Em 16/01/1993: o Nirvana fazia um show catastrófico no Brasil

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Por Crysthian Gonçalves, Fonte: Guitar Talks
Enviar correções  |  Comentários  | 

1939 acessosGrunge: Quando Staley e Cobain usaram drogas juntos no Brasil5000 acessosListed: TV americana elege os maiores bad boys da música

“A primeira vez realmente a gente nunca esquece.” Frase clichê, porém resume todo o sentimento e expectativa que geraram quando foi anunciado em novembro de 1992 que o Nirvana viria ao Brasil pela primeira vez para tocar no extinto festival Hollywood Rock, no dia 16 de janeiro de 1993 em São Paulo, e uma semana depois no Rio de Janeiro, vinte anos atrás.

O Nirvana estava no seu auge com o disco “Nevermind” e, consequentemente, Kurt Cobain já não batia muito bem das ideias. O Festival reuniu a nata da música alternativa naquele momento, com o Alice in Chains e Red Hot Chili Peppers na primeira noite, Nirvana e a banda feminina L7, que até então era uma surpresa para o público, e o Simply Red na terceira e última noite. Os fãs do Nirvana estavam na expectativa de um show apoteótico e inesquecível, e de fato, de certa forma receberam isso.

A apresentação, que por muitos é retratada como um show de horrores e a pior da banda, ficou marcada pelo descontentamento do grupo e a impressão de que passavam ao público de que não queriam estar ali. Um Kurt Cobain, mais alterado que o normal, abriu o show sem nenhum momento de simpatia com a plateia que aguardou intensamente pela apresentação no Morumbi. O vocalista começou o espetáculo da pior forma possível, já alertando que o que viria por vir naquela noite poderia não agradar a todos.

A forma lenta com que foi tocada a faixa “School” e as outras seguintes alertou que seria uma apresentação imprevisível. Dentre as decepções; instrumentos desafinados, surtos de Cobain, improvisações sem nexo vistas pelo público e covers mal executados. E nem a participação de Flea em “Smell Like Teen’s Spirit”, substituindo o aclamado solo de guitarra por um solo de trompete serviu para impressionar. O descontentamento com o show era visível e antes que terminasse o público já ensaiava algumas vaias e se dirigia para os portões de saída rumo a suas casas.

Segundo João Gordo, vocalista do Ratos de Porão, que anunciou a banda como “A melhor banda underground do mundo”, antes que subissem ao palco, a culpa por aquela noite catastrófica foi dele. “Eles estavam de saco cheio da vida, dos 20 milhões de dólares que tinham ganhado, estavam odiando tudo, aquele auê e a bajulação em cima deles. E aí falamos para eles que aquele era um festival capitalista, de uma marca de cigarro, e aí eles começaram a zoeira. Se o show foi uma bosta, foi por minha culpa e dos meus amigos”, disse ao portal UOL.

No show seguinte, no Sambódromo do Rio de Janeiro, a banda pareceu soar um pouco mais coesa quanto à execução das músicas. Mas Kurt agiu de forma depravada ao cuspir nas câmeras da TV Globo que transmitia o evento ao vivo, simular masturbação e tentou destruir os equipamentos do palco. Algumas cenas da apresentação podem ser vistas no documentário “Live! Tonight! Sold Out!!”

Para muitos, a vinda do Nirvana ao Brasil foi uma decepção. Para outros, foi o retrato mais real que se podia esperar do trio ao vivo. Afinal, é disso que o rock é feito. Rebeldia, irreverência. Foram noites imprevisíveis que ficaram para a história.

Por que destacamos matérias antigas no Whiplash.Net?

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

GrungeGrunge
Quando Staley e Cobain usaram drogas juntos no Brasil

347 acessosNirvana: Casa de Kurt Cobain à venda por valor mais aceitável627 acessosCanal NB: Nirvana X Guns N' Roses - o fim da treta94 acessosNirvana: cinco músicas na guitarra e violão, qual fica melhor?0 acessosTodas as matérias e notícias sobre "Nirvana"

Courtney LoveCourtney Love
Pai acredita que filha tenha parte na morte de Kurt

NirvanaNirvana
Bebê de Nevermind recria a capa (de novo) 25 anos depois

Blend GuitarBlend Guitar
Os dez solos de guitarra mais fáceis da história

0 acessosTodas as matérias da seção Notícias0 acessosTodas as matérias sobre "Nirvana"


ListedListed
TV americana elege os maiores bad boys da música

Drogas e ÁlcoolDrogas e Álcool
Protagonistas nos piores shows de grandes astros

CretinCretin
Transexual rompe barreiras no metal extremo

5000 acessosHeavy Metal: nove ótimas músicas suaves do gênero5000 acessosVeja SP: show do Iron Maiden eleito como "pior de 2009"5000 acessosTamanho é documento?: os Rock Stars mais altos e baixos5000 acessosDire Straits: um impressionante cover no centro de São Paulo4805 acessosPaul Di'Anno: o Brasil é meu local favorito de tocar5000 acessosRodrigo Simas: A coleção do webmaster da Dave Matthews Band

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

Mais comentários na Fanpage do site, nos links abaixo:

Post de 16 de janeiro de 2013
Post de 16 de janeiro de 2015
Post de 17 de janeiro de 2016
Post de 16 de janeiro de 2017


Sobre Crysthian Gonçalves

Crysthian Gonçalves, 19 anos, estudante de Jornalismo na FMU, vocalista e guitarrista da banda de rock alternativo Vontrap, fã de boa música como os ídolos Rolling Stones, Queen e Red Hot Chili Peppers, é administrador e entrevistador do site entrevistas Guitar Talks onde apresenta conversas com grandes bandas da cena musical.

Mais matérias de Crysthian Gonçalves no Whiplash.Net.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em junho: 1.119.872 visitantes, 2.427.684 visitas, 5.635.845 pageviews.

Usuários online