Bloody Skull Metal Fest: Como foi a 1ª edição em Fortaleza

Resenha - I Bloody Skull Metal Fest (GRAB, Fortaleza, 06/07/2014)

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+Compartilhar no WhatsApp

Por Leonardo M. Brauna, Fonte: Rock-CE
Enviar correções  |  Comentários  | 

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.

Mais uma vez o pequeno gigante, GRAB, foi palco de um espetáculo da cena banger de Fortaleza. O público recorde foi lá para conferir cinco das atrações locais que estão movimentando o underground cearense, sendo que, algumas delas, já desfrutam de reconhecimento nacional e internacional. O “Bloody Skull Metal Fest” já nasceu grande com esta primeira edição e, certamente, se tornará maior ainda com edições futuras. As sessões de Metal deram início às 16:00h e seguiram pela noite.

1449 acessosBelphegor: numa cerimônia dedicada ao mal pode dar tudo certo?5000 acessosKerrang!: listando 30 bandas que mudaram sua vida

FOTOS: Barcelos Saxon e Rock-CE

A nova representante do Death Metal, BERSERK, foi quem abriu o evento. Jardel “Stick” (Guitarra, vocal) – músico guitarrista do Fist Banger e baixista do Agressive –, já vinha trabalhando nessa banda há mais de três anos, mas só agora conseguiu pôr a “máquina” para funcionar devido à falta de bateristas. Em palco, Raul Fernandes (baixo) e o “messias” Henrique (bateria) completam o ‘Power Trio’ que entre suas músicas próprias – ‘Eternal Evil’, ‘Abomination Of Hell’ e ‘Vomiting Sulfur’ – homenagearam também suas influências com ‘Stripped, Raped And Strangled’ (Cannibal Corpse) e ‘Before The Creation Of Time’ (Unleashed). Mas não há nada mais gratificante para uma banda que ver o público feliz com suas próprias canções, ainda mais se esta tiver cinco meses de atividade. Foi o que Berserk viu ao tocar ‘Death To Religion’, Agonized To Death’, ‘Warriors Of Evil’ e, finalizando com ‘Devored By Beasties’.

TOXIC TRASH do carismático vocalista, “Galo Blackfire” e do excelente guitarrista, “Andy Ripper”, continuou como elenco do festival para a primeira rodada de ‘Speed Thrash’. A banda, finalmente, parece ter encontrado um baixista sólido com a entrada de Leo (ex-Agressive). Em poucos minutos de set, os bangers já começavam a se movimentar e fazer a festa, enquanto a banda mandava os riffs de ‘Toxic Trash’ com um super solo de Andy Ripper. Na sequência, Galo Blackfire chega berrando o nome de ‘Vingança De Satan’ para então o ‘mosh’ se transformar em um enorme ‘pit circle’. O guitarrista Fran Alves “Mustaine” (Flagelo e Masterhead) gasta a sua palheta em bases ultra-rápidas em execuções como, ‘Mundo Doente’ e ‘Cabeças Vão Rolar’. ‘Thrashers Do Inferno’ é outra que está se tornando hino antes de um lançamento oficial. Destaque merecido, para a cozinha afiada que também conta com Marcus Teixeira na pancadaria, e para o cover do Death, ‘Evil Dead’.

O momento agora é dos veteranos do BETRAYAL. Com muito Thrash Metal, a banda que traz Wolney Mendes (guitarrista e vocalista), seu irmão Franzé Mendes (guitarrista) e os donos da cozinha, Sula “Batera” e o baixista Fabiano “Vassoura”, não permitiu o sangue esfriar. Riffs acelerados com solos nervosos fazem parte da proposta dos músicos. As sessões no mosh com a plateia agitada confirma a aceitação da banda no underground, logo à primeira pedrada, ‘T.M.C.E’, seguida de ‘Over Thrash. Em meio ao repertório, ‘Human Destruction’ foi tocada com participação de Jardel Stick. Agradecimentos da banda aos bairros representantes do público não faltaram, assim como uma homenagem a outro veterano de Fortaleza, SOH, com ‘Ridiculous Dignity’. São muitas as qualidades do Betrayal ao vivo e, uma delas, é a performance vocal de Wolney que assemelha-se a o estilo Vladimir Korg (Chakal) bem mais nervoso. O que não deve passar em branco, é a técnica de Sula, que mostra o porquê de ser um dos melhores no que faz. A ordem que partiu de ‘Destroying In The Mosh Pit’, serviu para a galera “destruir” tudo lá em baixo com momento inspirado de Vassoura que, no encerramento, jogou o seu baixo para o alto.

Atualmente, o FIST BANGER é a banda mais representativa do Metal cearense. Presente em quase 100% dos eventos da capital e do interior, Vinny Fist e Cia. visitam o GRAB com a energia de sempre. O sucesso em palco se deve ao carisma e a simplicidade de todos os integrantes para com o público, qualidade natural que envolve Vinny (vocalista), Paulo “Drunk” (baterista), Jardel “Stick” (guitarrista) e Yan Silva (baixista). Quem bateu cabeça ou saiu no ‘circle pit’ ao som de ‘Merciless Death’ e ‘Welcome To Hell’, já pôde sentir essa energia – esta última, em versão ‘live’, figura no relançamento de sua demo. O repertório também revelou a inédita, ‘Hammerhead’, Porém, a preferida do público é mesmo ‘Invaders Of The Thrash’, vociferada por parte dos presentes. Como adeptos do real Speed Metal, o Fist Banger homenageia os canadenses do Exciter com o cover de ‘Violence And Force’. A festa elevou seu calor humano depois que membros do Betrayal dividiram o palco nos momentos finais do set, participando nessas duas últimas canções.

Para fechar a noite, o ENCÉFALO chega com uma apresentação focada em suas novas músicas. Alex Maramaldo (vocalista e guitarrista), Laílton Sousa (guitarrista), Luiz Henrique (baixista) e Rodrigo Falconieri (baterista) estão vivendo a boa fase de shows pelo Brasil, e acabam de anunciar a primeira turnê pela Europa. Por aqui, o banger cearense recebeu com entusiasmo, canções como ‘Age Of The Darkness’ e ‘Endless Suffering’, uma prova de que o novo lançamento, ‘Die To Kill’, virá derrubando muralhas. Enquanto não chega, outra música que causou “tremor” nos PAs foi ‘Psywar’. A presença de palco desses caras é muito viva e, isso, aliado ao som que promovem, chama a atenção de diversos produtores. É notória a superioridade da cozinha em palco, principalmente com Rodrigo surrando seu kit. Luiz, que entrou após o lançamento do ‘debut’ ‘Slave Of Pain’, mostra ser um grande pilar filtrando a pancadaria à melhor modalidade de peso. Falando no primeiro álbum, não poderiam faltar canções emblemáticas como, ‘All Hate In My Soul’, um verdadeiro golpe de misericórdia.

5000 acessosQuer ficar atualizado? Siga no Facebook, Twitter, G+, Newsletter, etc

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+Compartilhar no WhatsApp

BelphegorBelphegor
Numa cerimônia dedicada ao mal pode dar tudo certo? Pode.

0 acessosTodas as matérias e notícias sobre "Encéfalo"

Melhores de 2012Melhores de 2012
As escolhas do redator Leonardo Daniel Tavares

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

0 acessosTodas as matérias da seção Resenhas de Shows0 acessosTodas as matérias sobre "Berserk"0 acessosTodas as matérias sobre "Toxic Trash"0 acessosTodas as matérias sobre "Betrayal"0 acessosTodas as matérias sobre "Fist Banger"0 acessosTodas as matérias sobre "Encéfalo"

Kerrang!Kerrang!
Listando trinta bandas que mudaram sua vida

Led ZeppelinLed Zeppelin
10 músicas para ouvir quando estiver na fossa

MetallicaMetallica
Rock In Rio explica pane que ocorreu durante o show

5000 acessosIron Maiden: Bruce Dickinson continua andando de metrô5000 acessosGuitarristas e vocalistas: os 10 melhores "casamentos"5000 acessosSlayer: Tom Araya e os sorrisos nos shows ao vivo5000 acessosBlack Sabbath: as impressões de Geezer Butler sobre Brad Wilk5000 acessosSystem Of a Down: Impressionante versão de "Aerials" com cello5000 acessosAcidentes de carro: roqueiros que também perderam a vida na estrada

Sobre Leonardo M. Brauna

Leonardo M. Brauna é cearense de Maracanaú e desde 1989 vive à cultura e ideologia do Metal Pesado sendo fã ardoroso do Classic Rock ao Death Metal. A sua dedicação se define na constante busca por boas novidades e tesouros ainda obscuros.

Mais matérias de Leonardo M. Brauna no Whiplash.Net.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online