On The Road: Chuva de Guitarras; Total domínio do instrumento e um feeling absurdo

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Cláudio Vigo
Enviar Correções  


Quando na sexta-feira avisei meus amigos colecionadores que passaria o Carnaval em casa e não havia comprado um mísero cd para encarar a empreitada, o desespero se estampou naqueles semblantes, e entre um "assim não dá" e um "isso é inconcebível", ficou combinado que receberia um estoque regulador, que criasse um cordão sanitário, anti-Alalaô e que me fizesse escapar de um eminente atropelamento do Bonde do Tigrão.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

No sábado pela manhã, um pacote de dezenove cds estava na minha portaria, trazendo de tudo um pouco: progressivo polonês, shows piratas do Tempest, até uma interminável chuva de guitarras, de todos os tipos, que me fizeram refletir nesta meia dúzia de temas que discuto por aqui com vocês.

Não adianta negar, de todos os instrumentos que participam de uma banda de rock, a guitarra elétrica é o alvo maior de todos os fetiches. O vocalista pode ser o gostosão, o baterista o alucinado, o tecladista o genial, mas quando sola o guitarrista, todo mundo faz biquinho, fecha os olhos, balança a cabeça e se põe a tocar uma guitarra imaginária, desesperadamente. Já vimos isso em show, em casa de amigo e nós mesmos quantas vezes já nos pegamos mandando "aquele" solo do Johnny Winter, na solidão do quarto, num delicioso mico sem testemunhas.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Isto me lembrou uma historinha seventies hilária, que eu conto agora para dar um clima no contexto. Sempre tive muitos amigos músicos, e era figurinha fácil em inúmeros ensaios de varias bandas. Muita gente que hoje é profissional já me atormentou muito a alma e os ouvidos com cover de "Smoke on the Water" e "We're an American Band". Eu era uma espécie de roadie, ou seja, carregava umas caixas, plugava uns pedais e fazia inacreditáveis gravações piratas, que eram o desespero dos graves e agudos. Mas tinha pose (hoje se diria atitude), rock'n'roll e estava em todas.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Num destes intermináveis ensaios, sempre numa minúscula garagem cheia de caixa de ovo pra "dar acústica", apareceu um antigo colega de escola, que eu não via tinha uns trocentos anos me surpreendendo tanto pela ausência da merendeira como pela companhia de uma faiscante Gibson Les Paul (a galera local estava toda a bordo de Gianinnis) numa marra digna, no mínimo, de um John Mclaughlin.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Depois dos carambas e dos quanto tempos ajudei o ex-coleguinha a montar a inacreditável pedaleira, comprada pelo pai milico no exterior (assim como a Les Paul) e depois de uma meia dúzia de caras e bocas, o compadre mandou um solo que fez a garagem tremer e todo mundo emudecer de espanto. Parecia que iria liderar a própria Mahavishnu, uma rapidez absurda e uma precisão estonteante. Ficou todo mundo babando.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

O convite para uma jam session foi imediato. Corri para registrar o momento histórico nas minhas cassetes assassinas. Todos a postos, o couro comeu. "Smoke on the Water" já tinha rolado e eu achado o solo um pouco parecido, mas podia ser impressão né? Veio "We're an American Band" e já estava bem desconfiado. Tentaram "Black Dog" e nada. Quando se partiu para um blues bem improvisado, a conclusão foi inevitável: o solo era genial, mas era sempre o mesmo, inacreditável, independendo da musica ou do gênero (fox, mambo, tango etc...) o nosso herói mandava sempre o mesmo, fantástico, mas único, solo de guitarra. Foi constrangedor, depois que o rapaz pôs literalmente a Les Paul no saco e se retirou. O baixista comentou que ele treinava muito sozinho e portanto não tinha conjunto. Na mesma hora comparei o guitar hero com um fã enlouquecido da Rita Cadilac que depois de passar longas temporadas em solitários treinos homenageantes quando visse a "pantera" cara a cara (ou quase isso) negaria fogo por falta de conjunto.

publicidade

Entre os cds que vieram pro auxílio momesco estava o show da trinca de valetes: Joe Satriani, Eric Johnson e Steve Vai. Onde, guardadas as devidas proporções, acontece um problema semelhante ao rapaz da Les Paul. Infelizmente só nasceu um Jeff Beck e este povo junto com mais uma galera enorme ainda não percebeu isso. A técnica é absurdamente perfeita. Estão lá todos os truques, escalas e surpresas, fazendo os fãs, de biquinho e olhinho fechado, tocar horas e horas de guitarras imaginárias. Só que lá pela terceira música o espetáculo da bola no focinho da foca começa a cansar. Fico imaginando Santana, Eric Clapton e Hendrix tocando juntos. Duvido que imediatamente não reconhecêssemos quem estava tocando o quê. Por que? Porquê além de uma técnica extraordinária, os caras tinham uma história e uma visão de mundo que passavam em cada música, em cada solo. Experimentem ouvir um solo do Santana seguido de um de Clapton ou Hendrix e vejam que passam emoções e evocações completamente distintas. Querem outro exemplo? Keith Richards e Pete Townshend são bons guitarristas? Eu mesmo respondo: ótimos, apesar da falta de malabarismos e mágicas de circo. Existe um riff igual a "Brown Sugar" ou "Jumping Jack Flash"? Pois é. O papo é por aí.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal


Tive a sorte de assistir inúmeros desses heróis da guitarra tocando ao vivo (com a óbvia e triste exceção de Hendrix). De Clapton a Santana, passando por tantos e tantos outros. Posso dizer que o que mais me impressionou foi Jeff Beck, de quem sou fã absoluto. Total domínio do instrumento (volume, microfonias, efeitos etc...) e um feeling absurdo. Estava junto de um amigo (guitarrista de mão cheia) que pensa bastante parecido comigo, neste aspecto, e ficamos bestificados com a simplicidade e a beleza das idéias do mestre. Talvez por isso mesmo, por paradoxal que pareça, seja o mais invejado e imitado pelos tiradores de coelho da cartola. A crítica andou espinafrando o último álbum de Jeff Beck, já procurei e não consegui encontrar, portanto ainda me recuso a admitir o ocaso.

Seria injusto, para não dizer ingrato, com meus amigos se não dissesse que a grande maioria dos cds era excepcional. Só para ficar nas guitarras, lembro que vieram coisas do calibre de Roy Buchanan e Pete Haycock (ex-Clímax Blues Band). Meu carnaval que perigava ser uma tempestade de bundas de TV, uma ventania de thuchucas preparadas, acabou se transformando numa chuva de guitarras, com muito suor e cerveja.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal


On The Road

On The Road: Jimmy Page, Led Zeppelin & The Black CrowesOn The Road
Jimmy Page, Led Zeppelin & The Black Crowes

On The Road: John Paul Jones, o menos amado, talvez o mais subestimadoOn The Road
John Paul Jones, o menos amado, talvez o mais subestimado

On The Road: Um dos livros mais comentados e menos lidos da históriaOn The Road
Um dos livros mais comentados e menos lidos da história

On The Road: O mundo girou ao redor de Andy Warhol por quase vinte anosOn The Road
O mundo girou ao redor de Andy Warhol por quase vinte anos

On The Road: Para Joe Jackson como seria o Céu e o Inferno?On The Road
Para Joe Jackson como seria o Céu e o Inferno?

On The Road: Jim Morrison, uma ode a L.A.On The Road
Jim Morrison, uma ode a L.A.

On The Road: Jerry Garcia - O Anti-Super-StarOn The Road
Jerry Garcia - O Anti-Super-Star

On The Road: The 70's - E um pouco sobre Gregg AllmanOn The Road
The 70's - E um pouco sobre Gregg Allman

On The Road: Allman Brothers Band - ainda The 70sOn The Road
Allman Brothers Band - ainda The 70s

On The Road: The 80's - e um pouco sobre Ian CurtisOn The Road
The 80's - e um pouco sobre Ian Curtis

On The Road: Jorge MautnerOn The Road
Jorge Mautner

On The Road: Tommy Bolin; sua morte prematura foi uma perda incalculávelOn The Road
Tommy Bolin; sua morte prematura foi uma perda incalculável

On The Road: John Mayall e o restaurante IndonésioOn The Road
John Mayall e o restaurante Indonésio

On The Road: Camel, uma noite das ArábiasOn The Road
Camel, uma noite das Arábias

On The Road: Glam Rock; A vanguarda era ditada com muito cílio postiço

On The Road: Papo LynyrdOn The Road
Papo Lynyrd

On The Road: Tunel do tempo; A criatividade não está restrita a uma época especificaOn The Road
Tunel do tempo; A criatividade não está restrita a uma época especifica

On The Road: Four de AsesOn The Road
Four de Ases

On The Road: Pancadão HendrixnianoOn The Road
Pancadão Hendrixniano

On The Road: Num muro dos anos 70On The Road
Num muro dos anos 70

On The Road: Steely Dan - Pop PerfeitoOn The Road
Steely Dan - Pop Perfeito

On The Road: Os quatro CDs do ApocalipseOn The Road
Os quatro CDs do Apocalipse

On The Road: Joni Mitchell e Charlie MingusOn The Road
Joni Mitchell e Charlie Mingus

On The Road: Gigantes do Soul JazzOn The Road
Gigantes do Soul Jazz

On The Road: Mais gigantes do Soul JazzOn The Road
Mais gigantes do Soul Jazz

On The Road: Quem lembra dos Supergrupos?On The Road
Quem lembra dos Supergrupos?

On The Road: Mick Jagger, Graham Bond e Geração BenditaOn The Road
Mick Jagger, Graham Bond e Geração Bendita

On The Road: Colin Hodgkinson, biscoito fino no baixoOn The Road
Colin Hodgkinson, biscoito fino no baixo

On The Road: Alguns atalhos para muitas viagensOn The Road
Alguns atalhos para muitas viagens

On The Road: John Paul Jones - herói do OlimpoOn The Road
John Paul Jones - herói do Olimpo

On The Road: The Shadows, a sombra de Hank MarvinOn The Road
The Shadows, a sombra de Hank Marvin

On The Road: Coldplay e a franja do FernandoOn The Road
Coldplay e a franja do Fernando

On The Road: Funky FriendsOn The Road
Funky Friends

On The Road: Elogio do ÓcioOn The Road
Elogio do Ócio

On The Road: Confissões PaulistasOn The Road
Confissões Paulistas

On The Road: Velhas NovidadesOn The Road
Velhas Novidades

On The Road: Mahavishnu Orchestra e a YogaOn The Road
Mahavishnu Orchestra e a Yoga

Air - Moon SafariAir - Moon Safari

Colecionadores de discos e de calcinhasColecionadores de discos e de calcinhas

Hell's Angels, Punks, VerveHell's Angels, Punks, Verve

Robert Fripp: No brasil acompanhado das focas amestradasRobert Fripp
No brasil acompanhado das focas amestradas

On The Road: Rimbaud e MorrisonOn The Road
Rimbaud e Morrison

On The Road: Dr. John, melancolia e insensatez durante o Tim FestivalOn The Road
Dr. John, melancolia e insensatez durante o Tim Festival

On The Road: Mais do MesmoOn The Road
Mais do Mesmo

On The Road: Jorge Mautner e as Memórias do filho do KAOSOn The Road
Jorge Mautner e as Memórias do filho do KAOS

On The Road: Soulive, usina groove em forma de power trio de jazz funkyOn The Road
Soulive, usina groove em forma de power trio de jazz funky

On The Road: Exile..., obra prima feita de arestas, atos falhos e balbuciosOn The Road
Exile..., obra prima feita de arestas, atos falhos e balbucios

On The Road: Menos é MaisOn The Road
Menos é Mais

On The Road: Os 1001 discos para se ouvir antes de morrerOn The Road
Os 1001 discos para se ouvir antes de morrer

On The Road: Jeff Beck, economia e bom gosto, eis a conseqüênciaOn The Road
Jeff Beck, economia e bom gosto, eis a conseqüência

On The Road: O velho feiticeiro do piano e o Zappa do FunkOn The Road
O velho feiticeiro do piano e o Zappa do Funk

On The Road: Allman Brothers Band, um sonho de priscas erasOn The Road
Allman Brothers Band, um sonho de priscas eras

On The Road: Jeff Beck é Jeff BeckOn The Road
"Jeff Beck é Jeff Beck"

On The Road: "It's a long time gone, bicho!" - CSN no RJ

On The Road: Água Brava, Bacamarte e Celso Blues Boy

On The Road: biografia de Ron Wood é bem humorada e informativa

Todas as matérias sobre "On The Road"




Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Rafael Serrante: Ele invadiu o palco do Maiden no Rock In RioRafael Serrante
Ele invadiu o palco do Maiden no Rock In Rio

Deep Purple: David Coverdale conta como eles expulsaram o ACDC do palco em 1974Deep Purple
David Coverdale conta como eles expulsaram o ACDC do palco em 1974


Sobre Cláudio Vigo

Da safra de 62 , Claudio Vigo ganha a vida com a poesia, o jazz e o rock n roll. Paga as contas como arquiteto.

Mais matérias de Cláudio Vigo no Whiplash.Net.

Cli336 Cli336 Cli336 Cli336 Cli336 WhiFin Cli336 Cli336