Pink Floyd: os bastidores da reunião do trio remanescente

  

Por Nathália Plá, Fonte: rollingstone.com, Tradução
Enviar correções  |  Comentários:   | 

Matéria de 18/05/11. Quer matérias recentes sobre Rock e Heavy Metal?

"Não tinha sido nada combinado", disse Nick Mason.

Quando o baterista do Pink Floyd Nick Mason esteve na O2 Arena em Londres na última quarta-feira ele não fazia idéia que ele daria de frente com David Gilmour e Roger Waters apresentando "Comfortably Numb" numa passagem de som para o show de Waters naquela noite. "Nada chegou a ficar acertado – houve conversas sobre talvez tocar em Paris ou algo mais," Mason disse. "Então foi muito bom chegar lá e ver que ele [David] estava lá."

Depois, os três membros remanescentes do Pink Floyd se apresentaram juntos no palco apenas pela segunda vez nos últimos 30 anos, e a primeira desde o show do Live 8 em 2005. "Foi realmente bom fazer meio que parte daquilo e dar apoio a Roger, não que ele realmente precise disso", disse Mason a respeito do show de quarta-feira a noite, no qual os três tocaram "Outside the Wall." "Suponho que é bom que o Roger queira registrar o David e a mim como parte daquilo, de certa forma. Foi meio que uma coisa mútua: foi bom ter reconhecimento mas também muito bom ir em apoio a Roger e deixar claro que nós não estamos tipo que distribuindo socos nos auditórios. Não o criticamos por fazer aquilo."

Depois da passagem de som, os três se assentaram numa mesa no backstage e fizeram um jantar leve. "Estávamos todos só um pouco nervosos, porque foi um momento antes do show então não foi algo totalmente relaxado, 'Vamos conversar sobre tudo'. Uma vez que o David não tocava a música há muito tempo, ele estava provavelmente preocupado com a tecnologia que iria erguê-lo no muro. É bem assustador lá em cima – eu estive lá uma vez e é um longo caminho até lá em cima."

Em seguida, Mason se recolheu a seu assento no piso da arena, onde fãs o cumprimentaram com entusiasmo, e assistiu ao The Wall pela primeira vez como espectador. "Foi incrivelmente bom", disse ele. "É uma pena, de certa maneira... se você pudesse voltar no tempo e ter acesso àquele tipo de tecnologia há 40, 30 anos atrás teria sido fantástico. Quero dizer, é interessante porqule eu acho que o The Wall foi atualizado. Quando você olha para o palco e para a iluminação de agora, então ofusca tudo o que fazíamos."

A apresentação de Gilmour de "Comfortably Numb" foi magnífica. Então no fim do show Waters convidou Gilmour (desa vez com um mandolin) e Mason (com um pandeiro) para a "Outside the Wall," que tinham pedido que ele tocasse apenas meia hora antes do show. No palco, Waters abraçou Mason e balançou com ele. "Ele quase me derrubou" disse Mason. "Achei que ele fosse me jogar pra fora do palco."

Houve mais troca de palavras no backstage após o show? "Você quer dizer além de 'Cai fora. Te odeio'? 'Nunca mais quero te ver de novo'? Não."

A notícia se espalhou online como fogo fora de controle, o que deixou Mason perplexo. "Por incrível que pareça são só três sujeitos se juntando por um momento, muito esquisito. Mas se é o que as pessoas gostam, então está ótimo." E naturalmente, reacendeu a esperança de uma reunião. E até onde se sabe, Gilmour é o único empecilho a uma reunião dos membros vivos da banda. Mason e Waters já disseram que estão abertos a mais atividades da banda após a apresentação no Live 8 em 2005.

"Acho que particularmente nesse momento o David tem outras coisas com que se preocupar", disse Mason. "Mas também as pessoas mudam de opinião, às vezes estão interessadas em fazer alguma coisa e depois não estão. Acho que vamos ter de esperar em silêncio para ver se o Dave concorda. Acho que há uma possibilidade mesmo que seja, sabe, outro Live 8."

O baterista estará no show desta noite no O2 para ver o The Wall novamente, mas não o esperem no palco. "Foi uma coisa muito legal mas pode virar um clichê se continuarmos subindo em cima do muro e continuássemos nos abraçando no palco. Quero dizer, acho que já basta. Quero dizer, somos ingleses, afinal. Não gostamos muito dessa coisa de abraçar."

  

Pink Floyd
Os álbuns da banda, do pior para o melhor

Pink Floyd
O significado da capa de "The Final Cut"

Ultimate Classic Rock
Os 100 maiores clássicos do rock

David Gilmour
Guitarrista faz um inacreditável tributo a Prince

Rock Faz Bem
Qual será a mais bela canção de todos os tempos?

Zakk Wylde
"Eu bebia porque curto tomar um porre!"

Tarja Turunen
"É bom saber que me acham sexy"

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

Sobre Nathália Plá

Mineira de Belo Horizonte, nasceu e cresceu ouvindo Rock por causa de seu pai. O som de Pink Floyd e Yes marcou sua infância tanto quanto a boneca Barbie, mas de uma forma tão intensa que hoje escutar essas bandas lhe causa arrepios. Ao longo dos anos foi se adaptando às incisivas influências e acabou adquirindo gosto próprio, criando afinidade pelo Hard Rock e Heavy Metal. Louca e incondicionalmente apaixonada por Bon Jovi, não está nem aí pras críticas insistentes dirigidas à banda. Deixando a emoção de lado e dando ouvidos à técnica e qualidade musical, tem por melhores bandas, nessa ordem, BlackSabbath, Led Zeppelin, Deep Purple, Metallica e Dream Theater. De resto, é apenas mais uma apreciadora do bom e velho Rock'n'roll.

Mais matérias de Nathália Plá no Whiplash.Net.

Link que não funciona para email (ignore)

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em maio: 1.516.623 visitantes, 3.493.157 visitas, 8.578.731 pageviews.