A História Impopular dos Rolling Stones - Parte 24 - Onde Estão

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Márcio Ribeiro
Enviar correções  |  Ver Acessos

Como podemos ver, a vida dos Rolling Stones é literalmente cada palavra que o badalado slogan Drugs, Sex 'n' Rock 'n' Roll, possa querer englobar. As aventuras de Brian, Mick e Keith representam ao máximo tudo que seu pastor evangélico local teme e recrimina, e muito mais até do que ele possa imaginar. Ao mesmo tempo, a música executada por eles, abriu as portas para a cultura negra em diversos continentes, até então vista como inferior.

Rolling Stones: show feito na Argentina em 1998 será lançado em CD e DVDMetal norueguês: as dez melhores bandas segundo o About.com

Como capitulo final, achei que poderia ser interessante mostrar aonde estão alguns dos personagens que participaram desta historia. Portanto, abaixo segue uma relação de alguns nomes de pessoas, sejam de maior ou menor relevância nesta historia, e alguma informação sobre seus destinos.

Andrew Loog Oldham


Andrew que sempre foi estressado e vivia à base de pílulas, depois de deixar os Stones continuou da mesma maneira. Seu envolvimento com tóxicos incluiu o uso de cocaína. Na década de setenta produziu discos de Donovan (73) Humble Pie (75), antes de se separar de sua mulher e se mudar para os Estados Unidos onde produziu a banda texana Werewolves (77).

Oldham acabou conhecendo uma atriz do cinema Colombiano, casando-se e se mudando definitivamente para Bogotá, Colômbia, onde tem vivido pelas últimas duas décadas. Ele se livrou de seus vícios a cerca de dez anos e tem visitado regularmente a Inglaterra. Na década de noventa escreveu dois livros, um sobre o ABBA, outro sobre os Rolling Stones.

Paul Jones

Paul depois de dispensar o convite do Brian para ser o vocalista dos Rollin' Stones (o que levou Brian a então convidar Mick Jagger), encerrou seus estudos acadêmicos e se dedicou à sua vida de músico. Ajudou a formar o Mann Hugg Blues Brothers que mudaria de nome e se tornando o Manfred Mann. Depois de relativo sucesso em carreira solo na década de sessenta, Paul passou a se envolver cada vez mais com teatro em setenta. Voltou ao blues em oitenta cantando com o Blues Band. Ganha a vida hoje basicamente como um apresentador de rádio e televisão na Inglaterra.

Dick Hattrell

Dick era amigo de Brian em Cheltenham e fanático por jazz, pegando carona junto com ele até Londres para ver os clubes de jazz. Dick estava com Brian quando assistiram Sonny Boy Williamson2, passando a também se interessar pelo blues. Hattrell morou com Brian, Mick e Keith em Edith Grove até passar mal e ser substituído por Jimmy Phelge. Hoje ele é um agente de várias bandas de blues.

Pat Andrews


Antes de Brian ficar famoso, Pat era sua namorada e amiga. Viveram e discutiram por vários anos, em uma confusa desarmonia típica na vida de Brian. Ela é mãe de seu terceiro filho Mark Julian Jones, a quem Brian sempre se refere como Julian. Foi o filho com quem mais tempo viveu e com quem mais se envolveu emocionalmente. Pat hoje continua envolvida na vida de Brian Jones, trabalhando junto ao Brian Jones Fan Club. Seu filho Mark Julian Jones também faz parte da diretoria.

Dick Taylor


Primeiro baterista do Little Boy Blue and the Blue Boys, primeira banda de Mick Jagger, tornando-se depois o primeiro baixista dos Rollin' Stones. Taylor largaria a música para se dedicar aos estudos. No ano seguinte, já com o segundo grau completo em 1963, formou outra banda, The Pretty Things, que galgou considerável sucesso na Inglaterra, Taylor agora tocando guitarra. A banda voltou a excursionar no final dos anos noventa.

Carlo Little


Conhecido baterista dos Saveges que tocavam para Cliff Richard. Quando os Saveges acabaram, Brian tentou trazer Carlo Little para sua banda. Como os Rollin' Stones não estava fazendo dinheiro, Little quebrou o galho da banda em algumas ocasiões (todas pagas), porém jamais cogitou se tornar um membro. Depois de casar e ter filhos, os gigs como sessionman ficaram cada vez mais escassos. Assim, na década de setenta pegou o dinheiro que juntara e abriu uma lanchonete, vendendo hamburgers e refrigerantes perto do Wembley Stadium. No final do milênio, resolveu arriscar novamente com música e fundou o Carlo Little Allstars. Sua filha é webmaster de um excelente site sobre a carreira do pai e do rock inglês do inicio da década de sessenta em geral.

Mickey Waller

Micky substituiu Charlie Watts como baterista em um gig dos Stones em Chatham, Kent. Trabalhou como sessionman para vários artistas e continua hoje morando em Barnes, subúrbio de Londres, vivendo de direitos autorais pelos serviços prestados nos tempos que tocou com Rod Stewart.

Ricky Brown


Outro ex-membro dos Savages. Quando Dick Taylor saiu dos Rollin' Stones, Carlo Little sugeriu que Brian contactasse Ricky para o lugar. Como Little, Brown só ficaria com o grupo se o empreendimento fosse lucrativo. Como a banda naquele período em 1962 gerenciado por Brian nunca deu dinheiro, Brown e Little estariam logo tocando para Cyril Davies & the Allstars.Brown conseguiu se manter relativamente ativo e na década de noventa chegou a produzir discos de artistas tão diversos como LaVert, Innerlude, Sac-Sin e Britney Spears. Como músico está tocando com o Carlo Little Allstars.

Adrienne Posta

A cantora que aos 16 anos gravou uma das primeiras canções da nova dupla Jagger-Richard, ainda na década de 60, conheceu Steve Marriot e formou com ele um duo chamado Moments. Quando Marriot veio a formar Small Faces, Adrienne enveredou para o cinema, aparecendo em filmes como "To Sir With Love" e "Here We Go Round The Mulberry Bush". Seu ultimo trabalho conhecido no cinema foi o suspense/erótico "The Adventures of a Private Eye" de 1987.

Mike Dorsey

Dorsey era empregado do Eric Easton, contratado para acompanhar os Stones nas excursões. Dorsey se mudou para Australia e seguiu carreira no cinema e televisão naquele país com relativo sucesso.

Linda Lawrence

Depois de namorar Brian Jones e ser mãe de seu quarto filho, Linda namorou Donovan se mudando depois para a Califórnia. Em 1970 voltou à Inglaterra, encontrando novamente com Donovan. Acabaram se casando e tendo uma filha chamada de Astrella. Seu filho com Brian, batizado como Julian Mark Jones, é referido por Brian sempre como Mark. Porém, pela Linda, sempre como Julian, o que traz uma certa confusão com o filho de Pat Andrews, também conhecido como Julian. A situação ficou ainda mais confusa quando Linda Lawrence, ao casar com Donovan, mudou o nome do menino para Julian Jones Leitch.

Julian Jones Leitch

Julian hoje mora na California, esteve casado, e tem um filho chamado Joolz. É músico e vende seus discos através de seu website, onde afirma que tem muito orgulho em ser filho de Brian Jones.

Joolz Leitch

Joolz Leitch, neto de Brian Jones, não tem ainda nenhum feito se não o de comprovar a teoria da hereditariedade.

Dawn Malloy

Namorada passageira de Brian, enquanto ele morava em Chester Street. Dawn é mãe de seu quinto filho e mora hoje na California.

Suki Poiter

Casou com um empresário de Hong Kong chamado Bob Ho no inicio da década de setenta. Considerada por alguns como uma menina que emanava má sorte, ela reforça esta crença ao morrer ao lado de seu marido, em outro acidente de carro, desta vez ocorrido em Portugal no final da década de setenta.

Robert Frazer

Grande amigo de intelectuais ingleses e poetas americanos, preso ao vício de heroina, Frazer morre em uma overdose em 1976.

Anne Wohlin e Mary Hallett


A Sra. Mary Hallett continua morando na mesma casa em Cotchford Farm. Esta foto foi tirada em 1999.Anne Wohlin volta a Londres e a Cotchford Farm em outubro de 1969 e depois novamente em 1999. Entre as duas datas, muito amadurecimento e vivência.

Sgt. Norman Pilchard

O notório Inspetor Sargento da Scotland Yard, é o responsável por diversas batidas policiais contra músicos e artistas em Londres. Em outubro de 1972, acabou preso e processado por abuso de poder e obstruir o percurso da justiça. Serviu seis anos de cadeia.

Frank Thorogood

Sumiu do mapa. Seu nome só reaparecendo quando de sua morte. Supostamente, antes de morrer, ele teria confessado ter afogado Brian Jones. Sua família hoje tenta evitar a feitura de um filme sobre a vida de Brian contendo qualquer referencia a esta versão que o implica com a morte do músico.

Tom Keylock


Sumiu do mapa após a morte de Brian. Se meteu com cinema nos anos setenta e agora freqüenta reuniões de fã clubes do Stones onde ele obtém um certo ar de celebridade por ter convivido tão perto de Brian e Keith por tantos anos. Dá autógrafos e em 1997 deu uma entrevista (paga) onde garante que Frank Thorogood confessou ter afogado Brian Jones. Nenhum dos parentes de Thorogood confirmam esta confissão.


Fontes de pesquisa variam, mas destaques e agradecimentos especiais para:

Mick Jagger escrito por Anthony Scaduto;
os testemunhos de Bill Wyman narrados em seu livro Stone Alone;
os testemunhos de Tony Sanchez, assistente geral de Brian Jones (1967) e de Keith Richard (1968-1976), em seu livro Up And Down With The Rolling Stones;
Phelge's Stones de James Phelge;
The Murder of Brian Jones de Anna Wohlin
Faithfull - An Autobiography de David Dalton
Os Rolling Stones no Brasil - Do Descobrimento à Conquista de Nélio Rodrigues;
Acid Dreams - The Complete Social History of LSD de Martin A. Lee e Bruce Shlain

Confessions of a Sixties Drummer
The Brian Jones Fan Club
Just Like A Rolling Stone
Brian's Blues
Keno's Rolling Stones Web Site
The Rolling Stones Ultimate Fan Site
The Rolling Stones Official Web Site
Rocks Off
THE COMPLETE WORKS of the Rolling Stones
Robert Altman Photography
Cindy P`s Rolling Stone History Tour


Leia no link abaixo a segunda parte desta biografia.

A História Impopular dos Rolling Stones - Parte 01 - A História do Trem


Pedras Que Rolam Não Criam Limo - A História Impopular dos Rolling Stones

A História Impopular dos Rolling StonesA História Impopular dos Rolling Stones

A História Impopular dos Rolling Stones - Parte 01 - A História do Trem

A História Impopular dos Rolling Stones - Parte 02 - Rollin' Stone Rhythm & Blues Band

A História Impopular dos Rolling Stones - Parte 03 - Sem Potencial Comercial

A História Impopular dos Rolling Stones - Parte 04 - A banda Atrai Seu Público

A História Impopular dos Rolling Stones - Parte 05 - Stonemania - O Primeiro Ano

A História Impopular dos Rolling Stones - Parte 06 - Exigências do Sucesso

A História Impopular dos Rolling Stones - Parte 07 - Rebeldia Lucrativa

A História Impopular dos Rolling Stones - Parte 08 - Satisfaction

A História Impopular dos Rolling Stones - Parte 09 - Relacionamentos em Declínio

A História Impopular dos Rolling Stones - Parte 10 - O Ano do Ácido

A História Impopular dos Rolling Stones - Parte 11 - Liberdade de Expressão

A História Impopular dos Rolling Stones - Parte 12 - Acidentes e Incidentes

A História Impopular dos Rolling Stones - Parte 13 - Jornada Para Tangier

A História Impopular dos Rolling Stones - Parte 14 - Europa 67

A História Impopular dos Rolling Stones - Parte 15 - Uma Borboleta na Roda

A História Impopular dos Rolling Stones - Parte 16 - Disco, Filmes e Perseguições

A História Impopular dos Rolling Stones - Parte 17 - Dilemas e Pressões

A História Impopular dos Rolling Stones - Parte 18 - Sessões de Beggar`s Banquet

A História Impopular dos Rolling Stones - Parte 19 - Mick, Marianne e Anita

A História Impopular dos Rolling Stones - Parte 20 - O Circo

A História Impopular dos Rolling Stones - Parte 21 - Ser ou Não Ser

A História Impopular dos Rolling Stones - Parte 22 - A Vida de Brian

A História Impopular dos Rolling Stones - Parte 23 - A Morte e a Morte de Brian Jones

A História Impopular dos Rolling Stones - Parte 25 - Mick Taylor

A História Impopular dos Rolling Stones - Parte 26 - Hyde Park

A História Impopular dos Rolling Stones - Parte 27 - O Inferno de Dulac

A História Impopular dos Rolling Stones - Parte 28 - O Brilho Que é L.A.

A História Impopular dos Rolling Stones - Parte 29 - The Midnight Rambler

A História Impopular dos Rolling Stones - Parte 30 - Madison Square Garden

A História Impopular dos Rolling Stones - Parte 31 - Altamont

A História Impopular dos Rolling Stones - Parte 32 - Injetando Mudanças

A História Impopular dos Rolling Stones - Parte 33 - A Excursão Européia

A História Impopular dos Rolling Stones - Parte 34 - Boca Aberta e Dedos Gosmentos

A História Impopular dos Rolling Stones - Parte 35 - O Casamento do Ano

A História Impopular dos Rolling Stones - Parte 36 - Exílio em Nellcôte

A História Impopular dos Rolling Stones - Parte 37 - Los Angeles e Vevey

A História Impopular dos Rolling Stones - Parte 38 - STP

A História Impopular dos Rolling Stones - Parte 39 - Baco e Pan

A História Impopular dos Rolling Stones - Parte 40 - A Festa de Boston

A História Impopular dos Rolling Stones - Parte 41 - Jamaica e os Rastafaris

A História Impopular dos Rolling Stones - Parte 42 - A Heroína na História

A História Impopular dos Rolling Stones - Parte 43 - A Macaca

A História Impopular dos Rolling Stones - Parte 44 - A Última Excursão de Mick Taylor

A História Impopular dos Rolling Stones - Parte 45 - Abandonar o Navio

Todas as matérias sobre "Pedras Que Rolam Não Criam Limo - A História Impopular dos Rolling Stones"




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato. Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Denuncie os que quebram estas regras e ajude a manter este espaço limpo.


Todas as matérias da seção MatériasTodas as matérias sobre "Pedras Que Rolam Não Criam Limo - A História Impopular dos Rolling Stones"Todas as matérias sobre "Rolling Stones"


Rolling Stones: show feito na Argentina em 1998 será lançado em CD e DVD

Mick Jagger: criticando Trump e Bolsonaro por falta de políticas ambientaisMick Jagger
Criticando Trump e Bolsonaro por falta de políticas ambientais

Rolling Stones: cinzeiro elétrico é o que mantém Mick Jagger e Keith Richards unidos?Rolling Stones
Cinzeiro elétrico é o que mantém Mick Jagger e Keith Richards unidos?

Collectors Room: encontrando raridades dos Rolling Stones (vídeo)Rolling Stones: e as pedras rolaram em Marte

Rolling Stones: em show, Robert Downey Jr anuncia rocha marciana com nome da bandaRolling Stones
Em show, Robert Downey Jr anuncia rocha marciana com nome da banda

Jess Greenberg: mais vídeos de covers em voz e violãoJess Greenberg
Mais vídeos de covers em voz e violão

Keith Richards: amo Jimmy Page, mas falta algo no Led ZeppelinKeith Richards
Amo Jimmy Page, mas falta algo no Led Zeppelin

Keith Richards: fogo na mansão Playboy em festa com drogasKeith Richards
Fogo na mansão Playboy em festa com drogas


Metal norueguês: as dez melhores bandas segundo o About.comMetal norueguês
As dez melhores bandas segundo o About.com

Tony Iommi: John Bonham quebrou a bateria de Bill WardTony Iommi
John Bonham quebrou a bateria de Bill Ward

Ortografia: como deveriam realmente se chamar as bandas?Ortografia
Como deveriam realmente se chamar as bandas?

Tatuagens: Homenagens ao Guns N' Roses na pele dos fãsTatuagens
Homenagens ao Guns N' Roses na pele dos fãs

Slash: Um dia Michael Jackson ficou puto com ele?Slash
Um dia Michael Jackson ficou puto com ele?

Wikimetal: As melhores duplas do MetalWikimetal
As melhores duplas do Metal

Azarões do rock: Três caras que tinham tudo pra não virar astrosAzarões do rock
Três caras que tinham tudo pra não virar astros


Sobre Márcio Ribeiro

Nascido no ano do rato. Era o inicio dos anos sessenta e quem tirou jovens como ele do eixo samba e bossa nova foi Roberto Carlos. O nosso Elvis levou o rock nacional à televisão abrindo as portas para um estilo musical estrangeiro em um país ufanista, prepotente e que acabaria tomado por um golpe militar. Com oito anos, já era maluco por Monkees, Beatles, Archies e temas de desenhos animados em geral. Hoje evita açúcar no seu rock embora clássicos sempre sejam clássicos.

Mais matérias de Márcio Ribeiro no Whiplash.Net.