Matérias Mais Lidas

imagemMarcello Pompeu agradece mobilização de fãs

imagemVital, o ex-Paralamas que virou nome de música e depois foi pro Heavy Metal

imagemA opinião de Arnaldo Antunes sobre a competição interna que havia nos Titãs

imagemAs composições de Paul McCartney nos Beatles preferidas de John Lennon

imagemGene Simmons compartilha tweet com meme da ex-presidente Dilma Rousseff

imagemNicko McBrain, do Iron Maiden, mostra o seu novo (e enorme) kit de bateria

imagemEvanescence coloca baixista no cargo de guitarrista e anuncia nova baixista

imagemO reencontro entre Steve Harris e Paul Di'Anno na Croácia

imagemÍcone do metal é alvo de críticas por tocar com músico condenado por assassinato

imagemDave Mustaine, do Megadeth, inicia vida de youtuber e mostra o ônibus de turnê da banda

imagemMetallica divulga vídeo oficial da clássica "For Whom The Bell Tolls" ao vivo em SP

imagemLars Ulrich diz que shows do Metallica na América do Sul foram incríveis

imagemMark Tremonti, do Alter Bridge, revela que é grande fã de lendária banda de metal

imagemFrank Zappa disse a Steve Vai que ele soava como "um pão com mortadela elétrico"

imagemVocalista do Greta Van Fleet não entende os haters: "parece a p**** de uma religião"


Stamp

Blow By Blow - a baforada certeira de Beck

Por Bento Araújo
Em 30/09/03

Fruto da santa trindade guitarreira figurada nos Yardbirds, junto de Clapton e Page, Beck se tornou sinônimo de virtuosismo nas seis cordas, criando um estilo único e absoluto, unindo técnica e emoção como ninguém.

Divulgue sua banda de Rock ou Heavy Metal

Os Yardbirds foram só o começo; com o lançamento de "Truth" seu primeiro disco solo, Beck entrou para a história ao lançar um disco que serviu de exemplo para gente do naipe do Led Zeppelin e do Free. O blues passara a ser tocado de forma agressiva, e assim nascia o rock pesado e o heavy metal.

Após uma fase soul com os discos "Rough and Ready" de 1971 e "Jeff Beck Group" de 1972, e de um ótimo registro lançado sob forma de trio (com a "cozinha" emprestada do Cactus e Vanilla Fudge), "Beck Bogert Appice" em 1973, o guitarrista resolveu apostar fundo no Jazz Rock, estudando e bolando uma nova reaparição já nesse novo e excitante rumo a ser tomado.

Ademir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | Andre Sugaroni | André Silva Eleutério | Antonio Fernando Klinke Filho | Bruno Franca Passamani | Caetano Nunes Almeida | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Eduardo Ramos | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Cristofer Weber | César Augusto Camazzola | Dalmar Costa V. Soares | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Eric Fernando Rodrigues | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Helênio Prado | Henrique Haag Ribacki | Jesse Silva | José Patrick de Souza | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcelo H G Batista | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Ricardo Dornas Marins | Sergio Luis Anaga | Sergio Ricardo Correa dos Santos | Tales Dors Ciprandi | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Tom Paes | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva

O ano escolhido para essa explosão era o de 1975, e o disco se chamava "Blow by Blow". Como o próprio título sugeria, o disco era uma verdadeira sucessão de golpes, fulminantes baforadas no ouvido. Rock, jazz, soul e funk eram despejados a rodo pela guitarra de Beck. Além disso, o clima de alegria e descontração percorre todas as faixas do LP. Parece que todo o músico envolvido no projeto, estava muito afim de realmente fazer aquilo.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Ninguém menos que George Martin, cuidou da produção e do arranjo de cordas. Coincidência ou não, o disco continha uma versão para "She's a Womam" dos Beatles, transformada num reggae matador, recheado de efeitos "Talk Box", antes de Peter Frampton fazer muita fama com tal efeito no ano seguinte. A faixa de abertura "You Know What I Mean" quebrava a espinha de um ouvinte desavisado. Em "Scatterbrain" o virtuosismo de Beck atinge níveis jamais ouvidos em sua obra, ele e a banda vão "pirando" durante a execução da faixa, e o final chega a ser desesperador, no melhor sentido da palavra. Resquícios da fase soul aparecem na maravilhosa versão de "Cause We've Ended as Lovers" que é dedicada a outro monstro da guitarra - Roy Buchanan; vale lembrar que tanto "Lovers" quanto "Thelonius" são de autoria de Stevie Wonder. A admiração dos dois era recíproca na época, Beck já havia tocado em "Lookin' for Another Pure Love" do disco "Talkin' Book" de Wonder, que homenageou o guitarrista compondo a música "Superstition", que Beck gravou com o seu BBA. A alucinada "Freeway Jam" além de se tornar um dos maiores hits do guitarrista, também era o ponto alto de seus shows.

Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp

A fase Jazz-Rock gerou ainda bons frutos, como no disco "Wired" de 1976, mas enfraqueceu consideravelmente no "Live With Jam Hammer Group" de 1977, e teve sua despedida no óbvio "There And Back" de 1980. Nada que chegasse aos pés da baforada certeira que era "Blow by Blow".

Lançamento: 1975 - Epic/CBS/Sony
Produção: George Martin
Engenheiro De Som: Denin Bridges
Estúdio: AIR Studios, Londres
Faixas: "You Know What I Mean", "She's A Womam", "Constipated Duck", "AIR Blower", "Scatterbrain","Cause We've Ended As Lovers", "Thelonius", "Freeway Jam" e " Diamond Dust".
Formação: Jeff Beck (guitarra), Max Middleton (teclados), Phil Chenn (baixo) e Richard Bailey (bateria e percussão).

Como consegui viver de Rock e Heavy Metal

Notas:
# "Blow by Blow" foi o primeiro e único disco de ouro de Beck.
# O disco alcançou o quarto lugar na parada norte-americana.
# Hoje Beck não abre mão de sua "Fender Stratocaster", mas nessa época a preferida do guitarrista era uma "Gibson Les Paul" preta.
# A pintura da capa foi confeccionada pelo artista John Collier, que usou como base a mesma foto presente na contra capa do LP.
# Apesar de não creditado, Stevie Wonder toca teclado no disco.


Poeira

Garagens dos Anos 60

Paul Kossoff - Dor transmitida através das cordas

Grand Funk Railroad: A Maior Potência do Hard Norte-Americano

imagemBlack Sabbath: a passagem de Ian Gillan pela banda

Power-Trios: o Hard é o gênero "onde o bicho mais pega"

Iggy and the Stooges: Raw Power, a trilha sonora do fim do mundo

imagemIron Maiden: versões pesadas para clássicos do Rock

Resenha - Jethro Tull (Credicard Hall, São Paulo, 20/03/2004)

Muscle Of Love: O último registro de Alice Cooper com sua banda original

ZZ Top: os sagrados primeiros álbuns alterados em estúdio

imagemLynyrd Skynyrd x Neil Young: Amigos ou inimigos?

Scorpions: O nome era sinônimo de garra e bom rock pesado

imagemTommy Bolin: Os excessos estavam acabando com aquele cara

Mountain - discografia comentada

imagemJerry Lee Lewis: o dia em que ele quase matou John Lennon

Thin Lizzy: Momentos inesquecíveis da despedida

Massageie sua mente com este ácido orgasmo auditivo

The James Gang - A gangue encrenqueira do rock

Geordie: A primeira banda do vocalista Brian Johnson

Duane Allman: o auge do Derek And The Dominos

T-Rex: A morte de Marc Bolan

Ken Hensley: seguindo sonhos, como nos bons tempos

Led Zeppelin no Brasil: sonho que pode se realizar

Festivais Ao Ar Livre no Brasil que não aconteceram

The Who: Quinze minutos de fama no lugar de Keith Moon

imagemPoeira: Rockstars e as bandas que eles sonhavam fazer parte

imagemBon Scott, o eterno Rocker...

imagemBlind Faith: uma das capas mais polêmicas da história

Moby Grape: Auto-indulgência, maconha e abuso na estréia em vinil

Jethro Tull: a fúria de Ian Anderson pra cima do Led Zeppelin

imagemAC/DC: os últimos dias do vocalista Bon Scott

Black Sabbath: a "era Mob Rules"

Todas as matérias sobre "Poeira"

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

publicidade
Ademir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | Andre Sugaroni | André Silva Eleutério | Antonio Fernando Klinke Filho | Bruno Franca Passamani | Caetano Nunes Almeida | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Eduardo Ramos | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Cristofer Weber | César Augusto Camazzola | Dalmar Costa V. Soares | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Eric Fernando Rodrigues | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Helênio Prado | Henrique Haag Ribacki | Jesse Silva | José Patrick de Souza | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcelo H G Batista | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Ricardo Dornas Marins | Sergio Luis Anaga | Sergio Ricardo Correa dos Santos | Tales Dors Ciprandi | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Tom Paes | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva
Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp


Rod Stewart: o grande vocalista que o rock perdeu

Joe Satriani: saiba quais lendas da guitarra não quiseram entrar no G3

Carmine Appice: Jason Bonham não é lendário e não é velha guarda



Sobre Bento Araújo

Bento Araújo nasceu em 1976. É jornalista profissional e adora a música dos anos 60 e 70. É o editor chefe da Poeira Zine, a única publicação do país dedicada à música dos bons tempos. Lá ele escreve os textos, faz a diagramação, cuida da arte, do visual, faz 'a social' com os anunciantes, distribui, faz correio, banco, responde os e-mails e as cartas e também limpa o banheiro da redação... Além de tudo isso, o cara ainda tira uma onda tocando contra-baixo pela noite paulistana, além de vez ou outra fazer um 'bico' em alguma loja de discos em troca de raridades vinílicas... O Editor também oferece seus serviços jornalísticos e musicais a quem se interessar... (nada que uns bons dólares não possam resolver...)

Mais matérias de Bento Araújo.