On The Road: "It's a long time gone, bicho!" - CSN no RJ

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Por Cláudio Vigo
Enviar correções  |  Comentários  | 

Quando li no jornal que a lendária banda, companheira de tantas viagens, acampamentos e rodinhas de violão em que me restava fazer o thuruthuchu, Crosby, Stills e Nash, viria ao Brasil e tocaria no Rio, o siricotico nostálgico se instalou. Quem não apostou qual deles estava mais chapado em Woodstock, quem não berrou "Almost Cut My Hair" nem foi pra Marte nas "wooden ships" não viveu nos anos 70. Comprei meu ingresso posso dizer imediatamente e sabia que os Dinos estavam em boa forma desde os vídeos com David Gilmour, num festival que tenho gravado do ano passado e o relato extasiado de um amigo que os assistiu no Royal Albert Hall recentemente onde teve um flashback mofado de um troço de má procedência que tomou em 1974.

5000 acessosSupernatural: ouça 10 músicas que marcaram a série5000 acessosGuitarras: as 15 músicas mais complicadas para tocar


Falando em lenda, telefonei imediatamente para meu guru Xicozé que desdenhou de forma absoluta:

“Pow”... O Crosby morreu de overdose em 76 e isso aí é um zumbi cara... Só vou se tiver Amil Resgate e Samu na porta... Acredito não. Haja metadona!
E gargalhou na minha emoção. Tá certo que o velho guru da contracultura de Icaraí anda numa fase estranha, cheirando pó de guaraná raspado no Pirarucu... Cheio de disposição, se sentindo nos trinta e morando pertinho de Serguei.

Nem dei pelota, peguei minha mulher e rumamos para um também mofado Citybank Hall onde já fui encontrando um monte de conhecidos e desconhecidos com o mesmo shape grisalho, barriga e olhos vermelhos de emoção. O mix era grande e tinha uma turma que parecia foragida da "Casa São Luiz para a Velhice" e neo-hippies de uns 17 anos que também pareciam uma foto mofada de uma memória que começa a ficar distante.

Por um destes acasos do destino sentei exatamente entre uma dupla de garotos que chafurdava no cheetos e dava uns risinhos, cada um com um vinil debaixo do braço e um casal de senhores numa água esfuziante dizimando a herança dos netos no paraguaio local. Dei um alô pras duplas e entre a verborragia do uísque e o silêncio do cheetos a coisa foi se acomodando.

Quando os caras entraram, o público foi ao delírio e confesso que marejou meu velho coração de pedra. Banda excelente e discreta. Crosby um caco humano mas com a voz intacta. Nash cantando talvez melhor do que antes e Stills esmerilhando tudo numa guitarrada nervosa enquanto num tic nervoso mascava a dentadura de lado. Quando começou a tocar "Long time Gone" eu comecei o enfartar. Os garotos só riam e o senhor ao meu lado que chorava copiosamente lágrimas de esguicho, começou a resfolegar, fungar e a molhar meu ombro. Só dizia lindo, lindo e dava mais uma embeiçada no Juanito Andarilho.

Sem saber o que fazer, resolvi curtir e posso dizer que assisti um dos melhores shows velhos de todos os tempos. As harmonias que Crosby e Nash são capazes são dignas de anjos mesmo que gauches e tortos nessa vida. Eu que não sou disso cantei com o chorão o show inteiro. O público ensandecido e entregue ululava até em afinação de guitarra. Uma apoteose.

Na verdade, esses caras pra quem não sabe já foram OS CARAS. O supergrupo dos supergrupos. Afinal de contas o Buffalo Springfield, os Hollies e os Byrds eram a nata do que havia e a grande estreia para o grande público no mega evento de Woodstock, divulgado pelo filme nos quatro cantos do mundo, os levou ao estrelato absoluto na época. Ego, drogas, drogas, ego, todo mundo sabe onde isso vai dar.

O final inesquecível com toda a plateia urrando suíte "Judy Blue Eyes" acho que não esqueço, apesar de já estar na fase de tomar remédio pra ficar normal. Cada faísca da guitarra de Stills vai ficar guardada, ninguém toca no "Eletric Ladyland" de Hendrix à toa. Podia ter vindo o Neil Young, mas estava de bom tamanho.

Pois é, espero que os moleques tenham entendido que não era o Foo Fighters tocando e que o colega do lado tenha se recomposto. Não foi coisa pra amadores e que meu Xamã e guru Xicozé se esqueça de Joelma de pirarucu e ouça mais os conselhos de seu amigo Serguei. Afinal, "It´s a long time gone, bicho!"

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

Mais comentários na Fanpage do site, no link abaixo:

Post de 15 de maio de 2012

On The Road

3524 acessosJimmy Page, Led Zeppelin & The Black Crowes3774 acessosJohn Paul Jones & Zooma1270 acessosOn The Road2539 acessosAndy Warhol & Velvet Underground461 acessosJoe Jackson - Heaven & Hell4045 acessosJim Morrison - Ode a LA5000 acessosJerry Garcia - O Anti-Super-Star2150 acessosThe 70's - E um pouco sobre Gregg Allman5000 acessosAllman Brothers Band - ainda The 70s1737 acessosThe 80's - e um pouco sobre Ian Curtis902 acessosJorge Mautner2319 acessosTommy Bolin: sua morte prematura foi uma perda incalculável2668 acessosChuva de Guitarras1200 acessosJohn Mayall e o restaurante Indonésio1580 acessosUma noite das Arábias5000 acessosGlam Rock: A vanguarda era ditada com muito cílio postiço2755 acessosPapo Lynyrd671 acessosMemória do Futuro1025 acessosFour de Ases4141 acessosPancadão Hendrixniano3950 acessosNum muro dos anos 702709 acessosSteely Dan - Pop Perfeito1379 acessosOs quatro CDs do Apocalipse1862 acessosJoni Mitchell & Charlie Mingus5000 acessosGigantes do Soul Jazz1211 acessosMais gigantes do Soul Jazz1155 acessosQuem lembra dos Supergrupos?2564 acessosMick Jagger, Graham Bond e Geração Bendita2151 acessosColin Hodgkinson, biscoito fino no baixo4177 acessosAlguns atalhos para muitas viagens3048 acessosJohn Paul Jones - herói do Olimpo3810 acessosThe Shadows, a sombra de Hank Marvin1569 acessosColdplay e a franja do Fernando2439 acessosFunky Friends1054 acessosElogio do Ócio973 acessosConfissões Paulistas1308 acessosVelhas Novidades2980 acessosMahavishnu Orchestra e a Yoga2114 acessosAir - Moon Safari3863 acessosColecionadores de discos e de calcinhas4716 acessosHell's Angels, Punks, Verve2722 acessosPara onde vão Robert Fripp e os amestradores de focas?5000 acessosRimbaud e Morrison: A grande maioria passa pela vida imersa na multidão2260 acessosDr. John5000 acessosMais do Mesmo1156 acessosJorge Mautner e as Memórias do Filho do KAOS1569 acessosSoulive, usina groove em forma de power trio de jazz funky5000 acessosRolling Stones - "Exile On Main Street"3991 acessosOn The Road - Menos é Mais5000 acessosOs 1001 discos para se ouvir antes de morrer2801 acessosJeff Beck: Economia e bom gosto, eis a conseqüência3269 acessosOn The Road: O velho feiticeiro do piano e o Zappa do Funk1974 acessosOn The Road: Allman Brothers Band, um sonho de priscas eras5000 acessosOn The Road: "Jeff Beck é Jeff Beck"567 acessosOn The Road: Água Brava, Bacamarte e Celso Blues Boy1403 acessosOn The Road: biografia de Ron Wood é bem humorada e informativa0 acessosTodas as matérias sobre "On The Road"

0 acessosTodas as matérias da seção Matérias0 acessosTodas as matérias sobre "On The Road"0 acessosTodas as matérias sobre "Crosby Stills Nash And Young"

SupernaturalSupernatural
Ouça 10 músicas que marcaram a série

GuitarrasGuitarras
As 15 músicas mais complicadas para tocar

RestartRestart
Trecho de "Enter Sandman" no VMB 2010

5000 acessosBin Laden: possível sucessor era músico de Death Metal5000 acessosIntrigas: Bandas em família que terminaram mal5000 acessosVinil: quais são os dez discos mais valiosos do mundo?5000 acessosSeparados no nascimento: James Hetfield e Miguel Falabella5000 acessosBill Ward: a receita para sobreviver no ramo da música5000 acessosKiss: o Brasil acreditava que a banda matava pintinhos nos shows

Sobre Cláudio Vigo

Da safra de 62 , Claudio Vigo ganha a vida com a poesia, o jazz e o rock n roll. Paga as contas como arquiteto.

Mais matérias de Cláudio Vigo no Whiplash.Net.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online