Matérias Mais Lidas

imagemMarcello Pompeu agradece mobilização de fãs

imagemAs composições de Paul McCartney nos Beatles preferidas de John Lennon

imagemA opinião de Arnaldo Antunes sobre a competição interna que havia nos Titãs

imagemNicko McBrain, do Iron Maiden, mostra o seu novo (e enorme) kit de bateria

imagemO reencontro entre Steve Harris e Paul Di'Anno na Croácia

imagemEvanescence coloca baixista no cargo de guitarrista e anuncia nova baixista

imagemA fundamental diferença entre Paulo Ricardo e Schiavon que levou RPM ao fim

imagemAdrian Smith conta como Iron Maiden permaneceu forte e era grunge passou

imagemNick Mason relembra a época que o Pink Floyd desastrosamente tentou tocar reggae

imagemDave Mustaine, do Megadeth, inicia vida de youtuber e mostra o ônibus de turnê da banda

imagemGene Simmons compartilha tweet com meme da ex-presidente Dilma Rousseff

imagemÍcone do metal é alvo de críticas por tocar com músico condenado por assassinato

imagemVital, o ex-Paralamas que virou nome de música e depois foi pro Heavy Metal

imagemRoger Daltrey revela a música "amaldiçoada" que o The Who não toca mais ao vivo

imagemFrank Zappa disse a Steve Vai que ele soava como "um pão com mortadela elétrico"


Moby Grape: Auto-indulgência, maconha e abuso na estréia em vinil

Por Bento Araújo
Fonte: poeira Zine
Em 15/06/09

A idéia inicial do Moby Grape era unir as raízes da música norte-americana com a emergente onda psicodélica que vinha surgindo. Sorte eles já tinham, pois os cinco integrantes do grupo sabiam compor e cantar muito bem. Isso está latente na estréia homônima dos rapazes, cunhada na raça por cinco lendas do underground californiano: o guitarrista rítmico e frontman Skip Spence, que até tinha sido baterista do Jefferson Airplane, Jerry Miller na guitarra, Don Stevenson na bateria (ambos fundadores do Frantics), o guitarra base Peter Lewis (ex-The Cornells e filho da atriz Loretta Young) e o baixista Bob Mosley.



A jubilosa estréia, talvez o único momento puro de triunfo da trajetória do desafortunado grupo, pode ser considerada a mais brilhante da cena de São Francisco. Aqui, ninguém queria transpor para o vinil uma estúpida viagem de ácido. Um fato louvável se compararmos o Grape com seus conterrâneos. Longas jams desnecessárias e auto-indulgência não faziam a cabeça do pessoal do Moby Grape, apesar dessa última ser uma constante na gravadora dos caras.

Somente uma exacerbada auto-indulgência pode explicar o fato da Columbia lançar no mercado, de uma única vez, cinco singles extraídos desta estréia. A atitude soou demasiadamente exagerada na época, fazendo com que a crítica caísse matando, ao taxar o grupo de pretensiosos ao extremo. Para piorar, nenhum dos compactos emplacou nas paradas, apesar do grupo apresentar alguns desses temas nos mais conceituados programas de TV.

Na festa de lançamento do disco, a Columbia voltou a exagerar: contrataram dez lindas garotas que jogaram 30.000 orquídeas importadas nos convidados, serviram centenas de garrafas de vinho contendo um rótulo personalizado do grupo e distribuiram luxuosos cases de veludo para a imprensa, contendo o álbum e os cinco compactos. Na seqüência, três integrantes do Grape foram detidos pela polícia por porte de maconha e foram acusados também de andarem com garotas menores de idade.

Mais problemas pelo caminho: a capa da estréia teve que ser re-impressa, pois na foto, Stevenson parecia ofender os ouvintes com o seu dedo médio. Isso deixava o tão almejado sucesso cada vez mais distante.

O relacionamento interno do pessoal só deteriorou quando Spence começou a tomar LSD como água e entrou em parafuso, querendo inclusive executar seus companheiros de banda com um machado. O líder do Moby Grape passou um tempo internado num hospital até fugir de motocicleta (vestindo um pijama) para Nashville, onde registrou seu magnífico álbum solo, "OAR", mas é melhor deixar isso para outra ocasião.


Poeira

Garagens dos Anos 60

Paul Kossoff - Dor transmitida através das cordas

Grand Funk Railroad: A Maior Potência do Hard Norte-Americano

imagemBlack Sabbath: a passagem de Ian Gillan pela banda

Power-Trios: o Hard é o gênero "onde o bicho mais pega"

Blow By Blow - a baforada certeira de Beck

Iggy and the Stooges: Raw Power, a trilha sonora do fim do mundo

imagemIron Maiden: versões pesadas para clássicos do Rock

imagemResenha - Jethro Tull (Credicard Hall, São Paulo, 20/03/2004)

Muscle Of Love: O último registro de Alice Cooper com sua banda original

ZZ Top: os sagrados primeiros álbuns alterados em estúdio

imagemLynyrd Skynyrd x Neil Young: Amigos ou inimigos?

Scorpions: O nome era sinônimo de garra e bom rock pesado

imagemTommy Bolin: Os excessos estavam acabando com aquele cara

Mountain - discografia comentada

imagemJerry Lee Lewis: o dia em que ele quase matou John Lennon

Thin Lizzy: Momentos inesquecíveis da despedida

Massageie sua mente com este ácido orgasmo auditivo

The James Gang - A gangue encrenqueira do rock

Geordie: A primeira banda do vocalista Brian Johnson

Duane Allman: o auge do Derek And The Dominos

T-Rex: A morte de Marc Bolan

Ken Hensley: seguindo sonhos, como nos bons tempos

Led Zeppelin no Brasil: sonho que pode se realizar

Festivais Ao Ar Livre no Brasil que não aconteceram

The Who: Quinze minutos de fama no lugar de Keith Moon

imagemPoeira: Rockstars e as bandas que eles sonhavam fazer parte

imagemBon Scott, o eterno Rocker...

imagemBlind Faith: uma das capas mais polêmicas da história

Jethro Tull: a fúria de Ian Anderson pra cima do Led Zeppelin

imagemAC/DC: os últimos dias do vocalista Bon Scott

Black Sabbath: a "era Mob Rules"

Todas as matérias sobre "Poeira"

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Stamp
publicidade
Ademir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | Andre Sugaroni | André Silva Eleutério | Antonio Fernando Klinke Filho | Bruno Franca Passamani | Caetano Nunes Almeida | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Eduardo Ramos | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Cristofer Weber | César Augusto Camazzola | Dalmar Costa V. Soares | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Eric Fernando Rodrigues | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Helênio Prado | Henrique Haag Ribacki | Jesse Silva | José Patrick de Souza | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcelo H G Batista | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Ricardo Dornas Marins | Sergio Luis Anaga | Sergio Ricardo Correa dos Santos | Tales Dors Ciprandi | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Tom Paes | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva
Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp

Moby Grape: Auto-indulgência, maconha e abuso na estréia em vinil



Sobre Bento Araújo

Bento Araújo nasceu em 1976. É jornalista profissional e adora a música dos anos 60 e 70. É o editor chefe da Poeira Zine, a única publicação do país dedicada à música dos bons tempos. Lá ele escreve os textos, faz a diagramação, cuida da arte, do visual, faz 'a social' com os anunciantes, distribui, faz correio, banco, responde os e-mails e as cartas e também limpa o banheiro da redação... Além de tudo isso, o cara ainda tira uma onda tocando contra-baixo pela noite paulistana, além de vez ou outra fazer um 'bico' em alguma loja de discos em troca de raridades vinílicas... O Editor também oferece seus serviços jornalísticos e musicais a quem se interessar... (nada que uns bons dólares não possam resolver...)

Mais matérias de Bento Araújo.