On The Road: Four de Ases

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Cláudio Vigo
Enviar correções  |  Ver Acessos

Os anos 60 foram pródigos em um tipo de personagem que está cada vez mais raro. Com um teclado na mão e uma orquestra inteira na cabeça, eram chamados de "supersession mans", ou seja, produziam, tocavam e muitas vezes concebiam toda a proposta musical de muita gente boa daquela época. Naquele clima de "bater o córner e correr pra cabecear" esses caras fizeram de tudo um pouco em quase sempre brilhantes carreiras solo. Existiram outros, mas vamos falar por aqui de um four de ases que é bem representativo. Com vocês: Dr.John, Leon Russell, Billy Preston e Al Kooper.

Sounds Entertainment: as 100 melhores músicas do Heavy MetalMetal Progressivo: os dez melhores álbuns do estilo

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal


DR JOHN - Nascido Malcolm John Rebennack em 1941, no caldeirão cultural de New Orleans; ainda adolescente gravou com gente como Fats Domino e Professor Long Hair, e mais tarde com Sam Cooke e Sonny & Cher. Seu primeiro álbum solo (Gris - 1968) trazia uma interessante mistura de cantos "creole", Jazz de New Orleans e psicodelismo. O de 71 (Sun, Moon & Herbs) conta com o auxílio luxuoso de Clapton e Jagger. No meio de tudo isso deu uma pirada e assumiu o personagem encosto DR John que promoveu o encontro do rock com o voodoo.

Dizer que gosto de Dr. John é pouco, me lembro ainda hoje a primeira vez que vi (ouvi) a peça, no filme despedida do The Band, o "Last Waltz", onde ele aparece e detona num pianinho biriteiro no clássico "Such a Night", simplesmente inesquecível. Daí em diante comprei uma montoeira de discos e adorei todos eles. Essa mistura de Jazz com música tradicional de New Orleans e rock'n'roll é muito estimulante. Não assisti o show do Free Jazz, mas um amigo me contou que foi ótimo e que o sujeito é estranhíssimo, cheio de patuás, caveirinhas e outros badulaques macumbeiros.

Pra quem não conhece, recomendo: "Gumbo", "Back to New Orleans" e "In a Sentimental Mood", que são meus preferidos, mas tem outros ótimos também. Se ficar com medo, é só cantar pra subir que o clima desanuvia. Salve Dr.João. Axé Baba'.


LEON RUSSEL - Talvez de todos os quatro este seja meu preferido. Sou fã de carteirinha de tudo que Leon Russell fez nos anos 70. Depois disso o caldo desandou e hoje parece um fantasma grisalho de si mesmo fazendo uns disquinhos fracos distribuídos precariamente pelos EUA. Mas nem sempre foi assim. Entre 68 e 73, nove entre dez estrelas do rock'n'roll utilizavam seu enorme talento de compositor, arranjador e produtor.

Nasceu também em 41 em Lawton Oklahoma e se criou na Goiânia de lá, Tulsa, se entupindo de Country Music até 58 quando passou a acompanhar ninguém menos que Jerry Lee Lewis, que influenciou seu piano de forma marcante pra todo sempre. Outra lenda viva dos estúdios, Phil Spector, o utilizou em várias gravações. É seu o piano de "Mr Tambourine Man" do The Byrds.

Depois disso os históricos encontros com Delaney & Bonnie, Marc Benno e as parcerias com Joe Coker (Mad Dog & Englishman), Clapton e mais uma montoeira de gente. São clássicas suas participações no "Concerto em Bangladesh" e da alucinada excursão com Joe Coker. Seu primeiro álbum solo é uma obra prima instantânea e traz standarts como "Song for You" e "Delta Lady" e as participações de Clapton, Steve Winwood e George Harrison.

Leon Russell escreveu muitos dos grandes hits dos anos 70 e foi um enorme sucesso na voz de outros interpretes: "Song For You" (Ray Charles), "This Masquarede" (George Benson, Carpenters), "Hummingbird" (B.B.King).

Ainda hoje é um enorme prazer escutar estes álbuns de Leon Russell, o que faço sempre que posso. Sua figura parecendo um urtigão hippie com cabelão e barba branca e cartola é um dos ícones da época.

Assisti o homem aqui no Rio em 88 com Edgar Winter e foi simplesmente genial. Apesar de estar estranhíssimo - não mexia um milímetro a cabeça (?) e usava uma hilária calça de tergal com uma camisa daquelas de turista havaiano, tocou e cantou muito dos seus sucessos me levando aos céus.
Não tem errada. Quer agradar num fim de noite? É só colocar um Leon Russell, de leve, que tudo acontece.


BILLY PRESTON - Outra fera dos estúdios, Billy Preston também começou com um roqueiro dos primórdios quando acompanhou a "santa" Ricardinho (Little Richard) e os geniais soulmans Sam Cooke e Ray Charles. Tocou com os Beatles (Let it Be), George Harrison e mais uma multidão de gente.

Sua pegada no piano e no hammond são inconfundíveis e sensacionais. Também tocou no histórico concerto de Bangladesh. Algumas de suas composições são clássicos da época como "You Are So Beatiful". Tocou também com os Stones, ou seja, o homem estava em todas.

Tenho alguns discos de Billy Preston que são ótimos. Tem um clima soul refrescante que permanece apesar de tanto tempo. Vale a pena dar uma conferida.


AL KOOPER - Esse é uma espécie de "Forrest Gump do Rock", esteve em todas as paradas. Se pegarmos qualquer foto importante da época e formos olhar lá no fundo certamente tem Al Kooper aparecendo. Foi o tecladista dos primeiros álbuns elétricos de Dylan, líder do Blues Project, inventor do Blood Sweat & Tears, produtor de Lynyrd Skynyrd e The Tubes e de mais um monte de gente, além de ter gravado dois álbuns clássicos com Mike Bloomfield (Supersession e Live Adventures). Tocou com os Stones (Let it Bleed) e Hendrix (Eletric Ladyland) e acumulou milhares de histórias pra contar (adoraria ouvir).

Adoro também seu trabalho solo (muito pouco conhecido por aqui, é uma dificuldade achar um disco pra comprar) com músicas brilhantes e arranjos primorosos de um dos grandes desconhecidos do rock. Seu site é muito interessante, cheio de casos e fotos da época onde sempre se fica no clima "onde está Wally (Al)?" No meio dos astros. Pra quem não conhece fica a recomendação da audição urgente.

Pois é, tirando o Dr.John que está sempre lançando novidade, este time anda meio parado e esquecido. Transbordaram criatividade nos anos 70 e agora muita gente nem sabe quem foram. Vale a pena dar uma conferida no que andou fazendo esta turma na época. Os relançamentos em cd estão aí pra facilitar a empreitada. E cá entre nós, não há quem possa com um four de ases não é mesmo?


On The Road

On The Road: Jimmy Page, Led Zeppelin & The Black CrowesOn The Road
Jimmy Page, Led Zeppelin & The Black Crowes

On The Road: John Paul Jones, o menos amado, talvez o mais subestimadoOn The Road
John Paul Jones, o menos amado, talvez o mais subestimado

On The Road: Um dos livros mais comentados e menos lidos da históriaOn The Road
Um dos livros mais comentados e menos lidos da história

On The Road: O mundo girou ao redor de Andy Warhol por quase vinte anosOn The Road
O mundo girou ao redor de Andy Warhol por quase vinte anos

On The Road: Para Joe Jackson como seria o Céu e o Inferno?On The Road
Para Joe Jackson como seria o Céu e o Inferno?

On The Road: Jim Morrison, uma ode a L.A.On The Road
Jim Morrison, uma ode a L.A.

On The Road: Jerry Garcia - O Anti-Super-StarOn The Road
Jerry Garcia - O Anti-Super-Star

On The Road: The 70's - E um pouco sobre Gregg AllmanOn The Road
The 70's - E um pouco sobre Gregg Allman

On The Road: Allman Brothers Band - ainda The 70sOn The Road
Allman Brothers Band - ainda The 70s

On The Road: The 80's - e um pouco sobre Ian CurtisOn The Road
The 80's - e um pouco sobre Ian Curtis

On The Road: Jorge MautnerOn The Road
Jorge Mautner

On The Road: Tommy Bolin; sua morte prematura foi uma perda incalculávelOn The Road
Tommy Bolin; sua morte prematura foi uma perda incalculável

On The Road: Chuva de Guitarras; Total domínio do instrumento e um feeling absurdoOn The Road
Chuva de Guitarras; Total domínio do instrumento e um feeling absurdo

On The Road: John Mayall e o restaurante IndonésioOn The Road
John Mayall e o restaurante Indonésio

On The Road: Camel, uma noite das ArábiasOn The Road
Camel, uma noite das Arábias

On The Road: Glam Rock; A vanguarda era ditada com muito cílio postiço

On The Road: Papo LynyrdOn The Road
Papo Lynyrd

On The Road: Tunel do tempo; A criatividade não está restrita a uma época especificaOn The Road
Tunel do tempo; A criatividade não está restrita a uma época especifica

On The Road: Pancadão HendrixnianoOn The Road
Pancadão Hendrixniano

On The Road: Num muro dos anos 70On The Road
Num muro dos anos 70

On The Road: Steely Dan - Pop PerfeitoOn The Road
Steely Dan - Pop Perfeito

On The Road: Os quatro CDs do ApocalipseOn The Road
Os quatro CDs do Apocalipse

On The Road: Joni Mitchell e Charlie MingusOn The Road
Joni Mitchell e Charlie Mingus

On The Road: Gigantes do Soul JazzOn The Road
Gigantes do Soul Jazz

On The Road: Mais gigantes do Soul JazzOn The Road
Mais gigantes do Soul Jazz

On The Road: Quem lembra dos Supergrupos?On The Road
Quem lembra dos Supergrupos?

On The Road: Mick Jagger, Graham Bond e Geração BenditaOn The Road
Mick Jagger, Graham Bond e Geração Bendita

On The Road: Colin Hodgkinson, biscoito fino no baixoOn The Road
Colin Hodgkinson, biscoito fino no baixo

On The Road: Alguns atalhos para muitas viagensOn The Road
Alguns atalhos para muitas viagens

On The Road: John Paul Jones - herói do OlimpoOn The Road
John Paul Jones - herói do Olimpo

On The Road: The Shadows, a sombra de Hank MarvinOn The Road
The Shadows, a sombra de Hank Marvin

On The Road: Coldplay e a franja do FernandoOn The Road
Coldplay e a franja do Fernando

On The Road: Funky FriendsOn The Road
Funky Friends

On The Road: Elogio do ÓcioOn The Road
Elogio do Ócio

On The Road: Confissões PaulistasOn The Road
Confissões Paulistas

On The Road: Velhas NovidadesOn The Road
Velhas Novidades

On The Road: Mahavishnu Orchestra e a YogaOn The Road
Mahavishnu Orchestra e a Yoga

Air - Moon SafariAir - Moon Safari

Colecionadores de discos e de calcinhasColecionadores de discos e de calcinhas

Hell's Angels, Punks, VerveHell's Angels, Punks, Verve

Robert Fripp: No brasil acompanhado das focas amestradasRobert Fripp
No brasil acompanhado das focas amestradas

On The Road: Rimbaud e MorrisonOn The Road
Rimbaud e Morrison

On The Road: Dr. John, melancolia e insensatez durante o Tim FestivalOn The Road
Dr. John, melancolia e insensatez durante o Tim Festival

On The Road: Mais do MesmoOn The Road
Mais do Mesmo

On The Road: Jorge Mautner e as Memórias do filho do KAOSOn The Road
Jorge Mautner e as Memórias do filho do KAOS

On The Road: Soulive, usina groove em forma de power trio de jazz funkyOn The Road
Soulive, usina groove em forma de power trio de jazz funky

On The Road: Exile..., obra prima feita de arestas, atos falhos e balbuciosOn The Road
Exile..., obra prima feita de arestas, atos falhos e balbucios

On The Road: Menos é MaisOn The Road
Menos é Mais

On The Road: Os 1001 discos para se ouvir antes de morrerOn The Road
Os 1001 discos para se ouvir antes de morrer

On The Road: Jeff Beck, economia e bom gosto, eis a conseqüênciaOn The Road
Jeff Beck, economia e bom gosto, eis a conseqüência

On The Road: O velho feiticeiro do piano e o Zappa do FunkOn The Road
O velho feiticeiro do piano e o Zappa do Funk

On The Road: Allman Brothers Band, um sonho de priscas erasOn The Road
Allman Brothers Band, um sonho de priscas eras

On The Road: Jeff Beck é Jeff BeckOn The Road
"Jeff Beck é Jeff Beck"

On The Road: "It's a long time gone, bicho!" - CSN no RJ

On The Road: Água Brava, Bacamarte e Celso Blues Boy

On The Road: biografia de Ron Wood é bem humorada e informativa

Todas as matérias sobre "On The Road"




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção MatériasTodas as matérias sobre "On The Road"


Sounds Entertainment: as 100 melhores músicas do Heavy MetalSounds Entertainment
As 100 melhores músicas do Heavy Metal

Metal Progressivo: os dez melhores álbuns do estiloMetal Progressivo
Os dez melhores álbuns do estilo


Sobre Cláudio Vigo

Da safra de 62 , Claudio Vigo ganha a vida com a poesia, o jazz e o rock n roll. Paga as contas como arquiteto.

Mais matérias de Cláudio Vigo no Whiplash.Net.

adGoo336