Muscle of Love

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Por Bento Araújo
Enviar correções  |  Comentários  | 

Por um lado foi sorte nossa. A edição brazuca de "Muscle Of Love" não vinha com aquela embalagem de papelão forrando o "produto". Me lembro perfeitamente de uma voltinha histórica com meu pai pela Galeria do Rock, quando eu era uma criança e meu velho me acompanhava nas perigosas andanças pelo centrão de Sampa.

5000 acessosMax Cavalera: triste ver uma banda tão importante virar uma merda5000 acessosTotal Guitar: os melhores e piores covers da história

Numa loja, esbarrei de cara com "Muscle Of Love" na prateleira! A capa me hipnotizou logo no primeiro olhar. Aquela coisa kitsh, meio cafona de porta de boate. Aquele clima meio de porto, promíscuo até o último gole, me traumatizava.


Alice aparecia com um punhado de dólares e uma cara de sacana. A banda exibia drogas e bebidas, todos trajando uniformes da Marinha, e aquele jeitão do Glen Buxton intimando o pobre comprador eram de arrepiar!

Curioso é que não está escrito "Alice Cooper" em nenhum lugar da capa, tornando tudo aquilo um enigma ainda maior, ainda mais para uma pobre criança. A contra-capa era ainda pior. Alice e seus amigos haviam levado uma surra daquelas!

Não podia ser diferente, comprei o disco e levei para rodar na minha casa quando "Big Apple Dreamin' (Hippo)" começou a saltar dos falantes e um arrepio ia subindo no crescente da música. A introdução de batera desleixada de Neal Smith e a voz pastosa de Alice declarando "We're so young and pretty, we're so young and clean..." traçavam um dos maiores anti-hinos à Big Apple. "New York is waiting for you and me, baby, Waiting to swallow us down" era pura realidade da cidade grande. A música foi trabalhada no estúdio e seu nome original era "Hippopotamus" uma homenagem a casa noturna novaiorquina que a banda ousava em freqüentar.


"Never Been Sold Before" poderia se chamar "Never Been Stoled Before" pois é uma recauchutagem do riff de "Day Triper" dos Beatles! O Nazareth foi mais fundo na picaretagem dois anos depois quando cunhou seu hit, "Hair Of The Dog", sobre o mesmo Riff. Já o que vem depois é simplesmente a melhor música do álbum, e quiçá uma das melhores baladas de Alice Cooper - "Hard Hearted Alice". Peça fundamental daqueles shows no Brasil e da tour que promovia o disco. Resquícios da época áurea da psicodelia, tecladeira azeitada (cortesia do tecladista Bob Dolin que até saiu em tour com eles) vocais Pop a la Beatles, percussão forte e um clima viajante - perfeito, inovação pura na sonoridade da banda! O vaudeville de "Crazy Little Child" fechava o primeiro lado.


A banda de apoio de Alice estava em atrito ferrenho com o líder. A moçada naquela altura, sedenta por Rock e experimentações musicais, estava cansada do lance "teatral" da coisa, se ligando mais na música mesmo. Alice já pensava diferente e queria sempre incrementar o seu show de horrores, deixando a música para segundo plano. O estopim desses desentendimentos foi esse "Muscle Of Love", mais roqueiro, básico e puramente musical do que seus antecessores. Sem a tutela do produtor Bob Ezrin (que sentiu que o bicho ia pegar nas gravações e se mandou) Alice ficou meio perdido e a banda, para nossa alegria, acabou se sobressaindo.


Abrindo o Lado B, "Working Up A Sweat" é festa rock n' roll, tanto que encerrava os shows da tour. A faixa título aparece e traz mais uma daquelas geniais linhas de baixo do exemplar Dennis Dunaway. Curioso é que ela foi trabalhada no estúdio com o nome de "Respect For The Sleepers".

Alice sempre foi um fã de cinema e principalmente de James Bond. "Man With The Golden Gun" foi composta pela banda com o exclusivo intuito de ser o tema principal para o filme homônimo do agente 007. Inclusive o cantor insistiu bastante para que isso realmente acontecesse, mas a produtora acabou rejeitando a música na última hora, e ela veio parar nesse maravilhoso disco, mais uma sorte nossa!


Outra pérola do repertório de Alice é "Teenage Lament' 74". Mais um manifesto da rebeldia infanto-juvenil revisitada por Cooper. A fórmula já tinha surtido efeito devastador com o hit "I'm Eighteen" (que saiu no disco "Love It To Death" de 1971), e voltava a estourar. "Teenage..." foi o maior hit de "Muscle Of Love", saiu em compacto e vendeu horrores mundo afora. Liza Minelli e as Pointer Sisters davam uma forcinha nos backing vocals. Tudo tinha fim com "Woman Machine", faixa que trazia um solo de guitarra de Mick Mashbir, o guitarrista fantasma que tocou no disco inteiro e também fez a tour de promoção, mas sempre sem constar nos créditos.

Alice não aprovou o resultado final e as vendas foram baixas em relação ao multi-platinado "Billion Dollar Babies", lançado no mesmo ano. Não é à toa que este "Muscle Of Love" foi o último registro de Cooper com sua banda original, pois logo depois ele dispensaria todo mundo e ampliaria ainda mais seu público com o projeto conceitual "Welcome To My Nightmare" de 1975, cuja sonoridade é mais pomposa e menos visceral.


Muscle Of Love
Lançado na América em 20 de novembro de 1973.

Faixas:
- Big Apple Dreamin'(Hippo) (Cooper, Bruce, Buxton, Dunaway, Smith)
- Never Been Sold Before (Cooper, Bruce, Dunaway, Smith, Buxton)
- Hard Hearted Alice (Cooper, Bruce)
- Crazy Little Child (Cooper, Bruce)
- Working Up A Sweat (Cooper, Bruce)
- Muscle of Love (Cooper, Bruce)
- Man With The Golden Gun (Cooper, Bruce, Dunaway, Smith, Buxton)
- Teenage Lament 74 (Cooper, Smith)
- Woman Machine (Cooper, Bruce, Dunaway, Smith, Buxton)

Músicos
Alice Cooper - Vocais
Neal Smith - Bateria e Vocais
Dennis Dunaway - Baixo e Vocais
Glen Buxton - Guitarra Solo
Michael Bruce - Guitarra Base, Solo, Vocais, Piano e Órgão
Bob Dolin - Teclados
Mick Mashbir - Guitarra
Dick Wagner - Guitarra
Paul Prestopino - Banjo em "Crazy Little Child"
Liza Minnelli - Backing Vocals em 'Teenage Lament '74" e "The Man With The Golden Gun"
La Belle (Noma and Sarah) - Backing Vocals em 'Teenage Lament '74"
Ronnie Spector - Backing Vocals em "Teenage Lament ' 74"
The Pointer Sisters - Backing Vocals em 'Teenage Lament '74" e "Working Up A Sweat"

Produção: Jack Richardson e Jack Douglas para Nimbus 9 Produções
Estúdios: Sunset Sound, Hollywood. Record Plant, New York e The Cooper Mansion, Greenwich, Connecticut.
Engenheiro de som - Jack Douglas
Técnicos de gravação - Reed Stanley, Dennis Frerante e Ed Sprigg
Arranjos de cordas e metais: Macmillan, gravados nos A&R Recording Studios, New York.
Engenheiro de gravação - Phil Ramone
Concepção e Arte da capa - Pacific Eye And Ear
Fotos - Saint-Jivago Desanges/La Legion
Maquiagem - Linda Livingston


Notas:
# As edições originais do LP na América, Austrália, Japão, Nova Zelândia, Canadá, Inglaterra e Argentina vinham embaladas numa caixa de papelão, com o disco cuidadosamente acoplado a um envelope que trazia a foto da banda na frente da boate e mais um encarte com uma foto da banda descascando batatas. A edição Argentina tinha o nome de "Musculo De Amor" e todas os títulos das faixas traduzidos para o castelhano.

# No Brasil foi lançado em janeiro de 1974, sem a embalagem e sem encarte pela Discos Continental.

# Alice ia batizar o disco com o nome de "A Kiss And A Fist". Na última hora ele achou melhor trocar para "Muscle Of Love"

# Prova de que Alice nunca curtiu muito esse disco é o fato dele raramente executar canções desse disco em seus shows pós 1974. O cantor ainda declarou: "Esse álbum trazia uma série de pequenas e estranhas músicas! Eu nunca o entendi muito bem, apesar de ser um divisor de águas na minha carreira!"


# # Boatos dão conta de que Liza Minelli chegou ao estúdio para gravar seus vocais e antes mesmo de cumprimentar Cooper foi direto perguntando pela Cerveja.

# Uma faixa inédita (que não saiu oficialmente até hoje) chamada "Baby Please Don´t Stop" foi gravada naquelas seções e contava com o batera Neal Smith nos vocais.

A capa foi censurada na África do Sul e causou uma grande euforia quando chegou no Aeroporto local. Os fiscais da alfândega receberam uma ordem de dar um sumiço nas capas, forçando os lojistas a comercializarem somente o LP!


A matéria na íntegra está na versão impressa, com o panorama completo dos shows de Alice Cooper pelo Brasil em 1974. Lá você também encontra uma entrevista exclusiva com o batera Neal Smith, fotos inéditas do show de São Paulo e mais depoimentos de gente como Leopoldo Rey, Vitão Bonesso, Rolando Castello Júnior, Paulo Zinner, Kid Vinil, Valdir Montanari, Antônio Carlos Monteiro e outros...

Por que destacamos matérias antigas no Whiplash.Net?

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Poeira

5000 acessosGaragens dos Anos 605000 acessosPaul Kossoff - Dor transmitida através das cordas5000 acessosGrand Funk Railroad: A Maior Potência do Hard Norte-Americano5000 acessosBlack Sabbath: a passagem de Ian Gillan pela banda5000 acessosPower-Trios: o Hard é o gênero "onde o bicho mais pega"4271 acessosBlow By Blow - a baforada certeira de Beck5000 acessosIggy and the Stooges: Raw Power, a trilha sonora do fim do mundo5000 acessosIron Maiden: versões pesadas para clássicos do Rock3948 acessosResenha - Jethro Tull (Credicard Hall, São Paulo, 20/03/2004)5000 acessosZZ Top: os sagrados primeiros álbuns alterados em estúdio5000 acessosLynyrd Skynyrd x Neil Young - Amigos ou inimigos?5000 acessosScorpions5000 acessosTommy Bolin: Os excessos estavam acabando com aquele cara5000 acessosMountain - discografia comentada5000 acessosJerry Lee Lewis: o dia em que ele quase matou John Lennon5000 acessosThin Lizzy5000 acessosMassageie sua mente com este ácido orgasmo auditivo5000 acessosThe James Gang - A gangue encrenqueira do rock5000 acessosGeordie: A primeira banda do vocalista Brian Johnson5000 acessosDuane Allman: o auge do Derek And The Dominos5000 acessosOs 30 anos da morte de Marc Bolan5000 acessosKen Hensley: seguindo sonhos, como nos bons tempos5000 acessosLed Zeppelin no Brasil: sonho que pode se realizar3746 acessosFestivais Ao Ar Livre no Brasil que não aconteceram5000 acessosThe Who: Quinze minutos de fama no lugar de Keith Moon5000 acessosPoeira: Rockstars e as bandas que eles sonhavam fazer parte5000 acessosBon Scott, o eterno Rocker...5000 acessosBlind Faith: uma das capas mais polêmicas da história5000 acessosA jubilosa estréia do Moby Grape5000 acessosJethro Tull: a fúria de Ian Anderson pra cima do Led Zeppelin5000 acessosAC/DC: os últimos dias do vocalista Bon Scott5000 acessosBlack Sabbath: a "era 'Mob Rules'"0 acessosTodas as matérias sobre "Poeira"

0 acessosTodas as matérias da seção Matérias0 acessosTodas as matérias sobre "Poeira"0 acessosTodas as matérias sobre "Alice Cooper"

Max CavaleraMax Cavalera
Triste ver uma banda tão importante virar uma merda

Total GuitarTotal Guitar
Os melhores e piores covers da história

SlashSlash
"Não entendo a histeria sobre o Guns N' Roses"

5000 acessosIron Maiden: em 1985, show "secreto" com Adrian no vocal5000 acessosJim Carrey: batendo cabeça ao som de Cannibal Corpse5000 acessosVitão Bonesso: A imensa coleção do apresentador do Backstage5000 acessosMetallica: as dez piores segundo a Ultimate Classic Rock5000 acessosNa Mira do Regis: farsa do playback no "Superstar" é desmascarada2448 acessosDream Theater: ouça uma versão acústica de "Panic Attack"

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

Mais comentários na Fanpage do site, no link abaixo:

Post de 30 de abril de 2013

Sobre Bento Araújo

Bento Araújo nasceu em 1976. É jornalista profissional e adora a música dos anos 60 e 70. É o editor chefe da Poeira Zine, a única publicação do país dedicada à música dos bons tempos. Lá ele escreve os textos, faz a diagramação, cuida da arte, do visual, faz 'a social' com os anunciantes, distribui, faz correio, banco, responde os e-mails e as cartas e também limpa o banheiro da redação... Além de tudo isso, o cara ainda tira uma onda tocando contra-baixo pela noite paulistana, além de vez ou outra fazer um 'bico' em alguma loja de discos em troca de raridades vinílicas... O Editor também oferece seus serviços jornalísticos e musicais a quem se interessar... (nada que uns bons dólares não possam resolver...)

Mais matérias de Bento Araújo no Whiplash.Net.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online