de 2018, Biff pegou o colete de Barcelos e cantou com ele] Era dele. Como você compara a juventude de hoje com os caras "Denim and Leather", como ainda é o Barcelos? Os roqueiros de hoje ainda se encaixam nas letras de "Denim and Leather"?

Biff Byford: Eu acho que se encaixa totalmente. Música é atemporal.

Daniel Tavares: Vocês anunciaram a "Castles & Eagles UK Tour" comemorativa de 40 anos e o "The Eagle Has Landed 40 Live Album". Que mais novidades você pode nos dar sobre isso?

Biff Byford: Estes são shows especiais com enorme produção, por isso devem ser ótimos

Daniel Tavares: Por fim, ficamos assustados no ano passado com o acidente que Nigel Glocker teve com seu cachorro. Está tudo bem com ele agora? [Nota: o baterista Nigel Glocker quase perdeu o nariz ao ser mordido pelo seu próprio cachorro]

Biff Byford: Nigel está bem, mas o cachorro morreu.

Daniel Tavares: Para terminar esta longa entrevista (desculpe pelo comprimento, mas vocês são o SAXON, uma das minhas bandas favoritas). Gostaria de enviar uma mensagem para todos os seus fãs brasileiros do SAXON?

Biff Byford: Mantenha a fé e nunca se renda.

O SAXON já iniciou a sua turnê latino-americana e chega ao Brasil em 13 de março para show no Opinião, em Porto Alegre. De lá vai ao Rio de Janeiro apresentar-se em 15 de março, no Vivo Rio. E para encerrar a turnê, mais uma vez o Tropical Butantã vai estar lotado até a tampa de headbangers em 16 de março na capital paulista.




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção EntrevistasTodas as matérias sobre "Saxon"Todas as matérias sobre "Biff Byford"


Saxon: por que não cresceram como o Iron Maiden? Biff Byford opinaSaxon
Por que não cresceram como o Iron Maiden? Biff Byford opina

Heavy Metal: os dez melhores álbuns lançados em 1980Heavy Metal
Os dez melhores álbuns lançados em 1980


Metallica: ouça apenas o baixo de Cliff Burton em clássicosMetallica
Ouça apenas o baixo de Cliff Burton em clássicos

AC/DC: A origem do nome da bandaAC/DC
A origem do nome da banda


Sobre Leonardo Daniel Tavares da Silva

Daniel Tavares nasceu quando as melhores bandas estavam sobre a Terra (os anos 70), não sabe tocar nenhum instrumento (com exceção de batucar os dedos na mesa do computador ou os pés no chão) e nem sabe que a próxima nota depois do Dó é o Ré, mas é consumidor voraz de música desde quando o cão era menino. Quando adolescente, voltava a pé da escola, economizando o dinheiro para comprar fitas e gravar nelas os seus discos favoritos de metal. Aprendeu a falar inglês pra saber o que o Axl Rose dizia quando sua banda era boa. Gosta de falar dos discos que escuta e procura em seus textos apoiar a cena musical de Fortaleza, cidade onde mora. É apaixonado pela Sílvia Amora (com quem casou após levar fora dela por 13 anos) e pai do João Daniel, de 1 ano (que gosta de dormir ouvindo Iron Maiden).

Mais matérias de Leonardo Daniel Tavares da Silva no Whiplash.Net.

Goo336x280 GooAdapHor Goo336x280