Metallica: banda explica volume do baixo no And Justice For All

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Por Durr Campos, Fonte: Decibel Magazine, Tradução
Enviar correções  |  Comentários  | 

O clássico álbum do METALLICA de 1988, “...And Justice for All” foi tema de matéria na edição de dezembro de 2008 da revista Decibel como parte da continuação da matéria sobre o Hall of Fame. Esta série de reportagens trata sobre discos influentes na história do metal, e “...And Justice for All” entrou no ranking, ao lado de outros clássicos como “Reign in Blood” (SLAYER), “Roots” (SEPULTURA), “Heaven and Hell” (BLACK SABBATH) e “Slaughter of the Soul” (AT THE GATES).

331 acessosTen Second Songs: 10 músicas pop tocadas no estilo do Metallica5000 acessosMetallica: ouça "Nothing Else Matters" em escala maior

Os membros do METALLICA, James Hetfield, Lars Ulrich e Kirk Hammett, além do antigo baixista Jason Newsted, concederam entrevistas para o artigo, que coincide com o aniversário de 20 anos do álbum. Alguns trechos você confere logo abaixo:

Decibel: Alguns fãs têm a impressão de que o baixo teve intencionalmente seu volume diminuído na mixagem devido à infame zombaria que foi a entrada de Newsted no METALLICA. De fato isto aconteceu?

Ulrich: "Não, de modo algum foi intencional. 'Justice' foi um ‘show’ apenas de duas pessoas: James Hetfiled e Lars Ulrich do início ao fim (nota do tradutor: dando a entender que o álbum previa privilegiar apenas o talento de ambos), mas não foi do tipo 'foda-se este cara – vamos abaixar o volume do baixo dele'. Foi mais como, 'estamos mixando, então vamos apropriadamente colocar na frente a parte rítmica e a bateria'. Mas ficamos lá mexendo nos botões, virando tudo para cima até que o baixo desaparecesse (risos)".

Hammett: "A razão pela qual você não escuta o baixo tão bem é porque as frequências do graves no tom que Jason utilizava meio que interferiram no tom que James estava tentando alcançar com sua guitarra-base em termos de sonoridade, e todas as vezes que tentavam misturar ambos os intrumentos as coisas não funcionavam. Então, a única forma de melhorar o som foi diminuindo o volume do baixo na mixagem. Foi chato, mas por alguma razão ou outra, aquele álbum é conhecido pelo volume do baixo menos audível e demais instrumentos muito altos. Foi uma experimentação também – estávamos a fim de algo mais seco, um som mais na cara, e algumas pessoas de fato gostam deste tipo de sonoridade. Várias das bandas desta nova geração, especialmente, acham que o '...And Justice...' soa muito bem. Mas no fim das contas, foi uma experiência que tentamos. Não estou 100% certo de que acertamos, mas há um som único ali".

Newsted: "O METALLICA sempre gravou seus álbuns de um modo bem diferente do que qualquer outra banda de rock ou country, onde a bateria e o baixo eram gravados primeiro e então punha-se as melodias, as guitarras e todas as demais coisas depois. Por toda sua existência, o METALLICA – e em toda a sua carreira o Lars teve apenas esta banda – Ulrich teve apenas a guitarra-base a os vocais saindo em seus monitores a 130 decibéis atrás da cabeça dele. Não há som de baixo em seu monitor de modo algum, diferente do que ocorre em outras bandas que sempre escutei. Então foi bem complicado me acostumar com este processo. E Robert (Trujillo) deve estar tendo que lidar com isto agora. Simplesmente não há som de baixo nos monitores do baterista. E você tem que pensar sobre isso como parte de uma equação".

Comente: Jason Newsted foi prejudicado de propósito?

Por que destacamos matérias antigas no Whiplash.Net?

5000 acessosMetallica: ouça baixo em faixas do "And Justice for All"5000 acessosMetallica: Jason explica o baixo apagado de And Justice For All5000 acessosMetallica: corrigindo a injustiça contra Jason Newsted5000 acessosMetallica: Jason Newsted é melhor que Cliff Burton, mas Lars e James ferraram ele5000 acessosMetallica: Lars mandou aumentar bateria e diminuir baixo no Justice5000 acessosMetallica: linhas de baixo do "Justice" são brilhantes

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

MetallicaMetallica
Por que Kirk Hammett quis sair do Exodus e juntar-se à banda

331 acessosTen Second Songs: 10 músicas pop tocadas no estilo do Metallica0 acessosTodas as matérias e notícias sobre "Metallica"

MetallicaMetallica
Kirk Hammet fala sobre Dave Mustaine e solos

Kirk HammettKirk Hammett
"Não sabia que os solos eram tão importantes!"

Metallica e Lou ReedMetallica e Lou Reed
Afinal, quem ou o que é "Lulu"?

0 acessosTodas as matérias da seção Notícias0 acessosTodas as matérias sobre "Instrumentos"0 acessosTodas as matérias sobre "Metallica"


MetallicaMetallica
Ouça "Nothing Else Matters" em escala maior

AC/DCAC/DC
Os últimos dias do vocalista Bon Scott

MotorheadMotorhead
"Radiohead e Coldplay não são rock"

5000 acessosRobert Plant: "quase saí do Led quando meu filho morreu"5000 acessosIron Maiden: Perguntas e respostas e curiosidades diversas5000 acessosHeavy Metal: os vinte melhores álbuns da década de 805000 acessosDonald Trump: o que Max e Igor Cavalera pensam a respeito dele?5000 acessosJerry Garcia - O Anti-Super-Star5000 acessosIron Maiden: Como soaria Bruce Dickinson cantando Lady Gaga?

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

Mais comentários na Fanpage do site, nos links abaixo:

Post de 17 de maio de 2014
Post de 18 de maio de 2014
Post de 18 de maio de 2014
Post de 09 de dezembro de 2016


Sobre Durr Campos

Graduado em Jornalismo, o autor já atuou em diversos segmentos de sua área, mas a paixão pela música que tanto ama sempre falou mais alto e lá foi ele se aventurar pela Europa, onde reside atualmente e possui família. Lendo seus diversos artigos, reviews e traduções publicados aqui no site, pode-se ter uma ideia do leque de estilos que fazem sua cabeça. Como costuma dizer, não vê problema algum em colocar para tocar Napalm Death, seguido de algo do New Order ou Depeche Mode, daí viajar com Deep Purple, bailar com Journey, dar um tapa na Bay Area e finalizar o dia com alguma coisa do ABBA ou Impetigo.

Mais matérias de Durr Campos no Whiplash.Net.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em junho: 1.119.872 visitantes, 2.427.684 visitas, 5.635.845 pageviews.

Usuários online