Coldplay: despreparado e pequeno para estádios brasileiros

Resenha - Coldplay (Morumbi, São Paulo, 02/03/2010)

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+Compartilhar no WhatsApp

Por Thiago J. Z. Martins, Fonte: Solada
Enviar correções  |  Comentários  | 

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.

Talvez o show na pista VIP e na área de imprensa tenha sido diferente, tamanha a euforia das resenhas publicadas até agora. Quem esteve na pista normal não teve muitos motivos para ter saído satisfeito após a apresentação do Coldplay, nesta última terça-feira, no Morumbi. Inicialmente, porque a qualidade de som foi péssima. Volume baixo, instrumentos embolados, plateia desinteressada, tudo jogou contra a performance do quarteto inglês.

Alta Fidelidade: U2 acusado de plágio e outras notícias da músicaAerosmith: Tyler tem mesmo um salsichão ou Adler mentiu?

Culpa da própria banda. O setlist começou quente, queimando hits do porte de "Clocks", "In My Place" e "Yellow" na primeira parte do show. Com o som péssimo e o público ainda entrando e se ambientando ao estádio, a tática de ganhar a plateia logo de cara e depois ir só cozinhando o show, que se permite inferir do formato do repertório, desmoronou. Pela primeira vez, presenciei um público vaiar a banda principal e pedir que se aumentasse o volume.

Com o público perdido, o que se viu foi o vocalista e aniversariante da noite Chris Martin incapaz de conquistar a atenção dos presentes ao Morumbi, que dispersavam conforme músicas menos famosas eram apresentadas e demoravam a engrenar nos hits subsequentes, como "Fix You". Depois, mesmo abusando do português, das imagens do telão e outros adereços, o Coldplay não tinha a habilidade de manter essa galera empolgada, pequeno diante da imensidão de um estádio. Momentos de introversão, que de longe pareciam mais intensos, eram perdidos pela letargia de se estar próximo de quem pouco se importava com o fato de haver quatro músicos no palco. Não à toa, os remixes eletrônicos de "God Put a Smile Upon Your Face" e "Talk" soavam mais interessantes, pois apelavam para um ambiente de festa, não de show.

Alguns momentos, ao menos, destoaram. "Viva La Vida", com sua repetida melodia de fácil assimilação, foi recebida com alegria pelo público, pulando e cantando junto. "Politik", com o som um pouco melhor, embora ainda inaceitável num espetáculo de tamanha proporção e custo, transpareceu a noção de como a levada pesada de bateria de "Clocks" poderia ter chacoalhado as estruturas do Morumbi. Vaga ideia, pois também não foi capaz de fazer isso, afinal, o volume não era dos mais altos, nem a força da performance.

Houve, na maior parte, momentos de extrema decepção. Quando os músicos tocaram num minipalco "improvisado" no meio da pista, a maior proximidade não prendia a atenção do público. Nem mesmo quando puxaram um apelativo "olê olê olê olê" a galera cantou junto. Ao final de pouco mais de uma hora e meia de um show no qual a canção com maior participação da plateia é um "Parabéns pra você" - cantado em português mesmo pelo baterista Will Champion -, superando com sobras "The Scientist", no bis, ficou a certeza de que o Coldplay não está pronto para os estádios brasileiros.

Quer ficar atualizado? Siga no Facebook, Twitter, G+, Newsletter, etc

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+Compartilhar no WhatsApp

Alta Fidelidade: U2 acusado de plágio e outras notícias da músicaGeorge Michael: veja Chris Martin homenageando o ícone oitentistaColdplay: banda pode se apresentar no Rock in RioColdplay: a pior versão que você vai ouvir de "Viva La Vida"Todas as matérias e notícias sobre "Coldplay"

Coldplay
"Os caras são uns babacas. São muito estrelas", diz fotógrafo

Metromix
A lista dos vocalistas mais irritantes do rock

Metal
As bandas e sub-gêneros mais odiados pelos metalheads

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

Todas as matérias da seção Resenhas de ShowsTodas as matérias sobre "Coldplay"

Aerosmith
Steven Tyler tem mesmo um salsichão ou Adler mentiu?

Kiko Loureiro
"Sou integrante da banda, não músico de apoio"

Whitesnake
David Coverdale abomina o termo Heavy Metal

Rockstars: 18 roqueiros que já apareceram em filmesMetallica: 10 melhores momentos de Lars Ulrich na bateriaCatarina Migliorini: virgem gosta de Led, Purple, Sabbath e FloydFotos: confira 10 das mais curiosas no mundo do Rock - Parte 1Pink Floyd: "o Rock prestou um desserviço à música"GNR: "novos membros são uns idiotas", diz Michael Paget

Sobre Thiago J. Z. Martins

Autor sem foto e/ou descrição cadastrados. Caso seja o autor e tenha dez ou mais matérias publicadas no Whiplash.Net, entre em contato enviando sua descrição e link de uma foto.

Link que não funciona para email (ignore)

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online