Jethro Tull: A quinta passagem da banda de Ian Anderson pelo país

Resenha - Jethro Tull (Credicard Hall, São Paulo, 20/03/2004)

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Bento Araújo
Enviar correções  |  Ver Acessos

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.




Apesar de ser a quinta passagem da banda pelo país, é sempre uma ótima notícia saber que Ian Anderson, Martin Barre e os demais (não importando muito quem sejam eles) estão voltando para mostrar como é que se faz um grande show.

Desde a sua primeira visita ao país, em 1988, o grupo é tratado pela grande e acéfala mídia brasileira como apenas alguns velhos cansados que ainda insistem em fazer Rock N' Roll. "Banda Jurássica" e "bando de dinossauros" é até elogio perto do que já falaram dos caras! Em contrapartida às críticas, naquele primeiro show do grupo em São Paulo, os músicos entraram em cena de cadeira de rodas, muletas e macas, tirando uma da cara da imprensa.

Nessa atual passagem pelo país, o grupo veio promover seu último disco, Christmas Album, lançado no fim do ano passado.

Com os ingressos completamente esgotados uma semana antes do espetáculo (estava marcado um show para o dia 21, que foi cancelado), o público paulista mais uma vez recebeu o Jethro de braços abertos.

Para os fãs "das antigas", as quatro primeiras músicas do show foram o trecho mais empolgante do concerto: Living In The Past, Nothing Is Easy, Beggar's Farm (faixa extraída da estréia do grupo - This Was - de 1968) e With You There To Help Me. A tradicional simpatia de Ian Andreson, e a competência de Martin Barre já afloram nos primeiros instantes, conquistando facilmente o público, esse formado desde senhores discretos acompanhados de suas esposas, até moleques com a camiseta do Manowar e do Slayer desfilando espinhas no rosto!

Uma grata surpresa foi a inclusão de Mother Goose, aquela belezura do disco Aqualung, tocada com fidelidade ao seu formato "folk" original, com violões, percussão leve e até um acordeon.

Não precisa nem falar que quando Barre soltou o riff de Aqualung o Credicard Hall estremeceu com todos os presentes indo à loucura! Aliás, como é maravilhoso o solo de guitarra dessa música! Até hoje ele impressiona, talvez pela destreza e emoção com que Barre sempre o executou.

Tudo acabou com Locomotive Breath, que mais uma que fez todo mundo enlouquecer! É lógico que faltou muita coisa: Teacher, To Old To Rock N' Roll..., Songs From The Wood, Thick As A Brick, Cross Eyed Mary etc. Mas com mais de 35 anos de estrada, não tem como colocar tudo num repertório de cerca de duas horas!

Tomara que o grupo ainda volte mais vezes ao nosso país...

Fotos: Carol Penna (poeira Zine)


Poeira

Garagens dos Anos 60Paul Kossoff - Dor transmitida através das cordasGrand Funk Railroad: A Maior Potência do Hard Norte-AmericanoBlack Sabbath: a passagem de Ian Gillan pela bandaPower-Trios: o Hard é o gênero "onde o bicho mais pega"Blow By Blow - a baforada certeira de BeckIggy and the Stooges: Raw Power, a trilha sonora do fim do mundoIron Maiden: versões pesadas para clássicos do RockMuscle of LoveZZ Top: os sagrados primeiros álbuns alterados em estúdioLynyrd Skynyrd x Neil Young - Amigos ou inimigos?ScorpionsTommy Bolin: Os excessos estavam acabando com aquele caraMountain - discografia comentadaJerry Lee Lewis: o dia em que ele quase matou John LennonThin LizzyMassageie sua mente com este ácido orgasmo auditivoThe James Gang - A gangue encrenqueira do rockGeordie: A primeira banda do vocalista Brian JohnsonDuane Allman: o auge do Derek And The DominosT-Rex: A morte de Marc BolanKen Hensley: seguindo sonhos, como nos bons temposLed Zeppelin no Brasil: sonho que pode se realizarFestivais Ao Ar Livre no Brasil que não aconteceramThe Who: Quinze minutos de fama no lugar de Keith MoonPoeira: Rockstars e as bandas que eles sonhavam fazer parteBon Scott, o eterno Rocker...Blind Faith: uma das capas mais polêmicas da históriaMoby Grape: Auto-indulgência, maconha e abuso na estréia em vinilJethro Tull: a fúria de Ian Anderson pra cima do Led ZeppelinAC/DC: os últimos dias do vocalista Bon ScottBlack Sabbath: a "era Mob Rules"Todas as matérias sobre "Poeira"



GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção Resenhas de ShowsTodas as matérias sobre "Poeira"Todas as matérias sobre "Jethro Tull"


Bandas: Audiófilos elegem as maiores da história do rockBandas
Audiófilos elegem as maiores da história do rock

Eddie: a foto que supostamente inspirou Derek RiggsEddie
A foto que supostamente inspirou Derek Riggs

As regras do Viking MetalAs regras do Viking Metal
As regras do Viking Metal

Heavy Metal: as piores capas dos grandes artistas do gêneroVanusa e Black Sabbath: a notável coincidência nos riffsBlaze Bayley: voz do Andre Matos é muito mais Maiden que a minhaLogos: quando você nem consegue ler o nome da banda

Sobre Bento Araújo

Bento Araújo nasceu em 1976. É jornalista profissional e adora a música dos anos 60 e 70. É o editor chefe da Poeira Zine, a única publicação do país dedicada à música dos bons tempos. Lá ele escreve os textos, faz a diagramação, cuida da arte, do visual, faz 'a social' com os anunciantes, distribui, faz correio, banco, responde os e-mails e as cartas e também limpa o banheiro da redação... Além de tudo isso, o cara ainda tira uma onda tocando contra-baixo pela noite paulistana, além de vez ou outra fazer um 'bico' em alguma loja de discos em troca de raridades vinílicas... O Editor também oferece seus serviços jornalísticos e musicais a quem se interessar... (nada que uns bons dólares não possam resolver...)

Mais matérias de Bento Araújo no Whiplash.Net.