Judas Priest: Análise vocal de Rob Halford

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Danilo F. Nascimento
Enviar correções  |  Ver Acessos

Robert John Arthur Halford, popularmente conhecido como Rob Halford, ou ainda "Metal God", nasceu dia 25 de agosto de 1951 em Sutton Coldfield (ENG), e é vocalista do Judas Priest, um dos maiores expoentes do heavy metal mundial.

Bateristas: Os 30 melhores de todos os temposPlágio ou coincidência: trechos semelhantes no rock/metal

Classificação vocal:

Timbre: Baixo-tenor
Alcance vocal: C2-C♯6

Há controvérsias no que tange a classificação do timbre de Halford. Embora a maioria dos professores e veículos de comunicação especializados em música o classifique como tenor, há professores que o considera barítono. Como o argumento de que, embora seja barítono, Halford consegue manipular a sua voz para alcançar notas pertinentes à um contra-tenor, pois segundos eles, o mesmo não possuí uma coloratura vocal específica. Outro argumento utilizado é a voz falada de Rob, que apresenta traços barítonos. Estes profissionais defendem que Rob é barítono, mas manipula seu timbre para parecer tenor em virtude de possuir uma grande variedade de "cores" em sua voz.

A classificação vocal de uma pessoa é concebida através de testes vocais realizados com profissionais capacitados, sendo que estes testes conferem a tessitura da pessoa, ou seja, o "tamanho" da voz - número de notas (altura) que a pessoa consegue atingir, do mais grave ao mais agudo.

Vale a pena frisar que isto é genético, herdamos dos nossos pais, pois a "cor" da voz depende do tamanho de nossas pregas vocais, ou músculos vocais, como preferirem.

A voz masculina altera-se algumas vezes ao longo da vida, sendo que a última vez ocorre entre os 35 e 50 anos, variando de caso à caso. É um evento fisiológico, entretanto, os traços permanecem os mesmos.

Sobre os agudos atingidos por Rob Halford, isto ocorre quando nossas pregas vocais se esticam, em contrapartida, a utilização de cigarros e álcool (o que não aparenta ser o caso de Rob, é apenas um adendo) deixa as pregas vocais mais frouxas, ou seja, a voz torna-se mais grave.

Halford interessou-se, precocemente, pela música e pelo rock n' roll tendo passado por inúmeras bandas em sua adolescência, dentre as quais, podem ser citadas a Atenas Wood, a Abraxas, a Thark e a Hiroshima.

As maiores influências vocais de Rob Halford são Arthur Brown, Janis Joplin, Lemmy, Robert Plant, David Bowie, Roger Daltrey, Freddie Mercury, Peter Hammill, Ian Anderson e Ian Gillan.

Mas a música ainda não proporcionava estabilidade financeira, e o jovem precisava trabalhar para pagar os ensaios de suas bandas. O emprego mais longevo de Halford foi como gerente em um cinema local.

E este viria a ser o seu último emprego, já que em 1973 Halford fora convidado por K.K.Downing para integrar a banda Judas Priest, na qual Rob viria à ser nomeado co-fundador.

O convite surgiu de forma inesperada, já que a namorada de K.K.Downing foi a responsável por apresentar Halford à ele, e o resto da história, todos conhecem, o Judas Priest tornou-se onipresente e é considerada umas das maiores bandas da história do heavy metal.

E Rob Halford não é apenas um grande vocalista, e sim um musicista completo. Ele é multi-instrumentista, e entre os instrumentos que domina, podem ser citados a guitarra, o baixo, a bateria, o piano e a gaita.


Embora Halford nunca escondesse que a sua grande paixão era cantar, ele queria certificar-se de que poderia contribuir com ideias para composições em outros instrumentos, por isto, fez questão de tornar-se multi-instrumentista, tendo começado com a gaita ainda na infância.

Quanto ao seu poderio vocal, Halford nunca mencionou ter tido aulas formalmente com um professor de canto, entretanto, ratificou que sempre cuidou de sua voz, por meio de auxílio de fonoaudiólogos, as consultas fonoaudiólogas realmente eram positivas, pois permitiam que Rob conhecesse melhor a própria voz, através de exercícios que lhe permitiam uma respiração diafragmática correta, proporcionado-lhe apoio e sustentação para notas altas, bem como controle e conhecimento no que concerne os limites de sua voz.

Halford, naturalmente, já possui uma voz privilegiada, e um estupendo alcance vocal, que lhe permite transitar confortavelmente entre médios, graves e agudos.

Ao longo dos anos Halford adquiriu um grande leque de técnicas vocais, dentre as quais podemos citar o belcanto, o half belting (voz mista com predominância de CT) em região médio-aguda (considerando a mecânica própria do esquema vocal em questão), com drives false chords e drives de epiglote.

Conceitos e termos acima são de cortesia do treinador vocal Ariel Coelho. Para mais informações:
http://www.arielcoelho.com.br/analises-vocais/

Aliado à este conjunto de técnicas, Halford possuí outro ponto preponderante, e que influencia consideravelmente no se desempenho. Trata-se da sua impostação e, principalmente, da sua interpretação, sim, não basta cantar, têm que interpretar, têm que transmitir ao ouvinte exatamente o mesmo sentimento que você está sentindo ao cantar uma canção. Isto separa os grandes cantores de cantores medíocres.

É como tocar guitarra, muitos guitarristas possuem técnica, mas poucos conseguem transmitir e transparecer doses cavalares de feeling para o ouvinte.

Certa vez, a voz de Rob Halford fora analisada pela professora de cantor lírico Claudia Friedlander, que embora tenha admitido previamente que não conhecia absolutamente nada de heavy metal, se dispôs a analisar o poderio vocal de Halford.

A canção escolhida para análise foi a "Dreamer Deceiver & Deceiver".

Confira na íntegra a impressão de Claudia sobre Halford:

"Este cara é super talentoso e é o único cantor de metal no qual realmente gostaria de pôr as mãos. Ele demonstra várias técnicas loucas, mas elas não estão bem integradas. Isto não importa muito, porque ele é muito comprometido, expressivo e musical, mas eu poderia ajudá-lo a fazer melhor e mais facilmente.

Este cantor possui um fabuloso espectro de cores e efeitos vocais para escolher. Sua dicção é fácil de entender e seu fraseado é lindo. Ele começa em um tom tão alto, bonito e ressonante, que me surpreendi ao escutar o quão baixa sua voz verdadeira é quando ele começa a cantar desta forma. Claramente ele canta, de alguma forma, com a laringe elevada quando começa a parte alta, e mais tarde na canção, quando ele muda para um canto mais estridente ou um grito, você nota que sua laringe está numa posição muito mais alta novamente. Os tons altos e os gritos são ótimos, mas eu acho que seria mais impactante se ele dominasse uma técnica vocal que lhe permitisse integrar melhor todas as coisas que ele faz tão bem, primeiramente com o objetivo de incorporar a profundidade e a ressonância de sua natural voz baixa às partes mais altas. Ele é o único dos cinco que eu realmente gostaria que viesse visitar meu estúdio em algum momento."

Em 2009, Halford concedeu entrevista exclusiva à Blogcritics Magazine, onde falou um pouco sobre a sua voz:

Blogcritics: Sua voz tem se mantido incrivelmente boa por todos esses anos. O que desafia você nesta altura da vida como cantor? E como você compara suas habilidades vocais de hoje com sua voz de 10-20 anos atrás?

Halford: "É obviamente diferente, os desafios físicos de envelhecer aparecem. Eu ouço o que fiz em 'Nostradamus' e me sinto realmente bem com o resultado. Robert Plant disse recentemente: 'Eu queria não ter gritado tanto nos primeiros tempos de LED ZEPPELIN. As pessoas querem que eu repita aquilo agora, 40 anos mais tarde, e eu não consigo'. E isso é um fato da vida, você sabe. Veja, quando você vai fazer um show, tem que fazer ajustes sutis de tons para conseguir levar a música. Mas tudo é possível de ser feito. Eu não me preocupo tanto com isso. Ainda consigo mandar muito bem, pois me preparei para isto".

Ao portal Loudwire, Halford falou um pouco sobre à sua aversão ao vocal gutural:

Loudwire: Rob, tem sido mencionado que você é um dos vocalistas mais talentosos na música. Que outros cantores você acha que são talentosos?

Halford: Obviamente pessoas que conheço, como meus amigos Robert Plant, David Coverdale e Roger Daltrey. Pessoas do meu próprio mundo e que cresceram no mundo da música como David Bowie e Freddie Mercury. Mais recentemente, Corey (Taylor) do SLIPKNOT tem uma grande voz, claro, isto quando ele não está fazendo aquela coisa (Halford então imita um vocal gutural). A cantora do STAIND (Aaron Lewis), Phil (Anselmo), quando ele cantava no PANTERA - principalmente no álbum "Cowboys From Hell" - grande voz ele tinah. Mas vocais mudam, não é mesmo? Ouça os caras do LINKIN PARK. É engraçado porque você ouve um monte de bons cantores agora, mas você normalmente vê dois cantores ou um cantor fazendo duas coisas. Eles cantam com uma voz muito doce e melódica, em seguida, eles vão para o que chamamos de "voz de cachorro" (nota do autor: voz gutural)- e isso não é depreciativo. Eles cantam muito melodicamente e depois vão para (Halford novamente imita vocais guturais). É um estilo muito invulgar de música que está acontecendo agora e muitas bandas estão fazendo isso porque é o gosto de hoje, essa é a moda. Eu gosto de ouvir um cantor cantar, e se for pra berrar, que berre de forma melódica, de uma forma que se faça entender. Mas, eu gosto mesmo é de ouvir o que eles estão cantando em cima da melodia e das notas, porque é quando a distinção de seu estilo e caráter aparece.

Confira abaixo algumas canções com seus respectivos registros:

Notas altas significativas

C♯6 ("Love Bites" live 1984)

B5 ("Dissident Aggressor", "Sad Wings" live)

A5 ("All the Way", "Beyond the Realms of Death" live Unleashed in the East, "Devils Child" live, "Freewheel Burning" live at The Tube, "Get into the Spirit", "Heavy Metal", "Island of Domination", "Painkiller", "Ram It Down", "Riding on the Wind" live '92, "Savage", "The Ripper", "Victim of Changes" live '75, "Wrath of God")

G♯5 ("Dreamer Deceiver", "Handing Out Bullets", "Heavy Metal", intervew 2009, "Light Comes Out of Black", "Locked and Loaded", "Metal Meltdown", "Ram It Down", "Silent Screams")

G5 ("A Touch Of Evil", "Between The Hammer And The Anvil", "Come and Get It", "Delivering the Goods", "Evil Fantasies", "Exciter", "Fetish", "Handing Out Bullets", "Heavy Duty", "Heavy Metal", "Hell's Last Survivor", "Judas Rising", "Night Comes Down", "Persecution", "Raw Deal", "Rock Hard Ride Free", "Run Of The Mill", "Screaming For Vengeance", "Some Heads Are Gonna Roll", "The Green Manalishi (With The Two-Pronged Crown)", "The Mower", "Twist", "You've Got Another Thing Comin'")

F♯5 ("Beyond The Realms Of Death", "Get into the Spirit", "Hell Patrol", "Hellrider", "Johnny B. Goode", "Light Comes Out of Black", "Love Bites", "Love You to Death", "One Shot At Glory", "Painkiller", "Rock Forever", "Rock You All Around the World", "Savage", "Sinner", "Stained Class", "Starbreaker", "Tyrant", "Victim Of Changes")

F5 ("Betrayal", "Blood Red Skies", "Demonizer", "Fetish", "For All Eternity", "Hearts of Darkness", "Hot Rockin'", "Jawbreaker", "Life in Black", "Locked In", "Made in Hell", "One Will", "Painkiller", "Resurrection", "Silent Screams", "Sun", "The Mower", "War of Words", "Wild Nights, Hot & Crazy Days", "Wrath of God")

E5 ("Alone", "Blood Red Skies", "Crucible", "Devil's Child", "Dreamer Deceiver", "Fever", "Fight For Your Life", "Freewheel Burning", "Genocide", "Hard As Iron", "Hearts of Darkness", "Heavy Duty", "Hell's Last Survivor", "Hero, Hero", "Heroes End", "I'm a Rocker", "Island of Domination", "Last Rose of Summer", "Let Us Prey", "Living Bad Dreams", "Love Zone", "Night Comes Down", "Night Crawler", "Nostradamus", "On the Run", "Raw Deal", "Revolution", "Rock Forever", "Rock Hard Ride Free", "Run of the Mill", "Running Wild", "Sad Wings", "Saints In Hell", "Screaming for Vengeance", "Sinner", "Slow Down", "Temptation", "The Sentinel", "Thunder Road", "Victim of Changes", "You Don't Have to Be Old to Be Wise")

E♭5 ("Come and Get It", "Fetish", "Hellrider", "Into the Pit", "Lochness", "Love Bites", "Never Again", "Reckless", "Wild Nights, Hot & Crazy Days")

D5 ("All Guns Blazing", "Betrayal", "Call For the Priest", "Death", "Defenders of the Faith", "Evening Star", "Exciter", "Fever", "Freewheel Burning", "Get into the Spirit", "Heart of a Lion", "Here Come the Tears", "Heroes End", "Hot For Love", "Hot Rockin'", "Jawbreaker", "Jesus Saves", "Johnny B. Goode", "Life in Black", "Nailed to the Gun", "One Shot at Glory", "Parental Guidance", "Rapid Fire", "Resurrection", "Riding On the Wind", "Sad Wings", "Saints In Hell", "Savage", "Stained Class", "Sun", "Thunder Road", "Troubleshooter", "White Heat, Red Hot")

C♯5 ("All Fired Up", "All Guns Blazing", "Beyond the Realms of Death", "Bloodstone", "God Bringer of Death", "Hard As Iron", "Light Comes Out of Black", "Lochness", "Never Satisfied", "Reckless", "Rock Forever", "Silent Screams", "Slow Down", "Stained Class", "Starbreaker", "Wild Nights, Hot & Crazy Days")

C5 ("Blood Red Skies", "Call For the Priest", "Come and Get It", "Crucible", "Death", "Desert Plains", "Diamonds and Rust", "God Bringer of Death", "Gretna Green", "Hell's Last Survivor", "Hero, Hero", "Heroes End", "Invader", "Like There's No Tomorrow", "Never Again", "Out in the Cold", "Private Property", "Raw Deal", "Rock Hard Ride Free", "Rocka Rolla", "Sad Wings", "Sinner", "Some Heads Are Gonna Roll", "Temptation", "White Heat, Red Hot", "You Don't Have to Be Old to Be Wise", "You Say Yes", "Hell Bent for Leather")

B4 ("Alone", "Between the Hammer and the Anvil", "Burning Up", "Conquest", "Cyber World", "Deceiver", "Diamonds and Rust", "Don't Go", "Evening Star", "Evil Fantasies", "Freewheel Burning", "Future of Mankind", "Grinder", "Heading Out to the Highway", "Hot For Love", "Invader", "Judas Rising", "Leather Rebel", "Living After Midnight", "Made in Hell", "Metal Gods", "Night Fall", "Parental Guidance", "Persecution", "Prisoner of Your Eyes", "Prophecy", "Ram it Down", "Riding On the Wind", "Rock You All Around the World", "Saints In Hell", "Savior", "Solar Angels", "Take On the World", "The Rage", "Turbo Lover", "Turning Circles", "Wheels of Fire", "White Heat, Red Hot")

B♭4 ("Crucible", "Demonizer", "For All Eternity", "God Bringer of Death")

A4 ("A Touch of Evil", "Breaking the Law", "Cheater", "Crystal", "Death", "Demonizer", "Electric Eye", "Golgotha", "Heading Out to the Highway", "Lift Me Up", "Nostradamus", "One for the Road", "Out in the Cold", "Redeemer of Souls", "Twenty Five Years", "We Own the Night", "Winter", "You've Got Another Thing Comin'")

G4 ("Dreamer Deceiver", "Fire and Ice", "Judas Rising", "Pestilence and Plague", "Redeemer of Souls", "Run of the Mill", "She", "Twist", "Visions")

Notas baixas significativas

D3 ("For All Eternity", "She", "Sun", "Turbo Lover")

C♯3 ("Silent Screams", "The Last Rose of Summer")

C3 ("Hope", "Immortal Sin", "Little Crazy", "Silent Night")

B2 ("Angel", "Bed of Rust", "Blowout in the Radio Room", "Burning Up", "Dreamer Deceiver", "Hellrider", "Here Come The Tears", "Hey, Sha la La", "Hot For Love", "In A World of My Own Making", "Light of the World", "Living Bad Dreams", "Lost Love", "Redeemer of Souls", "The Last Rose Of Summer", "Troubleshooter", "We Own the Night", "Wheels of Fire", "Winter Retreat")

B♭2 ("Exiled", "I Know We Stand a Chance", "Laid to Rest", "Lochness", "One for the Road")

A2 ("All the Way", "Alone", "Bed of Rust", "Delivering The Goods", "Dreamer Deceiver", "Evening Star", "Hope", "Human Crate", "If", "Killing Machine", "Lost Love", "Red, White and Blue", "Stutter Kiss", "The Ripper", "Till The Day I Die", "War", "Wheels of Fire", "Winter Song", "Worth Fighting For")

G♯2 ("The Four Horsemen", "Winter Retreat")

G2 ("Gimp", "Epitaph", "Prophecy", "Visions", "We Own the Night")

F♯2 ("Till the Day I Die", "Silent Screams")

F2 ("Death", "Dying to Meet You", "I Am a Pig", "Wake Up")

E2 ("Deep in the Ground", "Genocide", "Hey, Sha La La", "In The Morning", "Life In Black", "Monsters Of Rock", "Shout", "Twenty-Five Years")

D2 ("Calm Before the Storm", "Immortal Sin", "Night Crawler", "Shout", "Vicious")

C2 ("Beneath the Violence", "Scream", "Shout", "The Mower")

Talvez, depois de Ronnie James Dio, Rob Halford seja o melhor vocalista da história do heavy metal. Mas segundo o portal Noisecreep, não há Dio que supere Halford. O portal elegeu o vocalista do Judas Priest como o melhor vocalista de metal de todos os tempos. Entre os cantores que aparecem na lista estão o próprio Dio, e ainda Russel Allen e André Matos.

Listas são sempre polêmicas, e no final das contas, o que vale é o gosto do ouvinte. O que não dá pra apagar é que Rob Halford é uma das maiores vozes da história da música, capaz de agudos sobrenaturais, e também de transitar com maestria na região de médios e graves.

Como dito anteriormente, a voz de Rob Halford não é a mesma de anos atrás, e nem poderia, pois fisiologicamente a voz de uma pessoa passa por mudanças naturais ao longos dos anos, o que não significa que isto seja sinônimo de cantar mal. Pelo contrário, diferente ou não, se o vocalista tiver bom domínio sobre a sua voz, bem como conhecimentos elementares no que tange à técnicas vocais elementares, seguirá cantando bem independentemente destas mudanças fisiológicas.

A voz de Halford apresenta fases distintas e igualmente louváveis. A sua voz em Sad Wings of Destiny não é exatamente a mesma da apresentada no Painkiller, por exemplo, porém, a qualidade e versatilidade ainda merece ser destacada, ficando à cargo do leitor e ouvinte optar qual fase melhor lhe apetece.

Para encerrar, deixo com vocês algumas versões a capella de canções do Judas Priest, para que seja possível a apreciação do alcance e versatilidade vocal que possui este notável vocalista:


Análise Vocal

Axl Rose: Afinal de contas, o que houve com sua voz?Axl Rose
Afinal de contas, o que houve com sua voz?

Freddie Mercury: Características vocais do cantorFreddie Mercury
Características vocais do cantor

Aerosmith: curiosidades sobre a voz de Steven TylerAerosmith
Curiosidades sobre a voz de Steven Tyler

Ronnie James Dio: Analisando a sua poderosa vozRonnie James Dio
Analisando a sua poderosa voz

Bruce Dickinson: curiosidades sobre a voz por trás do Iron MaidenBruce Dickinson
Curiosidades sobre a voz por trás do Iron Maiden

Deep Purple: Análise técnica da voz de Ian GillanDeep Purple
Análise técnica da voz de Ian Gillan

Guns N' Roses: Análise vocal de Axl RoseGuns N' Roses
Análise vocal de Axl Rose

Led Zeppelin: Análise vocal de Robert PlantLed Zeppelin
Análise vocal de Robert Plant

Whitesnake: Análise vocal de David CoverdaleWhitesnake
Análise vocal de David Coverdale

Kiss: Análise vocal de Paul StanleyKiss
Análise vocal de Paul Stanley

Alice In Chains: Análise vocal de Layne StaleyAlice In Chains
Análise vocal de Layne Staley

Helloween: Análise vocal de Michael KiskeHelloween
Análise vocal de Michael Kiske

Glenn Hughes: Análise vocal do cantorGlenn Hughes
Análise vocal do cantor

Metallica: Análise vocal de James HetfieldMetallica
Análise vocal de James Hetfield

Skid Row: Análise vocal de Sebastian BachSkid Row
Análise vocal de Sebastian Bach

Black Sabbath: Análise vocal de Ozzy OsbourneBlack Sabbath
Análise vocal de Ozzy Osbourne

AC/DC: Análise vocal de Bon ScottAC/DC
Análise vocal de Bon Scott

Dream Theater: Análise vocal de James LaBrieDream Theater
Análise vocal de James LaBrie

Scorpions: Análise vocal de Klaus MeineScorpions
Análise vocal de Klaus Meine

Pantera: Análise vocal de Phil AnselmoPantera
Análise vocal de Phil Anselmo

Rush: Análise vocal de Geddy LeeRush
Análise vocal de Geddy Lee

Megadeth: Análise vocal de Dave MustaineMegadeth
Análise vocal de Dave Mustaine

Bon Jovi: Análise vocal de Jon BongioviBon Jovi
Análise vocal de Jon Bongiovi

Angra: Análise vocal de Fabio LioneAngra
Análise vocal de Fabio Lione

Faith No More: análise vocal de Mike Patton

The Cult: Análise vocal de Ian Astbury

STP e Velvet Revolver: Análise vocal de Scott Weiland

Van Halen: Análise vocal de Sammy HagarVan Halen
Análise vocal de Sammy Hagar

Alter Bridge: Análise vocal de Myles KennedyAlter Bridge
Análise vocal de Myles Kennedy

Soundgarden: Análise vocal de Chris CornellSoundgarden
Análise vocal de Chris Cornell

Todas as matérias sobre "Análise Vocal"




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção CuriosidadesTodas as matérias sobre "Análise Vocal"Todas as matérias sobre "Judas Priest"Todas as matérias sobre "Rob Halford"


Bateristas: Os 30 melhores de todos os temposBateristas
Os 30 melhores de todos os tempos

Plágio ou coincidência: trechos semelhantes no rock/metalPlágio ou coincidência
Trechos semelhantes no rock/metal

Led Zeppelin: Perguntas e Respostas sobre a bandaLed Zeppelin
Perguntas e Respostas sobre a banda

Keith Richards: colocando Justin Bieber em seu devido lugarKeith Richards
Colocando Justin Bieber em seu devido lugar

Guitarra: o riff mais popular de todos os temposGuitarra
O riff mais popular de todos os tempos

Blaze Bayley: em respeito aos fãs, ele não cobra pelo meet & greetBlaze Bayley
Em respeito aos fãs, ele não cobra pelo meet & greet

Iron Maiden: símbolo do São Paulo FC está em vídeo de NatalIron Maiden
Símbolo do São Paulo FC está em vídeo de Natal


Sobre Danilo F. Nascimento

Administrador por casualidade. Músico por instinto. Escritor por devaneio. Fascinado por música, literatura e cinema. Seu primeiro contato com o mundo do rock data de meados dos anos 90, uma época de transição entre o analógico e o digital, e, principalmente, uma época onde a MTV ainda era aprazível e relevante. Idolatra e cultua o legado instituído pela maior banda de todos os tempos, o Queen.

Mais matérias de Danilo F. Nascimento no Whiplash.Net.

adGoo336|adClio336