Brian Jones: as gaitas de Pan no festival de Joujouka

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Por Aline Luz, Fonte: Joujouka.org
Enviar correções  |  Comentários  | 

Misticismo, experiencias e descobertas de um europeu famoso na África.

242 acessosRolling Stones: novo DVD sai em setembro5000 acessosHeavy Metal: os dez melhores álbuns lançados em 1985

Em 1968, BRIAN JONES viajou ao Marrocos para assistir ao JouJouka Festival, que acontece na vila de JouJouka em Ksar-el-Keber.

Introduzido na vila por Mohamed Hamri, um artista marroquino que começou a promover o festival entre os poetas da Beat Generation, BRIAN JONES acabou gravando um disco: "The Pipes Of Pan At JouJouka" (As gaitas de Pan em JouJouka), que foi lançado em 1971, dois anos após sua morte.


O festival de Joujouka é um evento tradicional e religioso, que acontece todos os anos e celebra os ritos Sufis (o Sufismo é um ramo místico do Islamismo).

Em 1968 houve uma celebração dedicada à figura de Boujeloud, um mito sufi, que foi identificado por William S. Burroughs e Brion Gysin como uma versão de Pan, deus grego da música.

William S. Burroughs e Brion Gysin (o primeiro foi um famoso escritor norte-americano e ícone Beatnik, o segundo um pintor inglês surrealista e criador da escultura cinética "Dream Machines"), estão entre as primeiras celebridades a conheceram o festival de JouJouka. Eles foram até lá também por intermédio do pintor marroquino (e nativo da vila) Mohamed Hamri.

Brion Gysin conheceu Mohamed Hamri durante a época em que viveu em Tangêr, uma cidade paradisíaca na costa norte do Marrocos. Gysin era um artista interessado em culturas não-européias, religiões antigas, religiões orientais e misticismo. Depois de conhecer a vila de Joujouka, resolve abrir um restaurante em Tânger, chamado "1001 Nights", em parceria com Mohamed Hamri. Por lá comparecem William S. Burroughs e, mais tarde, Brian Jones, que estava de passagem com os ROLLING STONES em Tânger, no ano de 1967. Brian Jones acabou retornando no ano seguinte.

A música tocada no festival da vila de Joujouka inclui tambores, gaitas e vozes ritmadas, numa pulsação que dura horas e que leva ao transe. Os músicos que a executam são conhecidos como Masters Musicians of JouJouka (mestres músicos de JouJouka). São todos Sufis e a banda é uma tradição herdada de pai para filho.

Após a ida de BRIAN JONES ao festival, este passou a ser frequentado por muitas celebridades, e continua até hoje. Visitar a vila hoje em dia é possível, porém muito mais difícil: é preciso uma autorização e são permitidas poucas pessoas por vez, para que assim o festival possa continuar sendo experimentado com naturalidade e seriedade.

O registro sonoro obtido por BRIAN JONES contém apenas uma amostra muito pequena do que é o festival ao vivo. O disco dura cerca de 30 minutos, mas cada faixa durou na verdade entre 3 e 4 horas. Segundo fontes, o plano inicial de Brian era utilizar as gravações como possíveis samplers para músicas dos ROLLING STONES.

Blog oficial do Joujouka Festival:
http://brianjonesjoujoukafestival.blogspot.com.br/

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

Mais comentários na Fanpage do site, no link abaixo:

Post de 28 de setembro de 2012

Rolling StonesRolling Stones
Livro, novo álbum e documentário em breve

242 acessosRolling Stones: novo DVD sai em setembro579 acessosRolling Stones: banda planeja 1° disco de inéditas desde 2005788 acessosMick Jagger: divulgada a capa do novo single "Gotta Get A Grip"1544 acessosRock: gênero é um trintão decadente, segundo Spotify264 acessosAlta Fidelidade: os Stones percorrem a América Latina em doc0 acessosTodas as matérias e notícias sobre "Rolling Stones"

Rolling StonesRolling Stones
Em 1968, nas pegadas da banda no interior do Brasil

CuriosidadesCuriosidades
Sexo bizarro, drogas, mortes e outros boatos

Super BowlSuper Bowl
Quando as guitarras fizeram touchdown

0 acessosTodas as matérias da seção Matérias0 acessosTodas as matérias sobre "Rolling Stones"

Heavy MetalHeavy Metal
Os dez melhores álbuns lançados no ano de 1985

RockstarsRockstars
As filhas mais lindas dos astros do rock

Heavy MetalHeavy Metal
Os dez melhores álbuns lançados no ano de 1986

5000 acessosBizarro & Absurdo: 12 Tristes Realidades da Música5000 acessosIron Maiden: o passado vergonhoso registrado em fotos5000 acessosBruce Dickinson: foi difícil evitar as drogas durante tours5000 acessosSolos de guitarra: os 100 melhores segundo a Classic Rock Magazine5000 acessosMulheres: 10 músicas que ajudarão a conquistá-las5000 acessosIron Maiden: Aquiles Priester fala de sua obsessão por "Somewhere In Time"

Sobre Aline Luz

Formada em Artes Visuais e fã dos Rolling Stones desde criança. Ama o rock psicodélico em todas as suas variantes, a contracultura e quase tudo o que se refira aos anos 60, além do rock como um todo.

Mais matérias de Aline Luz no Whiplash.Net.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online