Black Sabbath: não foi apenas um xarope antirreumático...

Resenha - 13 - Black Sabbath

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Mário Liz
Enviar correções  |  Ver Acessos

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.


Por que ouvir o novo álbum do Black Sabbath? A resposta é mais que óbvia, principalmente porque grande parte (ou a completude de todas as partes) das bandas de rock pesado que se ouve por aí, derivam-se deles. Eles são os pioneiros do metal, e, corajosamente, mostraram a bunda ao "paz e amor" em uma época em que o mundo estava dominado pelo poder das flores. Isto bastaria, no mínimo, para qualquer um se doar ao "13" com respeito, mesmo se o Sabbath não for lá da predileção de alguns ouvintes.

Rodz Online: 25 Anos de Philips Monsters of Rock 1994 (vídeo)U2: as 10 melhores músicas de todos os tempos da banda

O 13 é um bom álbum. Não é como eu já li por aí (pois a maioria das resenhas são pura babação de ovo). É melhor que o NEVER SAY DIE, e, talvez, se fosse produzido na década de 70, teria menos firulas. Mas há de se entender a razão: os anos 70 morreram! Não há como reviver a magia daquela época, o que se pode fazer é, utilizando uma analogia histórica do movimento antropofágico brasileiro, sorver o que de melhor houve e vomitar posteriormente com as maravilhas tecnológicas de hoje. E o Sabbath conseguiu isto! O álbum realmente soa de forma nostálgica e moderna, sem que isso se torne um choque ruim.

O ponto fraco do álbum, talvez, foi o autoplágio (ainda que proposital em algumas faixas). Mesmo assim, funcionou em "Loner" (que bebeu da fonte de N.I.B), porém, se fez artificial em "The End of Beginning", galgada na clássica Black Sabbath e na semi-progressiva Dirty Woman. "God is Dead", uma nova-velha conhecida de todos, é uma ótima canção e tem traços de algumas composições da banda dos tempos do eterno "baixinho"- que Dio o tenha. "Age of Reason" e "Live Forever" entraram para dar consistência à massa, sendo que "Live Forever" foi um ótimo tapa buraco, com seu andamento focado no baixo sempre raivoso de Geezer.

O ponto forte do álbum é exatamente quando o velho Sabbath bebe de seu elixir macabro setentista sem a preocupação de parecer "consigo mesmo". A faixa "Zeitgeist" tem o incrível clima de "paz e horror" que a banda conseguiu atingir no passado com "Solitude" e "Planet Caravan", mas que desta vez, incorporou elementos acústicos que consolidaram em uma ótima canção "western" sombria. "Damaged Soul", outra pérola do 13, seria tranquilamente uma faixa do primeiro álbum do Black Sabbath, se ele fosse concebido em 2013. Ela possui o feeling "bluseiro" da banda que se perdeu de forma natural nas décadas de 80 e 90. "Dear Father" fecha o pacote sabbático com a certeza de que os velhotes ainda tem muita lenha pra queimar.

Individualmente, os grandes destaques do álbum foram Tony e Geezer, o primeiro por adotar uma excelente linha minimalista em seus solos e riffs e também por se mostrar extremamente vibrante em todas as músicas, e, o segundo, por ser o responsável pela agressividade e pelo pulso alucinante do álbum.

E para quem esperava dos reis do metal apenas uma dose de xarope antirreumático, esqueça de toda farmácia, pois os vovôs estão aí... mais vivos do que nunca!


Outras resenhas de 13 - Black Sabbath

Black Sabbath: Se for o final, eles fecharam com chave de ouroBlack Sabbath: o bom e talvez último registro dos dinossaurosBlack Sabbath: "13" é um disco muito bom e consistenteBlack Sabbath: "estes dias estão próximos do fim!"Black Sabbath: o melhor álbum diretamente relacionado à bandaBlack Sabbath: depois de 20 anos, uma segunda primeira vezBlack Sabbath: "13" é pra se ouvir alto no somBlack Sabbath: provando que ainda são muito relevantesBlack Sabbath: um presente para os fãs que esperaram 34 anosBlack Sabbath: Um disco para se escutar em alto volumeBlack Sabbath: o ciclo de Ozzy na banda foi fechado em 1979Black Sabbath: Um grande e inspirado trabalhoBlack Sabbath: fiel às suas origens e ainda assim soando atualBlack Sabbath: firme, consistente e com a pegada da era OzzyBlack Sabbath: Metal Hammer inglesa resenha 13 e se impressionaBlack Sabbath: primeira resenha completa do álbum "13"Black Sabbath: primeira resenha do novo álbum, 13




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "Black Sabbath"


Rodz Online: 25 Anos de Philips Monsters of Rock 1994 (vídeo)Black Sabbath: "The Wizard" na trilha sonora da série Peaky Blinders

Black Sabbath: divulgada suposta primeira aparição do mascote da bandaBlack Sabbath
Divulgada suposta primeira aparição do mascote da banda

Heaven & Hell: divulgado vídeo raro de última sessão de autógrafos de DioHeaven & Hell
Divulgado vídeo raro de última sessão de autógrafos de Dio

Black Sabbath: em 1990, Tony Martin mostra todo seu potencial

Solos de guitarra estendidos: os melhores feitos em shows ao vivoSolos de guitarra estendidos
Os melhores feitos em shows ao vivo

Black Sabbath: banda estará na trilha sonora da quinta temporada da série Peaky BlindersBlack Sabbath
Banda estará na trilha sonora da quinta temporada da série Peaky Blinders

Resenha - Cross Purposes - Black SabbathBlack Sabbath
25 anos de um álbum subestimado

Black Sabbath: cena de Homem de Ferro em Ultimato com Iron Man fica épicaBlack Sabbath
Cena de Homem de Ferro em Ultimato com "Iron Man" fica épica

Bill McClintock: Metallica + Black Sabbath + Dokken + Herb Alpert

Black Sabbath: os crucifixos surgiram por causa de uma maldiçãoBlack Sabbath
Os crucifixos surgiram por causa de uma maldição

Black Sabbath: Gastão Moreira analisa o Master of Reality

Spotify: as bandas de hard rock e metal mais ouvidas no último mêsSpotify
As bandas de hard rock e metal mais ouvidas no último mês

Black Sabbath: box-set com 9 discos sai em setembroBlack Sabbath
Box-set com 9 discos sai em setembro

Collectors Room: os discos que marcaram a carreira de Dio (vídeo)

Bill Ward: eu preferia Ozzy a Dio no Black SabbathBill Ward
Eu preferia Ozzy a Dio no Black Sabbath

Twitter: contas que todo fã de rock deveria seguirTwitter
Contas que todo fã de rock deveria seguir

O Diabo É O Pai Do Rock: a associação do gênero com o tinhosoO Diabo É O Pai Do Rock
A associação do gênero com o tinhoso


U2: as 10 melhores músicas de todos os tempos da bandaU2
As 10 melhores músicas de todos os tempos da banda

Homossexualidade: 5 nomes da cena rock/metal que assumiramHomossexualidade
5 nomes da cena rock/metal que assumiram

Keith Richards: colocando Justin Bieber em seu devido lugarKeith Richards
Colocando Justin Bieber em seu devido lugar

Oito razões pra dormir com um bateristaPunk: 10 músicos que são mais ricos do que você pensaNão se engane: o vinil ainda caminha para o cemitérioBlack Metal: o cotidiano fascinante dos fãs adolescentes

Sobre Mário Liz

Mário Liz é bacharel em direito e em publicidade e propaganda. É apaixonado por IRON MAIDEN, BLACK SABBATH, DREAM THEATER, BIGELF e PINK FLOYD. Contato: mariolizpoeta@gmail.com.

Mais matérias de Mário Liz no Whiplash.Net.

adClio336|adClio336