Chaos Plague: Mórbido Death Metal progressivo

Resenha - Chaos Plague - Chaos Plague

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Vitor Franceschini
Enviar Correções  

publicidade


Apesar de ser formado em 2006, este é o primeiro EP do quinteto italiano Chaos Plague. Anteriormente, a banda só havia lançado a demo "Virus" em 2010. E é incrível a banda não ter um álbum completo, tamanho o talento dos caras.

Heavy Metal: os maiores álbuns da história para os gregosSimplicidade é para os falsos: o nome de banda mais complicado do mundo

O som é um Death Metal progressivo, mas já adianto que não há muita coisa de Cynic e nem de Opeth no som da banda, a não ser alguma influência antiga deste último. O som é pesado, mórbido como pede o Death Metal, mas cheio de viradas intrincadas e variações rítmicas.

As composições também pendem para um clima mais maléfico e soturno. Os vocais na maioria das vezes são bons guturais e nos ritmos mais cadenciados limpos, mas com uma tonalidade épica. Destaque para os bons solos de guitarras e para a coesão da cozinha, com destaque para a bateria.

São apenas 3 faixas bem produzidas, onde a de abertura Chirality se destaca, mas não ficando muito adiante das demais. Particularmente apreciei o trabalho, mas é indicado realmente para fãs de Death Metal e, principalmente, para quem gosta de um som mais técnico.

http://www.chaosplague.it/
https://www.facebook.com/ChaosPlague



Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Heavy Metal: os maiores álbuns da história para os gregosHeavy Metal
Os maiores álbuns da história para os gregos

Simplicidade é para os falsos: o nome de banda mais complicado do mundoSimplicidade é para os falsos
O nome de banda mais complicado do mundo


Sobre Vitor Franceschini

Jornalista graduado tem como principal base escrever sobre Rock e Metal, sua grande paixão. Ex-editor do finado Goredeath Zine, atual comandante do blog Arte Metal, além de colaborador de diversos veículos do underground.

Mais matérias de Vitor Franceschini no Whiplash.Net.

adWhipDin adWhipDin