RECEBA NOVIDADES ROCK E METAL DO WHIPLASH.NET NO WHATSAPP

Matérias Mais Lidas

imagemRoger Waters se defende, mas David Gilmour fica do lado da esposa e confirma tudo

imagemMegadeth é processado por artista que criou capa do último disco da banda

imagemEm 1974, Raul Seixas explicava detalhes dos significados por trás da letra de “Gita”

imagemBruce Dickinson explica como cuida de sua voz

imagemA opinião de Humberto Gessinger sobre movimentos separatistas da região Sul do Brasil

imagemQuando Roberto Carlos foi alfinetado por Raul Seixas, mas o Rei gostou do que ouviu

imagemMegadeth vai transmitir show que será realizado no Japão

imagemVocalista do Stryper afirma que Metallica é a banda de metal que ele menos gosta

imagemAndreas Kisser tira uma com o Flamengo após derrota; "Tri mundial só um"

imagemIron Maiden está atrás de George Michael e Cyndi Lauper em votação do Rock Hall Of Fame

imagemRoger Waters ataca a Ucrânia e é ofendido por esposa de David Gilmour

imagemNervosa anuncia que próximo disco de estúdio está gravado

imagemComo Brian May acabou fazendo participação especial em disco dos Paralamas do Sucesso?

imagemDio sobre ocultismo: "Aprendi há muito tempo que não se mexe com espíritos"

imagemDave Mustaine diz que atual formação do Megadeth é mais bem-sucedida em anos


Stamp

Discos e Histórias: Iron Maiden e o épico The Book of Souls

Resenha - Book of Souls - Iron Maiden

Por Ricardo Seelig
Fonte: Collectors Room
Postado em 10 de fevereiro de 2020

Décimo sexto-álbum do Iron Maiden.

Lançado dia 4 de setembro de 2015.

Gravado entre setembro e dezembro de 2014 no Guillaume Tell Studios, em Paris, mesmo local onde a banda gravou o "Brave New World" (2000).

Produção mais uma vez da dupla Kevin Shirley e Steve Harris, que assinou a produção de todos os discos da banda desde que ela se transformou em um sexteto, a partir de "Brave New World".

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

O álbum já estava pronto e gravado quando Bruce Dickinson foi diagnosticado com um câncer na garganta.

Por esse motivo, o lançamento e a turnê de promoção foram adiados por tempo indeterminado, até que o vocalista se recuperasse.

Esse tempo acabou sendo de nove meses, com o disco chegando às lojas em setembro de 2015.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

É o primeiro álbum duplo de estúdio da banda.

E o disco mais longo da carreira do Iron Maiden, com 92 minutos de duração.

Contém a música mais longa da carreira da banda, a épica "Empire of the Clouds", com mais de 18 minutos, superando "Rime of the Ancient Mariner", que tem 13:45.

Marca o maior intervalo entre um álbum do Maiden e outro, pois seu antecessor, "The Final Frontier", saiu em agosto de 2010.

É o primeiro álbum de estúdio do Maiden a usar o logotipo original da banda desde "The X Factor" (1995).

Essa logo já havia retornado nos ao vivos "Maiden England ‘88" (2013) e "Flight 666" (2009), que trazem setlists dos anos 1980, e na coletânea "Somewhere Back in Time" (2008).

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Primeiro álbum da banda pela sua nova gravadora, a Parlophone. Todos os anteriores saíram pela EMI, que teve a banda sob contrato por mais de trinta anos.

Não é um álbum conceitual, porém várias letras abordam temas como alma e mortalidade, e a capa traz um tema inspirado na civilização maia.

A capa foi criada por Mark Wilkinson, que já havia trabalhado com a banda nas capas de "Live at Donington" (1993, na versão remaster de 1998) e "Best of the B Sides" (2002), e nas capas dos singles de" The Wicker Man" e "Out of the Silent Planet", ambos do álbum "Brave New World".

Segundo Steve Harris, a arte da capa está ligada à faixa título, que, como já mencionado, fala sobre a civilização maia.

Para dar ainda mais autenticidade à obra, a banda contratou o estudioso Simon Martin, especialista na cultura maia, que traduziu os títulos das músicas para hieróglifos maias e supervisionou toda a arte do álbum.

A banda adotou uma abordagem mais espontânea no estúdio. Antes da gravação passaram semanas ensaiando, e quando finalmente foram para o estúdio finalizaram várias músicas lá mesmo, chegando até mesmo a compor algumas dentro do estúdio e gravarem logo em seguida, com as ideias ainda frescas. A ideia era aumentar a espontaneidade e a sensação de "ao vivo" no estúdio.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

"Shadows of the Valley", "Death or Glory", "Speed of Light" e" If Eternity Should Fail" foram as primeiras a serem compostas para o álbum.

"If Eternity Should Fail" é uma composição de Bruce Dickinson e iria entrar em um futuro álbum solo do vocalista, que não lança nada inédito desde "Tyranny of Souls" (2005), mas acabou vindo pra cá.

"Speed of Light" e "Death or Glory" marcam as primeiras colaborações entre Bruce Dickinson e Adrian Smith, sem a presença de Steve Harris, desde que ambos voltaram ao Maiden em fevereiro de 1999. Vale lembrar que a dupla é autora de clássicos como "2 Minutes to Midnight", "Flight of Icarus" e "Moonchild".

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

É um trabalho que tem a participação de toda a banda na composição, ao contrário dos dois anteriores, onde Steve Harris monopolizou as ideias.

"Empire of the Clouds" foi composta totalmente por Bruce ao piano, e na hora de gravar ele comandou a banda ao lado de Kevin Shirley, orientando para onde cada instrumentista deveria seguir.

"If Eternity Should Fail" abre o disco de maneira sensacional e tem uma letra que fala sobre um personagem fictício chamado Doutor Necrópolis, que cria uma máquina capaz de roubar as almas dos seres humanos.

"Speed of Light" fala literalmente sobre a velocidade da luz e traz em sua letra muitas citações à física. O clipe, com Eddie passando por diversas fases de um videogame, é sensacional.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

"The Great Unknown" fala sobre como o mundo tem se tornado um lugar repleto de egoísmo, violência, vingança e dor e como estamos caminhando para o "grande desconhecido", que pode ser interpretado como a morte.

"The Red and the Black", liricamente, é uma espécie de continuação de "The Angel and the Gambler", do "Virtual XI" (1998), já que retoma na letra o tema das jogos de azar, principalmente os jogos de cartas. A música também tem o mesmo título de um livro do escritor francês Henri-Marie Beyle e que é uma crônica da sociedade francesa repleta de hipocrisia, traições e morte. Tanto o filme quanto o livro saíram no Brasil com o título de O Vermelho e o Negro.

"When the River Runs Deep" é uma reflexão sobre o dia em que a morte baterá na nossa porta, o que é inevitável para cada um de nós. Para alguns fãs, a letra traz trechos que mostram a banda lamentando as mortes do baterista Clive Burr e do tecladista Jon Lord, falecidos no período entre "The Final Frontier" e "The Book of Souls". Além disso, Steve perdeu um amigo próximo e um membro da família durante o período de composição do disco, intensificando o tema de luto da faixa.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

"The Book of Souls" fala sobre os maias. A civilização maia foi uma das mais avançadas do seu tempo e viveu entre 2000 A.C. e os anos 1600, quando foram conquistados pelos espanhóis. Ao lado dos incas e dos astecas, formam o trio de civilizações pré-colombianas extremamente avançadas e intelectualizadas que habitaram as Américas antes do descobrimento, e sua influência é sentida até hoje em todo o continente. O Livro das Almas citado no título aparentemente não existe e é uma alusão da banda aos inúmeros escritos deixados pelos maias documentando o seu conhecimento.

"Death or Glory" fala sobre a primeira guerra mundial e os aviões triplanos, e cita o piloto alemão Manfred Von Richthofen, o famoso Barão Vermelho, na letra.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

"Shadows of the Valley" traz uma letra inspirada na Bíblia, mais especificamente no trecho que fala sobre o Vale das Sombras e da Morte.

"Tears of the Clown" foi inspirada no ator Robin Williams, de Sociedade dos Poetas Mortos e outros sucessos, um dos mais conhecidos comediantes norte-americanos, morte em 2014 após cometer suicídio. A música é a melhor do álbum na opinião de Bruce Dickinson.

"The Man of Sorrows" traz um título quase idêntico a uma música presente em "Accident of Birth", álbum solo de Bruce lançada em 1997. A canção de Bruce fala sobre o mago e ocultista inglês Aleister Crowley, mas aqui estamos falando de uma música de Steve e Dave inspirada em uma das imagens mais icônicas do cristianismo, representando Jesus com as chagas da crucificação carregando o peso das transgressões da humanidade.

E "Empire of the Clouds" fecha o disco com uma letra sobre o dirigível R101. A ideia inicial nasceu de uma parceria não concretizada entre Bruce e Jon Lord, tecladista do Deep Purple, falecido em julho de 2012. O dirigível foi a maior embarcação construída pelo homem até então, tanto para o ar quanto para a terra, mas acabou caindo dia 5 de outubro de 1930 matando 48 dos 54 passageiros e tripulantes, em um dos acidentes aéreos mais famosos de todos os tempos.

"The Book of Souls" foi recebido com elogios pela crítica.

A Classic Rock Magazine deu nota 9 de 10 e disse que é difícil pensar em outra banda dessa geração que soe tão inspirada.

Kerrang e Metal Hammer deram nota máxima para o disco. A Kerrang afirmou que é um disco com uma visão extraordinária e a Metal Hammer escreveu que o álbum é uma jornada emocional gigantesca através de algumas das melhores performances da carreira da banda.

O Blabbermouth deu nota 9,5 e considerou o disco mais abrangente e confiante da banda desde "Brave New World" e um dos melhores álbuns de toda a trajetória do grupo.

O PopMatters deu nota 9 e elogiou o Maiden por retornar ao topo de uma maneira que não era vista desde 1988 com "Seventh Son of a Seventh Son".

O AllMusic deu nota 4 de 5 que ao ouvir o disco algumas vezes, ele ganha espaço na prateleira dos melhores álbuns do Iron Maiden.

A Billboard afirmou que o álbum é longo demais, porém surpreendentemente envolvente de forma geral.

A Paste deu nota 8 e disse que "The Book of Souls" é uma obra impressionante mas que às vezes acaba atolada na própria ambição da banda.

"The Book of Souls" foi eleito o álbum do ano pela Classic Rock Magazine, Loudwire e Metal Hammer e ficou com o quinto lugar na lista de melhores discos de metal de 2015 da Rolling Stone.

O disco chegou ao número 1 em 24 países.

Foi o quinto álbum do Maiden a chegar ao primeiro lugar na Inglaterra, fazendo companhia a "The Number of the Beast" (1982), "Seventh Son of a Seventh Son" (1988), "Fear of the Dark" (1992) e "The Final Frontier" (2010).

Chegou ao quarto lugar na Billboard, melhor posição da história da banda no mercado norte-americano e igualando a marca do trabalho anterior, "The Final Frontier".

Vendeu 100 mil cópias na Inglaterra e na Alemanha, e 40 mil cópias no Brasil.

Ganhou Disco de Ouro em 13 países e Disco de Platina em dois: Hungria e Brasil.

A turnê gerou o duplo ao vivo "The Book of Souls: Live Chapter", lançado em 17 de novembro de 2017. O material foi disponibilizado em áudio e vídeo, porém o vídeo não teve formato físico, apenas digital nos canais oficiais da banda.

Este é o décimo-segundo álbum ao vivo do Iron Maiden e traz duas músicas gravadas no Brasil: "Fear of the Dark" na Arena Castelão, em Fortaleza, e "Wasted Years" no HSBC Arena, no Rio de Janeiro.


Outras resenhas de Book of Souls - Iron Maiden

Resenha - Book Of Souls - Iron Maiden

Resenha - Book Of Souls - Iron Maiden

Resenha - Book Of Souls - Iron Maiden

Resenha - Book Of Souls - Iron Maiden

Resenha - Book Of Souls - Iron Maiden

Resenha - Book Of Souls - Iron Maiden

Resenha - Book Of Souls - Iron Maiden

Resenha - Book Of Souls - Iron Maiden

Resenha - Book Of Souls - Iron Maiden

Resenha - Book Of Souls - Iron Maiden

Resenha - Book Of Souls - Iron Maiden

Resenha - Book Of Souls - Iron Maiden

Resenha - Book Of Souls - Iron Maiden

Resenha - Book of Souls - Iron Maiden

Resenha - Book of Souls - Iron Maiden

Resenha - Book of Souls - Iron Maiden

Resenha - Book of Souls - Iron Maiden

Compartilhar no FacebookCompartilhar no WhatsAppCompartilhar no Twitter

Siga e receba novidades do Whiplash.Net:

Novidades por WhatsAppTelegramFacebookInstagramTwitterYouTubeGoogle NewsE-MailApps


Def Leppard Motley Crue 2

Iron Maiden: chega ao Brasil o livro "Empire Of The Clouds - Iron Maiden Nos Anos 2000"


publicidadeAdemir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | André Silva Eleutério | Bruno Franca Passamani | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Euber Fagherazzi | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Henrique Haag Ribacki | José Patrick de Souza | Julian H. D. Rodrigues | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Sergio Luis Anaga | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva |
Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp
Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Sobre Ricardo Seelig

Ricardo Seelig é editor da Collectors Room - www.collectorsroom.com.br - e colabora com o Whiplash.Net desde 2004.
Mais matérias de Ricardo Seelig.