Matérias Mais Lidas

imagemMarcello Pompeu agradece mobilização de fãs

imagemVital, o ex-Paralamas que virou nome de música e depois foi pro Heavy Metal

imagemA opinião de Arnaldo Antunes sobre a competição interna que havia nos Titãs

imagemAs composições de Paul McCartney nos Beatles preferidas de John Lennon

imagemGene Simmons compartilha tweet com meme da ex-presidente Dilma Rousseff

imagemNicko McBrain, do Iron Maiden, mostra o seu novo (e enorme) kit de bateria

imagemEvanescence coloca baixista no cargo de guitarrista e anuncia nova baixista

imagemO reencontro entre Steve Harris e Paul Di'Anno na Croácia

imagemÍcone do metal é alvo de críticas por tocar com músico condenado por assassinato

imagemDave Mustaine, do Megadeth, inicia vida de youtuber e mostra o ônibus de turnê da banda

imagemMetallica divulga vídeo oficial da clássica "For Whom The Bell Tolls" ao vivo em SP

imagemLars Ulrich diz que shows do Metallica na América do Sul foram incríveis

imagemMark Tremonti, do Alter Bridge, revela que é grande fã de lendária banda de metal

imagemFrank Zappa disse a Steve Vai que ele soava como "um pão com mortadela elétrico"

imagemVocalista do Greta Van Fleet não entende os haters: "parece a p**** de uma religião"


Stamp

Muscle Of Love: O último registro de Alice Cooper com sua banda original

Por Bento Araújo
Em 03/08/04

Por um lado foi sorte nossa. A edição brazuca de "Muscle Of Love" não vinha com aquela embalagem de papelão forrando o "produto". Me lembro perfeitamente de uma voltinha histórica com meu pai pela Galeria do Rock, quando eu era uma criança e meu velho me acompanhava nas perigosas andanças pelo centrão de Sampa.

Numa loja, esbarrei de cara com "Muscle Of Love" na prateleira! A capa me hipnotizou logo no primeiro olhar. Aquela coisa kitsh, meio cafona de porta de boate. Aquele clima meio de porto, promíscuo até o último gole, me traumatizava.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Alice aparecia com um punhado de dólares e uma cara de sacana. A banda exibia drogas e bebidas, todos trajando uniformes da Marinha, e aquele jeitão do Glen Buxton intimando o pobre comprador eram de arrepiar!

Curioso é que não está escrito "Alice Cooper" em nenhum lugar da capa, tornando tudo aquilo um enigma ainda maior, ainda mais para uma pobre criança. A contra-capa era ainda pior. Alice e seus amigos haviam levado uma surra daquelas!

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Não podia ser diferente, comprei o disco e levei para rodar na minha casa quando "Big Apple Dreamin' (Hippo)" começou a saltar dos falantes e um arrepio ia subindo no crescente da música. A introdução de batera desleixada de Neal Smith e a voz pastosa de Alice declarando "We're so young and pretty, we're so young and clean..." traçavam um dos maiores anti-hinos à Big Apple. "New York is waiting for you and me, baby, Waiting to swallow us down" era pura realidade da cidade grande. A música foi trabalhada no estúdio e seu nome original era "Hippopotamus" uma homenagem a casa noturna novaiorquina que a banda ousava em freqüentar.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

"Never Been Sold Before" poderia se chamar "Never Been Stoled Before" pois é uma recauchutagem do riff de "Day Triper" dos Beatles! O Nazareth foi mais fundo na picaretagem dois anos depois quando cunhou seu hit, "Hair Of The Dog", sobre o mesmo Riff. Já o que vem depois é simplesmente a melhor música do álbum, e quiçá uma das melhores baladas de Alice Cooper - "Hard Hearted Alice". Peça fundamental daqueles shows no Brasil e da tour que promovia o disco. Resquícios da época áurea da psicodelia, tecladeira azeitada (cortesia do tecladista Bob Dolin que até saiu em tour com eles) vocais Pop a la Beatles, percussão forte e um clima viajante - perfeito, inovação pura na sonoridade da banda! O vaudeville de "Crazy Little Child" fechava o primeiro lado.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

A banda de apoio de Alice estava em atrito ferrenho com o líder. A moçada naquela altura, sedenta por Rock e experimentações musicais, estava cansada do lance "teatral" da coisa, se ligando mais na música mesmo. Alice já pensava diferente e queria sempre incrementar o seu show de horrores, deixando a música para segundo plano. O estopim desses desentendimentos foi esse "Muscle Of Love", mais roqueiro, básico e puramente musical do que seus antecessores. Sem a tutela do produtor Bob Ezrin (que sentiu que o bicho ia pegar nas gravações e se mandou) Alice ficou meio perdido e a banda, para nossa alegria, acabou se sobressaindo.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Abrindo o Lado B, "Working Up A Sweat" é festa rock n' roll, tanto que encerrava os shows da tour. A faixa título aparece e traz mais uma daquelas geniais linhas de baixo do exemplar Dennis Dunaway. Curioso é que ela foi trabalhada no estúdio com o nome de "Respect For The Sleepers".

Alice sempre foi um fã de cinema e principalmente de James Bond. "Man With The Golden Gun" foi composta pela banda com o exclusivo intuito de ser o tema principal para o filme homônimo do agente 007. Inclusive o cantor insistiu bastante para que isso realmente acontecesse, mas a produtora acabou rejeitando a música na última hora, e ela veio parar nesse maravilhoso disco, mais uma sorte nossa!

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Outra pérola do repertório de Alice é "Teenage Lament' 74". Mais um manifesto da rebeldia infanto-juvenil revisitada por Cooper. A fórmula já tinha surtido efeito devastador com o hit "I'm Eighteen" (que saiu no disco "Love It To Death" de 1971), e voltava a estourar. "Teenage..." foi o maior hit de "Muscle Of Love", saiu em compacto e vendeu horrores mundo afora. Liza Minelli e as Pointer Sisters davam uma forcinha nos backing vocals. Tudo tinha fim com "Woman Machine", faixa que trazia um solo de guitarra de Mick Mashbir, o guitarrista fantasma que tocou no disco inteiro e também fez a tour de promoção, mas sempre sem constar nos créditos.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Alice não aprovou o resultado final e as vendas foram baixas em relação ao multi-platinado "Billion Dollar Babies", lançado no mesmo ano. Não é à toa que este "Muscle Of Love" foi o último registro de Cooper com sua banda original, pois logo depois ele dispensaria todo mundo e ampliaria ainda mais seu público com o projeto conceitual "Welcome To My Nightmare" de 1975, cuja sonoridade é mais pomposa e menos visceral.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Muscle Of Love
Lançado na América em 20 de novembro de 1973.

Faixas:
- Big Apple Dreamin'(Hippo) (Cooper, Bruce, Buxton, Dunaway, Smith)
- Never Been Sold Before (Cooper, Bruce, Dunaway, Smith, Buxton)
- Hard Hearted Alice (Cooper, Bruce)
- Crazy Little Child (Cooper, Bruce)
- Working Up A Sweat (Cooper, Bruce)
- Muscle of Love (Cooper, Bruce)
- Man With The Golden Gun (Cooper, Bruce, Dunaway, Smith, Buxton)
- Teenage Lament 74 (Cooper, Smith)
- Woman Machine (Cooper, Bruce, Dunaway, Smith, Buxton)

Músicos
Alice Cooper - Vocais
Neal Smith - Bateria e Vocais
Dennis Dunaway - Baixo e Vocais
Glen Buxton - Guitarra Solo
Michael Bruce - Guitarra Base, Solo, Vocais, Piano e Órgão
Bob Dolin - Teclados
Mick Mashbir - Guitarra
Dick Wagner - Guitarra
Paul Prestopino - Banjo em "Crazy Little Child"
Liza Minnelli - Backing Vocals em 'Teenage Lament '74" e "The Man With The Golden Gun"
La Belle (Noma and Sarah) - Backing Vocals em 'Teenage Lament '74"
Ronnie Spector - Backing Vocals em "Teenage Lament ' 74"
The Pointer Sisters - Backing Vocals em 'Teenage Lament '74" e "Working Up A Sweat"

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Produção: Jack Richardson e Jack Douglas para Nimbus 9 Produções
Estúdios: Sunset Sound, Hollywood. Record Plant, New York e The Cooper Mansion, Greenwich, Connecticut.
Engenheiro de som - Jack Douglas
Técnicos de gravação - Reed Stanley, Dennis Frerante e Ed Sprigg
Arranjos de cordas e metais: Macmillan, gravados nos A&R Recording Studios, New York.
Engenheiro de gravação - Phil Ramone
Concepção e Arte da capa - Pacific Eye And Ear
Fotos - Saint-Jivago Desanges/La Legion
Maquiagem - Linda Livingston

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Notas:
# As edições originais do LP na América, Austrália, Japão, Nova Zelândia, Canadá, Inglaterra e Argentina vinham embaladas numa caixa de papelão, com o disco cuidadosamente acoplado a um envelope que trazia a foto da banda na frente da boate e mais um encarte com uma foto da banda descascando batatas. A edição Argentina tinha o nome de "Musculo De Amor" e todas os títulos das faixas traduzidos para o castelhano.

# No Brasil foi lançado em janeiro de 1974, sem a embalagem e sem encarte pela Discos Continental.

# Alice ia batizar o disco com o nome de "A Kiss And A Fist". Na última hora ele achou melhor trocar para "Muscle Of Love"

# Prova de que Alice nunca curtiu muito esse disco é o fato dele raramente executar canções desse disco em seus shows pós 1974. O cantor ainda declarou: "Esse álbum trazia uma série de pequenas e estranhas músicas! Eu nunca o entendi muito bem, apesar de ser um divisor de águas na minha carreira!"

# # Boatos dão conta de que Liza Minelli chegou ao estúdio para gravar seus vocais e antes mesmo de cumprimentar Cooper foi direto perguntando pela Cerveja.

# Uma faixa inédita (que não saiu oficialmente até hoje) chamada "Baby Please Don´t Stop" foi gravada naquelas seções e contava com o batera Neal Smith nos vocais.

A capa foi censurada na África do Sul e causou uma grande euforia quando chegou no Aeroporto local. Os fiscais da alfândega receberam uma ordem de dar um sumiço nas capas, forçando os lojistas a comercializarem somente o LP!

A matéria na íntegra está na versão impressa, com o panorama completo dos shows de Alice Cooper pelo Brasil em 1974. Lá você também encontra uma entrevista exclusiva com o batera Neal Smith, fotos inéditas do show de São Paulo e mais depoimentos de gente como Leopoldo Rey, Vitão Bonesso, Rolando Castello Júnior, Paulo Zinner, Kid Vinil, Valdir Montanari, Antônio Carlos Monteiro e outros...


Poeira

Garagens dos Anos 60

Paul Kossoff - Dor transmitida através das cordas

Grand Funk Railroad: A Maior Potência do Hard Norte-Americano

imagemBlack Sabbath: a passagem de Ian Gillan pela banda

Power-Trios: o Hard é o gênero "onde o bicho mais pega"

Blow By Blow - a baforada certeira de Beck

Iggy and the Stooges: Raw Power, a trilha sonora do fim do mundo

imagemIron Maiden: versões pesadas para clássicos do Rock

Resenha - Jethro Tull (Credicard Hall, São Paulo, 20/03/2004)

ZZ Top: os sagrados primeiros álbuns alterados em estúdio

imagemLynyrd Skynyrd x Neil Young: Amigos ou inimigos?

Scorpions: O nome era sinônimo de garra e bom rock pesado

imagemTommy Bolin: Os excessos estavam acabando com aquele cara

Mountain - discografia comentada

imagemJerry Lee Lewis: o dia em que ele quase matou John Lennon

Thin Lizzy: Momentos inesquecíveis da despedida

Massageie sua mente com este ácido orgasmo auditivo

The James Gang - A gangue encrenqueira do rock

Geordie: A primeira banda do vocalista Brian Johnson

Duane Allman: o auge do Derek And The Dominos

T-Rex: A morte de Marc Bolan

Ken Hensley: seguindo sonhos, como nos bons tempos

Led Zeppelin no Brasil: sonho que pode se realizar

Festivais Ao Ar Livre no Brasil que não aconteceram

The Who: Quinze minutos de fama no lugar de Keith Moon

imagemPoeira: Rockstars e as bandas que eles sonhavam fazer parte

imagemBon Scott, o eterno Rocker...

imagemBlind Faith: uma das capas mais polêmicas da história

Moby Grape: Auto-indulgência, maconha e abuso na estréia em vinil

Jethro Tull: a fúria de Ian Anderson pra cima do Led Zeppelin

imagemAC/DC: os últimos dias do vocalista Bon Scott

Black Sabbath: a "era Mob Rules"

Todas as matérias sobre "Poeira"

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

publicidade
Ademir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | Andre Sugaroni | André Silva Eleutério | Antonio Fernando Klinke Filho | Bruno Franca Passamani | Caetano Nunes Almeida | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Eduardo Ramos | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Cristofer Weber | César Augusto Camazzola | Dalmar Costa V. Soares | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Eric Fernando Rodrigues | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Helênio Prado | Henrique Haag Ribacki | Jesse Silva | José Patrick de Souza | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcelo H G Batista | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Ricardo Dornas Marins | Sergio Luis Anaga | Sergio Ricardo Correa dos Santos | Tales Dors Ciprandi | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Tom Paes | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva
Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp

Chuck Wright: ex-Quiet Riot lança single pedindo fim da guerra na Ucrânia


Nita Strauss: a estratégia genial adotada quando ela ainda não tinha empresário

Nita Strauss: o que ela pensa sobre usar sexualidade para promover sua música



Sobre Bento Araújo

Bento Araújo nasceu em 1976. É jornalista profissional e adora a música dos anos 60 e 70. É o editor chefe da Poeira Zine, a única publicação do país dedicada à música dos bons tempos. Lá ele escreve os textos, faz a diagramação, cuida da arte, do visual, faz 'a social' com os anunciantes, distribui, faz correio, banco, responde os e-mails e as cartas e também limpa o banheiro da redação... Além de tudo isso, o cara ainda tira uma onda tocando contra-baixo pela noite paulistana, além de vez ou outra fazer um 'bico' em alguma loja de discos em troca de raridades vinílicas... O Editor também oferece seus serviços jornalísticos e musicais a quem se interessar... (nada que uns bons dólares não possam resolver...)

Mais matérias de Bento Araújo.