UDJC: Misturas e grooves entre o rock e a brasilidade

Resenha - Volume Morto - UDJC

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Ricardo Dezerto
Enviar correções  |  Ver Acessos

Lançado em 2015, "Volume Morto", primeiro álbum da banda UDJC, é bastante peculiar. Ao mesmo tempo em que soa original, escancara suas influências. Há passagens que lembram remetem ao Barão Vermelho da era Cazuza, em outros momentos paira a sombra de Raul Seixas, punk rock, rock clássico... mas no fim das contas, há uma personalidade forte distinta que permeia todo o registro.

Veja SP: show do Iron Maiden eleito como "pior de 2009"Inspiração: 30 canções (não somente rock) para mantê-lo motivado

O instrumental é forte. A cozinha de Guto Gonzalez, (bateria), e Sóstenes Matusalém, (baixo), é técnica e precisa, porém, discreta, sem nunca ofuscar a guitarra de Zé Gonçalves, que conduz o disco combinando balanços e distorções.

Se algum adjetivo pode definir os vocais de Zé Gonçalves é "esquisito". Seu jeito de cantar transita entre a MPB mais tradicional e o BRock e seu timbre anasalado causam estranheza no ouvinte. Curioso porém, é observar que este é um ponto forte e determinante no som da banda.

De poesia enigmática a arroubos quase punks, as letras de Zé Gonçalves e André Lepiane são tudo menos óbvias. Com originalidade as letras seguem passeando por temas políticos, sociais e existenciais de forma bem-humorada e até engraçada, pontuada por backing vocals malucos, gritos e outros artifícios.

"Sanidade", "Carrossel", "Enigma" e "Só", são os pontos altos do disco. Nelas as propostas musicais e líricas da banda se fundem com perfeição e dão o cartão de visitas da banda com toda a pompa e circunstância.

Em questão de dinâmica e timbragem, todas as músicas seguem um padrão, porém não chegando a comprometer a qualidade do disco.

Há que se destacar a excelente arte do disco, com ilustrações interessantíssimas do grande Lambuja.

Bons grooves, excelentes letras, esquisitice e originalidade na medida certa. "Volume Morto" combina com maestria originalidade e influências mostrando que há muito o que se esperar do próximo álbum da Udjc, já em processo de gravação.

José Gonçalves Filho - Guitarra
Sóstenes Matusalém - Baixo
Guto Gonzalez - Bateria
André Lepiane - Vocal




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "UDJC"


Veja SP: show do Iron Maiden eleito como pior de 2009Veja SP
Show do Iron Maiden eleito como "pior de 2009"

Inspiração: 30 canções (não somente rock) para mantê-lo motivadoInspiração
30 canções (não somente rock) para mantê-lo motivado


Sobre Ricardo Dezerto

Autor sem foto e/ou descrição cadastrados. Caso seja o autor e tenha dez ou mais matérias publicadas no Whiplash.Net, entre em contato enviando sua descrição e link de uma foto.

adClio336|adClio336