RECEBA NOVIDADES ROCK E METAL DO WHIPLASH.NET NO WHATSAPP

Matérias Mais Lidas

imagemOzzy Osbourne cancela tour europeia por conta de sua saúde; "Meu corpo ainda está fraco"

imagemA opinião de Slash sobre Dave Mustaine e "Rust In Peace", clássico do Megadeth

imagemOs 4 fatores determinantes que levaram Renato Russo a dependência química

imagemA música de Raul Seixas que salvou a carreira de Chitãozinho e Xororó

imagemOs 10 maiores vocalistas de heavy metal de todos os tempos, em lista do Ruthless Metal

imagemPor que Lemmy odiava tocar "Ace of Spades" nos shows do Motörhead

imagemMike Portnoy comprou "Piece Of Mind", do Maiden, em excursão escolar

imagemPara John Lennon, os Beatles poderiam ter acontecido sem George e Ringo

imagemOs 10 maiores álbuns da história do grunge, em lista do Brave Words

imagemComo Tommy Lee e o Mötley Crüe ajudaram Axl Rose a escrever "November Rain"

imagemEx-guitarrista do Megadeth não liga para Mustaine e diz que está "fazendo dinheiro para ele"

imagemRolê aleatório: Geoff Tate e Rhapsody se divertem no aeroporto

imagemTodos os álbuns do Ghost, do pior para o melhor, em lista do Loudwire

imagemQuando os Titãs deixaram a empáfia roqueira de lado para entrar no sistema e conquistá-lo

imagemA medida extrema que Dio pensou em tomar por não curtir "Rainbow in the Dark"


After Forever: vivendo entre o Céu e o Inferno

Por Antonio Rodrigues Junior
Postado em 28 de junho de 2007

O sexteto holandês, que promete retornar ao Brasil até o final do ano, está lançando o quinto álbum de estúdio ao mesmo tempo em que enfrenta problemas com a saúde de seu guitarrista Sander Gommans.

Muitos dizem que o céu e o inferno caminham lado a lado. A banda holandesa After Forever vem percebendo isso nos últimos tempos. O conjunto, liderado pela bela vocalista Floor Jansen, está lançando o novo álbum de estúdio – o quinto da carreira –, mas também vive problemas de stress com o guitarrista e um dos líderes do grupo Sander Gommans, que teve de ser afastado por ordens médicas.

O disco homônimo (primeiro trabalho lançado via Nuclear Blast) apresenta 12 novas composições, que resgatam elementos de todos os trabalhos anteriores. O novo álbum sucessor de "Remagine" (2005) ainda conta com as participações de Jeff Waters (do Annihilator) e Doro Pesch (ex-Warlock) – que a banda de gothic metal conheceu no Brasil durante o Live ‘N’ Louder no ano passado –, além da Orquestra Sinfônica de Praga.

Apesar da alegria de lançar um novo álbum de estúdio, a turnê de divulgação dele vem gerando alguns contratempos. O primeiro deles foi o afastamento temporário do guitarrista Sander Gommans devido a motivos como "sofrer de vertigem e debilitação precedida ou seguida de dores de cabeça", ou simplesmente, stress. O outro problema foi um acidente com um dos ônibus da turnê, que perdeu uma das rodas enquanto se dirigia a Hamburgo, na Alemanha.

Nesta entrevista exclusiva a Comando Rock, o tecladista Joost Van Den Broek falou sobre o lançamento do novo álbum, a opção de lançá-lo de forma homônima, a gravação com uma orquestra e as participações especiais, comentou sobre o festival Live ‘N’ Louder e a vontade de retornar ao Brasil no final deste ano, contou sobre o acidente com um dos ônibus da banda, esclareceu o afastamento de Sander e adiantou detalhes sobre o lançamento de um novo DVD.

Comando Rock: Atualmente a banda está divulgando o recém lançado quinto disco de estúdio. Como foi o processo de composição e gravação do álbum?

Joost Van Den Broek: Escrevi todas as músicas juntamente com Sander, enquanto Floor ficou a cargo das melodias vocais e letras. Gordon Groothedde foi responsável pela produção. Foram cerca de oito meses dedicados a este trabalho. As músicas começaram a ser compostas em março do ano passado e, em setembro, fomos ao estúdio, onde passamos cerca de três meses. Acho que conseguimos chegar ao resultado que queríamos.

Comando Rock: São perceptíveis, neste lançamento, elementos presentes em todos os trabalhos anteriores.

Joost Van Den Broek: Colocamos neste álbum tudo o que havíamos usado nos trabalhos passados, mas a diferença é que neste CD levamos isso ao extremo de uma forma mais madura.

Comando Rock: Inicialmente foi divulgado que o título do novo disco seria "Energized", porém o grupo optou por deixa-lo homônimo. Por quê?

Joost Van Den Broek: Escolhemos colocar o nome da banda porque sentimos como se agora fosse um novo começo. Este trabalho representa uma conclusão do nosso estilo e mostra a banda em toda a sua glória.

Comando Rock: O novo disco contou com algumas participações especiais. A primeira delas aparece logo na faixa de abertura "Discord", que conta com a Orquestra Sinfônica de Praga. Como foi esta experiência de contar com uma orquestra?

Joost Van Den Broek: Na minha opinião este é o ponto alto do CD. Foi uma das coisas mais incríveis que já ouvi. Passei muito tempo preparando esta parte do disco e ficou muito melhor do que poderia imaginar. Nos shows, grande parte que seria da orquestra consigo tocar no teclado, mas também contamos com certa parte do material em playback.

Comando Rock: A segunda participação é do guitarrista Jeff Waters (do Annihilator) na música "De-Energized".

Joost Van Den Broek: Não chegamos a conhecê-lo pessoalmente. Apenas Sander o conhece de um festival na Holanda há algum tempo. Mantivemos contato por algum tempo antes dele aceitar nosso convite. Mas ele fez todo o trabalho do Canadá mesmo mandando o material através da Internet. O resultado foi muito legal. Conhecíamos muito bem o estilo dele... Queríamos um solo que tivesse Annihilator escrito nele e foi o que conseguimos.

Comando Rock: Outra presença especial é da vocalista Doro Pesch, que realiza um dueto com Floor Jansen em "Who I Am".

Joost Van Den Broek: Conhecemos Doro no final do ano passando quando nos apresentamos no Live ‘N’ Louder, no Brasil. Gostamos muito do trabalho dela e do estilo que possui. Mantivemos contato desde então. Durante o período que nos focamos neste disco, vimos que seria legal contar com a participação dela. Então a convidamos e ela aceitou na hora.

[an error occurred while processing this directive]

Comando Rock: Como você mesmo mencionou o After Forever se apresentou no Live ‘N’ Louder Rock Fest, em outubro passado no Brasil. Como foi participar deste grande festival brasileiro?

Joost Van Den Broek: Foi uma coisa incrível! Não sei nem como expressar o carinho que temos com nossos fãs brasileiros. É sempre muito divertido tocar no País! Temos planos de voltar em breve. Ainda não marcamos nada, mas estamos vendo se conseguimos fazer uma visita ao Brasil lá pelo fim deste ano.

Comando Rock: Falando em turnê, recentemente, o conjunto sofreu um acidente com o ônibus. O que aconteceu?

Joost Van Den Broek: Estávamos na estrada em três veículos. O terceiro era um trailer que durante a viagem perdeu um dos pneus e acabou rodopiando na pista. Esse mesmo pneu acabou batendo na traseira do ônibus que eu estava e assustou todo mundo que estava lá. Mas, tirando o fato de não poder seguir viagem imediatamente, não tivemos nenhum problema. O melhor de tudo é que ninguém ficou ferido.

[an error occurred while processing this directive]

Comando Rock: Outro problema enfrentado nesta turnê é o afastamento temporário de Sander Gommans por problemas de saúde.

Joost Van Den Broek: Ele não agüentou o ritmo de vida que estávamos levando e acabou tendo uma crise de stress. Muita gente não leva a sério esse lance de stress e acaba descobrindo da pior forma como pode prejudicar sua vida. O distanciamento temporário dele do After Forever foi uma decisão médica e atualmente ele está bem melhor.

[an error occurred while processing this directive]

Comando Rock: Vocês têm alguma previsão de quando ele poderá voltar a se apresentar com o After Forever?

Joost Van Den Broek: Isso é algo que leva um tempo para conseguir controlar a ponto de não voltar mais. É um processo demorado e tem de ser respeitado para nada dar errado. Somos amigos e ele é uma parte muito importante da banda, por isso sempre que podemos nos falamos para saber como ele está.

Comando Rock: E quais são os próximos planos para o futuro do After Forever?

Joost Van Den Broek: Temos marcado muitos shows pela Europa, nos festivais de verão, e também deveremos nos apresentar em alguns lugares da América do Norte, além de shows na América Latina. Também temos planos para gravar um DVD, mas ainda não sabemos quando será a gravação. O conteúdo será um show ao vivo, mas com muitos extras. Afinal, temos quase dez anos de imagens.

[an error occurred while processing this directive]


Comando Rock

Moonspell: O Rock Pesado da Terra de Cabral

Tihuana: a dedicação supera as dificuldades

Comando Rock: O Projeto Brazuca de Billy "Biohazard" Graziadei

Comando Rock: Pitty, a gata selvagem do rock nacional

Calibre 12: Punk, atitude e resistência

Los Toskos: a caminho do segundo CD

Comando Rock: Baixista do HammerFall a Serviço da Solidariedade

Drowned: estremecendo a cena metal mineira

Anthrax: novamente no Topo do Thrash Metal

Comando Rock: Demorou mais de 30 anos, mas as mutações voltaram

Andralls: Expandindo o trauma e quase sendo presos na Europa

Comando Rock: Torture Squad comenta 15 anos de estrada e novo álbum

Al Atkins: lidando com os demônios do passado

Maldita: buscando o paraíso perdido

Type O Negative: retorno recheado de problemas, drogas, prisões...

Hangar: condenado à complexidade do sucesso

Funeral For A Friend: desenterrando emoções

Whitesnake: o retorno da boa e malvada serpente

Grave Digger: Liberdade musical e "Morte" no palco

Ocultan: divisor de águas no Black Metal brasileiro

Matanza: mestres na arte do insulto, agora ao-vivo

O Rappa: de volta pela sétima vez

Lauren Harris: Filha De Peixe...

Scars on Broadway: sem cicatrizes ou traumas

Motorhead: uma ditadura Rock And Roll

Gloria: trabalho em que o peso vai de encontro à melodia

Kiko Loureiro: uma explosão sonora cheia de misturas

Todas as matérias sobre "Comando Rock"

Compartilhar no FacebookCompartilhar no WhatsAppCompartilhar no Twitter

Siga e receba novidades do Whiplash.Net:
Novidades por WhatsAppTelegramFacebookInstagramTwitterYouTubeGoogle NewsE-MailApps


Stamp

Heavy Metal: as 10 melhores faixas de abertura instrumentais, em lista da Metal Hammer


publicidadeAdemir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | André Silva Eleutério | Bruno Franca Passamani | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Euber Fagherazzi | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Henrique Haag Ribacki | José Patrick de Souza | Julian H. D. Rodrigues | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Sergio Luis Anaga | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva |
Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp
Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Sobre Antonio Rodrigues Junior

Colaborador sem descrição cadastrada.
Mais matérias de Antonio Rodrigues Junior.