Rock In Rio: Fatos curiosos sobre a primeira edição

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Por João Renato Alves, Fonte: Blog Van do Halen
Enviar correções  |  Comentários  | 

Vamos viajar no tempo até o momento em que o Brasil entrou de vez na rota de shows internacionais. Relembre (ou conheça) fatos pitorescos que marcaram a primeira edição do Rock In Rio.

431 acessosBob's no Rock in Rio: Supla em campanha e no canal de Felipe Neto5000 acessosTwisted Sister: segundo Dee, "ser pobre e famoso é uma merda"

- Três bandas inicialmente anunciadas acabaram não vindo: The Pretenders (a vocalista Chrissie Hynde descobriu que estava grávida meses antes do festival), Men At Work (o grupo se separou repentinamente) e Def Leppard (o baterista Rick Allen sofreu o acidente que lhe custaria o braço esquerdo às vésperas do evento).

- Para o lugar do Def Leppard, o Whitesnake foi recrutado. Substituindo o The Pretenders, veio o B-52’s. Rod Stewart preencheu a vaga do Men At Work, embora algumas fontes não estabeleçam conexão entre uma coisa e outra.

- A estrutura de palco era toda do Queen. Alguns aparatos de som e luz entravam em ação apenas nas duas apresentações da banda.

- A Igreja Católica conclamou seus fieis a não participar da festa diabólica que se instalava no Rio de Janeiro. “O Rock é uma música alienante e provocatória. As consequências de ordem moral e social devem preocupar pais e mestres”, declarava o Cardeal Arcebispo Dom Eugênio Salles.

- Na mesma linha, o então governador carioca, Leonel Brizola, se apoiava em suposta profecia de Nostradamus, que dizia que um grande encontro de jovens na América do Sul, no fim do século XX, terminaria em tragédia, com a morte de milhares de pessoas. Segundo Roberto Medina, “a história foi inventada por jornalistas em um porre de bar”.

- Apesar de toda a pressão para transmitir uma imagem positiva a cada show, os artistas nacionais sofreram nas mãos do público, especialmente em dias que havia alguma banda de Heavy Metal na escalação. Poucos não foram hostilizados pela plateia, que atirava tudo em direção aos palcos.

- As informações sobre Rock no Brasil eram tão escassas que uma das bandas mais votadas para se apresentar no evento, em pesquisas populares, era o Led Zeppelin. A banda havia acabado cinco anos antes, após a morte do baterista John Bonham.

- Foi durante o festival que a expressão “metaleiro” foi criada. Sem saber como denominar a legião de headbangers que tomou de assalto a Cidade do Rock, a Rede Globo deu origem ao termo. Até hoje, ele é abominado pela cena Heavy, por ser considerado pejorativo.

- O Mc Donald's vendeu, num só dia, 58 mil hambúrgueres, entrando para o Guiness Book of Records. Este ainda é o seu recorde até hoje.

- Também foram consumidos 1.600.000 Litros de bebidas em 4 milhões de copos; 900.000 sanduíches; 7.500 quilos de massa e 500.000 fatias de pizza.

- Com a New Wave em alta, o público caprichou no visual típico. 800 quilos de gel para o cabelo foram vendidos.

- A cantora Nina Hagen foi escolhida pela imprensa como “a musa dos roqueiros”. O papel de sex symbol masculino coube a John Sykes, guitarrista do Whitesnake.

- Preocupado em evitar polêmicas, Roberto Medina proibiu, em contrato, que Ozzy Osbourne devorasse morcegos no palco.

- O Madman foi a primeira atração internacional oficialmente confirmada.

- O sino do AC/DC não pôde ser colocado no palco. Os engenheiros concluíram que a estrutura não suportaria o peso. A saída foi apelar para uma réplica de gesso.

- O guitarrista do Scorpions, Matthias Jabs, tocou com uma guitarra que imitava (ou ao menos tentava) o formato do mapa do Brasil.

- O contrato padrão previa duas apresentações para cada banda. Mas o Iron Maiden tocou apenas uma vez. Compromissos anteriormente assumidos impediram outro concerto.

- Durante a execução de “Revelations”, Bruce Dickinson bateu a guitarra acidentalmente em seu rosto. Com sangue escorrendo pela face, continuou a música até o fim. Fãs acharam que era um truque para emprestar dramaticidade ao espetáculo.

- Freddie Mercury era a diva do festival. Não permitia que ninguém se aproximasse e ameaçava ir embora se algum reles mortal o dirigisse a palavra. Acompanhe acontecimento relatado na revista Showbizz, em matéria especial sobre os quinze anos do Rock In Rio:

Freddie Mercury deu fricote ao chegar à Cidade do Rock e encontrar o corredor cheio de plebeus (Erasmo Carlos, Elba Ramalho e outros astros da MPB, que esperavam para vê-lo). Entra em cena para segurar o pepino o bravo Amin Khader, responsável pelos camarins – que, àquela altura, já tinha tratado de acender o saquê a 20 graus para fazer a vontade de Sua Majestade. Travou-se então o seguinte diálogo...

Freddie: Quem são essas pessoas?

Amin: Grandes artistas brasileiros, gente do mesmo gabarito que você.

Freddie: Não podem ser do mesmo gabarito que eu, porque eles me conhecem e eu não os conheço!

Sua Majestade, então, do alto de seu posto de líder do grupo que cobrava o maior cachê do evento (US$ 600 mil), exigiu que todos saíssem do caminho ou voltava para o hotel. A duras penas, Amin conseguiu que cada um voltasse para o seu camarim. Porém, as portas permaneceram abertas. À passagem de Freddie, ouvia-se o coro de “Viado! Viado!”.

Freddie: O que eles estão gritando?

Amin: Estão te elogiando...

Freddie: É mentira!

Pas-sa-do, Freddie entrou em seu camarim. Minutos depois, saiu e procurou Amin. “No Brasil tem furacão?”, perguntou. Ao ouvir a negativa, Sua Majestade retrucou: “Pois acabou de passar um por aqui!”. “Quando eu entrei”, conta Amin, “estava tudo virado! A bicha tinha botado o camarim de pernas pro ar. Tinha mamão papaya até no teto!”.

Fontes de pesquisa: Revista Showbizz (reportagem “Os dez dias que abalaram o Brasil”, de Jaime Biaggio) e site oficial do evento.

Por que destacamos matérias antigas no Whiplash.Net?

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

Mais comentários na Fanpage do site, nos links abaixo:

Post de 11 de maio de 2012
Post de 21 de março de 2017

Rock in RioRock in Rio
Mulher recebe pulseira e coloca no braço três meses antes

431 acessosBob's no Rock in Rio: Supla em campanha e no canal de Felipe Neto332 acessosLoja de Discos do Cassio: Aerosmith no Rock in Rio0 acessosTodas as matérias e notícias sobre "Rock In Rio"

Rock In RioRock In Rio
5 shows inesperados que o festival trouxe ao Brasil

Rock In Rio 2017Rock In Rio 2017
Ausência do "Dia do Metal" é compreensível

Rock In RioRock In Rio
Por favor, não jogue papel higiênico no vaso

0 acessosTodas as matérias da seção Curiosidades0 acessosTodas as matérias sobre "Rock In Rio"

Twisted SisterTwisted Sister
Dee Snider: "Ser pobre e famoso é uma merda"

DioDio
Escolhendo suas músicas de Heavy Metal/Rock favoritas

SlipknotSlipknot
Joey Jordison diz que foi demitido por telegrama cantado

5000 acessosSeparados no nascimento: Geddy Lee e Marquito do Ratinho5000 acessosFotos de Infância: Evanescence5000 acessosRoqueiro poser: 100 regras essenciais para se tornar um1474 acessosDave Grohl: em vídeo, assista aos seus melhores solos de bateria5000 acessosSepultura: Derrick "é o cara", diz Paulo Xisto Júnior4582 acessosLoudwire: 14 artistas que já chegaram muito perto da morte

Sobre João Renato Alves

27 anos, jornalista formado pela Universidade de Cruz Alta. Kissmaníaco inveterado, um verdadeiro apaixonado pela banda de Gene Simmons e Paul Stanley. Idolatra com quase a mesma paixão Queen, Van Halen e Black Sabbath. Aprecia desde o Rock dos anos 50 (Elvis, Little Richard, Chuck Berry, entre outros) e 60 (Beatles, Rolling Stones, The Who, Led Zeppelin...), Hard Rock dos 70's (AC/DC, Deep Purple, Alice Cooper...) e 80's (Mötley Crüe, Def Leppard, Europe, Talisman...), Metal Tradicional (Judas Priest, Dio, Ozzy...), NWOBHM (Iron Maiden, Saxon, Angel Witch...) e Thrash oitentista (Slayer, Destruction, Kreator...). Já teve um programa de rádio, chamado "Lavagem Cerebral", na Unicruz FM. Solteiro e seguidor das idéias de Gene Simmons em relação ao casamento.

Mais matérias de João Renato Alves no Whiplash.Net.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online