RECEBA NOVIDADES ROCK E METAL DO WHIPLASH.NET NO WHATSAPP

Matérias Mais Lidas

imagemA música de Raul Seixas que salvou a carreira de Chitãozinho e Xororó

imagemOs 10 maiores vocalistas de heavy metal de todos os tempos, em lista do Ruthless Metal

imagemEx-guitarrista do Megadeth não liga para Mustaine e diz que está "fazendo dinheiro para ele"

imagemComo Tommy Lee e o Mötley Crüe ajudaram Axl Rose a escrever "November Rain"

imagemQual era a opinião de Tony Iommi sobre Ozzy Osbourne solo e Randy Rhoads em 1984?

imagemPara John Lennon, os Beatles poderiam ter acontecido sem George e Ringo

imagemOs 10 maiores álbuns da história do grunge, em lista do Brave Words

imagemPor que Lemmy odiava tocar "Ace of Spades" nos shows do Motörhead

imagemSlash se sente feliz por não existir internet nos primórdios do Guns N' Roses

imagemO Raul Seixas não era nada daquilo que ele falava, diz ex-parceiro musical

imagemPaul McCartney quase foi atropelado ao tentar recriar famosa cena de capa de disco

imagemVocalista do Skid Row divulga cover matador de "Painkiller", do Judas Priest

imagemO hit dos Beatles que talvez seja sobre drogas e que "Jesus" acompanhou gravação

imagemQuatro músicas de artistas brasileiros que citam Os Paralamas do Sucesso

imagemO brasileiro com a voz parecida com a de Axl Rose que viralizou no TikTok


Acolyte: Para quem curte um Black Metal com atrativos a mais

Resenha - Alta - Acolyte

Por Leandro Fernandes
Postado em 30 de novembro de 2014

Nota: 9

É sempre bom ver bandas extremas, mais precisamente Black, investir em uma pegada progressiva, tornando o som mais atrativo e viciante. O que encontramos nesse primeiro disco dos ingleses do Acolyte é um som cavernoso e ao mesmo tempo rico pela simples pegada Prog consistente aqui.

"Alta" é um disco ótimo e bem diferente, longe de vocais urrados e rasgados, guitarras densas e pesadas, mas com pegada firme e riffs entendíveis, a bateria também mostra muita técnica e um pouco mais de ‘calma’ podendo em certos momentos se escutar o som do baixo. Outro atrativo a mais é o misto de melancolia também presente com nuances soturna, certos momentos chegando a soar, em partes, com Rotting Christ.

Nove músicas que compõem esse compilado, mostrando muito profissionalismo e um diferencial à parte: "ame ou odeie". Dito isso o disco se inicia com uma introdução bem curta emendando logo com a atmosférica Charybdis, sombria e também pesada. Seguindo para Leng (essa música fez parte do primeiro EP da banda) com seus quase dez minutos de duração mostra que realmente a banda gosta de arriscar e fazer aquilo que se tem vontade, a música em si não cansa e mostra bastante variação principalmente nos vocais e bastante alternância na cozinha e nos riffs, chega a se aproximar de um Heavy Metal.

A ácida The Nameless Expanse mostra uma pegada ‘old school’, seguindo sempre a mesma linha e poucas variações, mas em Sunrise o clima muda completamente para um som mais arrastado e obscuro, em certos momentos a calmaria toma conta e um clima de melancolia paira de forma bem discreta.

Formidine e Vultures mostram bons riffs e linhas de vozes agressivas e mais rápidas. The Ashenground mostra mais desenvoltura e muito peso, os guturais aqui são evidentes e encerrando esse excelente disco Epistle é a mais longa do trabalho com quase doze minutos de pura melancolia e soturnidade emaranhadas em cada nota executada, fechando o disco de forma honrosa.

O Acolyte é uma banda nova e com muita estrada pela frente. Os caras se arriscam em criar e inovar e isso deixou o som bastante original e sólido. Se curte um Black Metal com atrativos a mais, ouça!

https://www.facebook.com/Acolytemusic
http://acolytemusic.bandcamp.com/
http://blogartemetal.blogspot.com.br/2014/11/acolyte-alta-2013-mordgrimm-importado.html

Compartilhar no FacebookCompartilhar no WhatsAppCompartilhar no Twitter

Siga e receba novidades do Whiplash.Net:
Novidades por WhatsAppTelegramFacebookInstagramTwitterYouTubeGoogle NewsE-MailApps


Stamp


publicidadeAdemir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | André Silva Eleutério | Bruno Franca Passamani | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Euber Fagherazzi | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Henrique Haag Ribacki | José Patrick de Souza | Julian H. D. Rodrigues | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Sergio Luis Anaga | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva |
Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp
Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Sobre Leandro Fernandes

Conheci o rock em 1992, tendo o primeiro disco do Iron Maiden. Com o passar dos anos me apeguei ao rock progressivo e tenho bandas como Pink Floyd, Jethro Tull, Rush e Uriah Heep sendo as favoritas. Profissional da área de T.I, casado e uma filha. Sempre buscando conhecimento no rock/metal em geral.
Mais matérias de Leandro Fernandes.