Regurgimentação Necrovaginal Sangrenta: Grind/Gore bem produzido

Resenha - Regurgimentação Necrovaginal - Regurgimentação Necrovaginal Sangrenta

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Vitor Franceschini
Enviar Correções  

publicidade

8


Banda nova, formada no ano passado e que divulga seu primeiro material, o Regurgimentação Necrovaginal Sangrenta de cara serve como exemplo para muitas bandas que apostam no segmento Death Metal, Grindcore, Gore, Splatter: a qualidade da gravação.

New York Times: os 100 melhores covers de todos os temposAnos 80: bandas nacionais que o tempo esqueceu

Muitas bandas do segmento confundem ‘podreira’ com má qualidade na captação sonora e acabam fazendo um trabalho bem abaixo da média nessa parte. Coisa que o RNS faz ao contrário, mérito do produtor André Diniz do Elite Estúdio.

Falando da sonoridade, a banda investe na mescla do Death Metal com o Splatter/Gore e se sai bem, pois além de saber muito bem o território aonde pisa, o quarteto dosa sua técnica gerando quatro composições objetivas e de qualidade. Podridão, peso e brutalidade caminham lado a lado.

O primeiro destaque é para a variação vocal que a banda optou em utilizar. Além dos típicos vocais ‘gore’ com efeitos, há os tradicionais guturais do Death Metal, ‘pig squeals’, além dos ‘backings’ rasgados de todos os integrantes. Isso deu uma versatilidade importantíssima à banda.

A escolha dos timbres da guitarra e a elaboração das linhas da cozinha deram um peso extra às músicas, sendo mais um dos pontos positivos do grupo. Injusto destacar apenas uma faixa, já que todas possuem adjetivos distintos, tanto na qualidade quanto na variação rítmica. Um bom trabalho e diferenciado.

https://www.facebook.com/Regurgimentacao?fref=ts



Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


New York Times: os 100 melhores covers de todos os temposNew York Times
Os 100 melhores covers de todos os tempos

Anos 80: bandas nacionais que o tempo esqueceuAnos 80
Bandas nacionais que o tempo esqueceu


Sobre Vitor Franceschini

Jornalista graduado tem como principal base escrever sobre Rock e Metal, sua grande paixão. Ex-editor do finado Goredeath Zine, atual comandante do blog Arte Metal, além de colaborador de diversos veículos do underground.

Mais matérias de Vitor Franceschini no Whiplash.Net.

adWhipDin adWhipDin