Angra: grupo foi prejudicado no Rock in Rio

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+Compartilhar no WhatsApp

Por Marcos Bragatto, Fonte: Rock em Geral
Enviar correções  |  Comentários  | 

Matéria de 27/09/11. Quer matérias recentes sobre Rock e Heavy Metal?

Publicado originalmente no Rock em Geral.

402 acessosRio Rock City: O Power Metal morreu?5000 acessosSegundo Alice Cooper, Slipknot e Manson não assustam mais do que a CNN

Com grandes dificuldades técnicas, Angra faz o possível e participação de Tarja Turunen quase azeda no Rock In Rio.

De todos os que sofreram com a precariedade técnica (saiba mais aqui) do Palco Sunset, no Rock In Rio, o Angra talvez tenha sido o mais prejudicado. O grupo entrou no palco, no domingo (25/9), quando já existia uma grande multidão no entorno da área, que praticamente fechava a passagem do público de um lado a outro. Já na primeira música, “Angels Cry”, enquanto os músicos agitavam no palco, provavelmente porque o som de retorno devia estar funcionando, o público mal ouvia o que era tocado; do lado direito da platéia houve relatos que as caixas simplesmente não funcionavam. Sons estranhos também pareciam sair da bateria, cujo volume e equalização mudavam o tempo todo, como se alguém na mesa tentasse corrigir desesperadamente o problema.

Em “Nothing to Say” as coisas melhoraram, mas foi em “Lisbon” que um mar de mãos batendo palmas salientou a força e a quantidade de grandes sucessos que o Angra consolidou no heavy metal nacional. Só que a participação da convidada Tarja Turunen quase foi para o espaço. Na primeira música, “Spread Your Fire”, ela praticamente só cantou o refrão, mas em “Wuthering Heights”, de Kate Bush, gravada pelo Angra no álbum de estréia, uma falha no disparo de um teclado pré-gravado na mesa deixou a soprano sozinha no palco (o início era só com ela), em frente a uma platéia que logo iria hostilizá-la. “Ás vezes não é muito fácil”, disse Tarja, que por pouco não foi vaiada. Resolvido o problema, a versão foi executada com uma destreza ímpar, com Tarja cantando com grande carga dramática, duelando com um belo solo de Kiko Loureiro. Curioso ouvir o vocalista Edu Falaschi dizendo que não tocava essa música há 15 anos, sendo que a gravação é de Andre Matos.

O dueto Tarja/Edu funciona mesmo é em “Phantom of The Opera”, sucesso do Nightwish, também bastante comemorado pelo público. Edu lê as suas partes, o que não atrapalha em nada. É de novo o som, que apresenta altos e baixos na equalização, que quase coloca tudo a perder; por sorte não atingiu o microfone de Tarja, o que resultou num final exuberante. O Angra também teve com convidado o violinista Amom Lima em algumas músicas, com o show, que durou cerca de uma hora, sendo finalizado com a dobradinha “Carry On”/”Nova Era”. Foi tudo bem planejado, desde o repertório de hits até a escolha da música certa para a convidada. Só não contavam com a precariedade técnica do Palco Sunset. Uma pena.

5000 acessosQuer ficar atualizado? Siga no Facebook, Twitter, G+, Newsletter, etc

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+Compartilhar no WhatsApp

402 acessosRio Rock City: O Power Metal morreu?1220 acessosAngra: discografia de volta ao Spotify1363 acessosAngra e Hangar: Fábio Laguna conta como entrou nas bandas2495 acessosAngra: "reunião" durante aniversário de Paulo Baron, veja vídeo673 acessosBruno Sa: comenta a morte de Paul O'Neill e relembra audição1119 acessosAquiles Priester: No lugar onde montou a sua primeira bateria0 acessosTodas as matérias e notícias sobre "Angra"

AngraAngra
As cinco melhores composições de Andre Matos

Ed MottaEd Motta
Brasileiros que tocam no exterior discutem desabafo

MetalMetal
As melhores bandas brasileiras segundo a Metal Hammer

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

0 acessosTodas as matérias da seção Notícias0 acessosTodas as matérias sobre "Rock In Rio"0 acessosTodas as matérias sobre "Angra"

Alice CooperAlice Cooper
"Slipknot e Manson não assustam mais do que a CNN!"

HumorHumor
Ser prog metal é mais que saber tocar em modo frígio

Matt SorumMatt Sorum
Músico se posiciona contra James Hetfield

5000 acessosPunk Rock: Os 25 maiores discos de todos os tempos5000 acessosOzzy Osbourne: Nirvana e Green Day entre as bandas favoritas5000 acessosMetallica: Ultimate Classic Rock elege as 10 piores músicas5000 acessosMinha Mulher Não Deixa Não: clássico brega em versão Metal4713 acessosCourtney Love: "Sei de garotas que pedem fotos de pênis, tenho uma filha"5000 acessosStoner Rock: Um guia básico para o estilo

Sobre Marcos Bragatto

Autor sem foto e/ou descrição cadastrados. Caso seja o autor e tenha dez ou mais matérias publicadas no Whiplash.Net, entre em contato enviando sua descrição e link de uma foto.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online