Witch Cross: metal tradicional dinamarquês direto dos anos 1980

Resenha - Fit for Fight - Witch Cross

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Ricardo Seelig
Enviar correções  |  Ver Acessos

publicidade

Este disco saiu em 1984. Ao acabar a sua audição, percebe-se com clareza o quanto o heavy metal muitas vezes é cíclico. Todas essas bandas de metal tradicional que hoje são idolatradas como retrós, como é o caso de Enforcer e companhia, soam semelhantes ao álbum de estreia do Witch Cross. Curioso, não?

Out: os 100 álbuns mais gays de todos os tempos segundo a revistaSimone Simons: "Rammstein me faz querer mexer a bunda"

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

A banda dinamarquesa lançou apenas esse LP e depois se desfez. O grupo retornou em 2013 com "Axe to Grind". O som é semelhante, em alguns aspectos, com os conterrâneos do Mercyful Fate, que naquela época estavam também no início da carreira. Sai a aura sombria e demoníaca de King Diamond e companhia, substituída por sempre saudáveis influências da NWOBHM. O vocal de Alex Savage não é tão agudo quanto o de Diamond, e isso é um elogio. Completam o time os guitarristas Cole Hamilton e Mike Wlad, o baixista John Field e o baterista A.C.

Impregnado da estética sonora da década de 1980, "Fit for Fight" é um álbum cativante, principalmente se você for um apreciador daquela época. Há melodias, bons riffs e ideias, ainda que a produção não seja das melhores comparada com o que ouvimos hoje em dia - porém, na média da maioria das bandas de metal daquele período.

Curte um som mais true e sem frescura? Então acredito que você irá gostar do Witch Cross.

Lançamento nacional via Hellion Records, com slipcase e mini pôster.



GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "Witch Cross"


Out: os 100 álbuns mais gays de todos os tempos segundo a revistaOut
Os 100 álbuns mais gays de todos os tempos segundo a revista

Simone Simons: Rammstein me faz querer mexer a bundaSimone Simons
"Rammstein me faz querer mexer a bunda"


Sobre Ricardo Seelig

Ricardo Seelig é editor da Collectors Room - www.collectorsroom.com.br - e colabora com o Whiplash.Net desde 2004.

Mais matérias de Ricardo Seelig no Whiplash.Net.

adGoo336