Matérias Mais Lidas

imagemRegis Tadeu explica porque Sandy não deve cantar músicas do Metallica

imagemO dia que Ivete Sangalo arrasou cantando Slayer com João Gordo na TV aberta

imagemA hilária crítica de Roberto Frejat contra fala cheia de "pretensão" do Bon Jovi

imagemOs curiosos dois significados da expressão "Eu quero ver o oco", segundo Digão

imagemO impagável apelido que Andre Matos deu a Luis Mariutti por sua pontualidade

imagemO Metallica não tem mais o que provar, muito menos algo novo para oferecer

imagemGuitarrista Brian Ray conta como é ter Paul McCartney como patrão

imagemOs Raimundos traíram os Titãs? Sérgio Britto comenta e conta a versão dele

imagemAndreas Kisser opina sobre a reunião do Pantera, que começou nesse sábado

imagemNoel Gallagher relembra o dia em que foi ao show de uma banda cover de Oasis

imagemAngra: Luis Mariutti conta sobre atritos entre Andre Matos e Rafael Bittencourt

imagemRobert Plant confessa de qual música o Led Zeppelin tirou "Gallows Pole"

imagemO hit do Blind Guardian inspirado em história que deixou banda de queixo caído

imagemO surpreendente disco que Tom Morello considera um dos melhores de todos os tempos

imagemPaul Stanley, do Kiss, fala sobre os shows da reunião do Pantera


Stamp
Summer Breeze

Iron Maiden: 92 minutos de atenção, é o que a Donzela lhe pede

Resenha - Book Of Souls - Iron Maiden

Por Marcos André Farias
Postado em 29 de setembro de 2015

Apenas 92 minutos da sua vida, ininterruptos e atenciosos, é o que o Iron Maiden pede para que consigamos absorver pelo menos metade do total de informações que o "Livro das Almas" tem para nos mostrar. Sim, é um álbum denso e não aconselho a qualquer fã apressado, ou em um dia muito ocupado, se dar o trabalho de ouvi-lo.

Como consegui viver de Rock e Heavy Metal

O álbum ainda segue a linha (ou a tentativa de) prog metal que vem sendo abordada desde a volta de Bruce Dickinson e Adrian Smith em 1999; na essência, o álbum é um apanhado de tudo o que fizeram nesses últimos 15 anos desde Brave New World (2000). Portanto, se você não curtiu, pelo menos este álbum, você também não precisa se dar ao luxo de dar 40 pilas pra adquirir o formato físico deste que contém uma capa com um Eddie muito bem desenhado em meio a um conteúdo muito simplista, um fundo preto. Será necessário você abrir o encarte para apreciar o que há de melhor da arte de Mark Wilkinson para a banda neste trabalho.

Divulgue sua banda de Rock ou Heavy Metal

Ainda nas comparações, de todos os trabalhos referidos acima, o álbum se assemelha ao trabalho de 2006, "A Matter Of Life And Death" (minha opinião), tendo em vista o clima um tanto quanto sombrio que o álbum passa e a longa duração de algumas músicas; dos 92 minutos, 43 estão concentradas em três (The Red and The Black, The Book Of Souls e The Empire Of Clouds).

O álbum também quebra um pouco com o padrão de abertura desse conjunto de álbuns lançados no novo século, ao não termos uma música com um ritmo mais rápido e "pra cima" para este posto. Em outras palavras, digo que Speed Of Light não faria um mal trabalho se encaixando na faixa 1; aliás, Speed Of Light é a única nesse estilo no álbum todo. E é a única que vocês irão encontrar de mais anos 80 neste novo trabalho; o que não tira o mérito da belíssima If Eternity Should Fail que iria para um álbum solo de Bruce se ele não a tivesse usado. Bela música.

Divulgue sua banda de Rock ou Heavy Metal

O álbum é muito denso para ser digerido logo de primeira. Não é um trabalho para ter foco unicamente instrumental, é válido você analisar cada aula de história e as homenagens feitas nas letras como em "The Book Of Souls"; uma aula de características da cultura maia e a relevância do "Livro das Almas" para este mesmo povo, que se perdido, significaria o caos daquela civilização. Já em "Tears Of A Clown", eu desafio você não ficar arrepiado ao ouvir Bruce cantar "Life full of fun, where did it go? We saw the sadness in his eyes; it came as no surprise; and now of course, we’ll never know", onde se faz referência a tragédia do ator e comediante Robbie Willians.

publicidadeAdemir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | André Silva Eleutério | Bruno Franca Passamani | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Euber Fagherazzi | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Henrique Haag Ribacki | José Patrick de Souza | Julian H. D. Rodrigues | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Sergio Luis Anaga | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva |

Longe de ser um álbum ruim, apenas não é o mesmo Iron Maiden que escutou-se nos anos 80 e 90. Como disse, é muito parecido com "A Matter Of Life And Death" (nota-se que gosto muito desse álbum né!?) músicas longas, tons mais sombrios, na maior parte, mas com letras recheadas de um ótimo e detalhado conteúdo que só a Donzela pode nos proporcionar. Varia de gosto para gosto mesmo, ame ou odeie. Reforço para a importância das letras mais uma vez. No entanto, apesar de ser um sensacional álbum de estúdio que contém a música de maior duração da história da banda -"Empire Of The Clouds" com seus incríveis 18 minutos- são músicas que podem facilmente cair em desuso em shows futuros (assim como as do álbum citado de 2006), já que acho difícil elas funcionarem de forma extraordinária ao vivo. Pra você que quer ouvir 18 minutos de música ao vivo, acho que nunca foi em um show onde eles tocaram Seventh Son Of Seventh Son, ou Rime Of The Ancient Mariner, e notar a agonia que é em alguns momentos (são breves e raros os momentos de emoção e animação, que se substituem por cansaço e tédio rapidamente). Agora imagine em um set-list que pode vir a se tornar longo só por conta de apenas duas músicas, The Book Of Souls (13 mnutos) e The Red And The Black (sensacionais 10 minutos). Desculpe mas não acredito na grande eficiência da execução disso ao vivo; apesar de lhes informar que realmente será um prazer ver a turnê em março.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

O Iron Maiden sabe envelhecer, particularmente gosto de tudo que eles fizeram desde o Brave New World (óbvio, tenho minhas críticas em pontos específicos). Aliás, maturidade é algo que não pode faltar em uma banda de tamanha envergadura né!? The Book Of Souls esta facilmente na minha lista de favoritos, mas entendo quem não gostou; é um Maiden diferente, que faz (belos) rodeios sem ir direto ao ponto em 4 minutos como antigamente. No entanto, se ouvir o álbum da forma como descrito acima, você certamente cantará com Bruce no final "Oh the dreamers may die; but the dreams live on!".

Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp


Outras resenhas de Book Of Souls - Iron Maiden

Resenha - Book Of Souls - Iron Maiden

Resenha - Book Of Souls - Iron Maiden

Resenha - Book Of Souls - Iron Maiden

Resenha - Book Of Souls - Iron Maiden

Resenha - Book Of Souls - Iron Maiden

Resenha - Book Of Souls - Iron Maiden

Resenha - Book Of Souls - Iron Maiden

Resenha - Book Of Souls - Iron Maiden

Resenha - Book Of Souls - Iron Maiden

Resenha - Book Of Souls - Iron Maiden

Resenha - Book Of Souls - Iron Maiden

Resenha - Book Of Souls - Iron Maiden

Resenha - Book Of Souls - Iron Maiden

Resenha - Book Of Souls - Iron Maiden

Resenha - Book of Souls - Iron Maiden

Resenha - Book of Souls - Iron Maiden

Resenha - Book of Souls - Iron Maiden

Resenha - Book of Souls - Iron Maiden

Resenha - Book of Souls - Iron Maiden

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Siga Whiplash.Net: Facebook | Instagram | Twitter | YouTube

Receba as novidades do Whiplash.Net por WhatsApp


Samael Hypocrisy


publicidadeAdemir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | André Silva Eleutério | Bruno Franca Passamani | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Euber Fagherazzi | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Henrique Haag Ribacki | José Patrick de Souza | Julian H. D. Rodrigues | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Sergio Luis Anaga | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva |
Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp
Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

A grande diferença entre shows do Iron Maiden e Smith/Kotzen, segundo Julia Lage

Steve Harris maromba? O interesse do baixista do Iron Maiden por nutrição e suplementos

Cinco músicos que nunca voltarão para as bandas que os consagraram

O motivo pelo qual Steve Harris escolheu Within Temptation para abrir shows do Iron Maiden

Bandas de heavy metal que lançaram discos em cinco décadas diferentes

Por que Steve Harris e Bruce Dickinson se dão bem, segundo tour manager

O rockstar dos anos 1970 que Bruce Dickinson convidou para show do Iron Maiden e tietou

Heavy Metal: um guia para começar a ouvir o estilo

Nickelbeck: Chad Kroeger diz que maconha na platéia melhora os shows da banda

Iron Maiden com descontos de 25%, 41% e até 72% na Semana Black Friday Amazon

Axl Rose achava os caras do Iron Maiden legais, mas não queria ser como eles

A surpreendente parte mais difícil de montar do palco do Iron Maiden

Tour manager desmente Regis Tadeu e diz que Dave Murray não quer sair

Shout At The Beast: Motley Crue usa imagem similar a do Iron Maiden em camiseta

Judas Priest: "Sad Wings of Destiny" definiu as principais características do heavy metal

Iron Maiden: o que Johnny Cash e Paul McCartney disseram ao conhecer a banda

Zé do Caixão: Hotel California e Fear Of The Dark na trilha

Músicas boas mas pouco conhecidas: a vida nem sempre é justa

Heavy Metal: os maiores álbuns da história para os gregos

Bruce Dickinson: ele revela os três vocalistas que nunca vai conseguir superar