Matérias Mais Lidas

imagemA resposta de John Lennon quando perguntado se retornaria aos Beatles em 1975

imagemO clássico dos Paralamas que Gilberto Gil escreveu a letra e ditou pelo telefone

imagemO clássico da Legião inspirado em novela da TV Globo e acusado de plagiar The Doors

imagemTúnel do Tempo: 25 músicas que mostram por que 1991 é um ano tão celebrado

imagemCinco curiosidades sobre "The Sick, The Dying... And The Dead!", do Megadeth

imagemBob Dylan explica a diferença entre suas composições e as de Paul McCartney

imagemCadáveres, sangue e girombas: a história da capa de "Reign In Blood", do Slayer

imagemQuantos discos o Guns N' Roses vendeu no Brasil e no mundo? Veja os números

imagemTúnel do Tempo: 25 músicas que mostram por que 1984 é um ano vital para o metal

imagemKiss: Tommy Thayer responde se Gene Simmons e Paul Stanley se dão bem

imagemTúnel do Tempo: 25 músicas que mostram por que 1988 é um ano inesquecível

imagemEric Clapton comenta a lenda do pacto com o diabo feito por Robert Johnson

imagemNey Matogrosso relembra como foi abrir o Rock in Rio de 1985

imagemVídeos dos shows no Hellfest do Sepultura, Epica, Nightwish, Blind Guardian e outros

imagemO rock está morto? Alice Cooper responde Gene Simmons: "Não acredito!"


Metallica: Master Of Puppets é uma obra de arte da história do Metal

Resenha - Master of Puppets - Metallica

Por Cássio Mendes de Faria
Em 12/05/18

Há 32 anos atrás, 03 DE MARÇO DE 1986 o terceiro álbum do Metallica era lançado, desde então Master Of Puppets é considerado um dos álbuns mais influentes e importantes na história do Metal mundial.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Segue abaixo uma breve critica do álbum.

METALLICA - MASTER OF PUPPETS(1986)

Acordes de um violão que parecem ter saído de algum filme mexicano começam a dar o ar da graça, alguns deveriam até ter pensado: Isso não é um álbum de Metal ou menos de Thrash Metal! Mas essa teoria acaba quando se inicia uma chuva de Riffs rápidos que parecem não acabar mais. A energia das baquetas de Lars parecem possuir uma bateria extra em cada verso que se acaba.

Battery, a primeira faixa já se mostra um prólogo para o que se despencaria por todo o resto do CD.

Já emendando, a faixa que dá nome ao álbum, Master Of Puppets se mostra como uma obra prima do metal, e seria indispensável para os fãs em qualquer show do Metallica pelos últimos 31 anos. A faixa dois tem as principais características que um clássico deve ter. Um começo explosivo, com um riff pegajoso, em seu meio um solo lento altamente vicioso, preciso e crescente (um dos melhores que já escutei na vida), e para acabar um último solo rápido cheio de técnica e energia anunciados pelas mãos brilhantes de Hammett.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

The Thing That Should Not Be, terceira faixa, brilhantemente definida por Paul Stenning na biografia All That Matters, como a música que o Black Sabbath não gravou, realmente, o Riff parece ser feito pelo mestre Iommi, arrastando as cordas de um acorde para o outro, fúnebre e com uma letra obscura e sombria.

Welcome Home (Sanitarium), chega transbordando criatividade, com um início lento logo seguido de um lindo dedilhado e um refrão forte e inspirador, antes de despencar em uma frenética quebra de tempo e solos, comparando com o Ride The Lighting, Cd anterior, e guardadas as devidas proporções, é curioso notar que essa faixa seria a Fade To Black do Master Of Puppets.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

O álbum ainda está pela metade é a quinta faixa chega ainda quebrando tudo, Disposable Heroes, ou heróis descartáveis, fala de jovens soldados que são descartáveis na medida em que vão morrendo em combate e sempre haverá outro em seu lugar. Soldados usados como massa de manobras exemplificado em versos como: I see, hungry heroes end / No one to play soldier now, no one to pretend, e ainda mais em BACK TO THE FRONT /You coward. You servant. You blindman.

Leper Missiah, talvez seja a faixa menos escutada ou menos falada ao meu ver, mas isso não a faz menos importante para o conjunto da obra ou menos especial, Leper Messiah vem com um riff bem diferente dos riffs que o Metallica já tinha composto até então, sem muito arranjo e pausado, o vocal de James que vai dando força e corpo a música até despencar em um solo frenético que muda o cavalgar total da faixa, isso por um breve momento até voltar a seu ritmo inicial.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Orion, faixa apenas instrumental é uma outra obra prima do Metal, simplesmente inovadora, cheia de ritmo, idas e vindas, parece uma montanha russa de harmonia. A genialidade e talento de Cliff Burton e colocada a prova, e ele responde com as cordas do seu baixo. A cada nota tocada o ouvinte fica encantado, até mesmo quem não gosta de metal fica preso nessa faixa. Quando escutei Master Of Puppets pela primeira vez, foi quase impossível ouvir a última música do álbum, pois tirar o replay da Orion é uma tarefa bem árdua.

Então chegamos a última faixa do álbum, Damage Inc. A música faz jus ao nome, uma porrada thrash que não poderia faltar em nenhum Cd do Metallica dos anos 80. Damage é o Metallica voltando as raízes do Kill Em All, com um thrash ainda mais frenético, rápido e mais uma vez viciante.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

No mais Master Of Puppets é uma obra de arte, e é indispensável para qualquer um que preze pela qualidade de uma boa música.


Outras resenhas de Master of Puppets - Metallica

imagemResenha - Master Of Puppets - Metallica

Resenha - Master Of Puppets - Metallica

Resenha - Master Of Puppets - Metallica

Resenha - Master Of Puppets - Metallica

Resenha - Master of Puppets - Metallica

Resenha - Master of Puppets - Metallica

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Stamp
publicidade
Ademir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | Andre Sugaroni | André Silva Eleutério | Antonio Fernando Klinke Filho | Bruno Franca Passamani | Caetano Nunes Almeida | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Eduardo Ramos | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Cristofer Weber | César Augusto Camazzola | Dalmar Costa V. Soares | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Eric Fernando Rodrigues | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Helênio Prado | Henrique Haag Ribacki | Jesse Silva | José Patrick de Souza | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcelo H G Batista | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Ricardo Dornas Marins | Sergio Luis Anaga | Sergio Ricardo Correa dos Santos | Tales Dors Ciprandi | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Tom Paes | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva
Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp


Metallica: conheça a épica arte do grande e poderoso Cthulhu

Metallica: James Hetfield confessa que não concordava com a fase "Load/Reload"

Metallica: confira o discurso de Robert Trujillo no Grammy


Exodus: "Rick Rubin é uma verdadeira fraude", diz Gary Holt