Pantera: Análise vocal de Phil Anselmo

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Danilo F. Nascimento
Enviar correções  |  Ver Acessos

Conhecido mundialmente por ter integrado o line-up de uma das maiores bandas de heavy metal da história - o Pantera - o músico norte-americano Phil Anselmo é continuamente lembrado quando o assunto é elencar os grandes vocalistas do gênero.

Kiss: as 10 músicas mais "demoníacas" da bandaIron Maiden: as dez melhores músicas, segundo a Loudwire

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Nascido em 30 de junho de 1968, em New Orleans (Louisiana - USA), Anselmo teve o seu primeiro contato com a música ainda muito jovem, tendo aprendido a tocar instrumentos como guitarra e baixo de forma precoce.

As bandas prediletas de Anselmo são Black Sabbath, Black Flag, Iron Maiden, Judas Priest, Slayer, Hellhammer e o Venom, enquanto seu vocalista favorito e principal influência - principalmente no início de carreira - é Bruce Dickinson, do Iron Maiden.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

O jovem Anselmo teve algumas bandas em sua adolescência, dentre as quais destacam-se, principalmente, a Samhain.

A sua entrada no Pantera deu-se em 1986, período em que a banda passava por uma transformação brusca, que redefiniria a sua identidade. Anselmo substituiu o cantor de hard rock Terry Glaze, e o restante da história, todos conhecem.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Enquanto vocalista, Anselmo nunca preocupou-se em cuidar de sua voz, entretanto, passará a frequentar fonoaudiólogos após a entrada no Pantera, o que contribuiu para uma notória evolução em seu desempenho vocal.

Não se sabe ao certo se Phil Anselmo teve algum treinador vocal específico em sua carreira, mas o fato é que o vocalista aprimorou-se assustadoramente e pode ser considerado um dos vocalistas mais versáteis do gênero.

Canções como Cemetery Gates, Time is Mine e Walk provam a versatilidade vocal de Anselmo, que pode variar de vocais guturais para solenes uivos ou harmonias vocais dotadas de melodias vocais solenes e profundas.

No início de sua carreira Anselmo confessava abertamente que odiava o estúdio, odiava ter de ficar ali gravando inúmeros takes para uma mesma canção. O vocalista prefere apresentações ao vivo onde não precisa se policiar quanto à cantar afinado e/ou no tom correto.

Em entrevista concedida à Kerrang, o vocalista foi enfático sobre o processo de gravação do disco "Cowboys From Hell":

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

"Eu odiei estar no estúdio, foi um desafio ser perfeito, preciso e cantar todas linhas vocais de novo e de novo até ficarem boas. Eu odiei aquela merda. De qualquer modo isso terminou sendo uma daquelas coisas pelas quais você tem que passar. Foi um período desagradável, mas mais tarde você passa a realmente amar aquilo. Mas foi um alívio terminar."

Ainda sobre ter que cantar no tom e afinado, Anselmo concedeu uma entrevista ao Sonic Excess, onde dissertou um pouco mais sobre o assunto:

"Quanto aos vocais, gritar e rosnar é algo que eu sempre fiz e sempre vou fazer, eu adoro. Com o DOWN a abordagem vocal é completamente diferente da minha carreira solo ou até mesmo do que fazia no Pantera. Com o DOWN eu tenho esta infeliz tarefa de cantar no tom, o que é um dos meus maiores inimigos, porque cantar afinado é como uma obrigação e eu quase nunca consigo, pra conseguir, preciso de horas e horas no estúdio, por isto prefiro e sempre vou preferir o palco, onde essa obrigação não existe. Com meus trabalhos solo, há uma precisão a ser alcançada, mas graças a Deus cantar no tom certo está fora do jogo, eu não em obrigo a cantar no tom em discos de minha carreira solo."

Embora, tecnicamente, Anselmo não seja tão privilegiado, o vocalista é talentoso, e, mesmo de forma auto-didata, desenvolveu algumas técnicas vocais imprescíndiveis para construir a sua identidade vocal.

Entre elas, é possível citar:

Belting pleno - Dupla adução com preponderância de TA (Músculo Tireoaritenoídeo - músculo intríseco da laringe), com selamento glótico pleno.

Mixed voice - Dupla adução com sinergia de TA (Músculo Tireoaritenoídeo - músculo intrínseco da laringe) e CT (Músculo Cricotireóideo - músculo intríseco da laringe), com selamento glótico pleno.

Drive Creacky Voice - Drive de natureza glótica e constitui-se em um subtipo do drive fry.

Coordenação pneumofonoarticulatória - Sinergia entre os sistemas de apoio diafragmático, de contra-apoio laríngeo e de fonoarticulação.

Drive Scream - Drive responsável por proporcionar uma voz mais gritada, muito utilizada por vocalistas de death metal. Para execução desta técnica, é necessário que o vocalista tenha pleno domínio de sua respiração para sustentar a apoiar as notas.

False Chord - Nesta técnica, Anselmo "encolhe" os músculos do seu abdômen e vai abrindo boca, as notas mais pesadas vão saindo gradualmente e mudando de um canto normal para um canto mais gutural. Neste tipo de técnica é imprescindível que o vocalista evite usar os músculos do seu peito e os pulmões para cantar.

Conceitos e termos acima são de cortesia do treinador vocal Ariel Coelho. Para mais informações:
http://www.arielcoelho.com.br/analises-vocais/

Embora, Anselmo tenha surpreendido o mundo do heavy metal com a sua versatilidade vocal, é inegável que o vocalista perdeu boa parte de seu poderio vocal. Evidentemente que a voz humana passa por mudanças naturais ao longos dos anos, tendo a sua última mudança entre os 35 e 50 anos, variando de pessoa para pessoa.

Mas no caso específico de Anselmo, este processo de mudança foi acelerado pelo fato do vocalista ingerir doses cavalares de álcool desde muito cedo. Outro fator preponderante para a parcial danificação das pregas vocais de Anselmo fora a utilização exacerbada de cigarros.

Atualmente, as cordas vocais são chamadas de pregas vocais. Isso porque, achava-se que essa estrutura era solta no meio, e presa nas pontas, como uma corda de violão. Hoje sabe-se que elas são presas, e vibram, como pregas, e não como cordas.

No caso de Anselmo, em virtude de utilizar algumas técnicas delicadas, sem auxílio de um profissional, o vocalista sentia muitas dores em suas pregas vocais no final de suas apresentações, e aparentemente, a ingestão de álcool lhe proporcionava um alívio imediato, mas a longo prazo, isto traria consequências devastadoras.

O álcool disfarça e inibe a dor nas pregas vocais, e faz com que a gente force mais ainda na hora de cantar. Ela resseca também o muco que reveste a estrutura vocal, o que faz aumentar aquele som ríspido da voz.

A ingestão de álcool causa irritação em todo sistema vocal. Bebidas alcoólicas deixam a região faríngea anestesiada, diminuindo a sensibilidade e mascarando os abusos vocais. Passado então seu efeito, o indivíduo poderá apresentar ardor, queimação, voz rouca e fraca, prejudicando a performance vocal.

O fumo também traz muitos prejuízos para a voz, pois a fumaça quente ingerida agride todo o sistema respiratório, principalmente as pregas vocais. Esta agressão pode aumentar o acúmulo de toxinas nas mucosas das pregas vocais, causando pigarro, edema, irritação e aumento de secreção.

Embora os seus abusos, seguidos de utilização de técnicas delicadas sem o auxílio de um profissional, tenham reduzido drasticamente a sua potência vocal, Anselma afirmara categoricamente que cantaria o material de pós Cowboys From Hell com tranquilidade:

"Caros fãs e haters! Eu adoro todos vocês, e eu devo admitir algo aqui e agora: minha voz estava FRITA!!! Por razões demais para citar aqui, mas eu havia feito o show do DOWN [o Down, atual banda de Anselmo, é a banda de abertura da turnê 'Revolver Golden Gods' com o BLACK LABEL SOCIETY], esperei uma hora, bebendo e fumando razoavelmente [hahaha!], e, basicamente, mandei muito mal... eu admito totalmente - vocês estão certos! Agora... vão e ouçam aos últimos 'Metal Masters 4' e '5' de um ano atrás... quando eu me foco e me comprometo, eu posso arregaçar em todas aquelas músicas, até certo ponto. Esqueçam de coisas como 'Cemetery Gates'. Mas quase tudo pós-Cowboys From Hell' eu mato no peito."

Realmente, embora o poderio vocal de Anselmo tenha sido reduzido drasticamente, ele ainda consegue nos brindar com performances arrebatadoras como esta:

Confira algumas das características vocais de Phil Anselmo:

Timbre - Barítono
Alcance - C♯1-B♭5

Notas altas significativas (Por "The Range Place")

B♭5 ("Shattered" demo)

A5 ("Cemetery Gates" demo, "Cowboys From Hell", "Shattered", "The Will to Survive")

G♯5 ("Cemetery Gates", "Heresy", "Lifer", "Medicine Man" demo, "Message in Blood", "No Good (Attack the Radical)", "Pillars of Eternity", "Power Metal", "Proud to Be Loud", "Suicide Note Pt.2", "The Art of Shredding", "The Will to Survive")

G5 ("Absorbed", "Cemetery Gates", "Clash With Reality", "Down Below", "Drag the Waters", "Hard Ride", "Heresy", "Medicine Man", "Over and Out", "Power Metal", "Proud to Be Loud", "Psycho Holiday", "The Green Manalishi" live, "The Sleep")

F♯5 ("Hot and Heavy" live, "I Scream", "Lifer", "Metal Gods" live, "Rehab", "Shattered", "The Sleep", "The Will to Survive", "We'll Meet Again", "The Underground in America")

F5 ("13 Steps to Nowhere", "Absorbed", "Hellbound", "Medicine Man", "Pillars of Eternity")

E5 ("Burnnn!", "Cemetery Gates", "Cowboys from Hell", "Death Trap", "Dog Tired", "Domination", "Down Below", "Eyes of the South", "Goddamn Electric", "Hard Ride", "Heresy", "Hot and Heavy" live, "Live in a Hole", "Living Through Me (Hell's Wrath)", "Madhouse" live, "No Remorse" live, "Over and Out", "Psycho Holiday", "Right on the Edge" live, "Rock the World", "Stone The Crow", "Temptation's Wings", "The Art of Shredding", "The Will to Survive", "We'll Meet Again")

E♭5 ("(Reprise) Sandblasted Skin")

D5 ("5 Minutes Alone", "Goddamn Electric", "Medicine Man", "Over And Out", "Psycho Holiday" live, "The Will to Survive", "There's Something On My Side", "We Knew Him Well")

C♯5 ("Beneath the Tides","Floods", "Hogshead/Doghead", "In the Thrall of It All", "Living Through Me (Hell's Wrath)", "New Orleans Is a Dying Whore", "Rise", "Steeple", "Swan Song", "The Great Southern Trendkill", "The Man That Follows Hell", "The Path", "Three Suns and One Star", "Time Is Mine", "War Nerve")

C5 ("Death Rattle", "Goddamn Electric", "I'm Broken", "Revolution is My Name")

B4 ("Beautifully Depressed", "By Demons Be Driven", "Domination", "Eyes of the South", "Jail", "In the Thrall of It All", "Live in a Hole", "N.O.D.", "Nothing in Return (Walk Away)", "On March the Saints", "Overthrown", "Regular People (Conceit)", "Shattered", "The Path", "The Seed", "There's Something On My Side", "Three Suns and One Star", "The Underground in America")

B♭4 ("I Scream", "I'll Cast a Shadow", "Landing On the Mountains of Meggido", "Rise", "Time Is Mine")

A4 ("10's", "Beneath the Tides", "Beautifully Depressed", "Dog Tired", "Goddamn Electric", "Lies, I Don't Know What They Say But...", "Mourn", "N.O.D.", "Never Try", "Nothing in Return (Walk Away)", "Pillamyd", "Stained Glass Cross", "The Man That Follows Hell", "The Seed", "Use My Third Arm")

G♯4 ("13 Steps to Nowhere", "Ghosts Along the Mississippi", "In the Thrall of It All", "Landing On the Mountains of Meggido", "Learn From This Mistake", "Light Comes Out of Black", "Living Through Me (Hell's Wrath)", "Nothing in Return (Walk Away)", "On March The Saints", "Pillars of Eternity", "Suicide Note Pt. 1", "Three Suns and One Star")

Notas baixas significativas (Por "The Range Place")

B2 ("Cemetery Gates", "Dog Tired", "Jail", "Learn From This Mistake", "Never Try", "The Sleep", "Three Suns and One Star")

B♭2 ("Hollow", "Time is Mine")

G♯2 ("Pillars of Eternity")

G2 ("Becoming", "Live in a Hole", "Suicide Note Pt. 1", "Swan Song")

F♯2 ("Hogshead/Doghead", "Jail" live 2010)

F2 ("5 Minutes Alone", "Pillars of Eternity", "Superjoint Ritual")

E2 ("13 Steps to Nowhere", "Drag the Waters", "Regular People (Conceit)", "Superjoint Ritual", "The Man That Follows Hell", "We'll Meet Again")

E♭2 ("By Demons Be Driven", "Hollow", "I'll Cast a Shadow", "There's Something On My Side")

D2 ("13 Steps to Nowhere", "Goddamn Electric", "His Majesty The Desert", "Suicide Note Pt. 1", "Walk")

C♯2 ("Bury Me in Smoke", "Death Rattle", "Ghosts Along the Mississippi", "I Scream", "I'll Cast a Shadow", "In the Thrall of It All", "Lies I Don't Know What They Say But...", "Misfortune Teller", "No Good (Attack the Radical)", "Nothing in Return (Walk Away)", "Pillamyd", "Steeple", "Symbol of Nevermore", "Temptation's Wings", "The Bird", "The Knife Rises", "The Man That Follows Hell", "The Path")

C2 ("Absorbed", "Overthrown", "The Bird", "This Love", "Where I'm Going")

B1 ("Beautifully Depressed", "Bury Me in Smoke", "Cowboys from Hell", "His Majesty The Desert", "Hogshead/Doghead", "It Makes them Disappear", "Lies, I Don't Know What They Say But...", "Medicine Man", "Mourn", "N.O.D.", "Never Try", "Open Coffins", "Pillamyd", "Revolution Is My Name", "Symbol of Nevermore", "The Seed", "We Knew Him Well", "Witchtripper")

B♭1 ("Cowboys from Hell" demo, "Hellbound", "No Good (Attack the Radical)", "Three Suns and One Star", "The Underground in America", "You've Got to Belong to It")

A1 ("10's", "Bury Me in Smoke", "Goddamn Electric", "Overthrown", "Ozena", "The Great Southern Trendkill", "Underneath Everything")

G♯1 ("Absorbed", "Floods", "Good Friends and a Bottle of Pills", "Lysergic Funeral Procession", "New Orleans Is a Dying Whore", "Three Suns and One Star")

F♯1 ("4 Songs", "Avoid the Light", "Floods", "Levitation")
E1 ("Overthrown")

C♯1 ("Pillars of Eternity")

Segundo a revista Metal Hammer, as 10 melhores performances vocais da carreira de Phil Anselmo são:

1. Cemetery Gates

2. The Will to Survive

3. Suicide Note Pt. 1

4. Shattered

5. Down Below

6. The Sleep

7. Overthrown

8. No Good (Attack the Radical)

9. Hard Ride

10. Hollow


Análise Vocal

Axl Rose: Afinal de contas, o que houve com sua voz?Axl Rose
Afinal de contas, o que houve com sua voz?

Freddie Mercury: Características vocais do cantorFreddie Mercury
Características vocais do cantor

Aerosmith: curiosidades sobre a voz de Steven TylerAerosmith
Curiosidades sobre a voz de Steven Tyler

Ronnie James Dio: Analisando a sua poderosa vozRonnie James Dio
Analisando a sua poderosa voz

Bruce Dickinson: curiosidades sobre a voz por trás do Iron MaidenBruce Dickinson
Curiosidades sobre a voz por trás do Iron Maiden

Deep Purple: Análise técnica da voz de Ian GillanDeep Purple
Análise técnica da voz de Ian Gillan

Guns N' Roses: Análise vocal de Axl RoseGuns N' Roses
Análise vocal de Axl Rose

Led Zeppelin: Análise vocal de Robert PlantLed Zeppelin
Análise vocal de Robert Plant

Whitesnake: Análise vocal de David CoverdaleWhitesnake
Análise vocal de David Coverdale

Judas Priest: Análise vocal de Rob HalfordJudas Priest
Análise vocal de Rob Halford

Kiss: Análise vocal de Paul StanleyKiss
Análise vocal de Paul Stanley

Alice In Chains: Análise vocal de Layne StaleyAlice In Chains
Análise vocal de Layne Staley

Helloween: Análise vocal de Michael KiskeHelloween
Análise vocal de Michael Kiske

Glenn Hughes: Análise vocal do cantorGlenn Hughes
Análise vocal do cantor

Metallica: Análise vocal de James HetfieldMetallica
Análise vocal de James Hetfield

Skid Row: Análise vocal de Sebastian BachSkid Row
Análise vocal de Sebastian Bach

Black Sabbath: Análise vocal de Ozzy OsbourneBlack Sabbath
Análise vocal de Ozzy Osbourne

AC/DC: Análise vocal de Bon ScottAC/DC
Análise vocal de Bon Scott

Dream Theater: Análise vocal de James LaBrieDream Theater
Análise vocal de James LaBrie

Scorpions: Análise vocal de Klaus MeineScorpions
Análise vocal de Klaus Meine

Rush: Análise vocal de Geddy LeeRush
Análise vocal de Geddy Lee

Megadeth: Análise vocal de Dave MustaineMegadeth
Análise vocal de Dave Mustaine

Bon Jovi: Análise vocal de Jon BongioviBon Jovi
Análise vocal de Jon Bongiovi

Angra: Análise vocal de Fabio LioneAngra
Análise vocal de Fabio Lione

Faith No More: análise vocal de Mike Patton

The Cult: Análise vocal de Ian Astbury

Stone Temple Pilots e Velvet Revolver: Análise vocal de Scott Weiland

Van Halen: Análise vocal de Sammy HagarVan Halen
Análise vocal de Sammy Hagar

Alter Bridge: Análise vocal de Myles KennedyAlter Bridge
Análise vocal de Myles Kennedy

Soundgarden: Análise vocal de Chris CornellSoundgarden
Análise vocal de Chris Cornell

Todas as matérias sobre "Análise Vocal"




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção CuriosidadesTodas as matérias sobre "Análise Vocal"Todas as matérias sobre "Pantera"Todas as matérias sobre "Phil Anselmo"Todas as matérias sobre "Kill Devil Hill"Todas as matérias sobre "Down"


Kiss: as 10 músicas mais demoníacas da bandaKiss
As 10 músicas mais "demoníacas" da banda

Iron Maiden: as dez melhores músicas, segundo a LoudwireIron Maiden
As dez melhores músicas, segundo a Loudwire


Sobre Danilo F. Nascimento

Administrador por casualidade. Músico por instinto. Escritor por devaneio. Fascinado por música, literatura e cinema. Seu primeiro contato com o mundo do rock data de meados dos anos 90, uma época de transição entre o analógico e o digital, e, principalmente, uma época onde a MTV ainda era aprazível e relevante. Idolatra e cultua o legado instituído pela maior banda de todos os tempos, o Queen.

Mais matérias de Danilo F. Nascimento no Whiplash.Net.

adGoo336