Iron Maiden: 23 anos depois, digno registro em DVD

Resenha - Live After Death - Iron Maiden

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Por Ricardo Seelig
Enviar correções  |  Comentários  | 

Nota: 9

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.


Finalmente! Passados vinte e três anos de seu lançamento original em 1985, o antológico “Live After Death” ganha uma versão em DVD digna de sua importância. É claro que a maioria dos fãs do Iron Maiden possuem a versão “cachorra” pirata que era encontrada com facilidade nas bancas de revistas do país há alguns anos atrás, o que só serve para perceber o quanto foi exemplar o trabalho feito nessa versão oficial.
759 acessosDuplas de guitarristas: Loudwire elenca suas dez melhores5000 acessosGuitar World: revista elege os 50 guitarristas mais rápidos

O show principal, que está no disco 1, já foi analisado milhares de vezes e está na mente não só dos fãs do grupo, mas de todo e qualquer fã de Heavy Metal. Registro definitivo da emblemática “World Slavery Tour”, maior e mais importante turnê da história do Maiden, responsável por elevar o grupo para o Olimpo da música pesada (de onde nunca mais saiu, diga-se de passagem), traz todos os elementos que fizeram da Donzela uma banda única: a performance incendiária de um grupo em seu auge; um vocalista performático, carismático e, mesmo que ainda não em seu ápice técnico vocal, dando uma aula de interpretação (digo isso porque, se você comparar, por exemplo, a performance de Bruce Dickinson em “Live After Death” e no “Rock in Rio”, perceberá como ele aprendeu a usar a sua voz com o tempo, levando-o a cantar melhor hoje do que na década de oitenta, o que não tira, em hipótese alguma, o brilho de sua atuação); uma dupla de guitarristas que elevou o termo “twin guitars” a outro nível, escrevendo um capítulo à parte na história do Heavy Metal; e uma cozinha altamente técnica, que soube usar toda a sua força para criar e definir algumas das passagens mais marcantes da história da música pesada.

Entre as músicas, destaques óbvios para os clássicos “Aces High”, “The Trooper”, “Revelations”, a soberba “Rime Of The Ancient Mariner”, “Powerslave” (na minha opinião uma das melhores músicas do grupo), “The Number Of The Beast” e “Hallowed Be Thy Name”.

Na parte técnica do DVD, fica claro como o vídeo e, principalmente, o áudio do mesmo receberam um exemplar tratamento, adequando-se as novas tecnologias. O som 5.1 que sai dos alto-falantes é puro e cristalino, proporcionando um imenso prazer ao ouvinte. Uma curiosidade: quem está acostumando com o CD “Live After Death” poderá estranhar algumas faixas, já que, ao contrários do que muitos pensam, os shows do CD e do DVD são diferentes.

No disco 2 estão algumas jóias que irão fazer a alegria dos fãs. A primeira, e principal, é a segunda parte do documentário “The History Of Iron Maiden”. Cobrindo justamente o período mostrado no show principal, ou seja, os anos de 1984 e 1985, época do lançamento dos discos “Powerslave” e “Live After Death”, o documentário traz inúmeras histórias e curiosidades, como o hilário causo do baterista Nicko McBrain, que em um show do grupo pelo interior dos EUA resolveu dar um pulo na piscina que havia atrás do palco na passagem de baixo de “Rime Of The Ancient Mariner”, tamanho o calor que fazia no palco. Não fosse um roadie o chamar de volta McBrain perderia o tempo da música … Pela primeira vez a banda fala do quão difícil e extenuante foi a tour, que, segundo eles próprios, quase levou o grupo ao fim, devido a enorme quantidade de shows e o consequente desgaste, tanto fisico quanto de convivência.

Mais alguns extras completam o DVD, com destaque para o documentário “Behind The Iron Curtain”, mostrando a passagem do Maiden pela Polônia, em uma época onde a Cortina de Ferro ainda existia, sendo que a Donzela foi um dos primeiros grupos a tocar no fechado leste europeu. O momento em que a banda, completamente bêbada, toca em uma festa de casamento (?!) uma versão de “Smoke On The Water” beira o inacreditável…

Há também o curto vídeo “´Ello Texas”, com entrevistas, os clipes de “Aces High” e “Two Minutes To Midnight”, galeria de ilustrações e fotos, as datas da tour e um programa da turnê repleto de detalhes curiosos a respeito da excursão.

Deixei por último o extra que provavelmente mais vai interessar aos fãs brasileiros, que é o vídeo do grupo tocando no Rock in Rio de 1985. Este registro tinha tudo para ser o mais legal do DVD, mas acaba frustrando os telespectadores. A qualidade, tanto de som quando de imagem, é ruim e decepcionante. Tudo bem que a responsável pela captação do material naquela época foi a TV Globo, mas faz falta um acabamento e um tratamento melhores no material, seguindo o que foi feito com o vídeo original. O show é antológico, a banda toca com energia contagiante, há o famoso caso da cabeçada de Bruce na guitarra de Dave Murray, cantanto “Revelations” com o rosto coberto de sangue (o que levou aos repórteres da Globo na época a concluir que era mais um truque cênico da banda … ), e, além de tudo, possui um valor altamente histórico e sentimental para nós brasileiros, fatores esses que só aumentam a frustração de assisti-lo com uma qualidade tão irregular.

Fechando, o DVD vem com um longo encarte repleto de fotos e dados sobre a tour, mais ou menos como o encarte que saiu na versão “enhanced” do CD.

O lançamento de “Live After Death” em DVD oficial pela banda é uma notícia digna de elogio. O trabalho feito na adequação do vídeo original às novas possibilidades tecnológicas disponíveis atualmente foi muito bom, assim como a segunda parte do documentário que conta a história do grupo. Uma pena que justamente o extra mais aguardado por nós, brasileiros, tenha uma qualidade tão ruim, o que certamente decepcionará e frustrará uma parcela dos fãs. “Live After Death” é um ótimo DVD, e, não fosse por esse deslize, ganhava nota máxima.

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Outras resenhas de Live After Death - Iron Maiden

5000 acessosIron Maiden: um registro histórico em nova versão5000 acessosResenha - Live After Death - Iron Maiden5000 acessosResenha - Live After Death - Iron Maiden

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

Iron MaidenIron Maiden
Steve Harris assiste show do Metallica no Canadá

759 acessosDuplas de guitarristas: Loudwire elenca suas dez melhores1237 acessosBruce Dickinson: voando em um bombardeiro da II Guerra Mundial0 acessosTodas as matérias e notícias sobre "Iron Maiden"

Humor involuntárioHumor involuntário
As resenhas de discos da Rock Brigade na década de 80

Iron MaidenIron Maiden
Curiosidades sobre o "The Number Of The Beast"

Iron MaidenIron Maiden
Guiness Book reconhece maior coleção do mundo

0 acessosTodas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDs0 acessosTodas as matérias sobre "Iron Maiden"

Guitar WorldGuitar World
Os 50 guitarristas mais rápidos de todos os tempos

ExcessosExcessos
Como os rockstars gastam os seus milhões

Axl RoseAxl Rose
A primeira ficha policial aos 18 anos

5000 acessosSlipknot: 10 vezes em que Joey Jordison foi um verdadeiro herói5000 acessosSeparados no nascimento: Dave Mustaine e um Cocker Spaniel5000 acessos"Cê tá de brincadeira, né?": quando grandes nomes vacilam5000 acessosSlayer: semelhança com a "galinha marylou" do Ultraje a Rigor?5000 acessosMike Portnoy: Jam do Dream Theater com bateria isolada5000 acessosGuns N' Roses: Algumas curiosidades sobre o vocalista Axl Rose

Sobre Ricardo Seelig

Ricardo Seelig é editor da Collectors Room - www.collectorsroom.com.br - e colabora com o Whiplash.Net desde 2004.

Mais matérias de Ricardo Seelig no Whiplash.Net.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online