Blow By Blow - a baforada certeira de Beck

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+Compartilhar no WhatsApp

Por Bento Araújo
Enviar correções  |  Comentários  | 

Fruto da santa trindade guitarreira figurada nos Yardbirds, junto de Clapton e Page, Beck se tornou sinônimo de virtuosismo nas seis cordas, criando um estilo único e absoluto, unindo técnica e emoção como ninguém.

5000 acessosLegião Urbana: a versão de Renato Rocha sobre a sua saída5000 acessosCreed: música salvou garoto de ataque de lobos


Os Yardbirds foram só o começo; com o lançamento de "Truth" seu primeiro disco solo, Beck entrou para a história ao lançar um disco que serviu de exemplo para gente do naipe do Led Zeppelin e do Free. O blues passara a ser tocado de forma agressiva, e assim nascia o rock pesado e o heavy metal.

Após uma fase soul com os discos "Rough and Ready" de 1971 e "Jeff Beck Group" de 1972, e de um ótimo registro lançado sob forma de trio (com a "cozinha" emprestada do Cactus e Vanilla Fudge), "Beck Bogert Appice" em 1973, o guitarrista resolveu apostar fundo no Jazz Rock, estudando e bolando uma nova reaparição já nesse novo e excitante rumo a ser tomado.


O ano escolhido para essa explosão era o de 1975, e o disco se chamava "Blow by Blow". Como o próprio título sugeria, o disco era uma verdadeira sucessão de golpes, fulminantes baforadas no ouvido. Rock, jazz, soul e funk eram despejados a rodo pela guitarra de Beck. Além disso, o clima de alegria e descontração percorre todas as faixas do LP. Parece que todo o músico envolvido no projeto, estava muito afim de realmente fazer aquilo.


Ninguém menos que George Martin, cuidou da produção e do arranjo de cordas. Coincidência ou não, o disco continha uma versão para "She's a Womam" dos Beatles, transformada num reggae matador, recheado de efeitos "Talk Box", antes de Peter Frampton fazer muita fama com tal efeito no ano seguinte. A faixa de abertura "You Know What I Mean" quebrava a espinha de um ouvinte desavisado. Em "Scatterbrain" o virtuosismo de Beck atinge níveis jamais ouvidos em sua obra, ele e a banda vão "pirando" durante a execução da faixa, e o final chega a ser desesperador, no melhor sentido da palavra. Resquícios da fase soul aparecem na maravilhosa versão de "Cause We've Ended as Lovers" que é dedicada a outro monstro da guitarra - Roy Buchanan; vale lembrar que tanto "Lovers" quanto "Thelonius" são de autoria de Stevie Wonder. A admiração dos dois era recíproca na época, Beck já havia tocado em "Lookin' for Another Pure Love" do disco "Talkin' Book" de Wonder, que homenageou o guitarrista compondo a música "Superstition", que Beck gravou com o seu BBA. A alucinada "Freeway Jam" além de se tornar um dos maiores hits do guitarrista, também era o ponto alto de seus shows.

A fase Jazz-Rock gerou ainda bons frutos, como no disco "Wired" de 1976, mas enfraqueceu consideravelmente no "Live With Jam Hammer Group" de 1977, e teve sua despedida no óbvio "There And Back" de 1980. Nada que chegasse aos pés da baforada certeira que era "Blow by Blow".


Lançamento: 1975 - Epic/CBS/Sony
Produção: George Martin
Engenheiro De Som: Denin Bridges
Estúdio: AIR Studios, Londres
Faixas: "You Know What I Mean", "She's A Womam", "Constipated Duck", "AIR Blower", "Scatterbrain","Cause We've Ended As Lovers", "Thelonius", "Freeway Jam" e " Diamond Dust".
Formação: Jeff Beck (guitarra), Max Middleton (teclados), Phil Chenn (baixo) e Richard Bailey (bateria e percussão).

Notas:
# "Blow by Blow" foi o primeiro e único disco de ouro de Beck.
# O disco alcançou o quarto lugar na parada norte-americana.
# Hoje Beck não abre mão de sua "Fender Stratocaster", mas nessa época a preferida do guitarrista era uma "Gibson Les Paul" preta.
# A pintura da capa foi confeccionada pelo artista John Collier, que usou como base a mesma foto presente na contra capa do LP.
# Apesar de não creditado, Stevie Wonder toca teclado no disco.

5000 acessosQuer ficar atualizado? Siga no Facebook, Twitter, G+, Newsletter, etc

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+Compartilhar no WhatsApp

Poeira

5000 acessosGaragens dos Anos 605000 acessosPaul Kossoff - Dor transmitida através das cordas5000 acessosGrand Funk Railroad: A Maior Potência do Hard Norte-Americano5000 acessosBlack Sabbath: a passagem de Ian Gillan pela banda5000 acessosPower-Trios: o Hard é o gênero "onde o bicho mais pega"5000 acessosIggy and the Stooges: Raw Power, a trilha sonora do fim do mundo5000 acessosIron Maiden: versões pesadas para clássicos do Rock3930 acessosResenha - Jethro Tull (Credicard Hall, São Paulo, 20/03/2004)5000 acessosMuscle of Love5000 acessosZZ Top: os sagrados primeiros álbuns alterados em estúdio5000 acessosLynyrd Skynyrd x Neil Young - Amigos ou inimigos?5000 acessosScorpions5000 acessosTommy Bolin: Os excessos estavam acabando com aquele cara5000 acessosMountain - discografia comentada5000 acessosJerry Lee Lewis: o dia em que ele quase matou John Lennon5000 acessosThin Lizzy5000 acessosMassageie sua mente com este ácido orgasmo auditivo5000 acessosThe James Gang - A gangue encrenqueira do rock5000 acessosGeordie: A primeira banda do vocalista Brian Johnson5000 acessosDuane Allman: o auge do Derek And The Dominos5000 acessosOs 30 anos da morte de Marc Bolan5000 acessosKen Hensley: seguindo sonhos, como nos bons tempos5000 acessosLed Zeppelin no Brasil: sonho que pode se realizar3726 acessosFestivais Ao Ar Livre no Brasil que não aconteceram5000 acessosThe Who: Quinze minutos de fama no lugar de Keith Moon5000 acessosPoeira: Rockstars e as bandas que eles sonhavam fazer parte5000 acessosBon Scott, o eterno Rocker...5000 acessosBlind Faith: uma das capas mais polêmicas da história5000 acessosA jubilosa estréia do Moby Grape5000 acessosJethro Tull: a fúria de Ian Anderson pra cima do Led Zeppelin5000 acessosAC/DC: os últimos dias do vocalista Bon Scott5000 acessosBlack Sabbath: a "era 'Mob Rules'"0 acessosTodas as matérias sobre "Poeira"

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

0 acessosTodas as matérias da seção Matérias0 acessosTodas as matérias sobre "Poeira"0 acessosTodas as matérias sobre "Jeff Beck"0 acessosTodas as matérias sobre "Yardbirds"

Legião UrbanaLegião Urbana
A versão de Renato Rocha sobre a sua saída

CreedCreed
Música salva garoto de ataque de lobos na Noruega

Heavy MetalHeavy Metal
Nem sempre o estilo é sujo, feio e bruto

5000 acessosCliff Burton: um hippie headbanger5000 acessosExtreme: banda implode durante show e Nuno abandona o palco5000 acessosGuns N' Roses: os Jovens Pistoleiros, sexo, drogas e RnR5000 acessosLordi: a homenagem ao Kiss em capa de disco4298 acessosDream Theater: Jordan Rudess quase tocou no The Wall, do Pink Floyd5000 acessosJimi Hendrix: dono do melhor riff de todos os tempos

Sobre Bento Araújo

Bento Araújo nasceu em 1976. É jornalista profissional e adora a música dos anos 60 e 70. É o editor chefe da Poeira Zine, a única publicação do país dedicada à música dos bons tempos. Lá ele escreve os textos, faz a diagramação, cuida da arte, do visual, faz 'a social' com os anunciantes, distribui, faz correio, banco, responde os e-mails e as cartas e também limpa o banheiro da redação... Além de tudo isso, o cara ainda tira uma onda tocando contra-baixo pela noite paulistana, além de vez ou outra fazer um 'bico' em alguma loja de discos em troca de raridades vinílicas... O Editor também oferece seus serviços jornalísticos e musicais a quem se interessar... (nada que uns bons dólares não possam resolver...)

Mais matérias de Bento Araújo no Whiplash.Net.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online