Guns N' Roses: A crítica de Portnoy ao trabalho de Matt Sorum

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Nacho Belgrande, Fonte: Playa Del Nacho
Enviar Correções  

Você sabe que acabou de encontrar um daqueles ‘garoto Xuxa’ fã de GUNS N’ ROSES quando ele ou ela entende uma piada sobre o modo do baterista MATT SORUM tocar nos [álbuns] USE YOUR ILLUSION. Por razões que são ainda absurdas para praticamente todo mundo, Sorum, que estava substituindo o demitido membro STEVEN ADLER, decidira que a melhor maneira de demonstrar a qualidade dinâmica de sua musicalidade era tocar a mesma virada um quazilhão de vezes. Ele toca a mesma virada tão frequentemente naqueles discos que chega a ser engraçado.

Musas: Algumas das beldades do Rock e Metal nacional

Lauren Harris: Como é ser filha do baixista do Iron Maiden

publicidade

publicidade

E em outubro de 2012, outro demitido das peles, MIKE PORTNOY, decidiu intimar Sorum através do Twitter:

"November Rain é um clássico atemporal... mas porque diabos Matt Sorum toca exatamente a mesma virada a cada quatro tempos (23 vezes para ser exato)?"

publicidade

Claro, o bom da era em que vivemos é que quase todo mundo sabe de tudo que os outros estão dizendo a toda hora. E eis que Sorum respondeu:

"Aquela virada foi ideia de Axl, uma frase musical que aparece em toda a trilogia, Don't Cry e Stranged. Aqueles álbuns UYI1 e 2 venderam juntos 20 milhões de cópias."

publicidade

"Lembrem-se, garotos, tocar bateria não se trata apenas de viradas estilosas e bater com força nos pratos, pergunte a Charlie Watts, Ringo e Phil Rudd"

publicidade

Sejamos justos: assistam a Makin’ [email protected]*!ing Videos Part II – "November Rain" e confiram Sorum dizendo que Axl tinha o instruído a tocar no estilo do baterista de ELTON JOHN, NIGEL OLSSON, naquelas faixas, e que sua questão de não fazer muita firula era bem aceita. Pode-se até argumentar que o modo de Olsson tocar não era tão chato assim, e que há um meio-termo entre firula e macambúzio. E por mais que os Illusion tenham vendido e chacoalhado a indústria musical – de um modo que nunca mais foi obtido por banda alguma – não quer dizer que eles sejam, do ponto de vista técnico, obras-primas.

publicidade

Mas Portnoy não fez questão de treplicar, e optou por ser educado:

"Concordo 1000%! Ringo é um dos meus maiores herois! Eu não quis desrespeitar, brother... apenas fiz uma observação sobre aquela música. Paz!"

O que é uma arregada, porque ele não estava fazendo uma observação, e sim, sendo crítico [o que, em defesa dele, não quer dizer a mesma coisa que ‘desrespeitoso’]. E ele estava certo. Portnoy deveria ter ficado na ofensiva. Mas pelo menos a treta rolou aos olhos dos fãs, então os figuras dos ‘rock bars’ da vida tiveram assunto pro próximo fim-de-semana!



Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Musas: Algumas das beldades do Rock e Metal nacionalMusas
Algumas das beldades do Rock e Metal nacional

Lauren Harris: Como é ser filha do baixista do Iron MaidenLauren Harris
Como é ser filha do baixista do Iron Maiden


Sobre Nacho Belgrande

Nacho Belgrande foi desde 2004 um dos colaboradores mais lidos do Whiplash.Net. Faleceu no dia 2 de novembro de 2016, vítima de um infarte fulminante. Era extremamente reservado e poucos o conheciam pessoalmente. Estes poucos invariavelmente comentam o quanto era uma pessoa encantadora, ao contrário da persona irascível que encarnou na Internet para irritar tantos mas divertir tantos mais. Por este motivo muitos nunca acreditarão em sua morte. Ele ficaria feliz em saber que até sua morte foi motivo de discórdia e teorias conspiratórias. Mandou bem até o final, Nacho! Valeu! :-)

Mais matérias de Nacho Belgrande no Whiplash.Net.

WhiFin WhiFin WhiFin WhiFin WhiFin WhiFin