Paul McCartney em Brasília: Lotando estádio por 50 anos

Resenha - Paul McCartney (Estádio Mané Garrincha, Brasília, 23/11/2014)

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Por Lincoln Melo
Enviar correções  |  Comentários  | 

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.

Um Beatle no Cerrado. Pela primeira vez em Brasília, e debaixo de muita chuva, PAUL MCCARTNEY apresentou um show de quase 3 horas de duração para uma plateia de aproximadamente 46.000 pessoas de todas as faixas etárias. Quem já foi para um show de MCCARTNEY ou do RINGO STAR sabe como é indescritível a emoção de ver ao vivo um Beatle, tanto para a maioria da humanidade que gosta da banda quanto para os que detestam mas no fundo sabem da importância dos Fab Four de Liverpool para a música e para o rock n roll.

3473 acessosUlrich no U2: ele perdeu para McCartney a chance de tocar bateria5000 acessosOzzy Osbourne: Nirvana e Green Day entre as bandas favoritas

Foram executadas 39 canções, sendo a grande maioria músicas dos BEATLES, 26 no total, e praticamente todos os álbuns foram lembrados, exceto " Beatles For Sale" e "Rubber Soul”. O repertório passou também pela fase solo, WINGS e o mais recente trabalho "New".

O show já começa levando a loucura beatlemaníacos com "Magical Mistery Tour" para em seguida emendar a dançante "Save Us", excelente música do mais recente CD "New" talvez uma das melhores do novo trabalho. Logo depois de expressar as primeiras de muitas frases em português da noite, acontece o primeiro arrepio, o primeiro coro, o primeiro grito uníssono da plateia com a clássica "All My Loving". Imediatamente entram em cena as canções dos WINGS com "Listen To What The Man Said" e a boa "Let Me Roll It".

Muitas foram as homenagens da noite começando com a atual esposa Nancy na música "My Valentine"; para o grande amor Linda com "Maybe I´m Amazed"; o eterno JOHN LENNON com "Here Today", nesse momento PAUL toca num palco elevado a 8 metros de altura; e o tranquilo GEORGE HARRISON com uma das mais belas canções já feitas, "Something", com o público cantando em harmonia. Impossível conter as lágrimas.

Teve homenagem também para a garotada, direto de um certo submarino amarelo, "All Together Now". Aliás, a garotada merece um parágrafo a parte, pois além de muitos adolescentes, era impressionante a quantidade de crianças presentes e mais impressionante ainda era a reação delas ficando em pé nas escadarias das arquibancadas dançando, pulando, balançando a cabeça a cada música mais rápida. A renovação de PAUL MCCARTNEY e principalmente dos BEATLES está garantida pela eternidade.

Casais apaixonados também tiveram o seu momento com a romântica "And I love her". Entre repertórios de WINGS, BEATLES, e as músicas novas, Sir PAUL continuava com a plateia na mão. Mesmo tomando uma baita chuva, pulavam e cantavam com "Obla Di Obla Da", se divertiam com "Paperback Writer", "I´Ve Just Seen A Face", "We Can Work It Out", "Lady Madonna", "Eleanor Rigby" e "Being For The Benefit Of Mr. Kite!" do espetacular "Sgt. Pepper's Lonely Hearts Club Band, disco que marcou a segunda fase dos BEATLES, e se emocionaram com "Another Day" e com a melhor música dos WINGS: "Band On The Run".

Para o grande final uma sucessão de clássicos com "Back In The USSR", a clássica "Let It Be" numa imagem belíssima de luzes de celulares iluminando as cadeiras do estádio, a apresentação performática de "Live And Let Die" com explosões no palco e fogos por cima do estádio, e, encerrando a primeira parte do show, a fantástica "Hey Jude" com o seu famoso "Na Na Na... Na Na Na", impossível não se comover com a resposta do público.

Como ninguém tirava o pé do estádio, PAUL MCCARTNEY volta carregando uma bandeira do Brasil e o primeiro Bis veio com "Day Tripper", quem estava sentado a essa altura não resistiu, todos ficaram de pé para dançar, pular e cantar esse clássico. "Get back" manteve o êxtase do público, impossível não lembrar da última apresentação dos BEATLES em cima do telhado da Apple Studios. O primeiro bis termina com "I Saw Her Standing There" transformando o Mané Garrincha numa enorme pista de dança.

As poucas pessoas que estavam saindo do estádio voltaram correndo quando escutaram os primeiros acordes de "Yesterday", a música mais regravada de todos os tempos. Em contraste, logo após "Yesterday", é entoada a canção mais pesada dos BEATLES "Helter Skelter" e para encerrar de vez esse grande show e a temporada internacional de Brasília em 2014 a trinca"Golden Slumbers/Carry That Weight/The End".

Talvez hoje, PAUL MCCARTNEY, ao lado de BRUCE SPRINGSTEEN, possui o melhor show da atualidade (AC/DC está voltando). Aos 72 anos faz um show de quase 3 horas com uma energia regular, cantando, tocando baixo, piano, tudo isso com muita simpatia, interagindo com o público o tempo todo e acompanhado por músicos extremamente competentes.

Agora uma questão fica no ar: como pode um artista lotar estádios no mundo inteiro por aproximadamente 50 anos? Sir PAUL sabe a resposta.

Setlist:

01 - Magical Mistery Tour
02 - Save Us
03 - All My Loving
04 - Listen To What The Man Said
05 - Let me roll it
06 - Paperback Writer
07 - My Valentine
08 - 1985
09 - Long And Winding Road
10 - Maybe I´m Amazed
11 - I´Ve Just Seen A Face
12 - We Can Work It Out
13 - Another day
14 - And I Love Her
15 - Blackbird
16 - Here Today
17 - New
18 - Queenie Eye
19 - Lady Madonna
20 - All Together Now
21 - Lovely Rita
22 - Everybody Out There
23 - Eleanor Rigby
24 - Being For The Benefit Of Mr. Kite!
25 - Something
26 - Obla Di Obla Da
27 - Band On The Run
28 - Back In The USSR
29 - Let It Be
30 - Live And Let Die
31 - Hey Jude

BIS 1:

32 - Day Tripper
33 - Get Back
34 - I Saw Her Standing There

BIS 2:

Segundo bis

35 - Yesterday
36 - Helter Skelter
37 - Golden Slumbers/
38 - Carry That Weight/
39 - The End

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

Lars Ulrich no U2Lars Ulrich no U2
Ele perdeu para Paul McCartney a chance de tocar bateria

2257 acessosE se for verdade?: Famosos que morreram e foram substituídos1353 acessosShows: em vídeo, Top 11 Músicas Viscerais de Encerramento255 acessosVersões: Clássicos que você talvez não saiba, ou não lembre que são0 acessosTodas as matérias e notícias sobre "Beatles"

BeatlesBeatles
Porque eles estão em voga depois de décadas?

Mais capasMais capas
Agora feitas por crianças

Paul Está Morto?Paul Está Morto?
Um Beatle morreu em 1964? O maior boato da história do rock?

0 acessosTodas as matérias da seção Resenhas de Shows0 acessosTodas as matérias sobre "Paul McCartney"0 acessosTodas as matérias sobre "Beatles"

Ozzy OsbourneOzzy Osbourne
Nirvana e Green Day entre as bandas favoritas

KrisiunKrisiun
"Edu Falaschi não viveu o underground"

Ozzy OsbourneOzzy Osbourne
25 coisas que você talvez não saiba sobre o Madman

5000 acessosAlice in Chains: mensagem subliminar na capa de "The Devil Put Dinosaurs Here"5000 acessosBandas: Audiófilos elegem as maiores da história do rock5000 acessosDavid Bowie: muito mais assustador que Michael Jackson4643 acessosAerosmith: Steven Tyler faz bom uso de garrafas na rua em Helsinki3430 acessosRock And Roll: os 10 músicos mais rebeldes de todos os tempos5000 acessosRock In Rio: edição 2017 pode ser a última no Brasil, diz Medina

Sobre Lincoln Melo

Paulistano de nascença, entretanto não é de nenhum lugar, é de lugar nenhum. Acha que o rock mudou o mundo, porém teve o seu mundo mudado por uma pedra preciosa chamada Jade. É eclético dentro do rock, mas cultua o rock britânico (Led, Beatles, Stones, Who, Purple, Clapton...) sem esquecer as origens (Presley, Holly, Lewis, Berry...). Tem uma filha de 4 patas rock and roll, que faz jus ao seu nome: Led (de Led Zeppelin). E tem a certeza de que a vida, como o rock, não acaba aqui.

Mais matérias de Lincoln Melo no Whiplash.Net.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em junho: 1.119.872 visitantes, 2.427.684 visitas, 5.635.845 pageviews.

Usuários online