História: o terremoto de 1755 que inspirou o Moonspell

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Mateus Ribeiro
Enviar correções  |  Ver Acessos

No dia 03 de novembro de 2017, o Moonspell lançou o disco "1755". O décimo terceiro álbum de estúdio da banda portuguesa recebeu esse nome por conta de um dos episódios mais tristes da história de Portugal (e da Europa): o "Sismo de 1755", ou "Terremoto de 1755", tragédia que praticamente destruiu a cidade de Lisboa.

Separados no nascimento: Cazuza e Lauro CoronaVanessa Frehley: amor sem limites ao Kiss

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

O desastre aconteceu no dia 1 de novembro de 1755. Para quem não sabe, nessa data é comemorado o "Dia de Todos os Santos", que é um dos pontos mais importantes do calendário católico. Sabendo que Portugal é um país de maioria católico, é de se imaginar que as igrejas e as ruas estavam lotadas naquele dia. De fato, estavam, o que fez com que o número de vitimais fatais aumentasse.

Logo pela manhã, um terremoto começou a fazer com que a cidade de Lisboa começasse a ser destruída. Com as ruas lotadas, tudo se tornava mais caótico. Algumas pessoas começaram a correr para qualquer tipo de lugar que pudesse oferecer socorro.

Porém, o estrago ainda não havia terminado. Um maremoto atingiu não só Lisboa, mas também outros lugares da Europa, e até mesmo da África. Mas, sem sombra de dúvidas, Lisboa foi a cidade mais atingida. Algumas estimativas dizem que cerca de um quinto da população da cidade morreu (as fontes mais confiáveis falam entre 40 e 60 mil mortes), sem contar que já não existia quase mais nada na cidade. A capital portuguesa foi arrebentada por um tremor de terra, pela água e pelos incêndios resultantes do terremoto. Se analisar que o vento (ou o ar) ajudou o incêndio a se espalhar, Lisboa foi destruída pelos quatro elementos da natureza. Tudo isso no Dia de Todos os Santos...

Dias depois, Lisboa começou a se reerguer, sob a coordenação do Marquês de Pombal (Sebastião José de Carvalho e Melo), que era secretário de Estado do Reino na época, e ao contrário de líderes religiosos da época, agiu com racionalidade, resolveu tomar atitudes sensatas. Aliás, enquanto alguns padres falavam que a destruição era resultado da fúria de Deus, o Marquês de Pombal julgava que o terremoto e os tsunamis foram fenômenos naturais.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

O acontecimento repercutiu em diversos setores da sociedade, tanto na ciência quanto na arte. A tragédia chegou até mesmo no mundo do heavy metal, através do excelente "1755" do Moonspell.

Poucos discos conceituais são tão hipnotizantes e didáticos quanto "1755", que é uma das maiores obras da atual fase do metal. Além da óbvia qualidade que a banda sempre demonstrou em seus trabalhos, a narrativa da história ficou perfeita. O álbum soa como se fosse uma mistura de duas das melhores coisas desse mundo: História e heavy metal.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Do início ao fim, as faixas fazem com que o ouvinte tenha uma ideia de como foi terrível aquele dia em que os Santos eram venerados, mas não apareceram para ajudar os seres indefesos. A banda, inclusive, fala sobre essa relação entre o dia religioso, a tragédia e a reconstrução da cidade em duas faixas, para ser mais específico: "Todos Os Santos" e "Evento".

Moonspell: A obra de arte que narra uma tragédia

Para terminar, o disco tem uma versão um tanto quanto diferente para "Lanterna dos Afogados" (sim, aquela mesmo dos Paralamas do Sucesso), mostrando toda a versatilidade e competência do Moonspell.

Caso você goste de História ou de heavy metal, corra atrás do álbum. Você não vai se arrepender!

Até a próxima!




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção MatériasTodas as matérias sobre "Moonspell"


Exportando metal: músicos brasileiros que atuam ou já atuaram em bandas gringasExportando metal
Músicos brasileiros que atuam ou já atuaram em bandas gringas

Moonspell: Satã é apenas um grande símboloMoonspell
"Satã é apenas um grande símbolo"


Separados no nascimento: Cazuza e Lauro CoronaSeparados no nascimento
Cazuza e Lauro Corona

Vanessa Frehley: amor sem limites ao KissVanessa Frehley
Amor sem limites ao Kiss


Sobre Mateus Ribeiro

Fanático por Ramones, In Flames e Soilwork. Limeirense com muito orgulho (e sotaque).

Mais matérias de Mateus Ribeiro no Whiplash.Net.

Goo336x280 GooAdapHor Goo336x280 Cli336x280