[an error occurred while processing this directive]

Matérias Mais Lidas


Summer Breeze 2024

Bizz: revista volta às bancas depois de ausência de cinco anos

Por Ricardo Seelig
Postado em 30 de outubro de 2005

A revista Bizz, considerada por muitos até hoje a publicação de música mais importante que o Brasil já teve, está de volta às bancas depois de uma ausência de cinco anos.

Independente do estilo musical preferido de cada leitor do Whiplash, esta é uma notícia que deve ser comemorada, e atesta a crescente maturidade que o mercado musical brasileiro vem adquirindo ano após ano.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE - TAB 1

Surgida em meados dos anos oitenta, a Bizz teve papel fundamental no cenário, revelando bandas e levando a milhares de leitores em todos os cantos do país matérias antológicas sobre os maiores nomes do rock daqui e lá de fora, além de apresentar centenas de novas bandas para seus famintos leitores.

Este retorno começou a tomar forma com o especial "A História do Rock Brasileiro", publicado em quatro volumes, ao qual se seguiram diversas outras reportagens especiais (como "As 100 Melhores Capas" e a excelente "A História do Rock", publicada em quatro volumes e tendo a sua partida cronológica no ano de 1936). Estes especiais mostraram para a Editora Abril que havia um grande público que estava órfão de uma publicação sobre música e comportamento. Apesar do excelente trabalho feito pela revista Roadie Crew (que eu considero, com grande folga, a melhor publicação de música pesada do Brasil e uma das melhores do mundo) e outras, o fã de rock, pop e música em geral não tinha uma revista específica, e este papel, até segunda ordem, deve ser da Bizz.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE - TAB 2

Eu cresci lendo a Bizz, a Metal, a Somtrês e outras revistas da época, e a minha formação, o meu conhecimento sobre música, passou por horas e horas de páginas e mais páginas destas revistas.

A primeira edição (193, seguindo a ordem cronológica), com os Stones na capa, mantém a característica jornalística da publicação, com textos completos e agradáveis, ainda que, em alguns momentos, excessivamente pretenciosos e com o desejo de mostrar que a redação está "antenada" com as últimas novidades da cena mundial. Isto se verifica facilmente através de duas resenhas: a de "4", novo álbum dos Los Hermanos, e a de "Octavarium", do Dream Theater.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE - TAB 3

A crítica ao novo álbum da banda carioca endeusa e coloca o grupo vários degraus acima de todas as outras bandas do Brasil. Independentemente da qualidade ou não do álbum (não ouvi e provavelmente não vou ouvir, porque não é o tipo de som que me agrada), verifica-se no texto o desejo de detectar tendências e solidificar a sua posição de referência no mercado, tentando agregar valor à publicação através de um nome que é referenciado e adorado pelos "ditadores-do-bom-gosto" encontrados aos montes por este país (aí incluídos nomes como Caetano Veloso, Maria Rita e todos os outros ditos "mudernos"). Desnecessário, muito desnecessário ...

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE - TAB 4

Já o texto sobre o novo álbum do Dream Theater mostra desconhecimento sobre a carreira da banda americana, se prendendo aos clichês que se julgam adequados aos grupos de rock progressivo dos anos setenta, como Yes, King Crimson e companhia. O álbum é reduzido a uma tentativa do grupo de Mike Portnoy em tentar fazer música mais acessível, afirmação esta que cai por terra com apenas uma audição mais atenta às músicas. E aqui eu quero fazer um elogio público à postura adotada pela Roadie Crew, que delega a tarefa de analisar os trabalhos de cada grupo a redatores que conhecem e acompanham a carreira das bandas, o que gera críticas muito mais fundamentadas na realidade de cada grupo (infelizmente esta postura da Bizz se verifica também na crítica ao DVD "Family Jewels", do AC/DC).

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE - TAB 5

Mas, apesar desta crítica, o resultado final é compensador. Qualquer iniciativa, seja ela um simples blog ou um programa de TV, tendo a música como assunto principal, é digna de aplausos. A minha opinião é de que ouvir, ler, assistir, discutir música é sempre muito bom. Não importa se você prefere este ou aquele estilo, o rock é maior que todos.

A paixão dos brasileiros pelo heavy metal, e pelo rock, é pura, única e contagiante. É ela que faz os maiores nomes do mundo realizarem shows antológicos em nosso país. É ela que faz uma cena inteira sobreviver firme e forte, mesmo sem o apoio da grande mídia (aliás, ela é tão forte que fez surgir os seus próprios veículos de mídia, que não ficam nada a dever às principais publicações internacionais do estilo). É essa paixão que faz pessoas como eu e todos que escrevem aqui para o Whiplash (e certamente todos que se empenharam para trazer a Bizz de volta e que, de alguma forma ou de outra, colaboram para o desenvolvimento da cena musical brasileira) compartilharem o fascínio e amor pela música com milhares de pessoas que pensam como a gente.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE - TAB 6

Rock Faz Bem

Rock Faz Bem

Rock Faz Bem: Qual será a mais bela canção de todos os tempos?

5 músicas para entender um headbanger

Existem canções que possuem braços

Rock'n'Roll will never die

Não confie em ninguém com menos de 500 discos

Bandas Gaúchas: Acústico com ilustres desconhecidas no resto do Brasil

Angra e Sepultura: Qual o futuro das duas maiores bandas de Metal do Brasil?

Radicalismo: quem disse que gosto não se discute?

Todas as matérias sobre "Rock Faz Bem"
Compartilhar no FacebookCompartilhar no WhatsAppCompartilhar no Twitter

Siga e receba novidades do Whiplash.Net:

Novidades por WhatsAppTelegramFacebookInstagramTwitterYouTubeGoogle NewsE-MailApps


Stamp

Rock Faz Bem: Qual será a mais bela canção de todos os tempos?

5 músicas para entender um headbanger

Radicalismo: quem disse que gosto não se discute?


publicidadeAdriano Lourenço Barbosa | Airton Lopes | Alexandre Faria Abelleira | Alexandre Sampaio | André Frederico | Ary César Coelho Luz Silva | Assuires Vieira da Silva Junior | Bergrock Ferreira | Bruno Franca Passamani | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Alexandre da Silva Neto | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Cláudia Falci | Danilo Melo | Dymm Productions and Management | Efrem Maranhao Filho | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Fabio Henrique Lopes Collet e Silva | Filipe Matzembacker | Flávio dos Santos Cardoso | Frederico Holanda | Gabriel Fenili | George Morcerf | Henrique Haag Ribacki | Jesse Alves da Silva | João Alexandre Dantas | João Orlando Arantes Santana | Jorge Alexandre Nogueira Santos | José Patrick de Souza | Juvenal G. Junior | Leonardo Felipe Amorim | Luan Lima | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Marcus Vieira | Maurício Gioachini | Mauricio Nuno Santos | Odair de Abreu Lima | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Ricardo Cunha | Richard Malheiros | Sergio Luis Anaga | Silvia Gomes de Lima | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Victor Adriel | Victor Jose Camara | Vinicius Valter de Lemos | Walter Armellei Junior | Williams Ricardo Almeida de Oliveira | Yria Freitas Tandel |
Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp
Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Sobre Ricardo Seelig

Ricardo Seelig é editor da Collectors Room - www.collectorsroom.com.br - e colabora com o Whiplash.Net desde 2004.
Mais matérias de Ricardo Seelig.

 
 
 
 

RECEBA NOVIDADES SOBRE
ROCK E HEAVY METAL
NO WHATSAPP
ANUNCIAR NESTE SITE COM
MAIS DE 4 MILHÕES DE
VIEWS POR MÊS