Megadeth: novo álbum traz banda coesa e canções autorais

Resenha - Super Collider - Megadeth

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Por André Breder Rodrigues
Enviar correções  |  Comentários  | 

Nota: 8

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.


Megadeth é uma banda que dispensa apresentações, seja você um ardoroso fã ou um detrator da banda. O talentoso Dave Mustaine já há algum tempo conseguiu estabilizar a formação de sua banda, que nos últimos anos traz além dele o seu companheiro de longa data David Ellefson, o monstruoso guitarrista Chris Broderick e o ótimo baterista Shawn Drover.
786 acessosHeavy Metal: os 10 melhores riffs dos anos noventa5000 acessosSpike: os sete piores solos de guitarra

Com um time de músicos desse calibre, a pressão de que todo novo álbum da banda seja fantástico é algo compreensível. Super Collider, o novo álbum, traz uma banda coesa e dez novas canções autorais (em sua maioria) bem típicas do grupo. Abaixo estarei comentando sobre cada uma delas e dando o meu parecer sobre o álbum como um todo, no final. Então, como diria Jack o estripador, "vamos por partes":

01- Kingmaker (4:16): Abre muito bem o álbum, sendo uma canção bem direta, pesada. É forte candidata a se tornar presença obrigatória nos próximos shows da banda.

02- Super Collider (4:11): A faixa-título vem na sequência e apesar de muitos terem torcido o nariz para ela quando a mesma foi divulgada na internet antes do álbum sair, não concordo com a maioria e a considero uma boa canção. É uma canção mais "solta", um pouco diferente do padrão normalmente utilizado pelo Megadeth em suas músicas, mas mesmo assim não deixa de ser uma canção interessante e que mereça a audição.

03- Burn! (4:11): Uma das melhores faixas do novo álbum, com riffs, licks e solos de guitarra sensacionais, e ainda conta com umas das melhores linhas vocais de Dave Mustaine em todo o disco. É uma faixa tão empolgante que logo termina e você fica querendo que ela continuasse por mais bons minutos.

04- Built for War (3:57): Mais uma faixa direta, crua, com uma bateria destruidora muito bem acompanhada pelo baixo grave e pesado de David Ellefson.

05- Off the Edge (4:11): Ótimo e pulsante riff de guitarra dita o ritmo de mais esta ótima canção. Refrão bacana e solos de guitarras empolgantes.

06- Dance in The Rain (4:45): Primeira música do álbum que traz a participação de David Draiman, vocalista do Disturbed e também da banda Device. Tem um início narrado e depois cai em linhas vocais bem melancólicas feitas por Dave Mustaine, e depois muda novamente, seguindo uma linha mais direta. Draiman canta um dos trechos mais pesados próximo do final da canção e mostra suas qualidades vocais.

07- The Beginning of Sorrow (3:51): Canção com uma condução pesada e com um clima melancólico. Para mim não chega a ser um dos destaques do álbum, mas nem por isso se trata de uma música ruim.

08- The Blackest Crow (4:27): Canção mais variada do álbum, cheia de mudanças de andamento e com várias partes acústicas. Questão de gosto, mas é a faixa que menos me agradou do novo trabalho do Megadeth.

09- Forget to Remember (4:28): Segunda faixa que conta com participação de David Draiman. Canção com uma condução direta, pesada e empolgante. Na minha opinião umas das melhores músicas do álbum (se não for a melhor).

10- Don't Turn Your Back...(3:47): Possui uma introdução meio Blues, mas logo a música se transforma em um "metalzão" de dar gosto de ouvir! Outra canção que está entre as minhas preferidas do novo trabalho do Megadeth e que encerra as canções autorais de Super Collider com chave de ouro.

11- Cold Sweat(3:10): Trata-se de um cover da lendária banda Thin Lizzy. Uma bela homenagem do Megadeth a uma de suas influências.

Concluindo: Super Collider em seus pouco mais de 45 minutos de duração traz um Megadeth mais direto, onde canções não chegam perto dos cinco minutos de duração. Para quem esperava um álbum com músicas mais longas, cheias de solos, poderá se decepcionar um pouco com o álbum, mas já aqueles que querem ouvir algo mais "simples" e direto ao ponto, irão aprovar a direção tomada pela banda neste disco. Mesmo estando longe de ser o melhor trabalho do grupo nos últimos tempos, Super Collider também está longe de ser o pior. Trata-se de um trabalho que na minha opinião mantém o Megadeth entre os grandes do Heavy Metal mundial.

Formação:

Dave Mustaine – Vocais, Guitarras
Chris Broderick – Guitarras, Vocais de apoio
David Ellefson – Baixo, Vocais de apoio
Shawn Drover – Bateria, Percussão

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Outras resenhas de Super Collider - Megadeth

2513 acessosMegadeth: Depois do Risk, outra bola fora da banda3070 acessosMegadeth: Super Colisão do pior de Dave Mustaine5000 acessosMegadeth: Nem de longe tão ruim quanto dizem1972 acessosMegadeth: Reciclando ideias sem parecer forçado4320 acessosMegadeth: banda faz um disco de rock para quem gosta de música5000 acessosMegadeth: teria Mustaine lançado o seu "Load/Reload"?3360 acessosMegadeth: criativo e inovador em alguns momentos5000 acessosMegadeth: Dave Mustaine & Cia não são mais os mesmos5000 acessosMegadeth: Mustaine ainda é um dos músicos mais relevantes da cena

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

MegadethMegadeth
Dave Mustaine classifica os guitarristas da banda

786 acessosHeavy Metal: os 10 melhores riffs dos anos noventa477 acessosMarty Friedman: ouça "Miracle", single do novo álbum solo3397 acessosMetallica: e se James Hetfield cantasse no Megadeth?0 acessosTodas as matérias e notícias sobre "Megadeth"

Music RadarMusic Radar
Kiko Loureiro é o melhor guitarrista da atualidade

Guitar WorldGuitar World
11 Álbuns Essenciais do Thrash Metal

Dave MustaineDave Mustaine
Como ele quebrou o tornozelo de Phil Sandoval

0 acessosTodas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDs0 acessosTodas as matérias sobre "Megadeth"

SpikeSpike
Os sete piores solos de guitarra

MetallicaMetallica
Foto rara de formação original do grupo

Em 20/08/2005Em 20/08/2005
Iron Maiden é atacado com ovos no Ozzfest

5000 acessosSarcófago: Wagner fala da banda, radicalismo, Ghost e muito mais5000 acessosA História Impopular dos Rolling Stones - Livro 1 - Brian Jones5000 acessosContra-baixo: as melhores introduções do Heavy Metal5000 acessosSharon Osbourne: sexo oral em Principe Charles por título?5000 acessosMetallica: Alvo de críticas pesadas da banda Mogwai5000 acessosRod Stewart: intimidado pelo tamanho do pênis de outros rockstars

Sobre André Breder Rodrigues

André Breder começou a ouvir rock na adolescência e desde aquela época se mostrou bem eclético: ouvia Nirvana, Aerosmith, Metallica e Iron Maiden, tudo numa boa. Não gosta de rótulos, e sim de boa música, mesmo que tenha que assumir que possui no Heavy Metal tradicional seu gênero preferido.

Mais matérias de André Breder Rodrigues no Whiplash.Net.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online