Jerry Garcia - O Anti-Super-Star

WHIPLASH.NET - Rock e Heavy Metal!

Jerry Garcia - O Anti-Super-Star


  | Comentários:

Quando Jerry Garcia morreu em 9 de agosto de 1995, uma semana depois de completar 53 anos, em uma clinica de desintoxicação em Forest Knolls na Califórnia, estava indo embora talvez o maior símbolo da contracultura de todos os tempos. O famoso capitão barato, líder e mentor espiritual da banda de maior longevidade com integridade de princípios de todos os tempos. Com uma horda de seguidores já na terceira geração, os famosos deadheads, o Grateful Dead animou a vida de avôs e netos que os seguiam por toda parte em caravana com o único objetivo de "seguir viagem".

Imagem
Jerome John Garcia nasceu em 1942 em San Francisco, filho de um imigrante espanhol, que morreu quando ele era bem moleque e de uma dona de boteco de marinheiros. Seu nome foi uma homenagem ao grande compositor Jerome Kern, e desde muito cedo participava do circuito folk local junto com seus amigos ancestrais Bob Weir e Pigpen, até se envolver com a literatura beat na figura do poeta Lawrence Ferlinguetti, e resolver eletrificar os Warlocks depois de ver os Beatles no Ed Sullivan e o famoso barraco elétrico de Bob Dylan no tradicional festival folk de Newport. Daí em diante se tornaram uma banda de rock com grande influência folk e ganharam um hábito de improvisar intermináveis temas característicos dos grupos de jazz tão caros aos beats.

Nesta época estava se iniciando as experiências monitoradas com o LSD no Veterans Hospital perto da universidade de Stanford. Foi lá que esta turma conheceu Robert Hunter (principal letrista do Dead) e o escritor Ken Kesey ("Um estranho no ninho"), que estavam literalmente caindo de boca no escancaramento de todas as portas da percepção. Isto teve uma importância mais que fundamental na formação da consciência, no som e em toda a maneira de ver a vida do que viria a ser o Grateful Dead.

Ken Kesey arrumou um químico fabricante de ácido, encheu um ônibus de alucinados do mesmo calibre e com Neal Cassady, inspirador de Kerouac em "On the Road" de motorista (virado de anfetamina birita e LSD) atravessou os Eua divulgando um estilo de vida e consciência que chocava todos por onde passava. Dizem que a chegada em Wall Street em N.York foi antológica, com distribuição de ácido e flores pros passantes engravatados.

Outras experiências do grupo eram os chamados acid tests que nada mais eram que enormes festas, muitas vezes ao ar livre (tem gente que pensa que rave é novidade), onde em meio à projeção de slides psicodélicos, luzes estroboscópicas e ácido gratuito o Grateful Dead tocava horas e horas sem parar, improvisando direto e formatando sua identidade sonora futura no meio daquela doideira generalizada. Muitas destas intermináveis sessões de improviso abriram caminho pra coisas posteriores como, por exemplo, os Allman Brothers e outros grupos chegados a uma estrutura jazzística.

O nome surgiu duma destas viagens em Haight-Ashbury quando todo mundo alopradésimo como de costume resolveu abrir um dicionário e Garcia viu cabalísticamente esta palavra escrita brilhando em algum lugar. Daí foi um tal de é isso, maneiro e só... que não precisa ter estado lá pra imaginar...

Musicalmente o Grateful Dead sempre foi uma banda bastante interessante, muito melhor ao vivo e Jerry Garcia sempre foi um guitarrista inconfundível com seus solos viajantes e seu vocal característico, sempre entremeado com o ótimo Bob Weir. Seus melhores discos são os registros de seus shows, verdadeira celebração com a malucada e o clássico Live Dead é coisa muito séria. Lembro-me uma vez numa festa em minha casa onde o disco tava rolando direto e chegou um amigo todo suado com o olho esbugalhado e praticamente implorou: "dá pra trocar o disco?". Fiquei com pena e coloquei outra coisa mais retornante. Depois de uma coca gelada e de lavar o rosto ele disse que ficou com medo da guitarra do Jerry Garcia, pode?

Mas essa balada forte ao longo dos anos tem seu preço e no meio dos 80 Jerry Garcia se viu terrivelmente viciado em Heroína e Cocaína e começou uma interminável sucessão de internações, que acabaram por levá-lo a morte, assim como de três de seus tecladistas: Pigpen (73), Keith Godcheaux (80) e Brent Mydland (90).

Pra quem já viu um vídeo ou filme deles sabe do que eu estou falando. Eram os "anti-super-stars". Garcia tocava sempre com um jeans surrado e uma camiseta destas de ficar em casa, meio gorducho e barbudão, uma espécie de Papai Noel hippie meio parado mandando uns solos intermináveis na guitarra. Uma figura muito simpática. Enquanto na platéia um pessoal que parecia saído do túnel do tempo ou de Santa Teresa (RJ), o que dá no mesmo, fazendo umas danças performáticas junto com seus filhos e netos. Falando nisso, tem um disco do Jerry Garcia e David Grisman pra criança (Not for Kids Only) que eu coloco sempre pro meu filho escutar. O pior é que ele adora.

Criado em 1996, Whiplash.Net é o mais completo site sobre Rock e Heavy Metal em português. Em março de 2013 o site teve 1.258.407 visitantes, 2.988.224 visitas e 8.590.108 pageviews. Redatores, bandas e promotores podem colaborar pelo link ENVIAR MATERIAL no topo do site.

Esta é uma matéria antiga do Whiplash.Net. Por que destacamos matérias antigas?


  | Comentários:

Todas as matérias da seção On The Road
Todas as matérias sobre "Grateful Dead"

Os Deadhead's: uma ideologia para as mentes abertas...
Grateful Dead: mais uma banda a lançar sua própria cerveja
Grateful Dead: cerveja da banda tem um ingrediente muito especial
The National: recrutando artistas para tributo ao Grateful Dead
Grateful Dead: ex-guitarrista desmaia em show e continua tocando
O Livro dos Mortos do Rock: vida e morte no Rock And Roll
Curiosidades: As histórias por trás de 11 capas clássicas
Grateful Dead: ex-baterista procurado pela polícia
Grateful Dead: banda lança box set com 18 discos
Grateful Dead: documentário sobre Jerry Garcia em produção
Furthur: anunciando maratona de shows no Beacon Theatre
Grateful Dead: um dos mais importantes ao-vivo da história
Southern Rock Brasil: Deadheads, os fãs do Grateful Dead
Grateful Dead: guitarra de Jerry Garcia está à venda
Grateful Dead: Box traz mais de 60 discos e 70 hs de música

Os comentários são postados usando scripts do FACEBOOK e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Pense antes de escrever; os outros usuários e colaboradores merecem respeito;
Não seja agressivo, não provoque e não responda provocações com outras provocações;
Seja gentil ao apontar erros e seja útil usando o link de ENVIO DE CORREÇÕES;
Lembre-se de também elogiar quando encontrar bom conteúdo. :-)

Trolls, chatos de qualquer tipo e usuários que quebram estas regras podem ser banidos sem aviso. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

Sobre Cláudio Vigo

Da safra de 62 , Claudio Vigo ganha a vida com a poesia, o jazz e o rock n roll. Paga as contas como arquiteto.

Mais matérias de Cláudio Vigo no Whiplash.Net.

Link que não funciona para email (ignore)

QUEM SOMOS | ANUNCIAR | ENVIAR MATERIAL | FALE CONOSCO

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em março: 1.258.407 visitantes, 2.988.224 visitas, 8.590.108 pageviews.


Principal

Resenhas

Seções e Colunas

Temas

Bandas mais acessadas

NOME
1Iron Maiden
2Guns N' Roses
3Metallica
4Black Sabbath
5Megadeth
6Ozzy Osbourne
7Kiss
8Led Zeppelin
9Slayer
10AC/DC
11Angra
12Sepultura
13Dream Theater
14Judas Priest
15Van Halen

Lista completa de bandas e artistas mais acessados na história do site

Matérias mais lidas