On The Road: Camel, uma noite das Arábias

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Cláudio Vigo
Enviar Correções  


Esta semana fui surpreendido com um empréstimo de meu velho amigo Miguelito 78, que veio na forma de um pacote, contendo quatro cds de uma banda setentista, que não ouvia tinha muito tempo: "Be Bop de Luxe" é o nome da pérola rara, e seu guitarrista e líder Bill Nelson andou declarando que quando remasterizou estes discos não se reconheceu em nada e apesar de gostar deles, disse não ter mais nada a ver com essas músicas. Caramba!

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Quando li isto vi que alguns destes pobres coitados ficam prisioneiros de 4 ou 5 anos, em que produziram dois ou três clássicos. Não podem mudar de opinião ou evoluir, que uma horda saudosista lhes acorrenta o pé em algum lugar do passado, ficando igual a vampiro, vagando eternamente entre 74/77, até que a arteriosclerose os leve assim como a maioria de seus fãs. Fui para o show do Camel no dia 24 com este sentimento, de dar alho pra vampiro, mas numa grata surpresa, o que parecia ser o prenúncio de muito mofo geriátrico acabou se transformando numa noite das Arábias, onde o Camelo mostrou ainda ter muito fôlego pra correr pelo deserto que anda por aí.

publicidade

Antes de mais nada vou explicar o porquê do 78 do Miguelito: peça rara, mito do underground carioca nos anos 70, meu amigo acredita piamente que o mundo acabou em 31 de dezembro de 1978 e se recusa a entrar em contato com qualquer coisa gravada depois disso. Chega a ficar nervoso e é clássica a história de sua recusa em ouvir uma gravação rara do Gentle Giant (que ele adora) apenas porque foi gravada no nada, ou seja, em janeiro de 1979. Não peçam que ele explique, se o mundo acabou vai explicar o quê?

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Para ser sincero, parei de ouvir o Camel no fatídico ano de 78, quando era uma banda de enorme sucesso e o disco "Mirage" habitava nove entre 10 casas de amigos da época. Andy Latimer e seu solo em "Lady Fantasy" povoavam minhas memórias e dos outros três Dino Boys que atravessavam comigo a Ponte Rio Niterói rumo ao show. Lembrávamos que não conseguíamos lembrar nada desta época, só uns pedaços de histórias em que alguma música do Camel estivesse presente. Chicozé, Pé de Pato e Eldon Pop tinham cada um causo inesquecível, e já esquecido pra contar.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Entre inúmeras gargalhadas e outros tantos preparativos espirituais, chegamos ao local um tanto cedo demais e resolveu-se tomar um chopp hidratante. Não mais que de repente Chicozé, que havia participado de uma vaquinha que possibilitou a vinda dos senhores ingleses nestas terras quentes, foi chamado para ser entrevistado pela MTV. Apareceu uma ninfeta esplendorosa que se dirigiu ao velho rocker como se estivesse falando com um DJ de techno funk. Quando senti o clima, disse: "essa eu não perco" e o resultado foi no mínimo hilário, com o pobre colunista aqui fazendo um "papagaio de pirata" voluntário que possivelmente entrou para o memorial do ridículo da TV brasileira de todos os tempos. O sorriso forçado, acredito ter sido digno de figurante de "A Praça É Nossa". Não vi o resultado, mas ainda tenho esperança de alguém me descobrir pra platéia do "Raul Gil" ou quem sabe "dançarino do Latino". A performance foi digna disso.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal


Minutos após, conhecemos uma dupla antológica, que consistia em um fã inglês a bordo de um inacreditável casaco de camelo e incontáveis caipirinhas que o faziam suar como se estivesse no Cairo, e uma montanha de músculos que poderia facilmente passar por um príncipe Etíope, mas que havia chegado de Três Rios (RJ) naquela tarde. Era campeão de Fisiculturismo, amante do rock progressivo e reclamava horrores que sua aparência cheia de molejo sempre evocava o pagode quando ia comprar discos. Tenho pena dos vendedores que desafiam sua ira santa. "The Englishman" foi rapidamente apelidado de "Mad Dog" e com uma expressão totalmente "Dr Livestone, I presume" desfiou umas quatrocentas histórias de shows em que esteve presente em priscas eras, coisas como Pink Floyd, Soft Machine, Curved Air, Caravan e toda a nata do progressivo setentista inglês. Tudo isso sorvendo, de canudinho, litros e litros da já citada caipirinha, elevando a sudorese por baixo do casaco de camelo a níveis alarmantes. Enquanto isso eu já havia descoberto que o uísque do bar era bem honesto e me tornado amigo de infância do "Stallone de Três Rios", que guardou lugar na fila de entrada para todos nós sem que houvesse uma só reclamação dos circunstantes.


Quanto ao show, se quiserem set list, informações técnicas e contexto histórico é melhor dar um pulinho na coluna de progressivo do Cláudio Fonzi aí do lado. Vocês vão encontrar tudo isso lá bem melhor do que eu poderia explicar ou esclarecer (já deu pra notar que meu negócio é confundir). Mas posso dizer que gostei bastante, inclusive das musicas novas. Mr.Latimer, fazendo a linha "maracujá de gaveta encanecido", está tocando o fino e em alguns momentos me fez lembrar o David Gilmour dos melhores tempos. Muita técnica com experiência - quer saber? Acho que está tocando melhor do que antes.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Dá uma certa melancolia imaginar que artistas deste nível tenham dificuldades em conseguir público. Se não fosse a ação de um produtor abnegado e de mais uma meia dúzia de fãs participantes, possivelmente teria sido impossível viabilizar um show como esse. Uma pena! Surpreendeu-me a quantidade de gente nova vibrando com o som dos caras. Legal isso.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

O que era pra ser uma noite datada e saudosista acabou se tornando uma noite das Arábias. Com Príncipe Etíope, Inglês alucinado e quatro Dino Boys que seguiram um camelo, como se fosse uma miragem, com muita água, alto astral, boa música e gente nova que segue viagem e não acredita que o mundo acabou em 78 como quer o Miguelito.

(Fotos: cortesia Rock Progressivo Brasil)

publicidade


On The Road

On The Road: Jimmy Page, Led Zeppelin & The Black CrowesOn The Road
Jimmy Page, Led Zeppelin & The Black Crowes

On The Road: John Paul Jones, o menos amado, talvez o mais subestimadoOn The Road
John Paul Jones, o menos amado, talvez o mais subestimado

On The Road: Um dos livros mais comentados e menos lidos da históriaOn The Road
Um dos livros mais comentados e menos lidos da história

On The Road: O mundo girou ao redor de Andy Warhol por quase vinte anosOn The Road
O mundo girou ao redor de Andy Warhol por quase vinte anos

On The Road: Para Joe Jackson como seria o Céu e o Inferno?On The Road
Para Joe Jackson como seria o Céu e o Inferno?

On The Road: Jim Morrison, uma ode a L.A.On The Road
Jim Morrison, uma ode a L.A.

On The Road: Jerry Garcia - O Anti-Super-StarOn The Road
Jerry Garcia - O Anti-Super-Star

On The Road: The 70's - E um pouco sobre Gregg AllmanOn The Road
The 70's - E um pouco sobre Gregg Allman

On The Road: Allman Brothers Band - ainda The 70sOn The Road
Allman Brothers Band - ainda The 70s

On The Road: The 80's - e um pouco sobre Ian CurtisOn The Road
The 80's - e um pouco sobre Ian Curtis

On The Road: Jorge MautnerOn The Road
Jorge Mautner

On The Road: Tommy Bolin; sua morte prematura foi uma perda incalculávelOn The Road
Tommy Bolin; sua morte prematura foi uma perda incalculável

On The Road: Chuva de Guitarras; Total domínio do instrumento e um feeling absurdoOn The Road
Chuva de Guitarras; Total domínio do instrumento e um feeling absurdo

On The Road: John Mayall e o restaurante IndonésioOn The Road
John Mayall e o restaurante Indonésio

On The Road: Glam Rock; A vanguarda era ditada com muito cílio postiço

On The Road: Papo LynyrdOn The Road
Papo Lynyrd

On The Road: Tunel do tempo; A criatividade não está restrita a uma época especificaOn The Road
Tunel do tempo; A criatividade não está restrita a uma época especifica

On The Road: Four de AsesOn The Road
Four de Ases

On The Road: Pancadão HendrixnianoOn The Road
Pancadão Hendrixniano

On The Road: Num muro dos anos 70On The Road
Num muro dos anos 70

On The Road: Steely Dan - Pop PerfeitoOn The Road
Steely Dan - Pop Perfeito

On The Road: Os quatro CDs do ApocalipseOn The Road
Os quatro CDs do Apocalipse

On The Road: Joni Mitchell e Charlie MingusOn The Road
Joni Mitchell e Charlie Mingus

On The Road: Gigantes do Soul JazzOn The Road
Gigantes do Soul Jazz

On The Road: Mais gigantes do Soul JazzOn The Road
Mais gigantes do Soul Jazz

On The Road: Quem lembra dos Supergrupos?On The Road
Quem lembra dos Supergrupos?

On The Road: Mick Jagger, Graham Bond e Geração BenditaOn The Road
Mick Jagger, Graham Bond e Geração Bendita

On The Road: Colin Hodgkinson, biscoito fino no baixoOn The Road
Colin Hodgkinson, biscoito fino no baixo

On The Road: Alguns atalhos para muitas viagensOn The Road
Alguns atalhos para muitas viagens

On The Road: John Paul Jones - herói do OlimpoOn The Road
John Paul Jones - herói do Olimpo

On The Road: The Shadows, a sombra de Hank MarvinOn The Road
The Shadows, a sombra de Hank Marvin

On The Road: Coldplay e a franja do FernandoOn The Road
Coldplay e a franja do Fernando

On The Road: Funky FriendsOn The Road
Funky Friends

On The Road: Elogio do ÓcioOn The Road
Elogio do Ócio

On The Road: Confissões PaulistasOn The Road
Confissões Paulistas

On The Road: Velhas NovidadesOn The Road
Velhas Novidades

On The Road: Mahavishnu Orchestra e a YogaOn The Road
Mahavishnu Orchestra e a Yoga

Air - Moon SafariAir - Moon Safari

Colecionadores de discos e de calcinhasColecionadores de discos e de calcinhas

Hell's Angels, Punks, VerveHell's Angels, Punks, Verve

Robert Fripp: No brasil acompanhado das focas amestradasRobert Fripp
No brasil acompanhado das focas amestradas

On The Road: Rimbaud e MorrisonOn The Road
Rimbaud e Morrison

On The Road: Dr. John, melancolia e insensatez durante o Tim FestivalOn The Road
Dr. John, melancolia e insensatez durante o Tim Festival

On The Road: Mais do MesmoOn The Road
Mais do Mesmo

On The Road: Jorge Mautner e as Memórias do filho do KAOSOn The Road
Jorge Mautner e as Memórias do filho do KAOS

On The Road: Soulive, usina groove em forma de power trio de jazz funkyOn The Road
Soulive, usina groove em forma de power trio de jazz funky

On The Road: Exile..., obra prima feita de arestas, atos falhos e balbuciosOn The Road
Exile..., obra prima feita de arestas, atos falhos e balbucios

On The Road: Menos é MaisOn The Road
Menos é Mais

On The Road: Os 1001 discos para se ouvir antes de morrerOn The Road
Os 1001 discos para se ouvir antes de morrer

On The Road: Jeff Beck, economia e bom gosto, eis a conseqüênciaOn The Road
Jeff Beck, economia e bom gosto, eis a conseqüência

On The Road: O velho feiticeiro do piano e o Zappa do FunkOn The Road
O velho feiticeiro do piano e o Zappa do Funk

On The Road: Allman Brothers Band, um sonho de priscas erasOn The Road
Allman Brothers Band, um sonho de priscas eras

On The Road: Jeff Beck é Jeff BeckOn The Road
"Jeff Beck é Jeff Beck"

On The Road: "It's a long time gone, bicho!" - CSN no RJ

On The Road: Água Brava, Bacamarte e Celso Blues Boy

On The Road: biografia de Ron Wood é bem humorada e informativa

Todas as matérias sobre "On The Road"




Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


AC/DC: as 10 melhores músicas da banda com Bon ScottAC/DC
As 10 melhores músicas da banda com Bon Scott

Ortografia: como deveriam realmente se chamar as bandas?Ortografia
Como deveriam realmente se chamar as bandas?


Sobre Cláudio Vigo

Da safra de 62 , Claudio Vigo ganha a vida com a poesia, o jazz e o rock n roll. Paga as contas como arquiteto.

Mais matérias de Cláudio Vigo no Whiplash.Net.

CliIL WhiFin Cli336 Cli336 Cli336 Cli336 Cli336 WhiFin