Premature Birth: Consciência do que funciona e não no Black Metal

Resenha - Ceremony Of Power - Premature Birth

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Fernando Reis
Enviar correções  |  Ver Acessos

Nota: 6


Black metallers ingleses estreiam-se em disco e não têm medo de voltar a colocar teclados no mais frio e extremo dos gêneros musicais.

Iron Maiden: ouça o baixo de Steve Harris isoladamenteBateristas: os trinta mais ricos do mundo

Ainda a ressacar da explosão de popularidade - e consequente período de "nojo" - dos CRADLE OF FILTH, a cena black metal inglesa tem virado nos últimos anos para baixo e à esquerda, com as abordagens mais brutas e diretas de gente como ANAAL NATHRAKH por um lado, e mais tradicionalmente vitorianas como A FOREST OF STARS por outro. E é precisamente aí que está a surpresa dos londrinos PREMATURE BIRTH, que aliam o lado mais frio e extremo do black metal a uma cadência gótica e clássica que cheira a anos 90.

O disco de estreia, "Ceremony Of Power", fá-lo com alguma elegância e força em quatro temas e 32 minutos, sem nunca sair do que é standard no género, mas sempre com uma consciência muito decente do que funciona e não funciona no black metal tradicional.

O resultado são quatro longas faixas - entre os seis e os dez minutos - onde os blastbeats abundam, onde as vocalizações se situam invariavelmente no tom "demoníaco" e em que cada um dos lugares-comuns do black metal é percorrido, explorado e usado com convicção e proporcionalidade. Os teclados dão um bom contraponto melódico/ambiental e a produção, direta e "honesta" (como a própria banda gosta de referir) acaba por funcionar a favor dos PREMATURE BIRTH. [Ceremony Of Power] não é, por isso, um disco para mudar a face do black metal, mas o carácter destemido da abordagem e do posicionamento do grupo na cena faz desta meia-hora uma boa proposta para quem anda retirar o álbum [Principle Of Evil Made Flesh] da prateleira mais vezes do que gostaria.

01. Revelation
02. Watching The World Crumble
03. War Against The Filth
04. A Ceremony Of Power



GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "Premature Birth"


Iron Maiden: ouça o baixo de Steve Harris isoladamenteIron Maiden
Ouça o baixo de Steve Harris isoladamente

Bateristas: os trinta mais ricos do mundoBateristas
Os trinta mais ricos do mundo


Sobre Fernando Reis

Fernando Reis é jornalista musical em Portugal, tendo passado por publicações de referência naquele país como as revistas Riff e Loud!. Foi também editor de fanzines como o Feedback e Tenser. Atualmente, edita o blog Misantropia Extrema e o fanzine South Of Heaven. Foi ainda label manager da Misdeed Records e Major Label Industries, coordenador do departamento de promoção e marketing da Megamúsica e diretor comercial na Fiomúsica.

Mais matérias de Fernando Reis no Whiplash.Net.