Way Of Purity: bem simples e pouco atrativa

Resenha - Crosscore - Way Of Purity

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+Seguir Whiplash.Net

Por Pedro Humangous
Enviar correções  |  Comentários  | 

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.


"Nunca julgue um livro pela capa". Uma frase antiga e de conhecimento de todos, mas nunca caiu tão bem para descrever a banda The Way Of Purity.

5000 acessosElvis Presley: as últimas 24 horas do Rei do Rock5000 acessosCovers inusitados: COB tocando Britney? Shakira tocando ACDC?

Ao ver o próprio nome da banda, o logotipo e a arte da capa, pensei que encontraria uma banda de Deathcore ou algo do genero. O que vemos é uma banda atirando pra todos os lados tentando acertar em algum estilo dentro do Metal. A começar pelo visual da banda, temos duas mulheres (uma delas a vocalista) e mais três homens, todos mascarados e sem revelarem seus nomes, suas identidades. A filosofia da banda é apresentar somente o som, sem involver o aspecto visual como interferência na absorção do produto final. A meu ver, isso nada mais é do que uma jogada (fraca) de marketing. Isso já funcionou muito bem com bandas como Slipknot e Brujeria por exemplo, mas a pergunta que fica é: será que isso ainda é interessante para o mercado? As três primeiras faixas desse álbum de estréia chamado "Crosscore", são mais diretas e agressivas, com direito a blast beats e bases quebradas. Inserções de sintetizadores deixam as coisas um pouco mais interessantes para apreciadores do Metal Industrial. Mas quando chegamos à quarta faixa é que o álbum destoa e começa a ficar difícil digerir o que sai das pobres caixas de som. Os vocais femininos, antes brutais, agora soam leves e desinteressantes se formos comparar à proposta inicial. É como se o Evanescence resolvesse tocar Death Metal. A próxima música mantém o baixo padrão de composição e segue numa base mais punk, bem simples e pouco atrativa. O restante do álbum prossegue com a mistura desenfreada de estilos musicais, deixando a impressão final de terem muitas idéias na hora de compor mas pecam ao executá-las. Quem sabe eles encontrem o caminho da pureza num próximo lançamento.

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+Seguir Whiplash.Net

0 acessosTodas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDs0 acessosTodas as matérias sobre "Way Of Purity"


Elvis PresleyElvis Presley
As últimas 24 horas do Rei do Rock

Covers inusitadosCovers inusitados
COB tocando Britney Spears? Shakira tocando ACDC?

VírgulaVírgula
Hits dos 80s que a gente tinha vergonha, mas hoje canta com vontade

5000 acessosGene Simmons: declarações polêmicas sobre bandas de sucesso5000 acessosSlayer: É difícil ser um pai responsável enquanto canta sobre morte?5000 acessosSlash: ele não entendeu o clipe de "November Rain"3219 acessosDave Mustaine: o que ele pensa de quem o chama de "bundão"5000 acessosSebastian Bach: qual a banda mais louca com quem já fez turnê5000 acessosManowar: fora de "Bíblia do Metal" pois eles se acham demais

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.


Sobre Pedro Humangous

Pedro Humangous, 28 anos, publicitário headbanger. Dono e editor chefe da revista Hell Divine. Santista apaixonado por música e uma boa cerveja. Atualmente reside em Brasília e não poupa esforços para fazer o metal se fortalecer no país. Já colaborou com as revistas portuguesas Versus e Horns Up, além da coluna “Rolo Compressor” na rádio Nucleo Base. Colecionador de CD´s, DVD´s, Livros e Action Figures, concentra suas forças no metal extremo, sem deixar de lado os demais estilos. Fanático por Opeth, Iron Maiden, Trivium, Kreator, Dream Theater, Baroness, Suicide Silence, entre tantas outras. Siga: @PedroHumangous

Mais matérias de Pedro Humangous no Whiplash.Net.