Ex Machina: 18 anos de muito Metal Hardcore sujo e agressivo

Resenha - Eighteen Years Dying - Ex Machina

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Por Claudia Mayrink
Enviar correções  |  Comentários  | 

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.

Da dramaturgia grega, algo ou alguém que surge de súbito, inesperadamente, causando grande impacto e espanto, alterando a estória após sua aparição: eis o som da Ex Machina.

5000 acessosHeavy Metal: cinco discos necessários dos anos setenta5000 acessosChinese Democracy: de 1994 a 2008, a saga do álbum mais caro da história

Formada em novembro de 1998, a .Ex Machina. tem uma trajetória ininterrupta de lançamentos e shows por Belo Horizonte e interior de Minas, dividindo o palco com bandas como WhitchHammer, Drowned, Havok, Ratos De Porão, Cauldron, Metalmorphose, Imperious Malevolence, Anthares, Nervo Chaos, Salário Mínimo, Certo Porcos!, Pathologic Noise, Rebaelliun dentre muitas outras do underground nacional e internacional.

No repertório, músicas próprias em inglês e português influenciadas pelo metal extremo, sludge metal e o true hardcore de bandas como Sepultura, Kreator, Obituary, Crowbar, Brujeria e Ratos De Porão.

Em seu mais novo lançamento “Eigtheen Years Dying”, a banda apresenta 9 músicas compostas em todas as fases e formações. Músicas como “Obrigado Por Nada”, “Pelego” e “Caos” ainda contam com as ilustres participações de Rodrigo Führer (Holocausto, Certo Porcos!), Tom Leandro (Sarcasmo), Ricardo Neves (Mutilator) e Sasha Garcia (Protocosmos)

A banda consegue passar toda a sua intensidade e energia para as músicas nesse disco, mostrando suas fortes influências do underground e fica claro que os muitos anos de estrada só fizeram bem, mantendo um som rápido e pesado, com temas polêmicos em suas letras.

Na faixa “Caos”, a visão da banda diante da realidade é traduzida através do baixo pesado de Leônidas Valadares e de sua letra crítica, em toda sua revolta contra o sistema opressor.

Em “Obridado por nada”, a voz potente de Rodrigo Führer (Holocausto), os riffs elaborados de Tom Leandro (Sarcasmo) e a bateria destruidora de Thiago Alves (Ex Machina), fica evidente a proposta da banda em manter seu estilo agressivo.

Sem dúvida uma obra-prima da melhor fase de uma das bandas mineiras que reverencia o bom e velho metal underground!

- Megalomania
- Obrigado por nada
- Charles Bronson (desejo de matar 666)
- Trauma
- Pigs
- Caos
- Desire
- Pelego
- United Against Ourselves

Leônidas Valadares – Baixo e vocal
Wilson – guitarra
Thiago Alves - Bateria

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

0 acessosTodas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDs0 acessosTodas as matérias sobre "Ex Machina"

Heavy MetalHeavy Metal
Cinco discos necessários dos anos setenta

Guns N RosesGuns N' Roses
De 1994 a 2008, a saga do álbum mais caro da história

MetallicaMetallica
A regressão técnica de Lars Ulrich

5000 acessosÁlbuns: os vinte piores discos de todos os tempos5000 acessosVitão Bonesso: A imensa coleção do apresentador do Backstage5000 acessosPapai Truezão: astros do Heavy Metal em fotos com seus filhos5000 acessosAngra: Acid Rain em uma versão Nintendo 8 Bits5000 acessosVICE Brasil: existem metaleiros na Favela da Maré, Rio de Janeiro5000 acessosObservatório Nerd: 5 perguntas para Eloy Casagrande

Sobre Claudia Mayrink

Autor sem foto e/ou descrição cadastrados. Caso seja o autor e tenha dez ou mais matérias publicadas no Whiplash.Net, entre em contato enviando sua descrição e link de uma foto.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online