Matérias Mais Lidas

imagemEngenheiros do Hawaii e as tretas com Titãs, Lulu Santos, Lobão e outros

imagemIggor Cavalera diz que reunião da formação clássica do Sepultura seria incrível, mas...

imagemTravis Barker, do Blink-182, é hospitalizado às pressas e filha pede orações

imagemGregório Duvivier: "Perto de Chico Buarque, Bob Dylan é uma espécie de Renato Russo!"

imagemQuando Jimi Hendrix chamou Eric Clapton para subir no palco e afinar sua guitarra

imagemJoão Gordo diz que não torce pela seleção brasileira de futebol

imagemVeja diz que David Coverdale só passa vergonha nas redes sociais

imagemCinco nomes do heavy metal que já gravaram músicas do ABBA

imagemCuecão de couro: Rob Halford posa com suas "great balls of fire" em camarim

imagemAvenged Sevenfold e o álbum do Guns N' Roses que deveria ser mais valorizado

imagemKerry King explica por que não assumiu o posto de guitarrista do Megadeth

imagemMike Portnoy e a música do Rush que virou um grande sucesso do Guns N' Roses

imagemEdu Falaschi descobriu que seu primo famoso tem mais seguidores que ele no Instagram

imagemO clássico dos Paralamas que Gilberto Gil escreveu a letra e ditou pelo telefone

imagemMick Jagger diz que sente muito a falta do baterista Charlie Watts


Ador Dorath: Black Doom com clima psicótico

Resenha - Symbols - Ador Dorath

Por Ben Ami Scopinho
Em 15/09/07

Nota: 9

Mais um excelente nome vindo da República Tcheca! O Ador Dorath foi formado em dezembro de 1997 tocando covers de Samael e Moonspell, e um ano depois já estavam começando a compor suas próprias canções. Entre as idas e vindas de alguns integrantes, a banda lança em 2002 seu primeiro disco, "Adon Nin Edeleth Ador Dorath", que posteriormente teve uma nova edição com a inclusão de dois vídeos de uma apresentação em Harenda. Após algumas novas trocas de músicos, em meados de 2005 começam as sessões de gravações deste seu segundo álbum, "Symbols", que, mesmo chegando ao Whiplash! com muito atraso, merece a devida atenção.

Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp

"Symbols" obteve tal aceitação que arrebatou em 2006 o prêmio de melhor álbum de "Hard & Heavy" pela Academia de Música Popular de seu país. E mereceram! Com canções muito agressivas e elementos de música extrema, o Ador Dorath segue a linha de Black Doom Sinfônico, mas apresentando um clima psicótico – cortesia dos teclados e do violoncelo – intercalados a momentos mais suaves, onde a belíssima voz de Lenka realmente impressiona.

Como consegui viver de Rock e Heavy Metal

Praticamente todo o álbum é digno de destaque. As canções estão todas emendadas umas às outras, e a trinca inicial já mostra que o grupo não abre mão do peso absurdo. "River" é o momento de introspecção acústico, onde a vocalista conquista de vez com uma atuação irretocável e, a partir daí, novamente a obscuridade e distorção vão até praticamente o final, quando o bônus "Island" encerra a audição com cantos de pássaros num típico momento New Age.

Também merece citação a concepção gráfica. Os títulos de cada canção possuem seu respectivo ícone medieval desenhados de forma artesanal pela própria Lenka Machová, e tudo é impresso nas cores vermelho e preto sobre papel texturizado. O resultado é similar aos panfletos rústicos do início do século passado e se ajusta com toda a proposta lírica da banda ao abordar a fantasia e a natureza de forma bastante poética.

Divulgue sua banda de Rock ou Heavy Metal

O Ador Dorath é o típico caso daqueles conjuntos que não apresentam algo de realmente novo. Mas é a garra com que tocam, além de uma fase de grande inspiração, que fazem toda a diferença de "Symbols" em relação ao oceano de lançamentos descaráveis no estilo. Guardadas as devidas proporções, o Ador Dorath pode e deve ser conferido principalmente por quem aprecia Penumbra, Tristania ou Sirenia, nas fases em que realmente honravam o termo "Heavy Metal", pois é isso que estes tchecos tocam. E muito bem!

Formação:
Ivos Dosedel - voz gutural
Lenka Machová - voz feminina
Kamil Pfeffer - guitarra
Kamil Kottek - baixo
Martin Rosenek - teclados e sintetizadores
Krystian Danel - violoncelo (convidado)

Divulgue sua banda de Rock ou Heavy Metal

Ador Dorath – Symbols
(2005 / Shindy Productions - importado)

01. Rosa
02. Vitriol
03. Earth
04. River
05. Desert
06. Mountain
07. Balance
08. Limits
09. Nine
10. Island (faixa-bônus)

Homepage: www.adordorath.com

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Stamp
publicidade
Ademir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | Andre Sugaroni | André Silva Eleutério | Antonio Fernando Klinke Filho | Bruno Franca Passamani | Caetano Nunes Almeida | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Eduardo Ramos | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Cristofer Weber | César Augusto Camazzola | Dalmar Costa V. Soares | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Eric Fernando Rodrigues | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Helênio Prado | Henrique Haag Ribacki | Jesse Silva | José Patrick de Souza | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcelo H G Batista | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Ricardo Dornas Marins | Sergio Luis Anaga | Sergio Ricardo Correa dos Santos | Tales Dors Ciprandi | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Tom Paes | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva
Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp


Sobre Ben Ami Scopinho

Ben Ami é paulistano, porém reside em Florianópolis (SC) desde o início dos anos 1990, onde passou a trabalhar como técnico gráfico e ilustrador. Desde a década anterior, adolescente ainda, já vinha acompanhando o desenvolvimento do Heavy Metal e Hard Rock, e sua paixão pelos discos permitiu que passasse a colaborar com o Whiplash! a partir de 2004 com resenhas, entrevistas e na coluna "Hard Rock - Aqueles que ficaram para trás".

Mais informações sobre

Mais matérias de Ben Ami Scopinho.