Matérias Mais Lidas

imagemA fundamental diferença entre Paulo Ricardo e Schiavon que levou RPM ao fim

imagemSentado em cadeira de rodas, Paul Di'Anno faz primeiro show em sete anos

imagemRoger Daltrey revela a música "amaldiçoada" que o The Who não toca mais ao vivo

imagemSystem of a Down: por que Serj Tankian não joga mais nenhum vídeo game?

imagemOzzy Osbourne diz que está bem aos 73 anos, mas sabe que sua hora vai chegar

imagemAndre Matos sempre foi de esquerda e reprovaria governo atual, diz irmão do maestro

imagemDo Ozzy ao Slayer: veja os momentos mais metal do desenho South Park

imagemAngra: Quantos shows seguidos a voz aguenta sem restrições? Fabio Lione responde

imagemSyd Barrett em 1967 analisando os principais singles lançados em julho

imagemLars Ulrich diz que shows do Metallica na América do Sul foram incríveis

imagemA visão de Arnaldo Antunes sobre sua timidez no período da adolescência

imagemDaniel Cavanagh, do Anathema, sobrevive a tentativa de suicídio

imagemOzzy Osbourne dá sua opinião sobre o streaming e dispara contra Spotify; "É uma piada"

imagemComo CDs e MP3s decepcionaram Jimmy Page

imagemKiko Loureiro defende surgimento de banda que seria "Greta Van Fleet do Iron Maiden"


Stamp

Resenha - St. Anger - Metallica

Por Rafael Carnovale
Em 08/06/03

Nota: 9

Desde 1996, quando o Metallica lançou "LOAD", quebrando um hiato de cinco anos sem material inédito, cada lançamento da banda tornou-se um poço de expectativas. O mesmo aconteceu com "RELOAD" em 1997 e com "GARAGE INC" e "S&M". A banda se especializou em deixar os fãs malucos, ansiosos para saber o que este quarteto estaria aprontando. E neste novo cd, que sai após seis anos sem material inédito próprio (tirando as inéditas presentes no cd "S&M") a situação não foi nada diferente. Talvez até pior.

Divulgue sua banda de Rock ou Heavy Metal

Primeiro a banda perdeu o baixista Jason Newsted, que abandonou ou foi abandonado o/do barco por diferenças musicais. Depois, quando ainda se encontravam na fase de composição, o guitarrista/vocalista James Hetfield precisou se afastar para tratar-se de um problema de alcoolismo crônico. E no meio disso tudo a banda ia dando forma a este novo cd. Com o retorno de Hetfield, as coisas começaram a tomar forma e a banda, ainda sem baixista, entrou em estúdio. Após a gravação do cd, que se estendeu por 2002, Robert Trujillo (Suicidal Tendencies, Ozzy Ousborne) foi anunciado como o novo baixista. Agora, "St.Anger" está saindo no mundo todo e fica uma questão: como estaria esse novo Metallica?

Ademir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | Andre Sugaroni | André Silva Eleutério | Antonio Fernando Klinke Filho | Bruno Franca Passamani | Caetano Nunes Almeida | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Eduardo Ramos | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Cristofer Weber | César Augusto Camazzola | Dalmar Costa V. Soares | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Eric Fernando Rodrigues | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Helênio Prado | Henrique Haag Ribacki | Jesse Silva | José Patrick de Souza | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcelo H G Batista | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Ricardo Dornas Marins | Sergio Luis Anaga | Sergio Ricardo Correa dos Santos | Tales Dors Ciprandi | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Tom Paes | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva

A resposta: pesado! Para começar, não há baladas em "St. Anger". "Frantic" que abre o cd, é uma porrada na cabeça de qualquer fã que ache que a banda se vendeu ao "mainstream". Riffs pesados, uma bateria muito alta (a produção do cd ficou muito estranha, parecendo que foi gravado em uma garagem, com som abafado e guitarras baixas) mostram que a banda não está para brincadeiras. "St.Anger", o primeiro single e vídeo-clipe, é um exemplo de como a banda está mudada. Há flertes com o new-metal, guitarras e bateria tipicamente hardcore, e vocais calmos e agressivos ao mesmo tempo. O mesmo acontece em "Some Kind of Monster", com uma levada super cadenciada e ao mesmo tempo com flertes explícitos com o hardcore, com seus nove minutos de pura pancadaria.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

"Dirty Window" começa com a bateria furiosa de Lars Ulrich (faz tempo que ele não tocava desse jeito) e se mostra um hardcore furioso, com Hetfield berrando no vocal, com uma performance bem superior ao fiapo de voz que ele vinha apresentando nos últimos cd’s... uma candidata a melhor do cd. Mas como o Metallica resolveu misturar tudo, no meio aparecem quebras de andamento e momentos mais lentos que lembram muito o new-metal.
Todas as faixas de "St. Anger" na verdade não podem ser definidas em um único estilo, pois a cada momento você pode escutar um trecho veloz, seguido de uma levada mais cadenciada e logo depois um momento mais melódico. "Invisible Kid" é um exemplo disso. A música começa como um típico heavy metal e desemboca no que costumaram chamar de "Stoner Metal" (o som que o Black Sabbath ajudou a criar nos anos 70). "My World" é outra música aonde o "Stoner Metal" se faz presente, com James berrando "It’s My World Now". Aliás, o Metallica nunca soou tão Black Sabbath quanto nessa faixa. Os fãs mais radicais irão com certeza torcer o nariz para "Shoot me Again", que mescla elementos de new-metal com stoner e hardcore cadenciado, com vocais cheios de efeitos. Assim como torcerão também para "Sweet Amber", aonde o Metallica de novo mistura vários elementos musicais e cria uma salada que engloba hardcore, heavy, stoner e new-metal.

Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp

O resto do cd segue a mesma tônica, com destaque para a levada super cadenciada de "The Unnmaed Feeling" (uma das mais pesadas por sinal), o hardcore assumidíssimo de "Purify" (quase saído de um cd do Agnostic Front) e os quase 10 minutos de "All Within My Hands", que soa como um new-metal misturado com thrash metal (os vocais de James, auxiliado pelos grandes backings de Kirk Hammett), criando um grande momento para a banda.

Falar que "St.Anger" é o cd mais pesado da carreira do Metallica é um erro grosseiro, já que ele não pode ser comparado aos demais cd’s da banda, pela diferença de estilos. Mas que é pesadíssimo, brutal e agressivo isso é. Novamente o Metallica dá uma guinada em sua carreira e se re-inventa, pelo menos desta vez com um som bem mais pesado e agressivo. Vale a pena comprar. Mas não é um cd de audição fácil.... você vai precisar ouvi-lo uma dezena de vezes para dizer se gosta ou odeia. Detalhe... há pouquíssimos solos no cd, e arrisco dizer, nenhum solo realmente digno do talento de Kirk. Tudo a favor do peso.

Como consegui viver de Rock e Heavy Metal

Obs: A primeira tiragem de "St. Anger" vem com um DVD de 81 minutos com a banda completa, incluindo o baixista Rob Trujillo, ensaiando as 11 músicas de "St.Anger". Ficou muito bem feito, com qualidade de som e imagens impecável, aonde Rob se mostra um monstro na agitação e a banda despeja fúria (ou para os mais radicais, se mostram grandes atores).

Site oficial: http://www.metallica.com
Site fã clube: http://www.metclub.com

Line Up:
James Hetfield – Guitarras,Vocal
Kirk Hammett – Guitarras, Vocal
Robert Trujillo – Baixo (o baixo do cd ficou a cargo do produtor Bob Rock)
Lars Ulrich – Bateria

Divulgue sua banda de Rock ou Heavy Metal

Lançado pela Universal em junho de 2003.


Outras resenhas de St. Anger - Metallica

imagemResenha - St. Anger - Metallica

Resenha - St. Anger - Metallica

Resenha - St. Anger - Metallica

Resenha - St. Anger - Metallica

Resenha - St. Anger - Metallica

Resenha - St. Anger - Metallica

Resenha - St. Anger - Metallica

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

publicidade
Ademir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | Andre Sugaroni | André Silva Eleutério | Antonio Fernando Klinke Filho | Bruno Franca Passamani | Caetano Nunes Almeida | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Eduardo Ramos | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Cristofer Weber | César Augusto Camazzola | Dalmar Costa V. Soares | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Eric Fernando Rodrigues | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Helênio Prado | Henrique Haag Ribacki | Jesse Silva | José Patrick de Souza | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcelo H G Batista | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Ricardo Dornas Marins | Sergio Luis Anaga | Sergio Ricardo Correa dos Santos | Tales Dors Ciprandi | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Tom Paes | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva
Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp


Metallica: por que cortamos os nossos cabelos?

Metallica: Scott Ian comenta sobre a morte de Cliff Burton



Sobre Rafael Carnovale

Nascido em 1974, atualmente funcionário público do estado do Rio de Janeiro, fã de punk rock, heavy metal, hard-core e da boa música. Curte tantas bandas e estilos que ainda não consegue fazer um TOP10 que dure mais de 10 minutos. Na Whiplash desde 2001, segue escrevendo alguns desatinos que alguns lêem, outros não... mas fazer o que?

Mais matérias de Rafael Carnovale.