On The Road: Confissões Paulistas

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Cláudio Vigo
Enviar Correções  

Nascer e morar em Niterói são uma forma estranha de ser carioca. Uma baía bela e hoje desdentada como queria Levi Strauss nos separa e aproxima num culto de amor e ódio digno de irmãos siameses. Posso dizer que conheço cada pedaço do antigo umbigo nacional, desde os subúrbios mais ermos até os points mais descolados. Daria um razoável motorista de táxi, se me aventurasse. Conheço a cidade pelo cheiro, de olhos fechados, do Leme ao Pontal, de Santa Cruz à Benfica. Apesar de ter pisado em São Paulo algumas dezenas de vezes, sempre por curtos períodos, a esfinge permanece indecifrável e se consigo me locomover é com muito esforço sem guardar que bairro fica perto de qual, um desespero. Caiu na minha mão esta semana o mítico disco do produtor iugoslavo paulista Suba, "São Paulo Confessions", que detonou todo um incômodo de perceber o porquê de estar tão longe do que está tão perto.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Até que eu não sou muito enrolado não. Estou acostumado a andar em lugares que não conheço e por deformação profissional me entendo bem com mapas etc. Consegui algumas façanhas como entrar em Roma dirigindo junto com aqueles corredores de bigas que são os motoristas italianos. Tá certo que me perdi completamente no início, indo parar num lugar totalmente inacreditável (quase rural) e com meu italiano que não passa de "vino pasta", "raviole" e "fettuccine" foi meio complicado me orientar, mas fui em frente. Mas me lembrando do desespero de dirigir em São Paulo, nada se compara.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal


Este estranhamento desde a infância gerou muita curiosidade e muitas pequenas estadas de dois a três dias onde rolava uma Bienal, um filme, teatro e alguns shows de Rock ou Jazz que porventura não haviam se aventurado a ir perto de casa. Não esqueço de um papo uma vez com uma namorada que me intimou numa véspera de semana santa: "Gostaria de ir para um lugar diferente, onde não encontrasse ninguém conhecido". Resolvi radicalizar: "Que tal São Paulo?" Entre o espanto e gargalhadas acabei hospedado bem no centro velho, onde fizemos tours muito interessantes por uma cidade subterrânea que seus filhos mal conhecem. Ou prestam atenção. Algo como se hospedar na Senador Dantas no Rio e passear Sábado à noite pela Cinelândia.

No primeiro hotel que entrei me deparei com Araci de Almeida no Bar tomando um Campari Rubi às 10 da manhã. Nem pestanejei e diante de tal recepção me abanquei com entusiasmo. Um clima meio hardcore (Blade Runner tropical) habitava as cercanias e uma fauna andrógina ululava pelas ruas em volta do hotel. No meio disso alguma aristocracia bem gasta que migrou a muito para outras paragens. Nos passeios identificava: "Aqui morou o Flavio de Carvalho, ali Oswald de Andrade tinha sua famosa Garçoniere":

"Arranha-Céus.
Fordes
Viadutos
Um cheiro de café
No silêncio emoldurado"
.

Vou por ano umas duas vezes a São Paulo, quase sempre volto no mesmo dia, portanto conheço muito bem uma cidade imaginaria e particular feita de pedaços desconexos e algumas lembranças. Nunca tive rotina em São Paulo por isso talvez nunca tenha me orientado com precisão ou dominado a paisagem. Mas em inúmeras outras cidades estive apenas uma vez e consigo lembrar com detalhes muito mais ricos. Talvez por isso tenha me motivado a escrever sobre este disco do Suba, um estrangeiro, que decifrou São Paulo em confissões eletrônicas. Outra cidade imaginária, outra visão da Torre de Babel.

publicidade

Mitar Subotic (Suba) chegou ao Brasil através de uma bolsa da Unesco para estudar música brasileira às vésperas do cataclismo colorido (1990) com vinte nove anos e morreu dez anos depois num incêndio em seu apartamento. Enquanto isso se tornou um dos maiores produtores de musica moderna brasileira trabalhando com gente como Arnaldo Antunes, Edgar Scandurra, Mestre Ambrósio, Marina Lima e Bebel Gilberto.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal


"São Paulo Confessions" foi lançado em 1999 e trás um Trip Hop com um molho bem brasileiro, seja na percussão sempre presente e providencial de João Parahyba e vocais de Cibelle num clima algumas vezes próximo de uma bossa cool, um tanto carioca na placidez, e nas participações especiais de Mestre Ambrosio, Roberto Frejat, Arnaldo Antunes e Edgar Scandurra. Em alguns momentos chega perto de uma Ambient Music de trópicos nervosos, como se Brian Eno tivesse se intoxicado de Bossa Nova e Maracatu. Camadas e mais camadas de intenções, com belos achados entre a hipnose de algum ritmo e a textura eletrônica. Uma forma bastante original de sentir uma das megalópoles dos Trópicos. Se fosse pelo caminho que Philip Glass trilhou em seu libelo antidestruição, "koyaanisqatsi" seria mais óbvio em seu nervosismo explícito, mas preferiu diminuir os elementos e abrir caminho para uma certa melancolia entrecortada (tristeza não tem fim...) com alguns clichês da Dance Music.


Uma bela experiência. Nunca havia imaginado este tipo de trilha para a cidade, mas ao se ouvir repetidamente começam a aparecer as referências, as praças, o metrô repleto, as cantinas, as arestas reduzidas da poesia concreta (via Arnaldo Antunes) em alta precisão e muitas das coisas típicas da minha São Paulo imaginária. Soube que foi lançado também um disco tributo a Suba com sobras de estúdio e participação de vários amigos, assim como existe um instituto de amparo ao ensino com inspiração em seu trabalho (www.suba.com.br). Já estou a procura do disco e procurei saber alguma coisa sobre o instituto. Realmente este cara foi embora cedo demais.

Cheguei a pensar qual seria a trilha sonora ideal para um passeio noturno pelas avenidas desertas de São Paulo se não fosse este disco e me vieram à cabeça os discos do Tortoise, que com suas interferências barulhentas faz uma Ambient Music infernal com chumbo derretido e ranger de dentes. Para quem não conhece recomendo a audição urgente desta banda que faz uma enciclopédia de sonoridades que vão desde o Kraut Rock setentista (Can, Neu, Faust) até o minimalismo, Jazz Avant-Garde etc.


Capitaneada pelo produtor baterista John Mc Entire, a banda na verdade é um núcleo experimental onde toca gente de todo lado. Seus discos saíram no Brasil via Trama e os dois que tenho: "Milions now living will never die" e "TNT" são simplesmente imperdíveis. Para quem não se acostuma com o óbvio e não foge de sonoridades ásperas é altamente indicado.

Não tem "tardinha", não tem "barquinho" e o Pôr do Sol sempre parece que vai ser o último. Não tem jeito, apesar de viver falando mal, ironizando, sempre acabo voltando, para ficar nunca, mas por que não para imaginar mais uns pedaços.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

"Você viaja para reviver o seu passado? - Era, a esta altura, a pergunta do Kahn, que também podia ser formulada da seguinte maneira: Você viaja para reencontrar seu futuro?
Os outros lugares são espelho em negativo. O viajante reconhece o pouco que é seu descobrindo o muito que não teve e o que não terá".

Ítalo Calvino

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal


On The Road

On The Road: Jimmy Page, Led Zeppelin & The Black CrowesOn The Road
Jimmy Page, Led Zeppelin & The Black Crowes

On The Road: John Paul Jones, o menos amado, talvez o mais subestimadoOn The Road
John Paul Jones, o menos amado, talvez o mais subestimado

On The Road: Um dos livros mais comentados e menos lidos da históriaOn The Road
Um dos livros mais comentados e menos lidos da história

On The Road: O mundo girou ao redor de Andy Warhol por quase vinte anosOn The Road
O mundo girou ao redor de Andy Warhol por quase vinte anos

On The Road: Para Joe Jackson como seria o Céu e o Inferno?On The Road
Para Joe Jackson como seria o Céu e o Inferno?

On The Road: Jim Morrison, uma ode a L.A.On The Road
Jim Morrison, uma ode a L.A.

On The Road: Jerry Garcia - O Anti-Super-StarOn The Road
Jerry Garcia - O Anti-Super-Star

On The Road: The 70's - E um pouco sobre Gregg AllmanOn The Road
The 70's - E um pouco sobre Gregg Allman

On The Road: Allman Brothers Band - ainda The 70sOn The Road
Allman Brothers Band - ainda The 70s

On The Road: The 80's - e um pouco sobre Ian CurtisOn The Road
The 80's - e um pouco sobre Ian Curtis

On The Road: Jorge MautnerOn The Road
Jorge Mautner

On The Road: Tommy Bolin; sua morte prematura foi uma perda incalculávelOn The Road
Tommy Bolin; sua morte prematura foi uma perda incalculável

On The Road: Chuva de Guitarras; Total domínio do instrumento e um feeling absurdoOn The Road
Chuva de Guitarras; Total domínio do instrumento e um feeling absurdo

On The Road: John Mayall e o restaurante IndonésioOn The Road
John Mayall e o restaurante Indonésio

On The Road: Camel, uma noite das ArábiasOn The Road
Camel, uma noite das Arábias

On The Road: Glam Rock; A vanguarda era ditada com muito cílio postiço

On The Road: Papo LynyrdOn The Road
Papo Lynyrd

On The Road: Tunel do tempo; A criatividade não está restrita a uma época especificaOn The Road
Tunel do tempo; A criatividade não está restrita a uma época especifica

On The Road: Four de AsesOn The Road
Four de Ases

On The Road: Pancadão HendrixnianoOn The Road
Pancadão Hendrixniano

On The Road: Num muro dos anos 70On The Road
Num muro dos anos 70

On The Road: Steely Dan - Pop PerfeitoOn The Road
Steely Dan - Pop Perfeito

On The Road: Os quatro CDs do ApocalipseOn The Road
Os quatro CDs do Apocalipse

On The Road: Joni Mitchell e Charlie MingusOn The Road
Joni Mitchell e Charlie Mingus

On The Road: Gigantes do Soul JazzOn The Road
Gigantes do Soul Jazz

On The Road: Mais gigantes do Soul JazzOn The Road
Mais gigantes do Soul Jazz

On The Road: Quem lembra dos Supergrupos?On The Road
Quem lembra dos Supergrupos?

On The Road: Mick Jagger, Graham Bond e Geração BenditaOn The Road
Mick Jagger, Graham Bond e Geração Bendita

On The Road: Colin Hodgkinson, biscoito fino no baixoOn The Road
Colin Hodgkinson, biscoito fino no baixo

On The Road: Alguns atalhos para muitas viagensOn The Road
Alguns atalhos para muitas viagens

On The Road: John Paul Jones - herói do OlimpoOn The Road
John Paul Jones - herói do Olimpo

On The Road: The Shadows, a sombra de Hank MarvinOn The Road
The Shadows, a sombra de Hank Marvin

On The Road: Coldplay e a franja do FernandoOn The Road
Coldplay e a franja do Fernando

On The Road: Funky FriendsOn The Road
Funky Friends

On The Road: Elogio do ÓcioOn The Road
Elogio do Ócio

On The Road: Velhas NovidadesOn The Road
Velhas Novidades

On The Road: Mahavishnu Orchestra e a YogaOn The Road
Mahavishnu Orchestra e a Yoga

Air - Moon SafariAir - Moon Safari

Colecionadores de discos e de calcinhasColecionadores de discos e de calcinhas

Hell's Angels, Punks, VerveHell's Angels, Punks, Verve

Robert Fripp: No brasil acompanhado das focas amestradasRobert Fripp
No brasil acompanhado das focas amestradas

On The Road: Rimbaud e MorrisonOn The Road
Rimbaud e Morrison

On The Road: Dr. John, melancolia e insensatez durante o Tim FestivalOn The Road
Dr. John, melancolia e insensatez durante o Tim Festival

On The Road: Mais do MesmoOn The Road
Mais do Mesmo

On The Road: Jorge Mautner e as Memórias do filho do KAOSOn The Road
Jorge Mautner e as Memórias do filho do KAOS

On The Road: Soulive, usina groove em forma de power trio de jazz funkyOn The Road
Soulive, usina groove em forma de power trio de jazz funky

On The Road: Exile..., obra prima feita de arestas, atos falhos e balbuciosOn The Road
Exile..., obra prima feita de arestas, atos falhos e balbucios

On The Road: Menos é MaisOn The Road
Menos é Mais

On The Road: Os 1001 discos para se ouvir antes de morrerOn The Road
Os 1001 discos para se ouvir antes de morrer

On The Road: Jeff Beck, economia e bom gosto, eis a conseqüênciaOn The Road
Jeff Beck, economia e bom gosto, eis a conseqüência

On The Road: O velho feiticeiro do piano e o Zappa do FunkOn The Road
O velho feiticeiro do piano e o Zappa do Funk

On The Road: Allman Brothers Band, um sonho de priscas erasOn The Road
Allman Brothers Band, um sonho de priscas eras

On The Road: Jeff Beck é Jeff BeckOn The Road
"Jeff Beck é Jeff Beck"

On The Road: "It's a long time gone, bicho!" - CSN no RJ

On The Road: Água Brava, Bacamarte e Celso Blues Boy

On The Road: biografia de Ron Wood é bem humorada e informativa

Todas as matérias sobre "On The Road"




Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Michael Kiske: O Iron Maiden vende a morte às pessoas!Michael Kiske
"O Iron Maiden vende a morte às pessoas!"

Tatuagens: Homenagens ao Guns N' Roses na pele dos fãsTatuagens
Homenagens ao Guns N' Roses na pele dos fãs


Sobre Cláudio Vigo

Da safra de 62 , Claudio Vigo ganha a vida com a poesia, o jazz e o rock n roll. Paga as contas como arquiteto.

Mais matérias de Cláudio Vigo no Whiplash.Net.

Cli336 Cli336 CliHo WhiFin Cli336 CliIL Cli336 Cli336